terça-feira, janeiro 18, 2022

Gripen para o Brasil

DAS do F-35 demonstra capacidade de detectar mísseis balísticos

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A Northrop Grumman informou na última terça-feira, 7 de setembro, que o seu sistema Distributed Aperture System (DAS), desenvolvido para o F-35, demonstrou capacidades de defesa contra mísseis balísticos.  O sistema, cuja denominação completa é AN/AAQ-37 Electro-Optical Distributed Aperture System (DAS), detectou e acompanhou um lançamento de foguete de dois estágios a uma distância maior que 800 milhas, durante um voo de provas conduzido no avião BAC 1-11 utilizado pela companhia como plataforma de testes.

O foguete de dois estágios foi detectado e acompanhado durante toda a sua trajetória, que teve duração de nove minutos desde o lançamento até o final da queima.

Segundo Dave Bouchard, o diretor do programa de sensores do F-35 na empresa, “o DAS poderia preencher lacunas críticas na área de defesa contra mísseis balísticos (ballistic missile defense – BMD). No que se refere ao número de funções que o DAS do F-35 é capaz de cumprir, nós apenas arranhamos a superfície. Com o DAS, nós temos uma cobertura instantânea de 360º, com alta taxa de atualização de quadros, alta resolução, processadores poderosos de alta sensibilidade e algorítimos avançados, tudo num só sistema. As possibilidades são infinitas.”

Ainda segundo Bouchard, “a arquitetura de programa do DAS já inclui algorítimos de detecção e acompanhamento de mísseis que podem ser aplicados numa missão BMD. Os resultados do voo de testes foram extraordinários e os dados colhidos validaram as projeções de desempenho. Na verdade, sabíamos que poderíamos ver o foguete a uma distância maior.”

Um sistema DAS operacional é composto por múltiplos sensores cujas imagens são fundidas para criar uma imagem contínua. O sistema é passivo, e seu operador não precisa apontar o sensor na direção do alvo para enquadrá-lo. A cobertura esférica 360º do  AN/AAQ-37 DAS, em alta resolução, permite ao piloto uma visão tanto diurna quanto noturna, e também através do próprio piso da aeronave, podendo detectar tanto aeronaves quanto mísseis. Além de operações BMD, a Northrop Grumman está explorando o emprego da tecnologia DAS existente em operações de combate irregular.

FONTE / FOTO: Northtrop Grumman

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

90 Comments

Subscribe
Notify of
guest
90 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jose

o Brasil e um alvo facio contra misseis balisticos e foguetes!!!
nos deveriamos se armar!!!

Cronista

Esta é uma notícia que me surpreendeu…….
Que sistema porreta! Alguém possui mais dados/informações?

Bosco

O F-35 com certeza será um dos primeiros a contar com uma nova versão do Amraam, o NCADE. Ser stealth ajuda até nisso. O NCADE será um míssil antibalístico que irá agir na fase inicial da trajetória, podendo ser lançado a mais de 200 km de distância a grande velocidade (acima de Mach 5), irá interceptar o míssil balístico a grande altitude, logo após ser lançado, ainda com os motores foguetes ligados. Comporá a primeira fase de defesa do sistema amtimíssil, cobrindo furos do ABL (laser montado no B747) que tem a mesma função, só que usando um laser de… Read more »

robert

depois de ver isso vou ficar quieto em toda matéria que falar mal do f-35.

ele nao precisa nem radar e nem manobralidade quando se tem isso.

só não entendo algo….. como exportam f-35 com DAS e nao exportam f-22??

esse é a única coisa que me questiono a respeito de f-35.

Asimov

Ares A Defense Technology Blog Canada Names Operational F-35 Bases Posted by Robert Wall at 9/9/2010 11:41 AM CDT Canada will base its F-35 Joint Strike Fighters at Cold Lake and Bagotville, equipping 4 Wing and 3 Wing respectively. The basing plan was announced by defense minister Peter MacKay during a visit to 3 Wing at Bagotville. In announcing the move, chief of staff Lt. Gen. Andre Deschamps notes in a statement that “3 Wing Bagotville and 4 Wing Cold Lake have long and proud histories of protecting Canadian and North American airspace at home and contributing to coalition operations… Read more »

juggerbr

Esse sistema é tão bão mas, tão bão que a USAF vai desativar todos os AWACS e sistema de radares do país, inclusive os metereológicos… vai apenas manter uma meia duzia de f-35 voando que já basta… o próximo passo é miniaturizar ele e instalar nos celulares…

Baschera

“…..maior que 800 milhas” …. já tinha lido algo, mas achei que tinha traduzido ou entendido errado…. cacilda !!

