domingo, julho 3, 2022

Gripen para o Brasil

Embaixador de Portugal visita Embraer

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

O embaixador de Portugal no Brasil, João Salgueiro, efetuou, sexta-feira (15), uma visita de trabalho à sede da Embraer em São José dos Campos, no estado de São Paulo, onde foi recebido por executivos da empresa, informou em comunicado a Embaixada de Portugal em Brasília.

A Embraer, terceira maior construtora de aviação do mundo, planeja instalar duas fábricas em Évora, região sul de Portugal, com o arranque das obras previsto para novembro.

A Embraer vai instalar em Évora uma unidade para produção de estruturas metálicas (asas) e outra para produção de materiais compósitos (caudas), num investimento inicial de 148 milhões de euros.

Em setembro, os ministros da Defesa de Portugal, Augusto Santos Silva, e do Brasil, Nelson Jobim, assinaram, em Lisboa, uma carta de intenções sobre a participação de Portugal no projeto de construção do cargueiro KC-390.

O KC-390 está a ser desenvolvido pela Embraer para substituir os Hércules C-130, de fabrico norteamericano, atualmente usados pelas Forças Aéreas portuguesa e brasileira.

FONTE: Portugaldigital

- Advertisement -

53 Comments

Subscribe
Notify of
guest
53 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Colt

Mauricio R. disse:
16 de outubro de 2010 às 12:37

Será?
Qto custaria um negócio deste? Sim, pq parece que o preço do A400, por exemplo, ficou meio salgado.
A Embraer tem uma história de sucesso pq faz coisa muito boa com preço bom (inclusive bom custo operacional).
Depois,… cargueiro stealth…pra que? Um transporte geralmente vai pra onde já existe o domínio do espaço aéreo.
Esse é um daqueles brinquedos que a indústria de defesa dos EUA gostam de empurrar pro contribuinte norte-americano.
Pra vender bem mesmo, tem que ter preço. Isso vale pra mercearia do bairro ou para avião.

Hebert

Mauricio R. disse:
16 de outubro de 2010 às 12:37

Acho que se formos olhar por esse ponto, podíamos dizer que o Gripen seria um fracasso total.

Mauricio R.

“Sim, pq parece que o preço do A400, por exemplo, ficou meio salgado.” E mesmo assim tem mais A-400 vendido, que carta de intenções de compra de KC-390. Sem contar que o ac europeu carrega bem mais carga, que o projeto da Embraer. “Um transporte geralmente vai pra onde já existe o domínio do espaço aéreo.” Vc não sabe então p/ o que servem e o que fazem o “Combat Talon” e as demais versões especiais do Hécules. “Pra vender bem mesmo, tem que ter preço.” De maneira alguma, pois de que adianta ter preço, se o produto não atende… Read more »

Paulo Costa

Show aéreo em Oshkosh 2010,ligue o som e aumente a tela.

Simplesmente Ótimo……………..

http://www.youtube.com/watch?v=CgM2W2vxsbw&feature=player_embedded

rogerio

Alguem saberia me dizer se os mirage 2009 dos emirados são melhores que os f5 daqui e quantos anos esses miragem duram aqui ate 2020

Colt

Mauricio R. disse: 16 de outubro de 2010 às 14:26 Acho que nem precisava comentar …mas vamos lá. 1) “E mesmo assim tem mais A-400 vendido…” – Pra um avião que teve seu projeto iniciado e, 1982, pelo menos tem que ter mais encomenda mesmo. rs 2) “Vc não sabe então p/ o que servem e o que fazem o “Combat Talon”…” – Eu não sei? rss Essa eu não vou comentar. hauhauhauha 3) “De maneira alguma, pois de que adianta ter preço, se o produto não atende as necessidades de quem compra” – Essa eu vou deixar para as… Read more »

Saulo

Figura esse rapaz… Falou em EMBRAER ele logo diz que, seja qual for o projeto, será um fracasso! ai ai… Deve ser acionista, ou Fan Boy da Bombardier, só pode.
Como já disseram antes, qualquer compra de aviões, principalmente em se tratanto de um projeto, começa com as intenções de compra, posteriormente se fecha o negócio. E quase sempre, quando não há atrasos no projeto, como acontece com o F35, com o A400M, e tantos outros, as intenções se transformam em pedidos concretos.

