No dia 6 de agosto de 1945, a Força Aérea Estratégica dos EUA com base nas Ilhas Marianas, realizou uma “missão especial” sobre o Japão, com um bombardeiro B-29. Algum tempo antes, o Japão decidiu simplesmente ignorar o ultimato lançado pelo Presidente Harry Truman, no final da Conferência de Potsdam.

Em 14 de agosto de 1945, após dois dias de debate acalorado, o governo japonês finalmente aceitou os termos da “Declaração de Potsdam”, e se rendeu. O Imperador Hirohito anunciou no rádio que iria pessoalmente pôr fim “aos infortúnios e sofrimentos do seu povo.” Os bombardeios atômicos de Hiroshima e Nagasaki (no dia 9 de agosto), colocaram um fim definitivo à Segunda Guerra Mundial.

VEJA TAMBÉM:

BATE-PAPO ONLINE: converse com outros leitores sobre esse e outros assuntos no ‘Xat’ do Poder Aéreo, clicando aqui.

Tags: ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

124 Responses to “65 anos do ataque atômico a Hiroshima” Subscribe

  1. Giordani RS 6 de agosto de 2010 at 10:43 #

    Bah…que situação dessa tripulação…Eu cumpriria meu dever de soldado, depois daria um tiro na cabeça…

  2. skywalker 6 de agosto de 2010 at 10:52 #

    Muito se fala sobre como a II Guerra se desdobraria sem o ataque atômico, visto que os japoneses provavelmente lutariam até seu último soldado tombar ou ainda enfocando-se a suposta crueldade dos americanos em bombardear o Japão daquela forma… Talvez seja uma polêmica que nunca tenha fim, mas um fato, com certeza, aglutina todas as idéias sobre isso: a estupidez sem fim de uma Guerra, em geral determinada por interesses, ambições e suposições de lucro determinadas por meia dúzia de interessados… e o sofrimento que causa em inocentes que querem apenas conduzir suas vidas dentro da normalidade… 6 de agosto: momento de reflexão profunda, mais do que de qualquer tipo de consideração sobre o feito em si…

  3. Alex 6 de agosto de 2010 at 10:55 #

    Pois é, situação dura esta se por um lado vc faz algo terrivel, por outro acaba com uma guerra, talvez se a guerra tivesse continuado o que teria ocorrido de forma tradicional teria sido pior… encerrar com tiro na cabeça seria algo tão absurdo quando as outras duas alternativas, sugiro pular junto com as bombas… e morrer da mesma forma que as vitimas mais humano e digno de honra embore continue sendo uma vergonha.

    Isso mostra bem o estilo americano de ser, faz uma baita M>…… e depois tapa com outra baita M………

    Isso foi um ato de total desumanidade um crime contra a humanidade da mesma forma que a guerra como um todo, motivada unica e exclusivamente por dinheiro e poder.

    Alias pq será que nunca houve um julgamento sobre isso e um pedido de desculpas?? quantos foram enforcados por muito menos que isso????

  4. relampago 6 de agosto de 2010 at 10:57 #

    sou leigo no asunto por isso gostaria que alguem me respondesse caso
    um missel nuclear intercontinental fosse abatido por outro missel de
    defesa aerea se mesmo assim causaria uma explosao nuclear ou o mesmo nao chegaria a explodir?

  5. Alexandre Galante 6 de agosto de 2010 at 10:58 #

    Alex, os EUA não começaram a Segunda Guerra Mundial.

  6. Mauricio Veiga 6 de agosto de 2010 at 11:08 #

    NÃO RELAMPAGO!!!

    O abate do missil em pleno vôo não acarretaria a detonação atômica, pois a mesma ocorre de forma independente de meios externos.

    Abraço.

  7. Dalton 6 de agosto de 2010 at 11:08 #

    Os japoneses fizeram coisas muito piores…em 1937 em Nanking mataram cerca de 200.000 pessoas e estupraram até cerca de 40.000 mulheres com idades entre 7 e 70 anos.

    A lista é grande, mas foge do assunto e além do mais, é dificil julgar hoje em dia toda uma cultura e um sistema de governo afetado pelos tempos de outrora.

    As ultimas duas batalhas do Paicifico, Iwo Jima e Okinawa mostraram que
    uma invasão ao Japão seria um massacre. Iwo Jima é curiosa pois foi a unica vez que as baixas americanas foram maiores que as baixas japonesas…entende-se baixas, como mortos e feridos, e os japoneses praticamente lutaram até o ultimo homem.

    Como o Presidente Truman e qualquer um que tenha lido algo mais profundo sobre este grande homem, justificaria dezenas de milhares de baixas americanas em uma invasão ao Japão, sabendo que havia uma arma que poderia impedir tal massacre? Arma que custou tempo e recursos que poderiam ter sido até utilizadas em outras armas convencionais.

    Milhares de soldados estavam sendo retirados da Europa após a rendição da Alemanha para a invasão e o moral destes homens que já haviam sobrevivido a carnificina lá estavam com o moral e disciplina baixos sem contar o pesadelo logistico que seria tal invasão.

    Talvez o numero de japoneses mortos, militares e civis fosse o mesmo,
    alguns acham que seria maior, caso houvesse uma invasão, mas é inegável que o objetivo maior era poupar baixas americanas e demais aliados.

