Home Sistemas de Armas Aumento da potência ‘não é problema’ para vender Rafale aos Emirados

Aumento da potência ‘não é problema’ para vender Rafale aos Emirados

236
31

 

Segundo jornal, venda de 60 caças Rafale é cotada em 8 bilhões de Euros, e desenvolvimento de motores mais potentes custaria menos de 1 bilhão

Matéria publicada pelo jornal “The National” nesta quinta-feira, 2 de junho, afirma que a Dassault Aviation espera selar uma encomenda dos Emirados Árabes Unidos (EAU), estimada em 8 bilhões de euros para 60 caças Rafale. Isso apesar de relatórios alegarem que as especificações dos motores eram um problema. Mas, para executivo da Dassault, a questão do aumento da potência dos motores do Rafale “não é um problema” para a campanha de vendas.

O valor de 8 bilhões de euros equivale, aproximadamente, a 11,5 bilhões de dólares ou 18,1 bilhões de reais.  A campanha de vendas está agora em seu terceiro ano de negociações e tem sido observada de perto por fabricantes rivais dos EUA e Europa. Charles Edelstenne, chairman e chefe executivo da Dassault Aviation, disse que ele tem estado “sempre esperançoso” de um acordo com a Força Aérea dos EAU, que vem operando aeronaves da Dassault desde 1974. Para a visita de uma delegação de imprensa dos Emirados, ele disse: “Eu espero que eles digam sim.”

As conversas entre a companhia francesa e os Emirados a respeito da aquisição do Rafale, um jato multitarefa projetado para ser uma solução completa para necessidades da aviação de caça, começaram em 2008. Mas as discussões teriam sido congeladas no ano passado, por preocupações com o custo de atualizações.

Os Emirados têm um histórico de “customizar” caças, de modo a adaptá-los às condições de voo quentes e úmidas do Golfo, e solicitaram motores mais potentes à Dassault. Além disso, pediram sistemas de radar de maior alcance e suítes de guerra eletrônica mais atualizadas do que as da versão do Rafale em serviço na França, na Força Aérea e na Marinha.

No ano passado, cresceram as especulações de que os Emirados estariam levando em consideração outras opções, após executivos da Boeing reconhecerem que forneceram informações técnicas sobre o F-18 ao EAU. Além disso, as Forças Armadas dos Emirados também receberam um briefing sobre o Eurofighter Typhoon, segundo executivos do consórcio europeu.

Os custos associados ao aumento de 21% da potência dos motores do Rafale seriam o ponto principal da atualização, mas o vice-presidente de negócios internacionais da Dassault Aviation, Eric Trappier, disse que o novo motor custaria menos de um bilhão para desenvolver. “Isso não é um problema” para a campanha de vendas, disse Trappier.

Segundo Edelstenne, os custos seriam assumidos tanto pelos Emirados quanto pela França. Ainda segundo o chairman da empresa, “esta aeronave é capaz de se desenvolver com o tempo e será atualizada. Você não precisa ter todas as funcionalidades adicionais de uma só vez”.

Em dezenbrim autoridades do Governo Francês disseram que as conversas sobre o Rafale estavam recomeçando, após uma reunião em Paris entre Nicolas Sarkozy, o presidente francês, com o Sheikh Mohammed bin Zayed, príncipe da coroa de Abu Dhabi e comandante supremo das Forças Armadas dos EAU.

Uma venda para os Emirados seria um impulso vital para a Dassault, cuja última entrega de exportação foi em 2007 (jatos Mirage para a Índia). O Rafale ainda não foi vendido a qualquer outro governo além do francês, apesar de estar sendo considerado para aquisição pelo Brasil, Suíça e Índia.

FONTE: The National (tradução, edição e adaptação: Poder Aéreo)

FOTOS: Força Aérea Francesa (Armée de l’air)

NOTA DO EDITOR: o título original da matéria, em inglês, é “Dassault aims to seal €8bn contract with UAE”, que significa “Dassault visa selar contrato de oito bilhões de euros com os EAU”.