Mas tudo bem….. os F-5EM também detectam foguetes caramuru a milhas de distância…. quantas milhas ?? É segredo…..

Putz…

Sds.

A7X

Caramba!!!
Realmente impressionante!

Não sabia que o JSF tinha tal capacidade. Fica cada vez mais vidente que ele não será um mero substituto do F-16.

Abs.

Clésio Luiz

Me acordem quando ele puder detectar um ICBM na reentrada, na fase final do ataque. Um míssil balístico é tão grande e faz tamanho estardalhaço no lançamento que não vejo nada de excepcional nessa notícia.

Bosco

Clésio, Seria comum como você disse se o tal míssil balístico tivesse sido detectado pelo IRST (que no caso do F-35 compõe o EOTS), mas não foi. Foi pelo sistema DAS, que nos outros caças do mundo, inclusive em desenvolvimento, o que mais se aproxima serve no máximo como alerta de lançamento/aproximação de mísseis, sem capacidade de gerar e analisar uma imagem com esse nível de acuidade e de IA incorporado. A capacidade do DAS de prover um alto nível de consciência situacional ao F-35 é singular e como já havia dito antes e como bem frisou o Robert, irá… Read more »

DrEngAir

Ele é tão bom que depois deste teste o DAS detectou vida em Marte.
Brincadeira a parte, qual será a distância que ele detecta um míssil, não um foguete.
[]’s

Galileu

Bosco
Você acha o sistema ABL laser montado….é um sistema Util??

Pergunto isso porque o alcance dele é bem pequeno, ele só é util num determinado momento, sem contar o tamanho do sistema….

Pra mim o ABL é mais um laboratório, do que um sistema que possa vir a ser utilizado.

abraço

Alex

isso porque o desenvolvimento do F35 esta falido….. imagina quando terminar o seu desenvolvimento.

Bosco

Galileu, O ABL, se não for cancelado, não seria útil contra um ICBM partindo do interior da Rússia ou da China. Não foi feito pra isso. Ele foi feito para ser colocado em prontidão em situações de tensão, “próximo” (300 a 400 km) a possíveis sítios de lançamento de mísseis de curto e médio alcance, permanecendo em terrritório amigo. Contra ICBMs lançados de países grandes e bem defendidos como a Rússia e China não dá pra usar o ABL porque estariam fora de alcance e o ideal é tentar se defender na fase intermediária. A bem da verdade, o ideal… Read more »

Gabriel T.

Concordo Alex. Já falaram tanto, que está atrasado, que é caro, que não vale a pena…

Bosco

Galileu,
Mas pairam dúvidas da real necessidade do ABL, por isso se procuram alternativas para tentar deter um míssil balístico na fase de impulsão.
Uma dessas alternativas, que inclusive poderá derrubar o ABL é o míssil antimíssil NCADE, que poderá ser lançado de uma série de vetores, tais como o F-18, F-15, F-16, F-22, F-35, Reaper, etc.
A maior vantagem desse conceito é que não irá depender de um Boeing 747, altamente vulnerável, para fazer o serviço.

Cronista

robert disse em 9 de setembro de 2010 às 22:16: depois de ver isso vou ficar quieto em toda matéria que falar mal do f-35. ele nao precisa nem radar e nem manobralidade quando se tem isso. só não entendo algo….. como exportam f-35 com DAS e nao exportam f-22?? esse é a única coisa que me questiono a respeito de f-35. Caro robert, eu também gostaria de entender isso. O DAS parece dar uma imensa vantagem ao F-35, e não há nada que nos faça pensar o contrário. Tudo bem que localizar um ICBM na fase de subida, com… Read more »

