Home Operações Aéreas Caças Gripen suecos ultrapassam marca de 100 missões sobre a Líbia

Caças Gripen suecos ultrapassam marca de 100 missões sobre a Líbia

385
18

No último domingo, 15 de maio, as Forças Armadas da Suécia divulgaram que os caças Gripen desdobrados na Sicília já ultrapassaram a marca de 100 missões sobre a Líbia, como parte da operação liderada pela OTAN para manutenção da zona de exclusão aérea sobre o país. O marco de 100 missões foi ultrapassado em 11 de maio e também significa que cada um dos dez pilotos de Gripen destacados já voaram, cada um, pelo menos dez missões.

Nessa operação, a parte que cabe ao destacamento sueco é a realização de missões de reconhecimento, fotografando qualquer ameaça à zona de exclusão, desde posições antiaéreas a bases aéreas. Segundo o informe, os voos sempre envolvem risco, pois há ocasiões em que as aeronaves da coalizão são iluminadas por devesas antiaéreas, segundo um piloto sueco. Isso significa que, no solo, ainda há radares procurando por aeronaves no ar, o que é detectado pelos sistemas de alerta radar dos caças.

Como o passo seguinte após o avião ser iluminado pode ser o lançamento de um míssil terra-ar, trata-se de uma ameaça à zona de exclusão aérea, e por isso mesmo essas possíveis ameaças são fotografadas pelos caças suecos.

Algumas estatísticas:

  • Do primeiro voo em  7 de abril até 12 de maio o destacamento completou 104 missões na operação sobre a Líbia;
  • Aproximadamente 65.000 fotos foram tiradas com o pod de reconhecimento;
  • Aproximadamente 153.000 litros de combustível foram supridos pelo avião de reabastecimento aéreo sueco.

Mas as ameaças aos voos não são apenas dos radares que iluminam os caças. Segundo informe anterior, as condições de operação às vezes podem causar danos aos caças, um deles bastante enigmático: em duas aeronaves, foram detectadas trincas nos párabrisas após uma missão.

Especula-se se teriam sido causadas por uma tempestade de areia ou de raios, eventos que ocorreram próximo às aeronaves. Para estudar melhor os motivos dessa situação inédita, planejou-se mandar os dois caças de volta à Suécia, sendo repostos por outros dois, provenientes da ala F21.

Como mostram as fotos abaixo, atenção especial é dada à checagem dos motores, inserindo cabos com câmera e luz em buracos planejados para esse fim, num procedimento similar à endoscopia. Além disso, é realizada a inspeção visual por dentro dos pós-queimadores.

FONTE / FOTOS: Forças Armadas Suecas

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá,

Modo sarcastico ON:

É o fotografo mais caro do mundo, 8 mil dolares por hora de voo…..

Modo sarcastico OFF:

Uma marca relevante já que o caça nunca esteve em terreiro hostil, sendo essa a primeira vez, uma pena que o caça não pode(ou será que não tem?)usar capaçidade ar-solo…..

Abraços,

Observador
Observador
9 anos atrás

Modo sarcástico ON:

Então vamos usar o Rafale. Quem sabe a conta dobra de valor.

Modo sarcástico OFF:

Vá foram bem esplanadas aqui no Blog, e por gente muito mais competente que eu, as razões do Gripen não levar armamento ar-terra nestas missões.

Não vou repeti-las aqui.

E sobre o terreno hostil, o mesmo vale para o Rafale, porque o Afeganistão representou menos risco de enfrentar um míssil terra-ar do que a Líbia.

A não ser, é claro, para aviões que chocam no ar ou que costumam sofrer pane seca…
(modo sarcático BEM ligado).

edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá,

Modo sarcastico ON:

Rafale está atacando alvos estrategicos e alvos em solo, não tirando fotos.

Modo sarcastico OFF:

Abraços,

Franco Ferreira
Franco Ferreira
9 anos atrás

Do texto:
“Como mostram as fotos abaixo, atenção especial é dada à checagem dos motores, inserindo cabos com câmera e luz em buracos planejados para esse fim, num procedimento similar à endoscopia. Além disso, é realizada a inspeção visual por dentro dos pós-queimadores.”

Modo sarcático ON:

O texto devia continuar “; à semelhança de uma inspeção proctológica, realizada com um nstrumento semelhante a um suposítório”.

Franco Ferreira

Observador
Observador
9 anos atrás

Modo sarcástico ON (mais bem ON mesmo):

O Rafale está destruindo alvos estratégicos importantíssimos, deixados para trás pelos tomahawk, B-2, F-15, F-16, F-18G e AV-8B americanos.

Ah, sem falar no que NÃO foi destruído pelos Stormshadows lançados dos tornados britânicos.