VEJA TAMBÉM:

  • M88 ECO e TCO: sinalizando mais potência e custos menores para o Rafale
  • Primeiro teste de voo do Rafale com motores M88-4E
  • Jobim ajuda Dassault a vender o Rafale aos árabes
  • Dassault envia carta ao Poder Aéreo, a respeito do Rafale para os Emirados
  • Rafale para os Emirados – o que está na balança
  • De olho nos sensores do Rafale
  • Rafale em configuração de peso-pesado
  • Rafale em combate sobre a Líbia: ‘War for Dummies’
  • 31
    Deixe um comentário

    avatar
    31 Comment threads
    0 Thread replies
    0 Followers
     
    Most reacted comment
    Hottest comment thread
    13 Comment authors
    Justin CaseAlfredo AraujoBascheraControlMauricio R. Recent comment authors
      Subscribe  
    newest oldest most voted
    Notify of
    Almeida
    Visitante
    Almeida

    Se os franceses forem espertos, repassam os Mirage 2000-9 para a Índia ao invés daquela modernização caríssima. Com isso agradam um parceiro e fecham a primeira venda externa de Rafales para outro.

    Todos saem felizes.

    LuppusFurius
    Visitante
    LuppusFurius

    “isto não é problema” este Sr Charles é o típico vendedor “ligeiro”, sem ética,,O comprador paga o avião velho…..depois paga o desenvolvimento do motor….do radar…..da rebimbela…..da parafuzeta…etc..s…..segue pagando at infinitum…..azar do povo que o governo escolher este Pepino, pois já não é mas ném Jaca….

    edcreek
    Visitante
    Member
    edcreek

    Olá,

    Para mim pareçe evidente que se os EAU estão dispostos a negociar as atualizações e não estão correndo atraz de outro forneçedor, é por tem um motivo bem simples.

    É porque vale a pena,

    Abraços,

    Antonio M
    Visitante
    Member
    Antonio M

    O engraçado é que para o Gripen tudo é impossível de ser feito, mas para o Rafale nada é problema. Nem mesmo tendo que gastar “apenas” 1 bilhão de euros ou, um “pouquinho” menos em requalificação de seus motores.

    Se o upgrade dos Mirage 2000 da Índia beiram os US$46 milhões a unidade, quanto irá custar as modernizações do Rafale?!??!?!

    viniciusdonadio
    Visitante
    viniciusdonadio

    A Dessault está tão desesperada para vender seus Rafales q estão dispostos a fazer modificações no projeto de ate 1 bilhão de euros, e dizem q isso não é problema….isso sim q é vontade de vender hehe

    Nick
    Visitante
    Member
    Nick

    Esses US$11,5 bilhões dá um valor de mais de US$190 milhões por caça.

    É muito mais do que se fala por exemplo na concorrência indiana. Tudo bem que deve ser um pacote completo com armas e serviços mas mesmo assim…. Como parâmetro o F-35 está saindo por US$133 milhões.

    E levando-se em consideração que o pacote da oferta gira em torno dos US$6 bilhões para 36 caças(US$166 milhões/caça), é um valor que não foge muito, ainda mais que os franceses já devem estar computando as modificações no caça.

    []’s

    Antonio M
    Visitante
    Member
    Antonio M

    “…Eric Trappier, disse que o novo motor custaria menos de um bilhão para desenvolver. “Isso não é um problema” para a campanha de vendas, disse Trappier. …”

    É bom ser auto-confiante, corajoso, pró-ativo etc. mas, ser tudo isso é uma coisa muito diferente de ser arrogante!

    Com uma crise mundial que ainda reverbera, ainda fazendo suas vítimas, um país/empresa que menospreza a participação em uma empreitada que tem lá seus riscos e que envolve 1 bilhão de euros, chega a ser surreal !

