Home Indústria Aeroespacial Aeronave revolucionária anuncia o renascimento da indústria aeroespacial da África

Aeronave revolucionária anuncia o renascimento da indústria aeroespacial da África

585
9

Nova categoria de aeronave criada para sacudir o mercado de aviação

Terça-feira, 27 de Setembro, Pretoria: A indústria de aeronaves da África entrou em uma nova era com o lançamento de uma plataforma de aviação inovadora multi-função. Este desenvolvimento marca a primeira vez na história da África que o continente desenvolveu e fabricou sua própria aeronave de forma independente.

Isto vem em um momento de crescentes ameaças do terrorismo, da pirataria, das incursões transfronteiriças, das alterações climáticas, de desastres naturais e tráfico de drogas, que tem alimentado a necessidade mundial de um sistema de reconhecimento aéreo, vigilância e patrulha armada de baixo custo capaz de suportar uma ampla gama de operações.

Esta nova aeronave irá desafiar os fabricantes dominantes ocidentais por causa de seu baixo custo de aquisição, menor necessidade de apoio logístico, operacional e uma extensa capacidade de maior grau de consciência situacional do piloto.

O projeto para desenvolver uma Aeronave Leve de Reconhecimento de Alto Desempenho Avançada (AHRLAC) é uma iniciativa da defesa sul-africana e do Grupo Paramount em conjunto com a parceira técnica Aerosud, a maior empresa de engenharia aeronáutica da África do Sul.

Ivor Ichikowitz, Presidente Executivo do Grupo Paramount, disse: “O lançamento da AHRLAC representa um marco importante para a África. Pela primeira vez na história do continente, a África estará desenvolvendo e fabricando sua própria aeronave e pode se beneficiar com empregos e crescimento econômico associados a uma vibrante indústria aeroespacial nacional”.

O lançamento ocorre enquanto os governos ocidentais estão sob pressão para cortar gastos de defesa, e as nações em desenvolvimento buscam tecnologia aeronáutica e defesa acessível para enfrentar uma variedade de desafios de segurança emergentes, incluindo o terrorismo, os efeitos das alterações climáticas e o aumento da demanda por operações de manutenção da paz e ajuda humanitária.

Ichikowitz disse: “O futuro do desenvolvimento econômico da África do Sul depende do desenvolvimento de indústrias baseadas no conhecimento. A AHRLAC é uma indicação clara desta habilidade. Hoje revelamos uma aeronave com relevância global, que foi concebida, desenhada, projetada e será fabricada aqui mesmo na África do Sul.

“A AHRLAC é uma plataforma de aviação multi-função, flexível e de custo compensador que marca a primeira vez que a empresa venceu as diferenças entre o reconhecimento tripulado e não tripulado e de aeronaves de vigilância.”

Os Veículos Aéreos Não-Tripulados (UAVs) tornaram-se cada vez mais popular, mas essas plataformas são complexas e caras, sem flexibilidade multi-função e consciência situacional.

Ivor Ichikowitz continua: “A AHRLAC é um enorme triunfo tecnológico para a África do Sul. A realidade é que a tecnologia por trás das UAVs vem sendo vendida em grandes quantidades e a AHRLAC oferece uma solução muito mais abrangente. Por exemplo, A AHRLAC tem forte capacidade defensiva e ofensiva, o que significa que ela pode operar no espaço aéreo hostil, bem como a capacidade de realizar operações no espaço aéreo nacional, porque é pilotada.

“Isso faz com que seja ideal para alguns dos problemas de segurança em longo prazo que o mundo enfrenta, tais como controle de tráfico de drogas, pirataria, patrulha de zonas econômicas exclusivas, proteção das pescas e florestas tropicais, guarda costeira e vigilância de fronteiras e controle de instalações estratégicas, como oleodutos.

“A relação custo-benefício dessa aeronave significa que mais países serão capazes de acessar o tipo de capacidades operacionais antes restritos a apenas algumas superpotências. A AHRLAC tem importantes implicações políticas para a África do Sul no reforço das relações econômicas e ajuda o país a ser reconhecido como um forte centro de inovação e tecnologia aeroespacial. A África do Sul já lidera o mundo em muitos campos tais como o esporte e a manutenção da paz, agora vamos mostrar ao mundo que podemos liderar na indústria aeroespacial.”

O desenvolvimento da aeronave é um símbolo da crescente confiança e crescimento do perfil político e econômico da África no cenário mundial. Nos últimos 10 anos, o pulso econômico da África se acelerou, com aumento real do PIB de quase 5% ao ano desde 2000 – mais que o dobro do ritmo na década de 1980 e 1990.

Ichikowitz concluiu: “O desenvolvimento da ARHLAC contribuirá para a base industrial da África do Sul por meio da criação de postos de trabalho, do compartilhando habilidades e dirigindo exportações para mercados estrangeiros – tudo o que é particularmente valioso num momento em que o Governo está buscando estratégias para aumentar a capacidade industrial do país e do crescimento.”

Para saber mais sobre o Grupo Paramount, visite o site www.paramountgroup.biz

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás

Nunca vi tanto papo furado para vender um ultra leve com motor PT-6.
Por pouco não disseram que essa pipa vai abater MiGs, Sukhois, F-16,etc.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
8 anos atrás

Roberto F Santana disse:
27 de setembro de 2011 às 20:15

Falou tudo! Li o texto todo esperando o ponto onde esse “ultra leve com motor PT-6” é revolucionário…

Nautilus
Nautilus
8 anos atrás

Revolucionária só se for no horroroso design, que não podia ser mais feio…

jacubao
jacubao
8 anos atrás

Copiaram o desin do “Bonco” americano.

edcreek
edcreek
8 anos atrás

Olá,

Pareçe nem chegar perto do Bronco, para mim pareçe mesmo um ultraleve com disse Roberto F Santana, kkkk…

Abraços,

asbueno
asbueno
8 anos atrás

A lança da cauda lembra a do Cessna 337 Skymaster.

Apesar do layout e propósitos diferentes, me fez lembrar do Optica.

http://www.airport-data.com/aircraft/photo/380233.html

Giordani RS
Giordani RS
8 anos atrás

Credo…ultra leve hi-tech agora é super arma…o que a falta de investimentos não faz…

Observador
Observador
8 anos atrás

Agora só falta os sul-africanos inventarem a bicicleta blindada…

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHA…

Morri de rir com a “bicicleta blindada”.