  8. luiz otavio 6 de agosto de 2010 at 11:10 #

    gostei da pergunta relâmpago e emendo, e um eventual bombardeio às instalações nucleares no Irão?? não podem causar uma explosão nuclear??? já vi um documentário que em Chernobyl, por muito pouco não teve uma segunda explosão muito maior.

  9. Vplemes 6 de agosto de 2010 at 11:12 #

    Me desculpen a sinceridade, mas que comentário mais sem noção. Aquilo era uma guerra total, já haviam morrido milhões de pessoas. Os americanos foram apenas pragmaticos, como qualquer outro governo responsável seria se estivesse no lugar deles.

    Já estavam lutando contra os japoneses há 4 anos, sem perspectiva de um fim para os combates, já tinham perdido centenas de milhares de vidas. Havia uma perspectiva de perdas na casa de milhões de baixas no caso da invasão do território metropolitano japonês, isso sem contar nas baixas civis, que seriam milhões em caso de uma invasão prolongada.

    É muito fácil julgar as decisões que um governante é obrigado a tomar durante uma guerra, principalmente se estamos confortavelmente sentados na frente de um teclado 65 anos após o término do conflito, e sem levarmos em conta que quem começou a guerra foram os japoneses.

    Qual seria nossa reação, caso fosse o Brasil que estivesse no lugar dos Estados Unidos? Teriamos preferido mandar centenas de milhares de nossos soldados para a morte certa?

    Ou prefeririamos a solução menos custosa em termos de vidas brasileiras (e por que não japonesas também)? Acho uma tremenda hipocrisia ficar julgando as ações dos americanos, principalmente sem levar em conta o contexto histórico.

  10. robert 6 de agosto de 2010 at 11:12 #

    Eu concordo totalmente com eles, por terem jogado a bomba.

    Senão, se fosse pra tomar por terra iam morrer mais japoneses e milhões de americanos a toa. Eles não iam se render e iam ficar fazendo como fizeram em Iwo Jima e outros lugares.

    Ficariam lutando por causa do imperador deles.

    Se tem alguém culpado de isso ter acontecido foi o imperador japones.

  11. Elenilson 6 de agosto de 2010 at 11:12 #

    Alex disse:
    6 de agosto de 2010 às 10:55

    Isso foi um ato de total desumanidade um crime contra a humanidade da mesma forma que a guerra como um todo, motivada unica e exclusivamente por dinheiro e poder.
    Alias pq será que nunca houve um julgamento sobre isso e um pedido de desculpas?? quantos foram enforcados por muito menos que isso????

    Isso mostra bem o estilo americano de ser, faz uma baita M>…… e depois tapa com outra baita M………

    antiamericanismo até debaixo d´agua, hein?
    nao olha esse momento pela tua otica esquerdista…ideologica…e o q está escrito nos livros de historia, nao consta os USA como quem começou a guerra…
    chega de ideologia. pelo menos nesta data tão triste da historia moderna.

  12. Excel 6 de agosto de 2010 at 11:26 #

    Acho uma hipocrisia esse ritual todo que os japoneses fazem ano após ano em Hiroshima para se mostrarem com vítimas de uma crueldade que eles mesmos provocaram.
    Eles mataram milhares de pessoas, pilharam e destruíram países e apesar de toda essa maldade foram os que mais se beneficiaram da guerra sendo hoje o país mais próspero da Ásia, mas na hora de responder pelos seus atos se fazem de tontos e quando ninguém vê ficam glorificando os seus soldados como heróis de guerra.
    No dia que eles fizerem esse teatro todo para homenagear as suas vítimas e reconhecer os seus erros, vou acreditar na sinceridade deles.
    Aliás, tai uma boa idéia, por que não aproveitam esse evento e solenidade toda para junto com a homenagem aos seus mortos homenageiam aqueles que eles mataram, reconhecendo que toda forma de assassinato é condenável, mesmo a que eles provocaram

  13. Rodrigo Marques 6 de agosto de 2010 at 11:28 #

    A conta é simples;

    Se não jogar a bomba, terá por volta de 200.000 baixas do seu lado e uns 2 milhões do lado inimigo,( incluindo mulheres e crianças).

    Se jogar, as baixas passam para algo em torno de 300.000 do lado inimigo e darão um recado claro a um outro “novo” inimigo, que está com 52 divisões na fronteira da Europa Ocidental…

  14. Vader 6 de agosto de 2010 at 11:32 #

    Uma data para reflexão. Que o mundo nunca mais precise usar estas armas terríveis. E que os países e povos parem de gastar tempo e recursos com esssa inutilidade.

    Quanto ao ataque em si, precisa ser hipócrita até a medula espinhal para culpar o americano por usar, naquelas condições, a arma que tinha a tão alto custo desenvolvido para usar. O Dalton já disse tudo.

    Se alguém teve culpa no evento foram os militares da ditadura japonesa.

    Sds.

