Home Indústria Aeroespacial África do Sul adquire Paveway II para seus caças Gripen

África do Sul adquire Paveway II para seus caças Gripen

383
12

Trata-se da primeira compra significativa nos últimos 25 anos, por parte da África do Sul, de equipamento de defesa norte-americano

No final do mês passado, durante o evento aeronáutico de Farnborough, a Raytheon informou que recebeu da África do Sul um contrato para fornecimento de bombas guiadas a laser Paveway II. Um informe da United Press International (UPI), complementou que a compra dos kits que transformam bombas “burras” em “inteligentes”, e que serão empregadas pelos caças Gripen da Força Aérea Sul-Africana, são a primeira compra significativa de armamento proveniente dos EUA, por parte da África do Sul, nos últimos 25 anos.

O contrato, que também inclui treinamento de pilotos e equipes de terra, foi concedido pela ARMSCOR (Armaments Corporation of South Africa), a organização oficialmente responsável pela aquisição de equipamentos pelo Ministério da Defesa Sul-Africano. A compra direta foi negociada com a assistência da Atlantis Corporation, da África do Sul, e as entregas deverão começar em 2011. A UPI complementou que foi a Raytheon indicou a Atlantis como a única representante sul-africana para seu sistema Paveway II, em maio de 2009.

Segundo Harry Schulte, vice-presidente da linha de produção de sistemas de combate aéreo da Raytheon, “a família Paveway, provada em combate, está integrada em mais de 22 tipos de aeronaves e serve a 41 nações do mundo.”

Outra informação trazida pela UPI é que a Paveway está oficialmente integrada ao Gripen, diferentemente de outro equipamento que competia pelo contrato, a Umbani LGB, da Denel Dynamics sul-africana (antiga Kentron). A Umbani ainda precisaria de mais desenvolvimento e trabalho técnico para ser empregada pelo Gripen.

FONTES: United Press International e Raytheon

IMAGENS: Raytheon e SAAF (Força Aérea Sul-Africana)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz
Clésio Luiz
10 anos atrás

Estranho isso. Deve haver uma grande diferença de preço entre o kit da Denel para esse da Raytheon. Somado ao fato de a África do Sul estar mal das pernas financeiramente.

Giordani RS
Giordani RS
10 anos atrás

E$tranho mesmo…por quê o Governo nao comprou da Denel???

Fabio
Fabio
10 anos atrás

Uma possível justifica da Africa do Sul para não comprar da Denel:

“parceria estratégica com os EUA”

…acho que já ouvi algo parecido desse lado do oceano…hehehe…

tomas
tomas
10 anos atrás

O que a Africa do Sul quer é um Kit que funcione e mais barato.

RtadeuR
RtadeuR
10 anos atrás
Elizabeth
Elizabeth
10 anos atrás

Esta é na verdade a segunda compra de armamento para os Gripen da SAAF que segue o critério de armamento estrangeiro substituindo temporariamente armamentos de desenvolvimento local ainda não concluídos pela DENEL. A primeira foi a compra do IRIS-T, um possível tampão para o programa A-DARTER. Uma tese para isto é a cultura operacional da SAAF preconiza uma elevada prontidão operacional e que a aquisição de armamentos tampão seria uma forma de manter a prontidão até que programas locais derem frutos. Uma tese elegante sem duvida, mas não é a única que pode explicar esta situação. Os Sul Africanos estão… Read more »

Ricardo_Recife
Ricardo_Recife
10 anos atrás

A questão é que a Dennel não vai bem, problemas operacionais e financeiros estão obrigando a empresa e se reestruturar. Outros elementos importantes podem ser o preço e a necessidade de ter armas de prontidão.

Marcelo
Marcelo
10 anos atrás

uma pena…será que vão deixar se acabar como foi com a Engesa aqui no Brasil? Uma pena mesmo.

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Ou seja, estamos fu……………

Andre RC
Andre RC
10 anos atrás

Na verdade Bosco, também pode ser uma boa oportunidade, se o Brasil souber aproveitar nós podemos absorver a tecnologia que eles desenvolveram até agora.

Edcreek
Edcreek
10 anos atrás

Olá,

O A-darter só vai sair do papel por causa do financiamento Brasileiro.

Qualquer semelhança com um certo caça a venda ainda no projeto é mera semelhança ;).

Se tivermos visão traremos todas as mentes Sul-Africanas para cá e colocaremos na Mecrom e CTA para se juntar aos Brasileiros.

Mas isso é pedir muito……….

Abraços,

Andre RC
Andre RC
10 anos atrás

Edcreek Todas as mentes Sul-africanas não, mas algumas poderiam sim, até uma integração com a Mectrom, Atech, Avibras etc. Mas isso só se as nossas empresas tivessem certeza do apoio das FAs e do governo Federal porque sem isso adeus as nossas também.