sexta-feira, junho 24, 2022

Gripen para o Brasil

Israel aprova compra de 20 caças Lockheed Martin F-35

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O Ministro da Defesa Ehud Barak aprovou a compra depois de dois anos de duras negociações envolvendo Israel, o Departamento de Defesa dos EUA e a Lockheed Martin

O Ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, aprovou hoje a compra de 20 caças F-35 para a Força Aérea de Israel.

Os jatos, fabricados pela Lockheed Martin, deverão chegar a Israel por volta de 2015.

As negociações para a compra foram complicadas pela exigência da IAF de instalar aviônicos israelenses nas aeronaves e a recusa dos americanos em permitir as mudanças.

No final, o desejo da IAF de ser a primeira força aérea no Oriente Médio a usar o F-35 superou a exigência pela instalação de sistemas israelenses e foi acordada a compra de 20 caças F-35 sem os sistemas israelenses instalados.

Os americanos prometeram, entretando, que se Israel comprar mais F-35s, o que a IAF pretende fazer nos próximos anos, será possível instalar sistemas israelenses naquelas aeronaves.

“O F-35 é o avião de caça do futuro que vai permitir a Israel manter sua superioridade aérea e sua vantagem tecnológica na região”, disse Barak. “O F-35 dará à IAF melhores capacidades, próximas e distantes, para ajudar a reforçar a segurança nacional de Israel”.

O Lockheed Martin F-35 é um caça de quinta geração, monoplace, monomotor, com capacidade de ataque furtivo, que pode evadir-se dos radares e sistemas de mísseis antiaéreos.

FONTE: Haaretz.com

- Advertisement -

60 Comments

Subscribe
Notify of
guest
60 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan

Não eram 22 (vinte e dois)???

Esdras

Legal…..só que quem paga são os americanos…….

Ivan

Acredito que Israel deva usar estas 20 (vinte) unidades iniciais para desenvolver doutrina própria e, em seguida, partir para as suas ‘costumerias customizações’… he he.

Assim atende a exigência da indústria americana de comprar equipamento standard, mas em pequena 🙂 quantidade, mas se credenciando para modificar as futuras aquisições conforme suas necessidades e doutrina.

Abç,
Ivan.

quatzy

Mias Caças pra matar Palestinos

Rodrigo

Ué…

Mas não estava certo que a turma de Jerusalém ia pegar o PAKFA ?

ahahahaahaha

General

Tamanho não é documento.Israel tão pequeno,rico,porém muito bem armado para os padrões de uma nação com dimensões geográficas irrisórias.Enquato isso……existe um país na América do Sul extremamente grande,muito rico, e ao mesmo tempo tão desarmado.Como diz o Quico:que coisa,não?

Nick

Quem não quer 20 F-35 na faixa?? 😀

[]’s

Djalma L. A.

Já vi quem o show de supremacia aérea continuará por mais uns 25 anos !!!
Já quanto a terrestre……IED an RPG rules !

kkkkkkkkkkkkkkkk

Ricardo GF

Nada mais fácil do que “comprar” caças de última geração com dinheiro dos outros – para não mencionar que praticamente todas as “inovações” provenientes de empresas israelenses (como Elbit et al.) são consequência direta de programas de transferência de tecnologia americanos.

Enfim, um país minúsculo e irrelevante ajudado pela maior ajuda militar e financeira incondicional dada pelos EUA a um país “aliado”…hipocrisia pouca é bobagem quando se trata desse lobby patético, como já bem explicado por Mearsheimer e Walt.

Rogério

“Ué…

Mas não estava certo que a turma de Jerusalém ia pegar o PAKFA ?

ahahahaahaha”

Pois é Rodrigo, a Hel HaAvir de PAK FA, a Roya Navy de Rafale, não falta inventar mais nada.

[]s

Rodrigo

Queria eu que o Brasil tivesse aliados reais e com pode real!

Até agora por aqui eu vejo muita falação, pouca ação e compra de material caro e obsoleto!

Robson Br

Mais uma paratentar dar credibilidade ao programa, pois até eles estavam tentando cair fora.

Para eles tanto faz, pois compram com dinheiro americano.

Rodrigo

Queria eu que o Brasil tivesse forças armadas descentes e com dinheiro alheio, como vocês tanto falam!