  15. Andre Luiz 6 de agosto de 2010 at 11:37 #

    Um bom e longo bloqueio naval teria o mesmo efeito

    O Japao nao tinha mais condiçao de luta, nao era mais ameaça

    A bomba foi simplesmente uma demonstraçao de força aos sovieticos que por isso nao tomaram o resto da Europa

    Uma curiosiade, o imperador Hirohito (personificaçao viva da deusa Amaterasu) falou em uma linguagem tao arcaica no radio que ninguem entendeu patavina, a ficha demorou pra cair entre os comandantes militares

  16. Latino 6 de agosto de 2010 at 11:39 #

    Pra mim totalmente desnecessario o uso dessa bomba ,,no meu enteder os americanos estavam é mandando um recado aos sovieticos ,demostração de força ,

    sds

  17. Dalton 6 de agosto de 2010 at 11:48 #

    os japoneses até procuraram os sovieticos, com quem ainda não estavam em guerra, para que mediassem a situação, mas os sovieticos
    nada fizeram para ganhar tempo, pois havia um compromisso deles de declarar guerra ao Japão 3 meses após a rendição da Alemanha…com isso apoderaram-se legitimamente de terras ocupadas pelos japoneses, como o norte da Coréia por exemplo,…preparando o palco para a futura guerra da Coreia em 1950.

    Bloqueio naval longo? Os EUA estavam no limite de sua capacidade, a tendencia era perda de poder e moral entre suas forças e forças aliadas.

  18. luiz otavio 6 de agosto de 2010 at 11:49 #

    acho que os japoneses não estavam vencidos, já vi documentários que informaram que após bombardeio comum e visualização aérea posterior, a capacidade de recuperação deles era enorme, reconstruíam tudo de novo e se deixassem, invadiriam os vizinhos novamente. e houve ultimato antes da bomba ignorado.

  19. relampago 6 de agosto de 2010 at 11:57 #

    ha valew mauricio veiga,entao uma defesa aerea com misseis de longo
    alcance e uma marinha bem armada faz toda a diferença.

  20. Invincible 6 de agosto de 2010 at 12:01 #

    Qualquer pessoa concarda que as duas explosões foram terríveis.

    Agora elas eram a opção estratégica mais óbvia. Uma invasão por terra custaria uma quantia que nem os EUA dispunham e um número incalculável de vidas.

    A decisão foi simples. 2 milhões de vidas por 200 mil.

    A estupidez foi começar a guerra, massacrar Chineses e Coreanos, foi atacar Pearl Harbor e coisas do tipo.

    Sem contar que os Russos Já havia atacado o Japão e iriam correr para Tóquio.

    Se os EUA quisessem aniquilar o Japão teriam jogado essa bomba em Tóquio.

    O povo do Japão tem o direito que relembrar as mortes isso é normal. Esquecer o efeito destas bombas é muito perigoso.

    Um bloqueio naval não serviria. Os Japoneses estavam sob bloqueio naval desde o dia 7 de Desembro de 41. Como alguém vai bloquear o Pacífico e o Índico? O Japão estava morrendo de fome e mesmo assim iria lutar.

    O que a todos precisam lembrar e condenar é o espírito de destruição que todo o ser humano carrega consigo. Essa sim é a maior de todas as armas e a mais perigosa.

  21. A-Bomb 6 de agosto de 2010 at 12:13 #

    É fácil criticar a posição americana não é mesmo?
    Gostaria que alguns dos “críticos” explicassem o que fariam no lugar deles.
    Falar até papagaio fala que ver propor soluções para a questão.
    Fazer o que.Criticar os USA esta na moda assim como bajular ditadores sanguinários como Fidel Castro e aquela aberração Norte Coreana.

    Para os admiradores do sistema Comunista de plantão só digo uma coisa:
    Se fosse a Antiga União Soviética no lugar dos Estados Unidos eles mandariam umas 10 bombas nos japoneses em vez de Duas.

  22. Pedro 6 de agosto de 2010 at 12:25 #

    O Japão em Julho de 45 estava totalmente derrotado. Infelizmente a didatura do Gen Tojo e um imperador totalmente covarde impedia a declaração de rendição.

    Ali o Japão não tinha mais nada, navios, canhões, aviões e armas. Os civis eram treinados com lanças, facas e porretes contra a invasão. Durante a missão de bombardeio nuclear, nenhum avião niponico apareceu, muito menos a AAA deu trabalho, ou seja, o Japão não tinha mais como lutar. Se eles perdecem o que restava na China continental era capaz de algo acontecer.

    Agora na minha opinião esse bombardeio foi um crime premeditado, e assim como Nuremberg, deveria ter seu julgamento, independente da desculpa que foi de evitar mais mortes, NADA prova que se houvesse um desembarque, mais gente morreria. Nas ilhas periféricas do Japão houve grande resistencia, mas ate mesmo depois dessa batalha, o Exercito e Marinha do Japão estava moralmente morto. Isso de dizer que a população lutaria até a morte seria verdadeiro nas primeiras cidades, mas depois dessas as demais veriam que as tropas dos EUA não eram os demonios que o gabinete de Tojo afirmava, não iriam dar muita resistencia.

    Um bloqueio só alongaria mais, e acho que seria pior, pois teriamos uma grande quantidade de pessoas morrendo de fome e lembrem-se que o Inverno no Japão é rigoroso e sem combustivel para aquecimento, teriamos uma Leningrado em tamanho gigante. No meu ver, a melhor solução para o Japão seria a invasão, a começar pela ilha principal, centro politico.

