Home Sistemas de Armas Índia compra mísseis Harpoon Block II para equipar jatos Jaguar

Índia compra mísseis Harpoon Block II para equipar jatos Jaguar

275
50

O jornal indiano The Economic Times noticiou que a Índia assinou contrato com a Boeing para a aquisição de 24 mísseis Harpoon Block II em julho de 2010, por cerca de US$ 170 milhões,  para equipar os jatos de ataque Jaguar da IAF.

O jornal citou o chefe da Boeing defence, space and security da Índia, Vivek Lall, que disse que ainda não há nenhum acordo para suprir os P-8I de patrulha marítima com mísseis e que isto derá feito via FMS.

Acredita-se que Índia possua 10 jatos de ataque naval Jaguar IM, operando no No.6 Squadron, que foram modernizados ao logo dos anos com o radar IAI ELta EL/M-2032 e sistemas melhorados de defesa eletrônica.

Até o momento, os Jaguar podiam levar os antigos mísseis antinavio Sea Eagle da década de 1980. Agora com os Harpoons Block II, os Jaguar IM também poderão atacar alvos no mar e na terra.

Subscribe
Notify of
guest
50 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vplemes
Vplemes
10 anos atrás

Pois é, os indianos bobos parecem não ter medo de embargos dusamericano malvados fazedores de boicotes. Espertos mesmo são o Lobim e alguns foristas daqui, pois estes já sacaram a maldade dusamericano malvado e imperialistas. kkkk

SCintra
SCintra
10 anos atrás

É impressionante o leque de armamentos ( aéreos, navais e terrestres) que as Forças Armadas Indianas possuem, devem ter um dispêndio logístico enorme, uma administração de contratos abarrotada e uns vizinhos bem chatos.
E nós reclamamos do que, uns cucarachas (ainda bem) que nos permitem anos e anos para decisões, décadas de espera para formação de doutrinas e treinamentos sofisticados e seguros, onde o maior emprego das forças de defesa são nas ajudas humanitárias. Ainda bem!! que somos e estamos assim, mas… prontidão sempre.

Giordani RS
Giordani RS
10 anos atrás

Agora Eu pergunto: Se a índia usa o Jaguar sobre o mar, por quê a MB não pode usar o AMX também nessa função? Não estou dizendo uso embarcado, mas de bases no continente, mais precisamente na costa…
O AMX-T armado com dois exocet, penguin, harpoon, sei lá, qualquer ASM, sería uma tremenda arma de dissuasão sobre a Amazônia Azul…

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Com certeza Cintra, mas o Governo indiano dá o devido respaldo.

Se a grana permite usar equip de N origens, não tem problema nenhum.

A-Bomb
A-Bomb
10 anos atrás

SCintra disse:
3 de setembro de 2010 às 13:55

Vizinhos Chatos e que não vão muito com nossa cara também temos :).
Para nossa sorte eles estão ainda mais atrasados que nós.

Alex
Alex
10 anos atrás

ainda bem que a India é bem longe….

Seal
Seal
10 anos atrás

Giordani RS disse:
Se a índia usa o Jaguar sobre o mar, por quê a MB não pode usar o AMX também nessa função?

Também concordo com vc,a gente poderia usar o AMX,apesar que depois da modernização ele terá capacidade de ataque naval.

Sobre o jaguar já foi comentado dele aqui neste post do naval:

http://www.naval.com.br/blog/2010/02/18/jaguar-naval/

Vader
10 anos atrás

Giordani RS disse:
3 de setembro de 2010 às 14:04

“Agora Eu pergunto: Se a índia usa o Jaguar sobre o mar, por quê a MB não pode usar o AMX também nessa função”

Pois é meu caro Giorda, pois é…. Porque a MB continua com sua estúpida idéia de ter NAe, contrariando tudo e todos…

E o engraçado é que quando é a Marinha a contrariar a END, bolivariano não diz nada…

Vai entender… o governo federal e seus eXpecialiXtas devem achar que a MB vai ganhar uma guerra sozinha…

Abs.