Abs.

Mauricio R.

“Pra um avião que teve seu projeto iniciado e, 1982…”

E as dificuldades em acomodarem os interesses de cada nação participante, vc considerou isto???

“Essa eu vou deixar para as dezenas…”

Não é a unica fabricante de aeronaves a ter clientes satisfeitos.

Phacsantos

Incrível como alguns ditos brasileiros são incrivelmente contra qualquer boa idéia nacional!
O que esperam então? que a Embraer simplesmente deixe de projetar e lançar novas aeronaves??? Ficaria eternamente fabricando Bandeirantes e jatos pequenos???
O projeto da EADS ou da Lockheed pode até ser melhor…não duvido….pode até valer mais pelo que custa….duvido…mas há de se privilegiar um produto nacional que atende as nossas necessidades e de outros tantos países…
Não é necessário ser ufanista para ser patriota…assim como basta ser derrotista para não o ser!

Mauricio R.

“…qualquer compra de aviões, principalmente em se tratanto de um projeto,…”

Então explica por exemplo o A-350, que tem mais de 500 exemplares vendidos???
Mas sequer voou ainda.

Mauricio R.

“…assim como basta ser derrotista para não o ser!”

Sou + brasileiro que vc, não sou obrigado a aderir, somente pq é um projeto da Embraer.
É uma empresa privada, cujo único compromisso é p/ c/ seus acionistas.

Turboalfa

Quem defende a Embraer é ufanista?

Temos de defender ufanismos estrangeiros?

Ufanismo não é um comportamento adequado, pois pode conduzir a um nacionalismo exacerbado e indesejável, com conseqüências nefastas, mas tem muita gente que condena supostos comportamentos ufanistas de brasileiros, sem perceber que está a serviço de ufanismos estrangeiros – ou será que percebem e fingem que não percebem estar a serviço alienígena, ou, pior ainda, estão, deliberadamente, a serviço de interesses externos inconfessáveis, que querem minar o nosso moral nacional.

Ufanismo importado é melhor que o nacional!?

Que absurdo!

Saulo

Estamos falando de um produto militar, de um desenvolvimento e compra conjunta, de relações entre governos, não entre empresas privadas, onde tudo é mais simples.
Deixando todo o ufanismo de lado, o KC390, é um projeto que tem boas chances de dar certo, que irá entrar na hora certa no mercado.
Se eu não me engano a FAB ja encomendou os seus 28 não!? Então afirmar que o Avião não tem nenhuma venda concreta é falácia.

Abs

Mauricio R.

“Se eu não me engano a FAB ja encomendou os seus 28 não!?”

De fato vc está enganado, comprados pela FAB até o momento, somente os 2 protótipos.

Colt

SEM COMENTARIOS

Bruno Rocha

Mauricio R. disse:
16 de outubro de 2010 às 20:55

Não estresse. Tem bastante espaço para KC-390. Além disso muitos C-130 já estão no final da vida.
Só espero que Rússia ou China não façam outra aeronave, mas isso não me preocupa. Quem no ocidente é louco de comprar uma aeronave chinesa?

Mauricio R.

“Além disso muitos C-130 já estão no final da vida.”

A USAF tem uns 450-500, p/ passar pelo programa AMP.
Sem contar o tanto que a Lockheed, já vendeu de C-130J.

“Só espero que Rússia ou China não façam outra aeronave…”

A Russia junto c/ a Índia está tocando um projeto bem semelhante ao ac da Embraer, o MTA, serão de cara 145 unidades.

E os chineses estão tentando novamente fazer o Y-9.

Ah não, até no mercado de transporte aéreo militar tem mta concorrência!!!