    Ivan
    Visitante
    Ivan

    Bonjour! Monsieur Edcreek, Concordo com sua afirmação: “É porque vale a pena…” Mas por motivos diferentes dos seus. A base estratégica de defesa dos Emirados Árabes Unidos é montada sobre dois pilares, ou aliados estratégicos, como achar melhor. O pilar mais robusto, obviamente, são os Estados Unidos da América. O outro pilar é a França, o que todos sabem. Não é sem motivo que sua força aérea é dividida entre caças das duas nações, com F-16 Desert Falcon e Mirage 2000-9 dividindo a linha de vôo. Caso precise receber apoio de unidades de combate aliadas, certamente serão aeronaves parecidas com… Read more »

    Ivan
    Visitante
    Ivan

    Em tempo,

    Independente do custo, desde que o Brasil não tenha que pagar esta conta, seria muito bom ver o Rafale com turbinas mais poderosas.

    É um belo avião e merecia ser capaz de voar super-cruise, mesmo que marginalmente como faz o EuroFighter Typhoon.

    Cordialement.
    Ivan. 🙂

    edcreek
    Visitante
    Member
    edcreek

    Olá,

    Antonio M o Ivan respondeu sua pergunta, além da França ter um PIB muuuito maior do que a Suecia, tem o peso politico/militar que ela(a França tem) tem, não dá para comparar, é como comparar um rato com um Rottweiler….

    Ivan sans doute, et il pèse beaucoup, mon pote!

    Abraços,

    Vader
    Visitante

    E restam (de novo) confirmados alguns fatos:

    – A submotorização das Snecma M-88 (21% a mais????? Isso é uma enormidade!!!!);
    – O Rafale é mais caro que o F-35;
    – O radar tem alcance menor que os dos F-16 Block 60 de uma década atrás;
    – A suíte de guerra eletrônica (inclusive a “comilona de energia” SPECTRA) não impressiona ninguém.

    A cada dia que passa a entrevista do Brigadeiro Alain Silvy se confirma como mais e mais verdadeira.

    Sds.

    Vader
    Visitante

    Ou, como já comentei uma vez, o Rafale é “menos moderno que o Gripen, menos testado e carrega menos carga que o SH, manobra pior e atinge menor velocidade que um Typhoon, tem dois motores mais beberrões que os de um F-15 e mais fracos que os de um F-4, seu radar tem menos alcance que o de um F-16, sua logística é pior que a de um Su-30, sua parte elétrica é mais bichada que a de um MiG-21, as armas (além de limitadíssimas) são mais caras do que as do F-22, consegue ser mais feio que o Harrier… Read more »

    edcreek
    Visitante
    Member
    edcreek

    Olá,

    Vader tão verdadeira que eles estão negociando somente com eles a compra, uma ação vale por mil palavras….

    Abraços, e complainte

    Antonio M
    Visitante
    Member
    Antonio M

    edcreek disse:
    2 de junho de 2011 às 10:46

    Se assim fosse, a França/Dassault não estariam em desespero para empurrar o Rafale.

    Enquanto isso a Suécia vai trabalhando normalmente. Se não venderem o NG, continuarão sem se desesperar.

    Já a Dassault, tem gente lá de dentro defendendo a volta de propina para possíveis compradores…..

    Vader
    Visitante

    edcreek disse:
    2 de junho de 2011 às 11:19

    Informe-se: tanto a Boeing quanto a Eurofighter já foram sondadas pelos EAU.

    Por lá, como na Índia, a vantagem francesa chama-se Mirage-2000, que ambos os países não sabem o que fazer.

    É aquela história: comprou avião francês, casou com a França. Pra sempre. E aguenta o “precinho” deles…

    Sds.