    Agora o Bombardeio em si estava mais endereçado a URSS, que tinha capacidade militar (pelo menos era o que o ocidente achava) para tomar o que ela quissese, mas existem provas que a população e até mesmo as lideranças da URSS já estavam cansadas de guerra e tinham um país imenso a ser reconstruido.

    Concordo como alguns colocaram aqui, que essas cerimonias são hipocresia pura, pois veja o que as tropas Japonesas fizeram por onde passaram e verá coisa bem pior. Na IIGM não houve mocinhos, somente bandidos. Alemanha, Inglaterra, França, URSS, EUA, Japão e Italia todos foram culpados e essas demonstrações de “condolencias” e “bom mocinho” que vemos hj do lado ocidental são hipocresia pura e simples.

    Agora, “Não foram os EUA que declararam guerra” é a tipica frase de quem nunca estudou as razões da IIGM e o ante-guerra. Se os EUA não tivessem imposto o bloqueio naval ao Japão, a chance de a guerra no pacifico não existir seria grande, pois até então o Japão estava concentrado na China. O que fez ele virar para o Pacifico e sudeste asiático foi esse bloqueio, onde no Pacifico ele precisava “limpar” os pontos de apoio americanos e no sudeste asiatico ele precisava das materias primas que comprava antes do bloqueio. Alem disso, não esqueçam que o Partido Nazista, era patrocinado com muito $$$ de empresas americanas, inglesas, holandesas e francesas, apoiadas por seus governos, como uma forma de bloqueio ao PC Alemão nos idos da decada de 20. Alem disso, o “milagre” economico nazista veio no esteio de investimentos de empresas americanas, notadamente GM, Ford, IBM e Coca Cola.

    Os EUA não estão envolvidos nos primeiros tiros, mas nos fatos que antecederam a guerra, esta até a testa envolvido como os demais.

  23. Giordani RS 6 de agosto de 2010 at 12:27 #

    A História pode se repetir em pouco Tempo…

    Do portal TERRA
    *****************************************************************************
    Notícias » Ciência e Meio Ambiente » Ciência e Meio Ambiente
    Irã antecipa plano de lançar espaçonave tripulada
    05 de agosto de 2010 • 11h31 • atualizado às 13h23

    O Irã planeja lançar uma espaçonave tripulada dentro de sete anos, dois anos antes do previsto, disse nesta quinta-feira o presidente do país, Mahmoud Ahmadinejad. “Num futuro próximo vamos enviar ao espaço uma sonda de comunicações, com vida útil de cerca de um ano”, declarou Ahmadinejad durante uma conversa ao vivo na televisão em Hamadan, oeste do Irã, segundo a agência semioficial de notícias Mehr.
    “O governo iniciou planos que nos permitiriam mandar uma espaçonave tripulada para o espaço dentro de sete anos”, afirmou. Ahmadinejad havia dito em julho que o Irã iria enviar sua primeira nave tripulada para o espaço em 2019. Em fevereiro, o Irã realizou o lançamento-teste de um satélite produzido no país, com o foguete Kavoshgar-3.
    Países ocidentais suspeitam que o Irã esteja tentando construir bombas nucleares e temem que a tecnologia de mísseis de longo alcance, usada para colocar satélites em órbita, possa ser usada para o lançamento de ogivas. O país é o quinto maior exportador mundial de petróleo e insiste que seu programa nuclear tem como objetivo gerar eletricidade.
    Em 2009, o Irã lançou um satélite de fabricação própria e colocou-o em órbita pela primeira vez, informando que sua finalidade era de uso pacífico, para telecomunicações e pesquisas.
    ********************************************************
    Ahmadinejad,
    Corre pro bunker, porque a 8ª já está à caminho!!!!

    PS.: Não cabe à nós culpar o Passado, só aprender com os erros deles…

  24. Dalton 6 de agosto de 2010 at 12:28 #

    Apenas como curiosidade…

    o USS Indianapolis que transportou parte da bomba foi torpedeado por um submarino japones uma semana antes do ataque a Hiroxima perecendo cerca de 900 americanos, muitos deles vitimas de tubarões.

    No dia 6 de agosto, o submarino USS Bullhead foi afundado por uma aeronave japonesa perecendo todos os 80 tripulantes.

    Houve muitas outras mortes americanas neste interim, algumas até acidentais,que continuariam ocorrendo enquanto o Japão nao se rendesse,

  25. Andre Luiz 6 de agosto de 2010 at 12:40 #

    Uma coisa que quero reforçar.

    Não sei se a utilização da bomba foi a melhor solução, e naturalmente sou contra o uso de um artefato nuclear.

    O japão era muito dependente de petróleo importado e de outras matérias primas para manter sua capacidade de guerrear .

    A questão é: As coisas à época estavam longe de serem simples e a decisão longe de ser trivial. Não é algo como dizem: Oh, é obvio que tinhamos outra opção, é óbvio que o Japão estava para se render, é obvio…. nada disso é real.