Mauricio R.

“Quem no ocidente é louco de comprar uma aeronave chinesa?”

Na África tá cheio, especialmente c/ os chineses comprando tda e qq commodite pelo continente.

Francisco

Eu sei que já foi dito e repetido, mas sempre é bom lembrar.. a EMBRAER sabe a concorrência que terá que enfretar e sabe que isso é um desafio, mas ela não teria entrado nessa se não se considerasse apta para tal, risco sempre existe, mas se por causa do risco desistirmos de tudo nunca faremos nada, e traduzindo isso para o mundo dos negócios… nunca aumentaremos e diversificaremos nossas receitas. Ela pode sim muito bem quebrar a cara, mas acreditem, ela está fazendo o máximo para reduzir as chances de isso acontecer ao mínimo.

Mauricio R.

De fato, é bom mesmo se lembrar de:

ACS, ou cuidado ao detalhar o que vc pretende instalar nesse avião;
ERJ-145MPA, as reformas de P-3 continuam aí, firmes e fortes no mercado;
ERJ-145AEW&C, deixou de ser a plataforma do radar Erieye, suplantado; por 2 turbo-hélices que nem mais são fabricados em série.

Luiz Eduardo

Esqueçam Srs.

O ódio do Maurício R. a Embraer só se compara ao ódio do Ed ao NG.
Se o F-22 e o B2 Spirit fossem produtos da Embraer, pra ele ainda assim seriam lixo!

Sds.

Saulo

O sucesso que a EMBRAER tem hoje no mercado não é a toa. Quantos não disseram que ela ia se dar mal entrando no mercado dos Executivos?? Cheios de concorrentes muito mais experientes que ela nesse mercado. Não está vendendo bem??? A frota de phenom hoje é a maior de jatos executivos no Brasil, com mais de 50 unidades e crescendo. Toda empresa tem fracassos comercias, quantos não tiveram a boeing lockheed martin??? Perderam bilhões e mais bilhões em projetos que falharam, que foram cancelados, enfim, procure e encontrará dezenas. No mercado existem riscos, sempre houve e sempre haverá. Descreditar… Read more »

Phacsantos

Repetindo a frase: “Não é necessário ser ufanista para ser patriota…assim como basta ser derrotista para não o ser!”

Quem não faltou às aulas de gramática e interpretação de textos consegue compreender o real significado dessas palavras!

E viva a Embraer e sua ousadia com o CK-390!

Phacsantos

Ops…KC-390

Francisco

Mauricio R. disse:
17 de outubro de 2010 às 1:46

Na opinião do senhor a EMBRAER deveria ter fechado as portas da produção militar então? ou deveria ter coletado as informações sobre o porque das coisas terem ocorrido como ocorreram e partir para mais uma empreitada aplicando todo esse conhecimento obtido no fracasso?

*Para responder, tente pensar como um empreendedor que visa o lucro e o crescimento da empresa

Mauricio R.

“A frota de phenom hoje é a maior de jatos executivos no Brasil,…”

Os Phenom são somente um segmento, em um mercado mto maior, que não se restringe somente ao Brasil.

“Descreditar sempre a EMBRAER é no mínimo pedantismo.”

Pedantismo, p/ não dizer falta de civilidade, é dizer como os outros devem pensar.

Mauricio R.

“Quem não faltou às aulas de gramática e interpretação de textos consegue compreender o real significado dessas palavras…”

E quem especialmente após 1988, faltou as aulas de Moral e Civismo ou Organização Social e Política, deveria saber que tdo cidadão brasileiro tem direito a opinião, e que cercear esse direito por quisquer meios ou motivos, é caminho certo p/ um papinho bem desagradável c/ um juiz de direito togado.

Censura, nunca mais!!!

Rodrigo

Maurício, sempre leio os seus comentários e gosto deles..

Mas realmente até hoje não entendi o porque deste ódio com a EMBRAER.

