Get Adobe Flash player

Uma possível solução para os problemas de comunicação do F-35 na região do Ártico encontra-se perdida nos meandros da burocracia canadense nos últimos três anos e ainda não recebeu luz verde, The Canadian Press informou.

A Agência Espacial Canadense vem estudando comunicações na região polar e em setembro de 2008 concluiu que um par de satélites sobre o Ártico poderia melhorar muito não só a comunicação de aeronaves, mas o acesso de banda larga e a previsão meteorológica naquela região.

A decisão de construir os satélites como parte do projeto de Comunicações e de Meteorologia Polar não está clara, porque a agência, em parceria com a ‘National Defence and Environment Canada’, ainda está estudando o impacto sócio-econômico de tal empreitada.

Não houve compromisso de longo prazo para o projeto, informaram fontes dentro e fora do governo nesta segunda-feira. Colocar um par de satélites sobre o Pólo Norte até 2017 custaria cerca de US $ 600 milhões.

Uma das incógnitas mais importantes para os desenvolvedores de software da Lockheed Martin, fabricante do F-35, é saber quais os satélites que estarão disponíveis nos próximos anos para permitir a comunicação dos caças.

A incerteza sobre as comunicações do futuro caça foi o argumento utilizado pelos Novos Democratas e Liberais para afirmar que o jato ainda possui um longo caminho a percorrer antes de entrar em atividade.

“Não há nenhuma explicação lógica ou razoável para a inflexibilidade do governo sobre o F-35″, disse NDP MP Kellway Mateus, membro da comissão de defesa do Parlamento canadense.

“Agora nós descobrimos que estes caças nem sequer podem operar na região Norte. Será que os conservadores vão admitir que gastar 150 milhões dólares por célula é um pouco caro para um avião que nem sequer funciona?”

O preço de compra do jato furtivo foi o tema de debate durante a eleição federal na última primavera e o governo conservador continua insistindo que o custo por aeronave gira em torno de US $ 75 milhões.

Tanto o Ministro da Defesa, Peter MacKay, como o líder do governo lo Parlamento, Peter Van Loan, disseram que as acusações da oposição eram “totalmente falsas” e que o Departamento de Defesa estava trabalhando em soluções.

“Esta aeronave terá sistemas de comunicação no estado da arte”, disse MacKay. O líder interiono do Partido Liberal, Bob Rae, usou a polêmica para exigir novamente que o governo Harper reveja o contrato dos F-35.

Nem a empresa nem a agência espacial estavam disponíveis para responder às perguntas nesta segunda-feira.

FONTE: MedicineHatNews.com

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: Poder Aéreo

VEJA TAMBÉM:

Tags: , ,

Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

No comments yet.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Coreia do Norte nega ligação com drones recuperados pelo Sul

Coreia do Norte nega qualquer ligação aos três drones recuperados pela Coreia do Sul, e acusa Seul de “criar” uma […]

Campanhas do sim e do não ao Gripen na Suíça: o combate na arena visual

No dia 18 de maio, a população da Suíça participará de um referendo para aprovar ou não o sistema de […]

GAO: preço do KC-46 baixou

O preço previsto para o novo avião de reabastecimento aéreo Boeing KC-46 caiu 1,8 milhão dólares por aeronave, de acordo […]

Revista Forças de Defesa número 9

À venda pela Internet e nas melhores bancas   A Revista Forças de Defesa 9ª edição de 116 páginas na versão […]

Gripen e Sukhoi na Base Aérea de Anápolis no ano de 1998

Parece que foi ontem, mas já passaram 13 anos. Nas fotos cedidas gentilmente por Marcelo Almeida, por intermédio de Juliano […]

Gripen na Suíça: rejeição ao caça diminui, mas pesquisa aponta vitória apertada do ‘Não’

Segundo levantamento feito na última sexta-feira, 52% dos entrevistados são contra a compra dos caças. Pesquisa anterior, feita em março, […]