Home Noticiário Internacional Entregue o 100º Rafale

Entregue o 100º Rafale

234
10

Segundo o blog Rafale News, foi entregue o 100º Rafale (30º da versão C) no dia 27 de abril, no aeroporto de Bordeaux-Merignac.

O total de Rafale em uso nas Forças Armadas da França seria:

  • 4 aeronaves de produção para testes: B301, B302, C101, M1
  • 9 Rafale M F1 (tranche 1): M2 a M10 colocados na reserva e esperando o upgrade para F3.
  • 48 Rafale F3 (Tranche 2, ex-F2) :
    • 7 C (C102 a C108)
    • 25 B (B303 a B327)
    • 16 M (M11 a M26)
  • 39 Rafale F3 (Tranche 3) :
    • 22 C (C109 a C130)
    • 11 B (B328 a B338)
    • 6 M (M27 a M32)

Assim, o total compreenderia 32 Rafale M, 38 Rafale B e 30 Rafale C. Das 100 aeronaves entregues, somente 83 (19 M, 35 B e 29 C) estão em serviço/ operação (3 M e 1 B foram perdidos, 9 M estão na reserva, 2 B, 1 C e 1 M estão em testes).

Para saber em quais esquadrões o Rafale já opera na Força Aérea Francesa, ou deverá operar em breve, clique nos links da sessão “veja também”, logo abaixo. Para saber mais sobre a operação dos caças Rafale na Marinha Francesa, clique aqui para acessar uma seleção de matérias do Poder Naval.

BATE-PAPO ONLINE: converse sobre esta e outras notícias com outros leitores no ‘Xat’ do Poder Aéreo, clicando aqui.

VEJA TAMBÉM:

  • EC 3/30 Lorraine: o Rafale com um pé nos Emirados
  • Mont-de-Marsan: a próxima casa do Rafale na França
  • Subscribe
    Notify of
    guest
    10 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    fsneto
    fsneto
    9 anos atrás

    Dúvida: Existe um Rafale “MB”, um biposto para operar em um Nae?

    Clésio Luiz
    Clésio Luiz
    9 anos atrás

    Até onde eu lembro não tem não fsneto. Isso significa que os pilotos da marinha francesa treinam nos bipostos da força aérea francesa.

    Falando em bipostos, notem a grande quantidade de bipostos produzidos. Eu tinha lido um tempo atrás no Sistemas de Armas que existe uma tendência em algumas forças em operar mais aeronave bipostas. A USN e a Armée de l’Air seriam duas forças que operam mais bipostos que o necessário para fins de instrução. O motivo seria que um segundo par de olhos é importante para missões de ataque e apoio aéreo aproximado.

    Guilherme Poggio
    Reply to  Clésio Luiz
    9 anos atrás

    Clésio

    Não esqueça de incluir os indianos na sua conta.

    Além dos Su-30MKI, a versão do PAKFA deles terá dois lugares também.

    Justin Case
    Justin Case
    9 anos atrás

    Clésio Luiz disse: 4 de maio de 2011 às 21:57 “Até onde eu lembro não tem não fsneto. Isso significa que os pilotos da marinha francesa treinam nos bipostos da força aérea francesa. Falando em bipostos, notem a grande quantidade de bipostos produzidos. Eu tinha lido um tempo atrás no Sistemas de Armas que existe uma tendência em algumas forças em operar mais aeronave bipostas. A USN e a Armée de l’Air seriam duas forças que operam mais bipostos que o necessário para fins de instrução. O motivo seria que um segundo par de olhos é importante para missões de… Read more »

    Fernando "Nunão" De Martini
    Reply to  Justin Case
    9 anos atrás

    Fsneto, Complementando o Clésio e o Justin: Sobre o esquadrão onde tanto os pilotos do Armée de l´air quanto da Aeronavale fazem a conversão para o Rafale, há um link específico na seção “veja também”. Quando criado, esse esquadrão baseado em St Dizier não operava aeronaves próprias – ele tem alocado um Rafale M (que, como já afirmaram, é só monoposto) e utiliza para suas surtidas de treinamento as aeronaves dos outros dois esquadrões baseados em St Dizier, o Provence e o Gascogne, que operam tanto monopostos quanto bipostos. Acredito que, no futuro, com a maior demanda gerada pelo reequipamento… Read more »

    Mauricio R.
    Mauricio R.
    9 anos atrás

    Seria o Rafale N, mas foi cancelado devido a falta de verba.

    Almeida
    Almeida
    9 anos atrás

    Tradicionalmente a França opera esquadrões de aeronaves bipostas para ataque estratégico, convencional e nuclear. Vide os Mirage 2000 D. Além disso, como o Rafale está no começo de sua vida operacional, eles preferiram produzir logo a maioria dos bipostos para agilizar a migração dos pilotos. E sim, tanto no Rafale quanto no Super Hornet, o segundo assento serve tanto para instrução quanto para um oficial operador de sensores e armas. Aproveitando a deixa, eu acho bem pequeno o número de bipostos solicitados pela FAB no FX-2. São 30 monopostos e 6 bipostos, corroborados pela proposta aberta da Boeing. Será que… Read more »

    Nick
    Nick
    9 anos atrás

    Os franceses não estão encomendando uma grande quantidade do modelo B? Aliás é o modelo que vendo sendo mais fabricado. E dizer que é mais um par de olhos para cuidar dos sensores e sistemas é estranho visto que o caça é dotado de sistemas mais automatizados e fusão de dados, do que um M-2000, por exemplo, o que em tese deveria diminuir a necessidade da carga de trabalho humano.

    Exemplo, o F-35 não terá versões biplaces.

    []’s

    edcreek
    edcreek
    9 anos atrás

    Olá,

    Almeida parabens boa visão, acho que é que se aproxima mais do real, tanto na França como no Brasil.

    E o projeto avança, o caça é real não é devaneio ou elefante branco.

    Abraços,

    Antonio M
    Antonio M
    9 anos atrás

    O projeto do Rafala avança? Com tantos cortes em suas encomendas e nenhuma exportação? Só será salvo com uma boa encomenda pela ìndia, sua maior chance de venda.

    E pode avançar mas corre o risco de entrar no “um passo para frente e dois para trás” ……..