Eu também não acho que o KC390 vá ser este sucesso todo de vendas exteriores, mas dai a achar um fracasso vai muito longe.

Saulo

Quando citei o caso do phenom ilustrei apenas um exemplo de sucesso, no mar de tantos outros. E lembro que na época aconteceu o mesmo, descrédito dos espcialistas e trolls de plantão. Hoje o avião é um sucesso e uma realidade. Ninguém sensurou você aqui, alguém não deixou vc falar? O sr. moderador apagou seus comentários? Acho que não. Todos nós estamos postando nossas opiniões, nada mais. Todos nós estamos fazendo suposições, e exercícios de futurologia, já que a aeronave POR ENQUANTO não é uma realidade. Então argumentos sobre o que poderá ou não acontecer não tem base, tanto aos… Read more »

Mauricio R.

Qntos Phenoms estavam vendidos, antes sequer de qualquer das 2 aeronaves existirem ou voarem pela 1ª vez??? E hoje eles são 15%do mercado. Somente pq tem a marca “Embarer” estampada??? É mto mais qu isso. Idem p/ ERJ-145; ERJ-170/175; etc… O projeto não está gerando expectativa alguma, é somente curiosidade. Inundaram a imprensa especializada nacional, de matérias pagas exaltando as exageradas virtudes do projeto, elegeram o Hércules como alvo, mas se esqueceram do mundo real. Veja qnto tempo indianos e russos levaram, p/ se acertar no projeto concorrente deles. E antes deles os europeus, c/ o A-400M. Veja as dificuldade… Read more »

Rodrigo

Mauricio R. disse:
17 de outubro de 2010 às 13:46

Eu entendo a sua colocação separando muito bem o mercado civil do militar.

Realmente não existem termos de comparação.

No mercado civil é normal centenas de unidades serem vendidas na planta…

No militar isto só acontece quando um país tem participação considerável no projeto. Daí tantos MOU´s do KC390 e nada de concreto.

Mauricio R.

“Ninguém sensurou você aqui, alguém não deixou vc falar? O sr. moderador apagou seus comentários? Acho que não. Todos nós estamos postando nossas opiniões, nada mais.”

Será que eu entendí direito…

“Saulo disse:
17 de outubro de 2010 às 8:41

Descreditar sempre a EMBRAER é no mínimo pedantismo.”

Quem é vc p/ dizer qual deve ser a minha opinião, ou como eu devo pensar???

Saulo

Eu? Eu não sou ninguém, não quero enfiar guela abaixo minha opinão como o sr. o faz. Só respondo a sua altura, nada mais. Você não está falando a torto e a direita? quem está sensurando vc? Ninguém. Desacreditar alguém ou alguma instituição somente com meras suposições como o sr. sempre o faz é ser pedante, qualquer um percebe isso. E você não respondeu qual a melhor solução para o transporte da FAB. Na certa é o C130J, um projeto dos anos 50 modernizado, já que vendeu milhares, com certeza é a melhor opção, mesmo custando caro, sendo mais lento,… Read more »

Mauricio R.

“…não quero enfiar guela abaixo minha opinão como o sr. o faz.” Não enfiei minha opinião goela abaixo de ninguém, se vc não concorda comigo, me ignore ou me contradiga. “Desacreditar alguém ou alguma instituição somente com meras suposições como o sr. sempre o faz é ser pedante, qualquer um percebe isso.” Não sou obrigado a “babar ovo”, pela referida instituição, seus produtos ou projetos; devido a opinião alheia. “Na certa é o C130J,…” E pq não???, Tá disponível no mercado, tá vendendo e faz o serviço. “…um projeto dos anos 50 modernizado…” E como ainda dá no couro, 290… Read more »

Mauricio R.