Nick

Off Topic.:(sugestão de matéria para o Poder Aéreo) Resumindo:General Francês fala sobre o futuro do Rafale, tanto para a França como os EAU. Comentário: Se o Rafale dos EAU sair, será praticamente um Rafale NG, pouco comum com o Rafale F3/F3+. Eles precisam remanejar o orçamento deles para manter a linha de produção aberta, caso não haja exportações. ————————————————– Awaiting the UAE DSI special edition , August 2010 With the general Alain SILVY Deputy Chief Plans within the Staff of the Air Force. The french government took the pledge with the Rafale manufacturer to ensure, whatever happens, a minimum annual… Read more »

Baschera

Negociação USA x Israel:

Titio Sam….. me dá vinte destes F-35 e o troco de F-15 ou F-16….. a grana ?? Ué… desconta da minha mesada, pows !!

Negociação USA x Brasil:

Cumpanhero Obrahma, F-35 é demais prá nossa bolinha, mê vê uns usadão lá do desertostore e põe na conta, despois nóis paga……com o pré-sar…uái !!

Sds.

grifo

Caro Nick, excelente artigo, desmistificador. Alguns trechos com minha tradução (lembrando, todas as falas são do general francês): “As entregas para as forças armadas francesas devem ser reduzidas para apenas 2 ou três aeronaves por ano durante um período, com as exportações complementando o limite mínimo de 11 Rafales produzidos por ano. No caso de não haver exportações, a situação obviamente ficaria complicada”. “Isto quer dizer que o motor M88-X [o motor com mais potência, solicitado pelos Emirados], mesmo que ele venha presumivelmente a ter uma boa comunalidade com o M88 existente, ainda teria que acumular muito mais horas para… Read more »

grifo

Ah, e é claro, a entrevista confirma que o Rafale ainda não tem HMD.

Luiz Eduardo

“as inovações provenientes de empresas israelenses (como Elbit et al.) são consequência direta de programas de transferência de tecnologia americanos.”

Ué?! Agora ToT duzamericanu existe??? Os anti-imperialistas de plantão sempre mudam seu discurso ao sabor do vento… ou seria da conveniência?!… vai entender :-S

Nick

Caro Grifo,

Realmente esclarecedor… =]

E acredito que um aumento de potência da ordem de 7.5 tons para 9 tons no M-88 X exigiria um redesenho das entradas de ar, e talvez na estrutura para acondicionar um motor com dimensões ligeiramente maiores… Isso foi feito no Gripen C -> NG com um aumento parecido de potência (+20%) e o SuperHornet também teve suas tomadas de ar também muito modificadas, além da estrutura é claro.

[]’s

Galileu

ahhaha uhum quem paga, é o Tio San!!

grifo

Caro Nick, e quem diria que o “poderosíssimo” radar AESA do Rafale, tão decantado em prosa e verso por alguns aqui, tem um alcance menor que o AN/APG-80 usado pelo F-16 Block 60? E que algumas funcionalidades básicas na melhor das hipóteses só vão existir depois de 2014?

Não é a tôa que ninguém compra. Aqui no Brasil o Rafale foi um fiasco em termos técnicos, fico imaginando como foi lá na Índia…

Deivid

Israel sabe oque faz!………….

Rodrigo

Amigos, estas exigências do EAU para mim significam.

NÃO QUEREMOS O RAFALE

Precisa ver o custo unitário de cada unidade dele como vai ficar. O avião já é caro e o que eles querem vai empurrar ainda mais para um valor semelhante ao do F35.

Ai eu pergunto:

Quem valeria mais a pena por preço semelhante ?

Obviamente, peço para o NJ não responder a pergunta!

Asimov

Um cara postou no MP.net o original em francês:

comment image
comment image
comment image
comment image

Rogério

Nick disse:
15 de agosto de 2010 às 16:27

Juro que por essa eu não esperava, quer dizer que o radar do Rafail não representa avanço nem em relação ao F-16? Que coisa né! Como será que eles esfregam os F-22 então, kkkkkkkkkk

Duvido que a jabiraca vença o MMRCA.

[]s

Vader

Ahahahaha, o F-35 mal saiu da prancheta e já tem uma venda externa confirmada, rsrsrs… Enquanto isso numa certa “Republique” da Europa ocidental… 🙂 E Israel não iria de PAK-FA????? 🙂 No tópico, é aquilo que sempre digo: não adianta dar murro em ponta de faca; não adianta ficar de birrinha com os americanos: tem que jogar o jogo nas regras deles. Tio Jacó fica de fru-fru, mas na hora H os caças americanos saem pra eles “no Vascão”, “na Ponte Preta”. Os sauditas falam e falam mal, mas não passam sem um F-15. E assim caminha a humanidade (a… Read more »

rodrigo ds

Vader disse:
15 de agosto de 2010 às 19:52

Cuidado Vader, não se esqueça que vc pertence ao lado negro da força, kkkkkkkk!!!!!!!