    LuppusFurius
    Visitante
    LuppusFurius

    Um avião com trinta anos levando mais trinta para ficar “bom”.E irá consumir quanto dinheiro ainda?
    Ei turminha das continhas da Padaria, saberiam informar quanto já foi gasto deste o projeto do Pepino até hoje? E só para termos um comparativo , as continhas do F-22 e do F-35?!
    Obrigado
    LuppusFurius

    Vader
    Visitante

    LuppusFurius disse:
    2 de junho de 2011 às 11:53

    Cabo Lobo: 40,690 bilhões de euros em 2010, segundo o TC Francês. Ou US$ 58,813 bilhões.

    comment image

    Segundo a Wikipedia, os custos do Projeto JSF estão, em 2011, em US$ 49,3 bilhões. A mesma fonte afirma que o F-22 custou US$ 62 bilhões.

    Ou seja: o Projeto Rafale bateu o F-35, e se aproxima a passos rápidos do F-22.

    Sds.

    LuppusFurius
    Visitante
    LuppusFurius

    ô Loko!!!
    Obrigado Caro Lord Sith…

    Ivan
    Visitante
    Ivan

    Monsieur Edcreek, “…o Ivan respondeu sua pergunta…” Eu não respondi pergunta de ninguém. Apenas lembrei a importância estratégica para os Emirados Árabes Unidos, um país de pequenas dimensões inserido em um TO quentíssimo como o Golfo Pérsico, de ter aliados militares dispostos a lutar ombro a ombro suas batalhas. A Arábia Saudita tem os EUA e a Inglaterra. Os EAU tem os EUA e a França. Entretanto não há nenhum paralelo com o Brasil, que não precisa de aliados para uma guerra imediata, além de ter interesses comerciais conflitantes com estes grandes players. Mais ainda, não fiz nenhuma referência a… Read more »

    Mauricio R.
    Visitante
    Mauricio R.

    Estar negociando, não significa necessáriamente, estar comprando.
    Qnto a simples transferência dos M-2000-9, dos UAE p/ a Índia, existe um problema.
    A participação da HAL, na concepção e execução do upgrade.
    No mais a arrogância exibida pelos executivos da Dassault, ao minimizar ou mesmo desprezar os requerimentos dos UAE, nem chega a ser surpresa.

    Control
    Visitante
    Control

    Senhores O Rottweiller está mais para cachorro de madame: barulhento, metido e pouco eficiente para qualquer fim além do decorativo. Vide a ação na Líbia que, aliás, deve envergonhar tanto os militares franceses quanto todos os da OTAN pela sua condução bisonha. È graças a este cãozinho que, por azar, é o “patrocinador” do Rafale que o desenvolvimento deste vem se arrastando há tanto tempo. Assim, até hoje, há armamentos a serem integrados, dificuldades com a capacidade de energia disponível, etc. Um ótimo avião, quando de seu projeto inicial vem, pelo passar do tempo e pouca disponibilidade de dinheiro (ou… Read more »

    edcreek
    Visitante
    Member
    edcreek

    Olá, Control em minha humilde opinião, o problema não são os caças envolvidos e sim a forma como está transcorrendo as operações já passou a hora de pegar pesado, mas os ataques esporadicos não estão resolvendo nada, pelo numero de caças, lá podiam ser todos F-5 eles devastariam a força Libia rapidamente, mas a Otan enganadamente pega leve e esta desse jeito…. Ivan vc respondeu sim ao questionamento, mesmo que indiretamente… Mesmo comercialmente é muito melhor uma aliança com a França que com a Suecia que perde em todos quesitos: Comercial, Militar e Politamente. Sobre participar do conselho de segurança,… Read more »

    Baschera
    Visitante
    Member
    Baschera

    Tem coisas que a nossa vã filosofia não explica.

    Deixem estes árabes malucos pagarem os tubos para desenvolver uma nova motorização a E88-ECO … podem até pagar pela M88-MICO…problema deles.

    Mas….a Dassault não ia receber os M-2000 traço 9 como “entrada” ??

    SDs.

    Mauricio R.
    Visitante
    Mauricio R.