Colt

Os EUA são um grande país e um grande povo. A questão é que a indústria de armamentos “tomou conta” da política do país. O presidente Dwight D. Eisenhower fez um discurso em que alertou para o que estava acontecendo. Hoje, o complexo militar-industrial incorporou-se ao modo de vida da sociedade americana, aos seus políticos, lobbies, lobistas, congressistas nacionais e estaduais. A necessidade que a sociedade norte-americana tem de vender armas, de criar novas armas, só é vencida pela necessidade de criar novos inimigos e assim, criar e vender a crença de que essas armas tem que estar nos orçamentos/inventários… Read more »

Bosco

Com a entrada em operação do F-35 não haverá motivos para manter a reserva de mercado sobre o F-22. Se sua linha de montagem sobreviver num futuro pós entrada em serviço do F-35, ele estará liberado para ser adquirido pelos aliados mais confiáveis.

Rodrigo

Lembrem que existe um modelo de arma laser para ser montado no F35…

Armas de energia dependem única e exclusivamente de energia( by Cap. Óbvio), mas seria esta arma capaz de longo alcance ?

Giordani RS

O “Job” tinha razão…o F-35 é muito pra nós…
🙁

Edcreek

OLá,

Duvido que esse sistema virá de fabrica no F-35, certamente deve estar disponivel somente para EUA, talvez liberem em 2035 para aliados de primeiro nivel.

Abraços,

Edcreek

Olá,

Complementando basta lembrar que a Astralia teve que hackear o radar dos seus F/A-18 para usar full.

Abraço,s

robert

Bosco disse:
10 de setembro de 2010 às 0:34
Com a entrada em operação do F-35 não haverá motivos para manter a reserva de mercado sobre o F-22. Se sua linha de montagem sobreviver num futuro pós entrada em serviço do F-35, ele estará liberado para ser adquirido pelos aliados mais confiáveis.

eu discordo… pois senao, já estariam em negociações.

Nick

Caro Edcreek,

“hackear” é bom heim..hehehe Eu diria mais “destravar” algumas funções, mais ou menos como fazíamos antigamente com os processadores AMD Athlon das antigas….

Sobre o F-35, ele poderá abrir um novo conceito para guerra ar-ar, com esses sistemas todos que estão sendo integrados à ele. Como eu disse, poderá ser um novo paradigma, um novo padrão à ser alcançado.

Tudo bem que ia ser prateleira, ia ter coleira, mas que valeria a pena ter eles na FAB… ahh valeria.

[]’s

Vader

robert disse: 9 de setembro de 2010 às 22:16 “só não entendo algo….. como exportam f-35 com DAS e nao exportam f-22??” Eu vejo assim: você investiu bilhões em um produto que ficou muito bom mas muito muito caro, porém já se pagou (a USAF já comprou o F-22). Pra que manter aberta a linha do primeiro, insistindo em vendê-lo, quando você ainda tem um outro ainda melhor e tão caro quanto pra “se pagar”? Enfim, vejo a opção de venda do F-35 (e não do F-22) mais como uma questão mercadológica do que de “reserva de tecnologia”. O F-22… Read more »

Vader

Edcreek disse:
10 de setembro de 2010 às 8:22

“Duvido que esse sistema virá de fabrica no F-35, certamente deve estar disponivel somente para EUA, talvez liberem em 2035 para aliados de primeiro nivel.”

Claro, nada de novo, você é antiamericano e não desiste nunca de dizer antiamericanices…

Edcreek disse:
10 de setembro de 2010 às 8:24

“basta lembrar que a Astralia teve que hackear o radar dos seus F/A-18 para usar full.”

Informação nova, link comprovando (não vale PB, DB, PP, etc). Senão, é mais trollice sua…

Alex

eu disse em outro post, quem dominar a tecnologia do laser, vai estar bem adiantado, e o TIO SAN, esta nesse caminho. Agora é juntar essa parafernália toda, e conseguir integrar tudo, é uma estrada árdua.

por isso que digo o PAK-FA, não trazer nada de novo, sera concerteza um bom avião, e hoje por enquanto é somente um protótipo. vamos esperar novas revelações.

Rodrigo

Edcreek disse:
10 de setembro de 2010 às 8:24

Os indianos “hackearam” o M2000, para poderem usar bombas locais 😉

Australianos e indianos, não tiveram qualquer represália dos donos das coleiras, por tamanhas travessuras.

