domingo, dezembro 5, 2021

Gripen para o Brasil

Os 4 milhões eram de euros

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

No último dia 30 de setembro, o Poder Aéreo publicou matéria com a informação dada por uma fonte, que falou da necessidade de se adquirir um pacote de peças de 4 milhões para manter a operação dos caças Mirage 2000 (F-2000 na FAB), baseados em Anápolis, por mais alguns anos. Para acessar a matéria, clique na imagem acima.

Na matéria, não tínhamos a informação precisa sobre a moeda em questão, real, dólar ou euro, o que faria o valor flutuar entre 4 e 10 milhões de reais.

No Diário Oficial da União desta quarta-feira, 5 de outubro, há um extrato de contrato de ementa a um Memorando de Entendimento entre o Comandante da Força Aérea Brasileira e o Ministro da Defesa da República Francesa, assinado em 29 de setembro de 2011 e com vigência até 26 de dezembro de 2013. Circulam informações de que o memorando refere-se ao suporte de manutenção dos caças F-2000 da FAB. Neste novo extrato de contrato, é citado o valor preciso de 4 milhões de euros – o que corresponde a aproximadamente 10 milhões de reais.

A versão original publicada no Diário Oficial da União pode ser vista em arquivo pdf, clicando aqui (o extrato em questão está publicado no final da página que o link dá acesso, continuando na página seguinte). Reproduzimos o texto abaixo:

DIRETORIA DE MATERIAL AERONÁUTICO E BÉLICO

EXTRATO DE CONTRATO

Espécie: Emenda ao Memorando de Entendimento entre o Comandante da Força Aérea Brasileira e o Ministro da Defesa da República Francesa.

CONTRATANTE: Comando da Aeronáutica.

CONTRATADA: Ministério da Defesa da República Francesa

FINALIDADE: Fixar os princípios e as condições da cessão onerosa, pela Parte Francesa à Parte Brasileira, de materiais na Área da Aeronáutica Militar, designado Lote 2 Complementar.

AMPARO LEGAL: § 1º do art. 65 da Lei no- 8.666, de 1993.

VALOR: C= 4.000.000,00 (quatro milhões de euros).

PROGRAMA/NATUREZA DA DESPESA: 0621.2048.339030.

DATA DE ASSINATURA: 29 de setembro de 2011.

VIGÊNCIA: Até 26 de dezembro de 2013.

FONTE: Imprensa Nacional / Diário Oficial da União

Colaborou: Baschera

- Advertisement -

24 Comments

Subscribe
Notify of
guest
24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mauricio R.

Não!!!
E toquem o terror na Embraer, p/ aprontar a reforma dos F-5 ex-jordanianos, prá ante ontem!!!
Tb estão cobrando bem caro, +10 milhões USD por célula, então que se mexam!!!

Clésio Luiz

Vale a pena sim, afinal, ajuda a preservar a vida útil dos caças que realmente interessam, que são os F-5EM. Assim eles podem estar sediados em bases onde são realmente necessários.

E viva a zidanefobia.

Baschera

Esta notícia só não é tão ruim quanto o anúncio morte do Steve Jobs…. Enquando as aoutoridades não se decidem, vão empurrando a compra de vetores com a barriga…. vamos pagando…pagando por modernizações e remendos, como parece mais ser o caso dos M-2000. Nunão : Parece que, enquanto a PresidentA não se decide… o Saito fez valer uma cláusula do contrato referente a aquisição dos M-2000….. parece que vão ceder peças e partes dos M-2000 da LdA que estão sendo retirados de serviço para repor material dos nossos. Na minha opinião é o tampão do tampão….. mas que não inviabiliza,… Read more »

Baschera

Nunão:

É isto aí mesmo…. é um paliativo barato….. mas que não invalída ou desconsidera a escolha de um novo vetor…. é um remendo em pano velho….. até que se adquira um pano “novo e moderno”.

