Eurocopter EC135 de uso militar no Brasil

Eurocopter EC135 de uso militar no Brasil

325
4
SHARE
Embraer KC-390

O VH-35 do GTE

Uma das aeronaves que estavam expostas no pátio da Base Aérea de São Paulo durante o “Portões Abertos” do último sábado era um dos dois helicópteros EC135 da FAB, operadas pelo GTE – Grupo de Transporte Especial.

O Comando da Aeronáutica adquiriu em 2008 dois destes helicópteros na versão EC135T2i da Eurocopter. As aeronaves foram montadas em Itajubá (MG) pela Helibras. Segundo consta, o valor do contrato para a aquisição destas duas aeronaves é de US$ 12 milhões.

Na FAB, os helicópteros foram designados VH-35 e receberam as matrículas FAB 8500 (cn 0637) e FAB 8501 (cn 0673), sendo ambos operados pelo GTE, baseado em Brasília.

A versão EC135T2i é a mais nova da família135 e conta com dois motores Arrius 2B2 com 634 shp.

Os dois helicópteros estão configurados para o transporte de autoridades civis e militares do país e por isso contam com o interior bem acabado (padrão VIP) , incluindo assentos com acabamento em couro. Nessa versão, transportam cinco passageiros, além de dois membros da tripulação.

A compra do EC135 fez parte de uma grande modernização ocorrida no GTE entre 2005 e 2010. Durante esse período praticamente todas as aeronaves daquela unidade da FAB foram substituídas por novos modelos.

Com as incorporação destas aeronaves, os antigos VH-55 (Esquilo Bi) do GTE puderam ser substituídos. Os Esquilos bi não foram desativados, mas transferidos para o 3º/8º GAV, Esquadrão Puma, que opera a partir da Base Aérea dos Afonsos. Esses Esquilos bimotores são empregados para treinamento das tripulações do esquadrão, que opera helicópteros H-34 Super Puma (também dotados de dois motores).

 

Já os dois novos EC135 do GTE são os únicos helicópteros deste modelo que operam no segmento militar no Brasil. Mas o tipo também está presente no segmento público e civil, destacando-se a Receita Federal (com dois exemplares) e a Omini Taxi Aéreo (quatro exemplares para emprego off-shore).

Mas é possível que uma outra Força passe a empregar o modelo no Brasil: o EC135 concorre com o AgustaWestland AW109 para ser o próximo helicóptero de emprego geral de pequeno porte da Marinha do Brasil. A Aviação Naval busca um substituto para suas aeronaves Esquilo (Mono e Biturbina) que operam no 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-1). Para saber mais sobre o futuro helicóptero leve da Marinha, leia a reportagem sobre os 50 anos do HU-1 na revista Forças de Defesa nº 2.

Para adquirir o seu exemplar da revista, clique num dos botões abaixo. Use o PagSeguro para gerar um boleto pagável em qualquer banco e o PayPal para pagar com cartão de crédito. Ao efetuar a compra por estes botões, favor informar o endereço completo para o envio. Os lotes das revistas são enviados semanalmente, após a confirmação do pagamento.

Para dúvidas sobre outras formas de pagamento e demais informações, envie um e-mail para revista@fordefesa.com.br.

Ao comprar a revista, o leitor torna-se assinante dos sites das Forças de Defesa, podendo postar comentários após o seu cadastramento.


 

 

VEJA TAMBÉM:

4 COMMENTS

  1. Pessoal do Poder Aéreo, gostaria de elogiar esta edição de vossa revista, que está muito bonita e bem feita. Mas com relação à esta matéria, foi cometido um pequeno erro no texto contido na revista, lá vocês dizem que a marinha do Brasil está interessada no EC-145 e não no EC-135 que seria o certo, como informado aqui no poder aéreo.

  2. E segue essa estupida e inócua reserva de mercado, se não for Eurocopter, não pode outro!!!
    O Brasil não ganha absolutamente nada c/ isso, mas prá que se incomodar, não é mesmo???

Deixe uma resposta