Rodrigo, A recíproca é verdadeira, tb leio o que vc escreve, c/ atenção. Salvo aeronaves intrínsecamente militares como um Gripen, Rafale ou Super Hornet, eu não estou fazendo essa diferença. Tanto como um ac executivo , ou como um ac regional, essa aeronave precisa ser vendida. Então do jeito que está esse projeto da Embraer, salvo algum milagre, o mesmo caminha p/ ser a versão tupiniquim do A-400M, c/ tdo de ruim que houve e continua havendo. Assim é bom arrumarem algum cliente que encomende a aeronave, da mesma maneira que a RAF fez c/ o C-130J, que foi lançado… Read more »

Colt

Acho muita coisa legal na Embraer…
Umas delas, é a capacidade de apostar… sem ter a certeza da vitória.
Outra, é a capacidade que seu pessoal tem de criar o produto que o mercado precisa.
Agora, o sucesso em si, depende de muita coisa.
A arte de fazer aviões vencedores é uma delas. Mas aí é arte…
e arte é difícil explicar …rs

Saulo

Na boa, prefiro “babar ovo” pra um produto nacional, que só trará benefícios para o país, do que para um produto extrangeiro. Se investíssemos mais em projetos BR com certeza seríamos uma nação melhor do que somos hoje. Claro que o C130 é uma aeronave muito boa, sem dúvida hoje a melhor do segmento, mas será suplantada por alguma outra aeronave, seja brasileira ou não. Pelo que me consta, os motores a reação, turbofan, mais modernos, conseguem ser mais econômicos, além de poluir menos. No caso o KC terá 2 motores, o Hércules tem 4, então dá pra se ter… Read more »

Nick

Sobre o projeto do Cargueiro Sthealt que a LM está desenvolvendo, acredito que poderá seguir o mesmo destino do RAH-66 Comanche : O cancelamento. Não vejo necessidade de desenvolver um transporte tático com capacidade furtiva. Exceto talvez missões BlackOps, mas a quantidade necessária para isso não seria grande… Mas sempre existem generais que querem de tudo e do melhor para as FAs americanas, a questão vai ser se o Budget Americano aguenta. Sobre o A-400 M , não concorre diretamente com o KC-390 e é de fato muito mais caro que o cargueiro médio da Embraer. A briga da Embraer… Read more »

Ivan

Nick, Penso que há espaço, nas forças armadas americanas, para um cargueiro stealth, com uma variante REVO penetrante e outra artilhada. As missões seriam mais específicas, portanto exigindo um menor número de aeronaves, deixando o restante para as “comuns”. Tudo depende do custo/benefício do desenvolvimento de um deste vetor. Hoje a tecnologia stealth é muito cara, tanto para desenvolver como para operar. Mas no futuro não muito distante, quem sabe? Por via das dúvidas os EUA estã gastando algum dinheiro pesquisando o assunto, apesar de quebrados… 🙂 Com relação ao mercado eu entendo sua posição. Realmente o KC-390 estaria disputando… Read more »

Rodrigo

Mauricio R. disse:
17 de outubro de 2010 às 15:23

Eu entendi, com o FX2 micou…

As 12-10 unidades francesas ou suecas foram para o limbo.

Infelizmente os parceiros no programa, são pequenos e não tem condições e nem interesse em encomendarem um nro maior.

Também considero um erro a FAB já não encomendar as suas 56 logo de cara. Traria mais credibilidade para o programa, ajudando a arrumar mais clientes externos.

Mauricio R.

“Umas delas, é a capacidade de apostar… sem ter a certeza da vitória.” Não deixa os acionistas da Embraer, saberem disto. “…é a capacidade que seu pessoal tem de criar o produto que o mercado precisa.” Ooooopppppsssss, vc defendendo o Super Hércules, quem diria… Desculpe Oí FM, usei seu slogan!!! Este aqui não é um post, a respeito dos ERJ ou dos Phenoms. “…pra um produto nacional, que só trará benefícios para o país, do que para um produto extrangeiro…” Eis novamente aquele nacionalismo ufanista e tacanho, confundido o que é bom p/ a Embraer, c/ o que é bom… Read more »

Phacsantos

Se as vendas chegarem às 50 unidades, o que é pouco, ainda assim será um feito enorme para uma empresa de um país que até há pouco tempo era “Terceiro Mundo”.