    Foi uma puta decisão difícil, existia sim o medo (claro claro claro claro) de invadir o Japão e entrar em uma guerra mortal, existia a opinião publica americana que não entenderia porque alguém que poderia terminar com a guerra com mortes apenas do lado inimigo escolheu matar no mínimo 200 mil americanos a mais.

    Eu vejo isso como evidente. A decisão foi difícil pacas…. e ninguém pode querer julgar isso de maneira banal.

    Mas sei lá, O povo japonês não é tão suicida assim. Se o governo norte-americano da época fosse mais lúcido, poderia ter conseguido um armistício até antes, bastando deixar de lado as exigências de renúncia oficial do status de Kami do Tenno.

    Ou como se diz por estas terras, deixando de exigir que o Imperador Hiroíto declarasse publicamente que não é descendente de Amaterasu.

    Se os americanos tivessem fuçado mais na cultura de seu inimigo, quem sabe

  26. airacobra 6 de agosto de 2010 at 12:47 #

    modo ironico on:

    realmente uma foto “gay”, só reparar nos shortinhos deles combinando perfeitamente com o nome do avião

    modo ironico off:

    se não fosse esse ataque a guerra duraria mais um ano ou ate mais

    iria ser operação olympic contra ketsu-go, seria um massacre de proporções bem maiores que os ataques nucleares, pois os japoneses lutariam ate o ultimo homem e a recuperação do pais demoraria bem mais.

    recomendo a todos a leitura do livro A ULTIMA MISSAO: a historia secreta da batalha final da segunda guerra mundial – Jim B. Smith

    sds

  27. Alexandre Galante 6 de agosto de 2010 at 12:50 #

    Só para lembrar, o nome “Enola Gay” era em homenagem à mãe do piloto, Paul Tibbets.

  28. Rodrigo Marques 6 de agosto de 2010 at 12:58 #

    Dalton,

    Só por curiosidade, no filme “Tubarão” de Spielberg, um dos caçadores do bicho era um sobrevivente do USS Indianapolis, o relato, mesmo que ficcional é impressionante.

    Os caras cairam feridos no mar, como o bicho sente uma gota de sangue à 2km de distância…

    Giordani,

    Esse programa espacial do Irã segue a mesma linha do nosso VLS, um míssil intercontinental multipropósito…

    Acho os centros de pesquisa e lançamento desse bicho também serão alvo quando as instalações nucleares forem atacadas.

  29. Marine 6 de agosto de 2010 at 13:10 #

    PQP!!!! Quanto comentario sem a menor nocao historica, afirmacao sem cabeca!

    Os EUA comecaram a guerra?! Bloqueio Naval?! Sinceramente vao ler muito, mais e muito livro de Historia antes de virem aqui arrotar besteira…

    Pros generais de poltrona que adoram passar julgamento em fatos decadas apos e sem usar o contexto historico, procurem ler sobre a Operation Downfall, alias tem ate uma materia no blog Forte sobre isso so pra comecar. Depois ja que sao tao sabidos estrategistas e humanitarios facam o favor de nos iluminar com suas grandiosas alternativas!

    O coisa pra dar raiva, esse pessoal general de poltrona!

    Operation Downfall
    http://www.forte.jor.br/2009/08/13/operation-downfall/

  30. Dalton 6 de agosto de 2010 at 13:17 #

    Rodrigo…

    Bem lembrado, o ator Robert Shaw deu um show a parte ao dramatizar o afundamento do Indy.

    O Capitão McVay foi injustamente acusado de ser parcialmente responsavel pelo afundamento e recebia ano após ano cartas de familiares de tripulantes mortos acusando-o.

    O livro “In harm´s way” descreve não apenas os ataques de tubarões
    mas todo o embaraço que o nobre capitão passou depois.

    Acabou desenvolvendo problemas mentais e finalmente cometeu suicidio em 1968.

    abs

  31. Vitor 6 de agosto de 2010 at 13:45 #

    Nossa, alguem errou feio a historia ai.
    Enfim.
    Graças a essa explosao em 1945 que ninguem mais explodiu outra Nukebomb em cidade alguma.
    Caso contrario nao haveria temor e o clamor para nao usar essa arma.
    Certamente seria um mundo diferente.

  32. Belisario 6 de agosto de 2010 at 13:50 #

    Ataque covarde q nós insistimos em publicar como heroísmo…eram civis..hoje mata-se da mesma forma covarde no Iraque e afeganistão..mulheres, crianças, idosos, indefesos para com isso conseguir “dobrar” os guerreiros! Ataques covardes..só isso!

  33. Marine 6 de agosto de 2010 at 13:52 #

    Belisario,

    Qual a alternativa do senhor entao? Opiniao todo mundo tem….nos apresente uma solucao!

  34. Alexandre Galante 6 de agosto de 2010 at 13:54 #

    Marine, don’t feed the trolls! rs

  35. Carlos_Fluzao 6 de agosto de 2010 at 14:11 #

    Bem, o maximo que o Japao poderia fazer era se entocar mesmo, apesar do nome pomposo da operaçao, sem recursos estariam na idade da pedra novamente em poucos meses

    Mas tem uma série de coisas que ainda geram controvérsia, talvez os EUA não quisessem enfrentar uma longa batalha no pacífico enquanto Stalin avançava sobre a Europa, e como não havia esperança do Japão capitular apelaram para as armas atômicas.