Tirando o nosso amigo da Campinas, que só vê o lado da equação que lhe interessa.

Versões de exportação, nunca são iguais as usadas pelos países de origem.

Neste ponto os únicos a admitirem que tinham duas versões eram os russos e a de exportação era sempre degradada.

Vader

No tópico: senhores são OITOCENTAS MILHAS em um sensor ótico. Ah sim, um míssil balístico é grande. Ok. Mas repito, são OITOCENTAS milhas.

Algum sensor de caça do mundo chega à metade do alcance disso? Posso estar enganado, mas creio que não…

Acho que não preciso falar mais nada. E falar nada também aos que questionam a capacidade de combate deste vetor.

Sds.

Vader

Cronista disse: 10 de setembro de 2010 às 0:04 “Logo, um F-22 poderá se igualar a um F-35 (a “idade” entre os projetos é de década e meia ou mais, daí a diferença!) no quesito consciência situacional, mas duvido que um F-35 possa igualar um F-22 no quesito stealth!” Cronista, como você mesmo disse, a diferença entre um e outro é de mais de década e meia. Porque acreditar que nessa década e meia a tecnologia stealth parou no tempo? 😉 Novos materiais e novas técnicas de composição tanto do projeto (com maior capacidade computacional, etc.) quanto de tais materiais,… Read more »

Vader

robert disse:
9 de setembro de 2010 às 22:16

Ah sim Robert, sempre lembrando: quem faz isso comumentemente, ou seja, cessar a produção de um produto que já “se pagou”, são os franceses.

A diferença destes para “uzamericanu” é que os franceses a essa altura já venderam pra um monte de gente, e acabam assim largando seus clientes na mão, para forçá-los a adquirir seu novo produto, que normalmente é o triplo do preço do anterior (que já era caro).

Por aí você vê quem é mais honesto e confiável para se fazer negócio…

Sds.

Leonardo

Após o DAS provavelmente os radares mesmo os do tipo AESA’s estarão obsoletos, surge um novo conceito e o principal “passivo”, cobertura simultânea de 360° e com alcance de 800 nm cerca de 1481 km se estes números estiverem mesmos corretos podem mesmo aposentar os E-3 Sentry’s!!!

Qual será a necessidade de um E-3 AWACS? Alguém sabe dizer aproximadamente qual é o alcance do radar desta aeronave e se é superior as 500 nm 926km?

Um abraço a todos.

DrEngAir

Ah se o Ozires Silva tivesse poder de decisão sobre questões da Força Aérea no governo.
Alguém sabe os números de pesquisa aeronáutica no Brasil?
[]’s

Michel Lineker

Seria viavel colocar o DAS no SH ou o fato dele não ser sthealth prejudicaria?

Alex

então, com um alcance desse, posso pensar, que centenas de F35 espalhados, se tornaria em uma eficácia rede de defesa (radar), ou seja uma rede de radar que cobriria por exemplo todo o território do Brasil.

Edcreek

Olá, Vader por discutir tando de aviação militar achei que voce acompanhava ela a mais tempo. Essa informação é amplamente difundida, e não me dou a trabalho de criar informações, deixou isso para entusiastas temporarios. Como tenho certeza que essa informação é importante colocarei alguns links: Quem confirmou foi o ministro da defesa da Australia na epoca 1984 Kim Beazley: http://www.heraldsun.com.au/news/national/kim-beazley-we-cracked-us-codes/story-e6frf7l6-1111114467254 http://forum.pakistanidefence.com/index.php?showtopic=73312 http://www.news.com.au/australia-cracked-top-secret-us-jet-fighter-codes/story-e6frfkp9-1111114463556 Alguns treços interessantes: “Nós espionamos eles e nós extraídos os códigos", disse o senhor deputado Beazley Parlamento durante seu discurso de despedida hoje.” “Eu fui para os E.U. e durante cinco anos, até montes e vales, com… Read more »