Vader

Nick disse:
15 de agosto de 2010 às 16:27

Nick, vou traduzir para o português e transformar em post no meu blog:

http://vaderbrasil.blogspot.com/

Não colocarei aqui a tradução porque não consigo traduzir do original em francês (não tem o arquivo em texto, apenas em .jpg, e de qualquer maneira não entendo francês), e não consegui encontrar a fonte da tradução pro inglês, o que iria gerar as costumeiras críticas de desqualificação das rafaletes… 🙂

Espero que os nobres editores do Aéreo me perdoem por essa pequena infidelidade. 🙂

Sds.

Marcelo

Caro Grifo, realmente o Rafale operado hoje pela França, assim como o Gripen operado hoje pela Suécia, não possui o HMD (estão integrando agora o Cobra da BAE). Porém a França já tem o sistema desenvolvido, o Topsight E, que inclusive será instalado nos Mig-29K da Marinha da Índia. Acredito que não foi instalado ainda nos Rafale franceses por questões de orçamento. Caso o Brasil queira, o Rafale pode ter esse sistema instalado sem problemas.
Abraços,

Marcelo

Achei o número inicial de F-35s comprados por Israel um pouco baixo. Eles queriam comprar 100. Esse avião está tão caro, que até os aliados de 1o escalão não estão conseguindo obtê-lo em números decentes…

grifo

Juro que por essa eu não esperava, quer dizer que o radar do Rafail não representa avanço nem em relação ao F-16? Que coisa né! Como será que eles esfregam os F-22 então, kkkkkkkkkk Caro Rogério, acho que há um pequeno equívoco aqui. Este radar AESA anêmico, pior do que o do F-16, é o radar que o Rafale VAI TER em 2012. O radar que o Rafale tem hoje, e que no delírio de alguns teria esfregado o F-22, é o RBE-2 PESA que é ainda pior. Como diz a Dassault, o radar do Rafale sem risco… sem risco… Read more »

grifo

Caro Grifo, realmente o Rafale operado hoje pela França, assim como o Gripen operado hoje pela Suécia, não possui o HMD (estão integrando agora o Cobra da BAE).

Caro Marcelo, o Gripen já tem o HMD Cobra em uso tanto na Suécia quanto na África do Sul.

Acredito que não foi instalado ainda nos Rafale franceses por questões de orçamento.

A coisa está tão feia que não existe dinheiro para comprar capacete?

Nick

Fonte do artigo que postei:

Inclusive com páginas escaneadas em frânces.

http://www.militaryphotos.net/forums/showthread.php?137433-Rafale-News/page116

[]’s

Gabriel T.

Vader : “o F-35 mal saiu da prancheta e já tem uma venda externa confirmada”

Tá difícil o pessoal ver que o F-35 é um projeto sério e melhor que os caças de 4º geração.

Thomas

Aqui nao havia muita escolha – a pressão foi enorme para que Israel comprasse o F-35, seria um enorme desprestígio para a USAF se eles rejeitassem o mesmo.

Para imaginar o custo desta compra, inicialmente eram 75, depois 50, 25 e agora so deu 20, mesmo com ajuda militar, o orçamento nao deu.

A próxima compra vai dar uma idea se Israel vai mesmo padronizar no F-35, a tendência deve ser comprar mais F-15I.

A Arabia Saudita vai de F-15, 80+ – dai da para ver que quem compra mais sao os Arabes, eles compram o triplo que Israel.

Rodrigo

Esta matéria sobre o Rafale que o Nick postou…

Confirma uma série de coisas que eu já tinha falado aqui, mas as rafaletes se negam a acreditar:

1. O Rafale tem sérios problemas de geração de energia( isto foi questionado pela FAB);

2. O Rafale tem motor fraco;

3. O Rafale não tem nenhum diferencial significativo, (na verdade o F3+ ainda é inferior ao F16 Block 60, esta eu não sabia) sobre os outros modelos de quarta-geração para custar o que custa.

Vader

Fiz a tradução do texto do Nick e vou postar para revisão. Os editores vejam se vale a pena publicar.

Abs.