    Lembremos que, mesmo após a rendição, o imperador foi poupado da humilhação, pelo menos por parte dos vencedores. Até onde eu sei, ele não foi exibido como um troféu.

    Tanto que para a posteridade imperialistas japoneses nao ficou tao ruim quanto nazistas alemaes

  36. Rodrigo 6 de agosto de 2010 at 14:18 #

    Alexandre Galante disse:
    6 de agosto de 2010 às 12:50

    Ainda bem que você deixou claro, senão ia ter gente aqui pensando que era um traveco.

  37. Ivan 6 de agosto de 2010 at 14:20 #

    Marine,

    Take easy.

    Quem conhece a história pode compreender que a bomba era a alternativa menos ruim, diante da obsessiva e inútil resistência japonesa na linha de frente e da ameaça soviética pela retaguarda do extremo oriente.

    Talvez tenha sido dos males o menor.

    Abç,
    Ivan, do Recife.

  38. THIAGO 6 de agosto de 2010 at 14:39 #

    Só para constar, perguntaram se em uma eventual interceptaçao de um missel nuclear intercontinental por outro missel poderia desencadear uma explosão atomica, responderam que não, pode sim ocorrer a explosão, primcipalmente em bombas de fissão, onde o gatilho inicial é uma explosao de composto plastico ( c4 por exe,plo ou dinamite)….mas a probabilidade é remota…

  39. MA 6 de agosto de 2010 at 14:44 #

    O que fazer?
    De um lado temos a possibilidade de uma invasão em larga escala, passando pelas árduas defesas inimigas, que custará extremamente caro, em termos materiais e humanos, e que muito provavelmente deixará todo o território japonês arrasado.

    De outro eu posso lançar duas das armas mais poderosas construídas pela humanidade até o momento. Com isso eu encontro alguma utilidade (e uma boa explicação para o eleitorado) para aquele projeto extremamente despendioso que demorou três anos; consigo conservar o parque industrial e as instalações de boa parte do Japão, conseguindo recuperá-lo facilmente no pós-guerra e conseguindo um aliado (marionete) estratégico; e ainda posso mobilizar rapidamente minhas tropas para a Europa para conter os vermelhos, sem preocupação e ainda mandar dois recados de peso para eles…

    O que faço? Putz, mto difícil, ein?

  40. leandrorm 6 de agosto de 2010 at 15:21 #

    Os bombardeios atômicos de Hiroshima e Nagasaki (no dia 9 de agosto)não foram o fim da segunda guerra mas o primeiro ato da guerra fria que se seguiu até a queda da URSS, os EUA precisavam mostrar força para os russos, os japoneses só foram usados como exemplo do que iria acontecer com quem entrasse em confronto armado com os americanos, eles ficaram soberanos até que a Russia tambem desenvolveu seu artefato nuclear em 29 de agosto de 1949

  41. rodrigo ds 6 de agosto de 2010 at 15:24 #

    André Luiz concordo com vc, a guerra já tinha acabado na Europa e o unico foco de luta era a Ásia, especificamente só o Japão oferecia uma feroz resistência, um bloqueio naval dos aliados já resolveria a coisa, videos feitos na época mostram que os japoneses antes do ataque nuclear já começava a passar fome, mas certamente com esse bloqueio morreriam até mais japoneses e soldados aliados, então a decisão desse ataque nuclear a meu ver tinha varios propositos:

    1º – Mostrar que ainda tinha bala na agulha para enfrentar qualquer nação;
    2º – Testar a bomba para ver sua verdadeira capacidade destrutiva;
    3º – Acabar com a guerra, evitando mais mortes de norte americanos;
    4º – Dar um recado direto para a URSS do seu poderio.

    Os aliados tinham tanto medo dos japoneses que não quiseram punir o grande imperador (semi-deus), por medo de uma revolta e ter que matar todos os civis de tanta idolatria que eles sentiam por ele. Mas no caso da URSS o tiro saiu pela culatra, logo logo os comunistas igualaria o poder de fogo.

  42. Ozawa 6 de agosto de 2010 at 17:39 #

    Recomendo assistirem o excelente DVD HIROSHIMA – A humanidade e o horror. Com imagens de arquivo, novos recursos de efeitos visuais e reconstituições dramatizadas baseadas em relatos de testemunhas. “Hiroshima” coloca a explosão da bomba atômica em seu contexto histórico e político e apresenta sem rodeios as consequências terríveis de um ataque nuclear.

    p.s. para me posicionar no debate, o lançamento da “bomba” foi inevitável. Lembrem-se, a seguir a estratégia do salto de ilha em ilha, e após Okinawa, já bastante sangrenta, o próximo passo seria a invasão do próprio Japão, com a estimativa feita pelos próprios oficiais de estado maior de pelos menos 5.000.000 milhões de soldados aliados para empreitada a se realizar em 1946, e a morte de 1.000.000 deles somente nas praias de desembarque…, sem contar os civis…