    Que falta um javalí e uma aparição fantasmagórica, não fazem.
    Se ao menos a RAF, não houvesse desativado seus Harrier GR-9.

    Alfredo Araujo
    Visitante
    Member
    Alfredo Araujo

    A Asas desse bimestre tem uma nota que cita oficiais brasileiros “dando uma olhada” no estado dos 2000-9 dos EAU, ja q o tampão 2000-C já está indo para as cucuias…

    Se a FAB comprar os 2000-9 dos EAU, o caminho dos arabes para comprar a Jaca está aberto !
    Ai ficam os arabes com a Jaca e nós com a banana, o pepino, ou qualquer outra fruta/legume de conotação sexual…

    LuppusFurius
    Visitante
    LuppusFurius

    Baschera
    M88-MICO….é de fazer xixi nas calças,,,,,,hahahahahaha…..
    Pelos custos destes caças (Jaca,Fresquinho e Gripadinho ) a demora para deixá-los ” uma brastemp” , estou achando ótimo a idéia dos israelenses, já irão de F-35, caça do Séc. XXI…….
    O FX-2 tá morto mesmo, a Dilma deveria ver com o Saito o
    F-35 ..Recebendo em 2017 tá bom…..FAB com avião séc.XXI….

    Vader
    Visitante

    Alfredo Araujo disse:
    2 de junho de 2011 às 16:23

    Isso é o que de pior nos poderia acontecer. Não pelo M-2000-9 em si, que é um bom caça. Mas porque ele é filho de mãe solteira com pai desconhecido: não tem comunalidade nem mesmo com os outros M-2000.

    Isso na FAB iria ser uma quizumba. Se acontecer, teremos vetores modernos só no ano de 2200…

    Sds.

    Vader
    Visitante

    LuppusFurius disse:
    2 de junho de 2011 às 16:42

    “a Dilma deveria ver com o Saito o F-35 ..Recebendo em 2017 tá bom…..FAB com avião séc.XXI….”

    Meu garoto… 🙂

    Ainda mais se se levar em conta que a hora-vôo projetada do F-35 (US$ 19.000 na projeção mais pessimista) é cara, mas ainda assim é mais barata que a do Rafale (16000 euros, ou US$ 23.176 no câmbio de hoje – isso na projeção mais otimista).

    Saudações.

    Almeida
    Visitante
    Almeida

    Pelo amor de Cristo, Mirage 2000-9 aqui no Brasil não! Manter isso será ainda pior que foi manter os Mirage III e Mirage 2000 C/D!

    E sim, já enrolaram tanto com FX-2 que, novamente, os candidatos estão ficando ultrapassados.

    edcreek
    Visitante
    Member
    edcreek

    Olá, O Mirage-2000-9 é uma maquina e tanto, nos daria a vangarda novamente na America do Sul se for em uma quantidade boa(o ideal seria que fossem todas), superando o Chile. Porém teriamos sim muitos problemas já que ele possui muito itens exclusivos não compativeis com as outras versões. Imagino que se for para comprar todos e se estiverem em condições de chegarem a 2030(substituindo não somente GDA, mas tambme os F-5M antigos) acho que vale a pena, até lá ja teriamos passado a transição mais dura entre 5ºG e 4.5G com a entrada em serviço de caça Chineses, Russos… Read more »

    Justin Case
    Visitante
    Member
    Justin Case

    Amigos,

    Notícias do Rafale na Aviation Week:

    http://www.aviationweek.com/aw/generic/story_channel.jsp?channel=defense&id=news/awst/2011/06/06/AW_06_06_2011_p24-330649.xml&headline=Plans%20For%20Further%20Rafale%20Upgrades%20Emerge

    Plans For Further Rafale Upgrades Emerg
    Jun 7, 2011
    By Robert Wall
    Paris
    With a new round of Rafale upgrades nearing completion, the French military and defense industry are starting to look at the long-term future of the twin-engine fighter.

    Abraços,

    Justin