Edcreek
Edcreek
10 anos atrás

Olá,

“São 10 jatos somente para ataque naval”…

Não são um primor da tecnologia(os jatos) mas bota medo em qualquer um agora com o Harpoon.

Equanto isso na republica das bananas, não se consegue comprar 36 aeronaves para defender o espaço aereo principalmente da capital….

Abraços,

Antonio M
Antonio M
10 anos atrás

Se a Índia for de Rafala, como seria a integração do Harpoon na jaca francesa? Tranquila ?

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Ed, pense positivo..

Não defender a capital, pode trazer dividendos para o país ehehehehehehehe

JOSEF SIMAS Jr.
JOSEF SIMAS Jr.
10 anos atrás

Giordani, Vader e outros colegas do Blog, 1. Eu tambem nao entendo esta “sindrome” de ter um Nae. meia boca para o nosso teatro de operacoes da Amazonia Azul. 2. Ja temos varios Naes. potenciais e fixos para escolher uns 3 ou 4 (a custo quase zero) em: Belem, Fortaleza, Natal, Salvador, S.P. Aldeia, Santos, Floripa, Rio Grande (RS). 3. O que realmente nos falta e’ Aviacao Naval com vetores de asa fixa de patrulha e ataque com com sensores e misseis apropriados. Os helis seria complementares para apoio da frota. 4. Este realmente seria o elemento dissuasorio mais eficiente… Read more »

Edcreek
Edcreek
10 anos atrás

Olá,

HAHAHAHAHA, boa Rodrigo!!!

Se a India for de Rafale, certamente eles irão comprar AM-39 Exocet que já está integrado ao Rafale.

Toda via a unica arma não Francesa integrada ao Rafale até o momento é GBU-12 Americana e foi integrada em apenas um mês.

As dimesões do Harpoon e do Exocet são proximas imagino que a integração seria possivel, tendo como limitação as interfaçes de cada maquina mas acho que isso não inviabiliza a integração desde que h$j$ dinheiro.

Abraços,

Vader
10 anos atrás

Edcreek disse: 3 de setembro de 2010 às 15:16 “Toda via a unica arma não Francesa integrada ao Rafale até o momento é GBU-12 Americana e foi integrada em apenas um mês.” Caro Ed, estou duvidando desse prazo. Truco. Por uma razão simples: se isso for verdade (1 mês para integrar a GBU-12), porque o Sr. Sérge Dassault declarou que “será muito difícil e muito caro integrar qualquer arma não-francesa ao Rafale”? Se isso for verdade (a facilidade de integração), demonstra que os franceses estão é de MÁ-FÉ quando afirmam ser difícil ou caro integrar armas ao Rafale. Assim, estes… Read more »

Madvad
Madvad
10 anos atrás

Adoro o Jaguar. è o plane que mais vôo no Mod Guerra do Golfo do Wings Over X/SF1..

Gabriel T.
Gabriel T.
10 anos atrás

Vader, não existe má fé. A integração de um míssil a um avião depende de vários fatores, técnicos e financeiros. O RAFALE é como qualquer outro caça, ele segue um cronograma. Se eles queriam integraram a GBU hoje, é porque há uns 3 anos atrás eles fizerem um acordo com os EUA para que isso fosse feito. Nos EUA, o software que realiza a operação de emprego de armas do RAFALE, no caso de uma bomba guiada, é mandada para os EUA e lá eles fazem a integração do software. Depois vão para a França para testes, atualizações e por… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Ed, os franceses não seguem o padrão OTAN completamente para nada, apenas mantém um mínimo de compatibilidade. Não entendo o porque, já que isto não afeta em nada a sua “independência”. É mais um capricho dos franceses. Esta semi-compatibilidade é o que faz as armas franceses serem pouco integradas a aeronaves não francesas e vice-versa, porque também são semi-incompatíveis. Só o faz quem não tem outra alternativa. De cabeça eu lembro do Magic2 integrado ao F16 do Paquistão e Bélgica( senão me engano), também foi ao Mig21 de alguém. Um AAM IR não é grande coisa para integrar e temos… Read more »