Bosco

O Su-50 também terá um alto grau de consciência situacional periférico devido aos seus múltiplos sensores, notadamente 6 radares e 2 IRSTs, mas nada igual à bolha de consciência do F-35, que será formado por 6 sensores de imagem térmica do sistema DAS, mais o EOTS (IRST, laser), o radar AESA e um RWR avançado. A grande vantagem do DAS será trabalhar de forma passiva e capaz de gerar “imagens”, que poderá ser fornecida ao piloto para que ele tome decisões, transmitida em tempo real via data-link ou trabalhada pela IA embarcada de forma autônoma, sem interferência humana. Enquanto o… Read more »

Cláudio

Vader disse: 10 de setembro de 2010 às 9:26 Bom dia, – a cerca de um mês ou dois, sugiram rumores no sentido de que o F-35 seria um belo “Elefante Branco” (grandalhão, custoso, desajeitado, etc.); – várias encomendas certas tornaram-se “duvidosas”, mas só Israel é quem honrou a palavra e manteve a esperança, até está negociando uma participação maior no projeto. – e agora, o que será que vão dizer os críticos do “Elefante Branco” ???? Parece que o F-35 é uma verdadeira “caixa de pandora”, essa história de detectar míssil a 800 milhas foi só um “fica quieto”… Read more »

Alex

creio em pensamentos, que |srael deve estar doidinho para pegas algumas dezenas de avião, com um território minúsculos que eles tem. um avião desse abrangeria todos os países em sua volta.

Vader

Cláudio disse: 10 de setembro de 2010 às 10:24 Cláudio, eu jamais tive dúvidas do que seria o F-35. O dia em que me disserem que centros geradores de tecnologia bélica como a Skunk Works, Phantom Works, Raytheon, etc., “perderam a mão” e não sabem mais fazer tecnologia de ponta (e eu me refiro a tecno de ponta MESMO) eu acreditarei que o “Império” está ruindo… Esses caras normalmente estão de 20 a 30 anos à frente do resto do mundo, e quando o mundo está vendo o DAS do F-35 com 800nm de alcance, é porque os caras já… Read more »

lucas

se os estados unidos era praticamnte inbativel agora nunguem tem mas nenhuma chance acho que a unica chance que era de vencer eles era com missel balilstico nuclear agora nem isso passa mas.

Alex

Lucas não existe o imbativel, e sim diminuir a margem de erro, onde o inimigo consiga eximo.

luiz otavio

o F 35 faz tanto serviço que deixa o piloto livre, vão ter de instalar MP3 senão eles dormirão. rsrsrsr
na verdade é um invasor de privacidade, 800 milhas pô, com vários sensores se fundindo, mas creio ser extremamente complexo para construir e acho que só estará em grande quantidade para lá de 2040 (a não ser que surja um motivo que apresse tudo e pode ocorrer, tem idiota querendo queimar alcorão em 11/09…).

robert

por mais que todos falaram, até agora tem umas coisas que não fecham sobre o f-35. 1- com uma capacidade tão grande e absurda (800 milhas), sendo superior até aos AWACS, radares e etc… POR QUE os americanos vão liberar isso pros aliados, sendo que isso praticamente “aposentaria” os AWACS e sistemas de alerta antecipados??? É tão superior isso a qualquer AWACS que a maioria das nações aliadas, que estão no projeto tem. Isso não fecha. 2- Até agora não achei nada de plausível a idéia de que “o f-22 tá pago então nao precisa vender”. Até porque se eles… Read more »

Cor Tau

São nos pequenos frascos…Que cabem menos perfurme…..Pra quem não tem nada metade é o dobro………. 🙂

Ditmar

Não podemos duvidar da capacidade do EUA de gerar e aplicar novas tecnoligias na area militar, afinal eles são os que mais investem e ganham com isso.

Mas só uma pergunta……….será que eles vão dividir essa tecnologia de ponta com as outras nações que adquirirem o F35??

Acho também que essa tecnologia vai ser aplicada no F22 que continuara sendo o principal vetor de defesa americano. Por isso o fato de não exportarem o mesmo.

Últimas Notícias

Último voo operacional da aeronave CC-115 Buffalo no Canadá

O voo operacional final para a aeronave CC-115 Buffalo foi realizado no dia 15 de janeiro pelo 442º Esquadrão...
- Advertisement -
- Advertisement -