Sds.

ricardo_recife

Em termos financeiros se for “somente” 4 milhões de euros sim, vale a pena para ter caças supersônicos estacionados em BSB. Mas é claro, continuaremos com um vetor completamente defasado. Os 4 milhões é para manter os caças voando, nada mais. Voar não é o mesmo que estar em condições de combate, neste quesito os F-5M são melhores. Este dinheiro somente vai servir para os F-2000 estarem em condições de voar no sete de setembro e outras data comemorativas. Nada mais do que isto. O radar continua aquela porcaria, sem data link e sem mísseis avançados, apenas o Matra Super… Read more »

Ivan

Ricardo,

Será que os mísseis Matra Super 530F e Magic 2 estam operacionais?
Tenho minhas dúvidas principalmente em relação aos Super 530F, tendo em vista o tempo de vida útil e quando foram fabricados.

Mas se houver disponibilidade de 2 (duas) ou 3 (três) dúzias de Magic 2 já resolve o problema de um esquadrão para defender o Planalto Central. Afinal, qual inimigo iria atacar Brasília?

No mais concordo com vc, se for apenas 4 (quatro) milhões de euros.

Sds,
Ivan, do Recife.

Ivan

Penso que a aquisição ou leasing de um caça usado será inevitável a partir de 2013 ou pouco mais. Mas espero (com muita fé) que não venha a ser um “tampão”, mas um caça de ‘transição’ entre o que voamos hoje e o que for contratado. Usando o exemplo do meu preferido, o Gripen NG, a Svenska flygvapnet poderia ceder 2 (duas) dúzias de Gripen C/D para a Força Aérea Brasileira, de forma onerosa, enquanto completamos as fileiras com Gripen E/F Br. Na opção sueca os caças de transição poderia até ficar de forma definitiva, em face da similiradade com… Read more »

juarezmartinez

Os 4 milhões de euros são para estender o contrato de CLS de itens da aeronave que venceriam, em 2012. O que vai ocorrer é que estas aeronaves literalmente vão ficar congeladas, voando muito pouco e a medida que forem atingido o números de horas para o MTO(se não me engano são cerca de 900 hs) vão parar.
nenhum dos misseis S 530 F está operacional, e número do Magic 2 é muito infeior ao citado pelo colegas.

Grande abraço

Franco Ferreira

Este post do Nunão tem o grato sabor de mostrar a submissão da FAB à Lei 8.666/93, Tem que ser assim mesmo! O “amparo legal” citado neste contrato é de iniciativa UNILATERAL da Administração Pública BRASILEIRA. Tomara que “les frères” conheçam-na e se conformem com ela! Cabe notar que a legislação (a mesma 8.666) considera, no inciso II do mesmo artigo 65, a possibilidade de entendimentos “por acordo das partes”. Eis o amparo legal mencionado: SEÇÃO III Da Alteração dos Contratos Art. 65. Os contratos regidos por esta lei poderão ser alterados, com as devidas justificativas, nos seguintes casos: ——————————… Read more »

Mauricio R.

“…atingido o números de horas para o MTO(se não me engano são cerca de 900 hs) vão parar.”

Não é TBO – Time Between Overhauls???

Já está passando da hora, novamente, e como em 2005; só se discute tampão, tampão e tampão do tampão.
Mas não se resolve a questão.
Qnto a “zidanefobia”, reformar aeronaves que não terão condições de combate, p/ poupar a vida útil de outras, que tem, não me parece lá mto sábio.

Grifo

Senhores, acho que isto não é prolongamento e nem se refere ao contrato de manutenção dos Mirage 2000. Basta olhar o objeto do contrato acima e as partes envolvidas. O contrato de manutenção dos Mirage 2000 (na verdade “os” contratos, já que foram feitos individualmente com cada empresa) são com a Dassault, SNECMA e Thales, e se referem em seu objeto claramente à prestação de serviços. Transcrevo abaixo os extratos dos contratos de manutenção assinados em 2008 com cada empresa. Notem as partes e o objeto de cada um: Dassault: 2/7/2008 – Processo nº 67115.001748/2008-79. Inexigibilidade de Licitação nº 003/PAMASP/2008.… Read more »

Grifo

Senhores, apenas para complementar, se nós pagamos 47 milhões de euros (quase 4 milhões de euros *por aeronave*) pelos contratos de manutenção em 2008, sem contar o que foi pago de valor não-recorrente, não vai ser por só mais 4 milhões que eles seriam estendidos por mais alguns anos.