grifo
grifo
10 anos atrás

Senhores, para ver o histórico da integração francesa, ao invés de pegar o Rafale (que nunca vendeu para ninguém mesmo), vamos usar como exemplo o Mirage 2000, que já está aí na estrada há um bom tempo e em uso em vários países. Quais os mísseis ar-ar integrados ao Mirage 2000? Existe algum que não seja da MBDA? Quais os mísseis ar-terra integrados ao Mirage 2000? Existe algum que não seja da MBDA? Quais os mísseis ar-mar integrados ao Mirage 2000? Existe algum que não seja da MBDA? Portanto, como São Tomé, me reservo ao direito de só acreditar que… Read more »

Humberto
Humberto
10 anos atrás

Senhores,
Até onde eu sei, a MB não pode operar vetores que ela não possa carregar em seus navios..Por isto, AMX operados pela MB não tem como, nem ST para dar apoio aos fuzileiros navais e aviões de patrulhamento maritimo (apesar que corre um boato que a MB não quer nem ouvir falar sobre isto).
[]

Edcreek
Edcreek
10 anos atrás

Olá,

Grifo o Rafale já opera a bomba GBU Americana.

Vader, posso colocar 6? essa informação foi amplamente difundida o processo de integração foi muito rapido., veja os links:

http://www.defesanet.com.br/france/rafale.htm
http://kvowster-rafale-air-force.blogspot.com/

A dois pontos:
Financeiro os franceses obviamente não querem integrar armas extrangeiras por que eles mesmo querem vende-las.

Politico

Abraços,

marujo
marujo
10 anos atrás

Sei pouco sobre esse míssel Sea Eagle que está integrado aos Jaguares indianos. Qual é o seu alcance? Existe versão lançada de helicópteros e de navios? Ele ainda é moderno? Ele equipou que meios em seu país de origem, o Reino Unido? Com a palavra, quem tem estas informações.

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Não vai haver uma grande alteração da letalidade do Jaguar já que o Harpoon Block II tem as mesmas características do Sea Eagle, mesmo porque , em relação ao alcance dos mísseis, os dois já devem estar no limite do alcance do radar do Jaguar. O ganho, como foi dito no post, vai ser só em relação a capacidade de ataque terrestre contra alvos fixos com precisão métrica (3 a 6 metros) e a uma melhora na capacidade em operar no litoral, devido ao GPS. Os Sea Eagles devem estar com o prazo de validade por vencer. srsrsrsr Só lembrando… Read more »

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Marujo, O Sea Eagle foi uma iniciativa do Reino Unido para fazer um míssil antinavio lançado do ar. Ele não tem opção de lançamento por helicóptero e nem por navio. É exclusivamente lançado de aviões de asa fixa. Nunca foi um grande sucesso já que sofreu forte concorrência do Harpoon, que foi feito literalmente aos milhares. Suas características são muito parecidas com as do Harpoon, que guarda uma grande semelhança, com a diferença que o Sea Eagle tem uma tomada de ar ventral muito saliente, enquanto a do míssil americano é “embutida”, o que melhora a aerodinâmica e o RCS.… Read more »

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Marujo,
Minha informação não conferi. Visitando a Wiki vi que existe uma versão lançada por helicóptero pesado usado pela Índia que conta com dois boosters laterais.
Deve ter sido feita em quantidade muito limitada. Eu não fazia a mínima idéia.
Um abraço.

souzat19
souzat19
10 anos atrás

Não sei se é exagero de sonhador, mais uma base aeronaval na ilha da trindade, com uns 20 AMX equipados com armas navais seria uma boa dissuação para a marinha. Alems dos AMx é claro helis para ASuW, ASW. Alem de um ótimo posto avançado e de apoio para a marinha.