  43. CosmeBR 6 de agosto de 2010 at 17:50 #

    Parabéns Japão…por esquecer…

    Brasil Acima de Tudo

  44. brazilwolfpack 6 de agosto de 2010 at 18:08 #

    O Japao ja estava derrotado,e ja haviam comecado as discussoes internas sobre a rendicao aos americanos. A unica condicao seria manter o imperador Hiroito no poder,ao qual os americanos cederam no final das contas. O uso da bomba foi mais bem uma mensagem a Stalin,que se quisesse poderia ter chegado ate Portugal com o poderosissimo Red Army. Realmente como disse o amigo acima,nao posso imaginar a vida pos-guerra dos homems que tomaram parte nos bombardeios a Hiroshima e Nagasaki. Imaginem a conciencia,pesada com podas essas almas,mais de 150000 homems,mulheres e criancas.Principalmente as criancas,nos seus bercos,nos jardims da infancia,brincando com deus carrinhos e bonequinhos,nos bracos da mamae.
    Deixando a politica e justificacoes de lado,eu pessoalmente nao conseguiria viver com isso,talvez optando pela saida mais facil. Simplesmente desejo que descansem em paz todos os mortos militares e civis,de todas as nacoes que lutaram,muitos nao voluntariamente,na grande tragedia que foi a Segunda Guerra Mundial.

  45. Vitor 6 de agosto de 2010 at 18:44 #

    Japao ja superou Hiroshima e Nagasaki, por que os anti-americanos nao?

  46. Bosco 6 de agosto de 2010 at 18:47 #

    Alguém segura o Marine aí gente! Senão ele faz “bestera”
    rsrsrsrsr….

  47. Francisco AMX 6 de agosto de 2010 at 19:05 #

    Marine,

    Solução? continuar a guerra convencional, porém sem bombardear cidades! soldado também foi feito para morrer!

    O que estranha mesmo foi o lançamento de 2 bombas num intervalo de 3 dias… será que se deu tempo do inimigo perceber e se organizar para pedir “água”? creio que não!

    De toda forma isso não é exclusivo do americanos, alemães, russos, Iraquianos, Japoneses… todos usaram deste horrendo artifício… e fico triste que pessoas esclarecidas, hoje, achem algum jeito de aceitar tais barbaries… guerra é para soldados! civis não podem sofrer de forma avassaladora… já é inaceitável o “efeito colateral”, imaginem a indiscriminação dos atos!….

    Sds!

  48. grifo 6 de agosto de 2010 at 19:42 #

    Sobre bombardeio de cidades, vlae lembrar que Hiroshima e Nagasaki foram escolhidas principalmente por terem sido até aquele momento poupadas dos bombardeios convencionais americanos, estando ambas relativamente intactas. Isto permitiria se verificar o real estrago causado pelo armamento nuclear.

    Antes disso, os americanos já tinham praticamente destruído Tóquio com bombas incendiárias, e se estima que um único ataque em Março de 1945 tenha causado mais vítimas que qualquer uma das bombas atômicas.

    Hiroshima e Nagasaki passaram para a história por terem sido os primeiros e até agora únicos casos de uso de armas nucleares, mas em termos de carnificina estão lá na segunda divisão. E não há dúvidas que uma invasão americana às principais ilhas do Japão resultaria em muito, mas muito mais perdas humanas.

  49. Raptor 6 de agosto de 2010 at 20:02 #

    Se o cenário de Hiroshima e Nagasaki é aterrorizador, imagina o cenário de uma guerra global.

    No link, um filme da época Reagan, ao qual tem como tema este assunto.

    Partes do “Day After”: http://www.youtube.com/watch?v=G2H1E02iMHg

  50. cerberosph 6 de agosto de 2010 at 20:02 #

    Testar a bomba……

    A primeira bomba até tinha suas justificativas…mais a segunda foi um ato totalmente desnecessario e ignóbil.

  51. Bosco 6 de agosto de 2010 at 20:10 #

    Pessoal,
    Devagar com o andor! Esse negócio de poupar civis em guerras, dano colateral, guerra desumana, politicamente correta, etc, é coisa de 20, no máximo 30 anos pra cá.
    Na SGM isso não existia. O conceito de “dano colateral” veio depois das armas guiadas de precisão, onde hoje é possível mirar na janela de um prédio no meio da cidade. Antes mirava era na cidade. Pra destruir um prédio era precisa que 100 bombardeiros jogassem 2000 bombas e rezar pra 1 acertar.
    Bombardear cidades era o suprasumo do politicamente correto há 50 anos atrás. Todos os lados fizeram isso. Os que fizeram pouco foi por falta de recurso e não porque eram bonzinhos.

  52. Bosco 6 de agosto de 2010 at 20:16 #

    Falar que americano era “mais mau” que os japoneses, chineses, alemães, ingleses, russos, etc, é querer forçar um pouco a barra, né?
    Todo mundo sabe que se essa turma de santinhos do pau oco tivesse tido acesso à “bomba” antes, teria sido igual, senão, pior.