Ricardo_Recife

Vander, Esta história do Rafale me lembra dois comentários que já fiz aqui: 1. Um oficial graduado da força aérea do Marrocos disse com todas as letras “Por que comprar um Rafale se o F-16 faz tudo que ele faz e ainda é três vezes mais barato?”. 2. Da revista ArabianAerospace sobre a EUA e o Rafale: “A suite Specta e a Damocles ainda são parcas promessas, e estão bem longe de cumprir o que prometem” e ainda que “sistemas importantes como o HMD não são suportados pelo Rafale”. Além disso já é mais do que conhecido a questão das… Read more »

Rodrigo

As super, hiper, mega e sobrenaturais capacidades do Rafale, são mais alardeadas pela Dassault e demais desesperados por uma venda externa dele, que pela capacidade do avião em si. Esta merece uma boa colocação sobre os seus fabricantes, mas a pedido do Nunão, vou pegar leve com a turma de Paris. O combate REAL sobre o Afeganistão tem mostrado ele operando nas mesmas condições dos outros vetores( menos o F15E, que está um patamar acima dos outros) em termos de carga ofensiva e tanques de combustível. O EAU, é mais uma venda externa que foi para o ralo, falta a… Read more »

Rodrigo

É melhor os francófilos, _______________e rafalistas se apoiarem na certa venda do Rafale para a RN!

ahahahahahahaha

COMENTÁRIO EDITADO

Vader

Ricardo_Recife disse:
16 de agosto de 2010 às 10:23

Ricardo, enquanto não sai o post no Aéreo (na revisão) dê uma olhada nos comentários sobre o texto do Nick que fiz aqui:

http://vaderbrasil.blogspot.com/

Abs.

Bosco

Uai Vader, não sabia do seu blog não.
Como é que não avisa aos amigos. rsrsrs
Um abraço.

Bosco

Meu salário vai ser de quanto?

Vader

Bosco disse:
16 de agosto de 2010 às 11:50

Hehehe, Boscão, ainda tô meio reticente em divulgar pois ando apanhando da internet, rsrs. Mas tái, devagarzinho a gente vai acertando.

Quanto ao salário: “e o salário, ó”! 🙂

Abs.

Wagner

2015 ?? que prazo longo…

Gilberto Rezende-Rio Grande RS

O Ministro da Defesa Ehud Barak aprovou a compra depois de dois anos de duras negociações envolvendo Israel, o Departamento de Defesa dos EUA e a Lockheed Martin

Tradução O Globo caso Enud Barak fosse ministro do Lula:

Depois de dois anos de duras negociações Ehud Barak se rende e nada consegue dos americanos. Aprova a compra de 20 F-35 sem nenhum conteúdo israelense e recebe a promessa se comprar mais 20 unidades no futuro será possível instalar (pensar em) aviônicos nacionais…

Grande negócio… E a manutenção tem de ser feita nos EUA é claro…

Rodrigo

Tem um vídeo ainda mais legal sobre o F35 que a Globo somente transmitiu:

Um que um certo Ministro da Defesa de uma República Bananeira qualquer diz em alto bom som:

O F35 é demais para nós!

Pena me deu do Comandante oriental da Força Aérea desta mesma República Bananeira que disse:

É mas teríamos uma capacidade de dissuassão sensacional!

Mais espetacularmente ainda, este Ministro da Defesa desta mesma República Bananeira, insiste ferozmente em um avião que é inferior ao F16 Block 60, que já está operacional há anos!

Rodrigo

Diga-se de passagem o defendido por este Ministro da Defesa é muito mais caro que a concorrência!

Marcelo

Pois é Grifo, mas o que interessa mesmo, é que, se o Brasil quiser um Rafale com HMD, ele pode ter, pois o sistema já existe, desenvolvido na França (Topsight E). Aliás mais interessante que aquele capacete cheio de pelotas do Cobra… Quanto às informações off-topic divulgadas aqui, pelo que vi, (não abri o link) a fonte informada é um fórum de discussões na internet !?!?!?!? Qual é o grau de veracidade disso? O cone de nariz do F-16 não é muito maior que o do Rafale, portanto o número de transmissores/receptores AESA deve ser semelhante, nesse caso, para ter… Read more »

Marcelo

é Grifo, relamente você está ruim de compreensão do que os outros escrevem. O Rafale não travou o F-22 com o radar (PESA) dele, e sim com o OSF (sigla francesa para IRST), tenho até fotos disso, posso escanear e mandar para você. O radar do Rafale estava DESLIGADO, para manter a discrição, pois com ele ligado o avião pode ser detectado pelos sistemas RWRs. O F-22 não possui e nem está previsto possuir, o IRST. O F-35 terá, mas montado em uma posição mais apropriada para ataque ao solo do que para combate ar-ar: embaixo do nariz.

Últimas Notícias

VÍDEO: Colaboração Real 4 – Episódio 15 – O Comando de Preparo

A implementação de um sistema como o Gripen Brasileiro, gera um grande desafio para os profissionais que conduzem esse...
- Advertisement -
- Advertisement -