Depois da chuva de fogo anglo-americana, os franceses devem estar peneirando as areias do Deserto Líbio, para ver se encontram algo para atacar.

E até acharam: um moderno e letal G-2E Galeb, que representava perigossíma ameaça às forças da coalisão.

É, devia ser um Galeb “stealth”…

Renato Oliveira
Renato Oliveira
9 anos atrás

Modo sarcástico ON

A toda poderosa jaca dispensa o Etandart para designar alvos!! Levou apenas 20 anos!!

Modo sarcástico OFF

Sem aeronaves para encontrar alvos a jaca só ia queimar combustível sobre o deserto, para lançar bombas estadunidenses. Independência é isso.

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

Modo sárcático : ON

Ué não era uma operação sob o comando da da OTAN???

Modo sarcástico : OFF

De volta, a vaca fria:

“…inserindo cabos com câmera e luz em buracos planejados para esse fim, num procedimento similar à endoscopia.”

Hhhhhuuuuuummmmm, se parece c/ um boroscópio…

(http://www.pilotopolicial.com.br/?p=5090)

DrCockroach
DrCockroach
9 anos atrás

100 missoes: qual seria o tempo medio de cada missao? multiplica isto pela custo hora voo e se obtem um valor significativamente menor que outros jatos.

Duas turbinas, todo o trabalho dobrado…

O Gripen tem um perfil com linhas suaves (1 foto), sem enormes pretuberancias (probe, …),melhor que isto, no meu “olhometro” somente stealth.

Maravilha, realmente gostaria de ver o Gripen com a bandeira do Brasil.

[]s!

Vader
9 anos atrás

“Double the engines, double the problem” – John Boyd

edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá,

Não se ofendão pro-caça que nunca vai existir.

O Rafale atacou junto com a chuva de misseis, o Rafale atacou com Scalps, e o Rafale provou em combate AASM e Damoclès.

Isso são fatos reais e não ideologia como a propaganda Anti-francesa que vcs vinculão.

A verdade é que o Rafale foi para a batalha e o caçinha Sueco para tirar fotos, o Rafale tem um novo escudeiro o JAS-39 que tira foto do alvo e repassa para o caça com capaçidade real de operação.

A nova dupla do momento Rafale e seu fiel escudeiro o JAS-39, kkkkkkk

Abraços,

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

Quem faz maior progapafanda anti-francesa não somos nós, são os próprios franceses…..

andersonrodrigues1979
andersonrodrigues1979
9 anos atrás

Nossa eu achava que era blindado o para-brisas!!. se areia faz isso imagine um tiro de 7.62.

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

Putz! Começou de novo a “campanha para desmoralização do Gripen” ?!?!? Se a cobertura do cokpit do Super Tucano suporta um tiro de 7.62, como não suportaria um Gripen, Rafale, F18 ? Talvez não suporte um tiro frontal em vôo supersônico mas, não se trata exatamente de blindagem e sim de ir contra a leis da física… Para quem não viu: http://www.aereo.jor.br/2011/05/09/amx-depois-de-choque-com-passaro/ Na década de 80 vi uma reportagem sobre o choque de um urubu com a carlinga de um F5, onde o impacto arrebentou a cobertura e o capacete do piloto, parece que deixando-o com problemas de cisão em… Read more »

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

problemas de visão

Vader
9 anos atrás

andersonrodrigues1979disse:
17 de maio de 2011 às 9:29

Blindado não significa indestrutível caro anderson.

Abraço.

DrCockroach
DrCockroach
9 anos atrás

Eu avisei o pessoal da SAAB p/ nao colocar isofilme na oficina do Salim. Nao escutaram, deu nisso, colocaram “filme” chines mas com preco europeu 🙂

[]s!

andersonrodrigues1979
andersonrodrigues1979
9 anos atrás

caro amigo Antonio M longe de min querer desmoralização do Gripen simplesmente fiquei surpreso, desculpa minha ignorância mais eu achava que teria uma resistência maior devido a ele ser projetado para usar pistas sem preparo, devido a estrategia da Suécia, no teste fala areia mais provavelmente foi coisa maior.

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

Sem problemas Anderson. Creio que o preparo para as pistas curtas permite que muita coisa seja prevenida mas, não é possível prever tudo. Assistindo a um documentário, acho que era sobre a primeira viagem do porta-aviões Ronal Reagan, o primeiro trabalho antes dos pousos e decolagens, é uma “varredura manual” do convés por dezenas de marinheiros que fazem uma busca visual de detritos no convés que podem danificar um avião, e encontram parafusos, pedações de metal, até uma rodinha de cadeira giratória foi encontrada! Mas quero saber dos resultados da análise do ocorrido, talvez possam mudar projetos e até promover… Read more »