Eu pessoalmente duvido que seja intenção da FAB estender a vida dos Mirage 2000C. Mas mesmo se for, este aditamento do MoU publicado ontem não tem nada a ver com isso.

juarezmartinez

Caro Grifo, como eu expliquei anteriormente, se´ra manter as aeronaves “vonado” até 2013 com apoio de CLS contrato para itens específicos. O M 2000 pra em 2013.

Grande abraço

Grifo

Caro Juarez, entendi e concordo, apenas estou dizendo que isto aí é só compra de material de manutenção. Se vão estender o CLS então seriam outros contratos e um outro precinho.

juarezmartinez

Corrigindo> “voando”…….

Grande abraço

Justin Case

Amigos,

Creio que o Grifo tem razão.
O contrato parece ser de fornecimento de materiais provenientes dos estoques militares franceses.
Acho que foi sábia a decisão da FAB de adquirir apenas o suprimento necessário para operar até o final de 2013.
Um contrato maior, garantindo operação por período mais longo, somente iria dar mais tempo ao governo para “empurrar com a barriga” a decisão do F-X2.
Abraços,

Justin

Nick

Estava imaginando que esse contrato seria para estender a vida dos M-2000 até 2016/18, pelo menos. Se for para ir até 2013 apenas, nem vale a pena. Vamos continuar precisando de um tampax para esses tampax.

[]’s

Ivan

Mestre Nick,

Como havia escrito antes, acredito que em 2013 ou pouco depois a FAB necessitará de ‘novos’ caças usados para cobrir o buraco até a entrada de aviões realmente novos.

Espero (com fé) que estes futuros usados sejam caças de ‘transição’ e não mais os indesejáveis “tampax”.

Dependerá do vencedor do F-X2, se houver um vencedor.

Se for Gripen E/F, que venha um lote de Gripen C/D;
Se for Super Hornet, que venha um lote de Hornet;
Se for Rafale, que Deus nos acuda…

Sds,
Ivan. 🙂

Storm Rider

O barato sai caro!

Nick

Salve Jedi Master Ivan 🙂 Na minha visão é isso mesmo: Se é para dar baixa nos M-2000 no fim desse ano, que seja, e acelere a compra dos tampões para entrada em serviço em 2013. Afinal era em 2013, que deveria no princípio do FX-2 o início de entregas. Agora nas projeções mais otimistas, só em 2016/2018. O cenário mudou com esses atrasos. Caças de 4.5ª geração para entrar em operação em 2018/20? Fala sério =/ Se a END vale alguma coisa, que façamos uma parceria seja com a Turquia, Índia, Suécia ou a Coréia do Sul. E que… Read more »

ricardo_recife

Como disse antes este novo contrato é apenas para manter os F-2000 voando. Capacidade real de combate, podem esquecer.

Ivan, os Matra e os Magic. Concordo com você. Não sabemos quantos deles estão operacionais, mas a expectativa é que sejam poucos (se houver algum!).

Espero que este seja a última vez que lemos algo do tipo. E se tiver que vir algum tampão seja apenas do Gripen C/D para esperamos os E/F ou do Hornet para o Super Hornet.

Fora disso qualquer outra solução vai dar em …

Yluss

E cá entre nós… quem atacaria Brasilia?

Nenhum inimigo é idiota e certamente não nos fariam um favor desses! 😀

Últimas Notícias

Irã diz que explosão acima de Natanz faz parte de treinamento militar

A explosão relatada coincide com uma crise nas negociações sobre o programa nuclear do Irã A mídia iraniana no sábado...
- Advertisement -
- Advertisement -