Bosco
Bosco
10 anos atrás

conferi = confere

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Em 82 era desculpável jogar aviões armados com bombas burras contra uma armada bem defendida, mas hoje isso seria um crime. Em pleno Século XXI, termos 8000 km de litoral e não termos nenhum avião de asa fixa armado com mísseis anti-navios é uma vergonha e não há desculpas cabíveis já que não somos um país tão miserável assim, apesar do contínuo esforço de alguns. E isso independente de termos Pré-sal, Aquífero Guarain, Floresta Amazônia, o Pelé, ou vontade de termos um assento no CS. Devemos ter uma defesa minimante equilibrada, em consonância com nosso TO, com a geopolítica local,… Read more »

grifo
grifo
10 anos atrás

Grifo o Rafale já opera a bomba GBU Americana.

Caro Edcreek, correto mas eu estava falando (ou queria falar) de mísseis.

Jacubão
10 anos atrás

24 mísseis??? E o Brasil (coitado) só comprou 8, ou seja, 1 para cada P-3BR.
Putz…

Calheiros
Calheiros
10 anos atrás

Apenas uma pergunta: Onde esse pais busca tanto dinheiro pra tanta compra com armamento, e não resolve a muitas miséria do país.

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Calheiros, Conheço um indiano que diz que achamos da Índia o mesmo que os americanos acham do Brasil. Lá existe miséria mas tem-se que levar em conta que são 1,1 bilhão de indivíduos com uma cultura milenar que, diferente da ocidental, não tem como orientação espiritual o “amai-vos uns aos outros como Eu vos amei” A explicação para sobrar dinheiro para a Defesa é que há menos corrupção que aqui e a uma melhor gestão do dinheiro público. Simples assim. No Brasil, com uma população 7 vezes menor e com um PIB 1/3 menor que a da Índia, população esta… Read more »

Paulo Andrade
Paulo Andrade
10 anos atrás

Desculpe discordar amigo Bosco… Segundo dados da ONG Trasparencia Internacional o nível e a nota relativo à corrupção é praticamente igual entre India e Brasil. E ainda levamos vantagem…. Sendo que o Brasil ocupava o lugar de número 80 com uma nota de 3,5 enquanto a India ocupava o lugar de número 85 com nota de 3,4. Empatados com o Brasil estavam Burkina Faso, Arabia Saudita, Tailandia e Marrocos e empatados com a India estavam Senegal, panamá, Sérvia, Montenegro, Madagascar e Albania. Nada para se orgulhar, uma vez que os líderes do ranking são Dinamarca, Suécia e Nova Zelandia com… Read more »

Paulo Andrade
Paulo Andrade
10 anos atrás

Obs…dados de 2008….

Jacubão
10 anos atrás

“sobra de verbas para defesa”… Não dá votos a políticos e militar não vota em militar.

Paulo Andrade
Paulo Andrade
10 anos atrás

Outra curiosidade….IDH…Indice Desenvolvimento Humano de 2009

Líder: Noruega com 0,971

Brasil: 75º lugar com 0,813

Índia: 134º lugar com 0,612

Expectativa de vida:

Líder: Japão: 82,6 anos

Brasil: 92º lugar com 72,4 anos

Índia: 139º lugar com 64,7 anos

Acho meio óbvio que apesar dos defeitos e do fato de estarmos longe, mas muito longe de uma situação boa, a comparação com a Índia não pode ser feita nem no quesito assistencia social e nem no quesito defesa.

Jacubão
10 anos atrás

É verdade. A Índia é uma gigantesca “favela” e só existe lá, ricos e miseráveis. Nem sei se tem pobres ou classe média.
Cruz credo…

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Paulo, Contra dados não há argumentos, mas eu sou teimoso.srsrsrs Qual seria a metodologia usada nesses índices? A imensa população indiana não traz consigo uma variável significativa? Também em relação à corrupção? Medir a corrupção aqui e lá pela mesma “fita métrica” acho que é meio complicado. Não duvido que em um país com 1,1 bilhão de pessoas não role um dinheiro pra alguma coisa sair da burocracia gigantesca que deve existir e isso há centenas de anos, pra não dizer a milhares. Costume local, eu diria. rsrsrs O Brasil também tem esse “costume”, mas estamos muito mais arraigados à… Read more »

Erikson
Erikson
10 anos atrás

Giordani, nem que a MB quisesse ela só pode operar aviões que operem em NAe, infelizmente….