Alguém me explica como alguém compra um Towner???

Paulo

O motor turbo-hélice é mais econômico para distâncias curtas. Para trechos mais longos o jato puro torna-se mais econômico, uma vez que como é mais rápido, exige menos horas de vôo.

Sérgio Araújo

A Embraer está fazendo um grande trabalho. E como administrador digo mais ainda, possui um incrível estudo de mercado e previsão de demanda em todos os seus projetos. Nenhum empreendedor deve se intimidar por conta de concorrência alguma, pois com um bom produto sempre se tira uma fatia de clientes. Seguindo a linha de pensamento sobre o cargueiro da embraer em relação ao dos EUA, então o resto do mundo deverá largar muitos projetos na área da defesa. Bem como em outros seguimentos em que outros países possuem mais domínio. Parabéns à embraer e ao seu cargueiro, o qual atenderá… Read more »

Sérgio Araújo

… e isso por que eram apenas um projeto de um país de 3º mundo contra aeronaves do “Canadá”.

Saulo

Meu discurso não é ufanista, mas sim de alguém que valoriza as coisas que temos por aqui, caso da embraer, e de alguém que deseja ver seu país num patamar melhor tecnologicamente. Ou vc acha que foi da noite pro dia que os EUA, ou os demais países desenvolvidos desenvolveram tecnologia? Tiveram que investir muito, e quebrar a cara diversas vezes com projetos que não deram certo por ”n” motivos. Se sabe que os motores novos são mais eficientes, econômicos, e não demandam tanta mão de obra como vc diz. Quem diz isso é o mecânico chefe do GTE, nosso… Read more »

Daniel Rosa

Bruno Rocha disse: 16 de outubro de 2010 às 22:22 Bruno, boa tarde! Não sei se já responderam ai pra cima, mas a Embraer, em sua pesquisa de mercado já desconsiderou Russia, Ucrânia,China, e pelo visto India tambem, que tem um projeto conjunto com a Russia. Ela chegou a um numero aproximado de 700 unidades, e foi isso que a levou seguir em frente com o KC-390! Ela desconsiderou paises com capacidade de construir seus próprios aviões, e se baseou nos aviões da mesma categoria do C-130 que já estão no limite de suas vidas úteis. Um abraço e boa… Read more »

Daniel Rosa

Sérgio Araújo disse: 18 de outubro de 2010 às 9:17 É por ai mesmo Sergio! A Embraer deu um salto qualitativo e tecnológico que a impulsionou ao terceiro lugar… só perdendo para os gigantes Airbus e Boeing. E sem contar com o aporte finaceiro que os parceiros europeus e os EEUU dão a seus respectivos construtores. Não que ela não tenha apois do governo. Quando digo isso, me refiro ao montante, antes que alguem me interprete incorretamente. O A-400 tem seus méritos, o C-130 J tem os seus… mas eu ainda acredito que o KC-390 será o melhor dentro do… Read more »

Mauricio R.

“…possui um incrível estudo de mercado e previsão de demanda em todos os seus projetos.” É por isso que o ATR grassa pelo Brasil, algum dos maravilhosos estudos mercadológicos que a Embraer fez. “…foram acusados de dumping de mercado.” O Brasil e a Embraer tb foram, não somos assim santos, não. “O KC390 se moldou aos interesses da FAB e não o contrário…” O certo seria dizer, que a FAB corrijiu aquilo que lhe foi inicialmente apresentado, dada sua experiência c/ o C-130H. “Melhor a opinião de quem convive diariamente com os pilotos da FAB, e tem de lidar com… Read more »

Últimas Notícias

Marinha e Força Aérea dos EUA testam novo míssil de microondas de alta potência

ALBUQUERQUE, N.M. - Os laboratórios de pesquisa da Marinha e da Força Aérea dos EUA estão encerrando um esforço...
- Advertisement -
- Advertisement -