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Mas Paulo,
Agradeço a informação sobre o índice de corrupção na Índia. Sinceramente não sabia e achava estar bem melhor situada que o Brasil nesse aspecto.
Quanto a “expectativa de vida” realmente não acho que tenha importância já que os indianos, principalmente os induístas, vão reencarnas inúmeras vezes, diferentes de nós. srsrsrsrsrs
Outro abraço.

Joel
Joel
10 anos atrás

Cara A força aerea da India é um confusão dos diabos
Avião ingles, frances, russo e indianos, pensemos apenas em caças, tem mig21,mig 23, tejas, sukhois, mirages , jaguar, migs 29, e acho que tem uns sea harrier voando por la tambem
jaguar ta encerrando operação no mundo todo , creio que nem frança nem inglaterra usam mais, deve ser caro manter essa salada mista e não me espanta tantas perdas de aeronaves e pilotos em acidentes.
Pergunta o que esse post tem haver com o FX e com os Rafales? povo chato…

lucio da silva moraes
lucio da silva moraes
10 anos atrás

os politicos indianos sabe trabalhar e negociar e tem respeito as forças armadas. (agui é diferente )

Vader
10 anos atrás

Edcreek disse:
3 de setembro de 2010 às 17:23

Ou seja, prezado Ed: é má vontade dos nossos “parceiros estratégicos” mesmo né? 😉

HMS_TIRELESS
HMS_TIRELESS
10 anos atrás

Vader:

Qual o link da entrevista onde Sége Dassault entrega a dificuldade para integrar outras armas ao Rafale?

Galileu
Galileu
10 anos atrás

Essa desculpa esfarrapada de que a MB não pode operar asa fixa em terra é ótima, um monte de gente acredita ahahaha

Fala sério se fosse do INTERESSE da MB, ela já teria asa fixa sediada em terra a muitooo tempo. mas não é do interesse dela.

Vader
10 anos atrás

HMS_TIRELESS disse:
4 de setembro de 2010 às 18:24

Amigo, não o tenho, precisaria dar uma bela pesquisada, pois faz tempo. Mas se você achar, poste aqui pls.

Abs.

Edcreek
Edcreek
10 anos atrás

Olá, Vader

Finalmente concordo, os Franceses tendem a não querer integrar armas de outras origens já que eles tem uma linha completa.

Misseis Americanos ainda não tem integrado porque ninguem pagou ainda por isso, mas de certo é possivel. No momento só bombas que foram as necessidades para cobrir uma lacuna Francesa de armamento que já não existe.

Abraços,

Wagner
Wagner
10 anos atrás

Enquanto isso, em Moscou… Putin está pensando: A India tem um potencial enorme para o futuro. É uma peça de xadrez muuuito interessante para a Russia. O pensamento é simples . Bom, eu estou meio debilitado, mas, se eu mando o Gorshkov, o Nerpa, e os sukhois para a India, ela contrabalança o poder Chinês, e obriga Pequim a manter forças lá embaixo, deixando minha fronteira e a de meus aliados Cazaquistão e Mongólia mais aliviada. Logo, posso não ter tanta grana mas ajudo a India como terceira peça aqui. Afinal nunca briguei com a India mas ja briguei com… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

A linha de armas francesas é muito mais cara e limitada que a americana.

Ao fazerem isto criam um cliente de coleira, que não tem saída fora recorrer a Paris ou pagar uma fortuna para integrar outras armas, que na maioria dos casos não está disponível.

Francamente não vejo onde isto para nós é um bom negócio.

Wagner
Wagner
10 anos atrás

Deve ser por isso que o rafale não consegue vender… em que pese ser um excelente avião…

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
10 anos atrás

Não gostri de como estão estacionado os Miragem 2000 muito proximo uma simples bomba poem todos a pique. Acho que o Brasil deveria espalhas nais sua firça aerea atraves de mais bases mais camuflagem mais abrigos super protegidos. Os avioes principalmente os caças mas todo material aeronautico tem que ser mais protegido.