  53. Bosco 6 de agosto de 2010 at 20:21 #

    E nem as duas bombas juntas causaram mais danos e baixas que alguns bombardeios convencionais com bombas incendiárias tanto na Alemanha quanto no Japão.
    Ou seja, se for pra esculachar americano, que seja pelo motivo certo. rsrsrsrsr
    Que o Marine não me ouça.rsrsrs

  54. Vader 6 de agosto de 2010 at 20:26 #

    Quanta hipocrisia, meu Deus! Como se os japoneses não tivessem bombardeado Cantão, Xangai, Hong Kong, Macau, Seul, Cingapura, a lista é longa…

    Só em Nanquim os japoneses mataram 200.000 chineses:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Massacre_de_Nanquim

    Como se os japoneses não tivessem estuprado centenas de milhares de chinesas e coreanas… Como se não tivessem matado centenas de milhares de civis…

    O japonês era um santo, o americano era o demônio…

    Guerra justa! Não matar civis nas guerras!

    Hipócritas!

  55. MA 6 de agosto de 2010 at 20:34 #

    “Sobre bombardeio de cidades, vlae lembrar que Hiroshima e Nagasaki foram escolhidas principalmente por terem sido até aquele momento poupadas dos bombardeios convencionais americanos, estando ambas relativamente intactas. Isto permitiria se verificar o real estrago causado pelo armamento nuclear.”

    Na verdade, eram as únicas cidades climáticamente viáveis de serem bombardeadas nas datas previstas para os ataques, havia, se me lembro bem, um tufão que trouxe grandes concentrações de nuvens sob o Japão e essas duas cidades foram escolhidas exatamente por estarem com melhor visibilidade.
    Simples assim.

  56. Rodrigo 6 de agosto de 2010 at 20:45 #

    Francisco AMX disse:
    6 de agosto de 2010 às 19:05

    O dia que for você ou pior um filho seu enviado para o combate, você vai mudar de opinião.

    Pior que os americanos para o Brasil, são os anti-americanos fanáticos e as suas teorias e revanchismos infantilóides, que atualmente comandam a nação e provavelmente vão continuar.

    De uns tempos para cá ando temendo pelo futuro do Brasil.

  57. Bosco 6 de agosto de 2010 at 20:56 #

    Rodrigo,
    Os antiamericanos são iguais aos baixinhos e goianos. Vão dominar o Mundo e dividir por 3. rsrsrs
    Mas falando sério, os antiamericanos no poder estão baseandos na crença que os EUA é uma nação em franca decadência e a bola da vez, e que quem vai mandar vão ser os chineses. Se estiverem errados “estamos lascados” porque nos especializamos em puxar o rabo do leão e falta pouco pra gente meter o dedo no “calcanhar” do leão.
    Aí quero ver se a bondosa mãe russa ou o fiel dragão chinês vem aqui nos ajudar e aos “companheiros” com seus mísseis antiportaaviões e antisatélites GPS para nos salvos dos impiedosos imperialistas. rsrsr

  58. Vader 6 de agosto de 2010 at 21:15 #

    Bosco disse:
    6 de agosto de 2010 às 20:56

    Bosco:

    Se os antiamericanos estiverem errados, estamos afunhanhados: o Tio Sam vai continuar mandando no mundo e nós seremos jogados cada vez mais pra escanteio, até virarmos uma Venefavela da vida…

    Se os antiamericanos estiverem certos, estamos ferrados: eles (e nós juntos) irão achar as mandíbulas do Dragão muito mais apertadas que as garras da Águia…

    Ou seja: enquanto existirem antiamericanos, estamos ferrados de qualquer jeito…

    Solução? :)

  59. MA 6 de agosto de 2010 at 21:18 #

    Putz Bosco, pegou pesado na irônia… rsrsrs

  60. A-Bomb 6 de agosto de 2010 at 21:20 #

    Chineses não se importam com ninguém a não ser com eles mesmos.
    E estão certos.

    Se o nosso governo “socialista” esta contando com ajuda chinesa para alguma eventualidade podem tirar o cavalo da chuva.

    Igual ao demente presidente Venezuelano.
    Ele pensa que, caso a Venezuela seja atacada pelos Estados Unidos,a Rússia vai interferir.

    Pobre Diabo!
    Acha que a Rússia vai arriscar um confronto nuclear total contra os USA por causa do pais dele.

    Voltando ao tema não a mocinhos nesta história toda.
    Repito:
    Se fosse a União Soviética no lugar dos Americanos teriam lançado muito mais que duas bombas na cabeças dos japoneses.

  61. Baschera 6 de agosto de 2010 at 21:23 #

    Data terrível de se lembrar.
    Enquanto isto, num certo país tropical, pelo que ando lendo…… tem uns carinhas querendo mexer no “paralelo” de novo…….
    Vixe…… deixem os imperadores nas suas devidas “tumbas”.

    Sds.

  62. Vader 6 de agosto de 2010 at 21:25 #

    Entrega a fita ae Baschera? Coé? :)

  63. Usa 6 de agosto de 2010 at 21:39 #

    Primeira bomba nuclear:
    Nome:Little Boy
    Alvo:Hiroshima
    Data: 6 de agosto de 1945

    Segunda Bomba Nuclear:
    Nome:Fat Man
    Alvo:Nagasaki
    Data: 9 de agosto de 1945

    Terceira bomba (nuclear ou superior?)
    Nome:Jaco
    Alvo:Teerão (na cabeça do senhor Mahmoud Ahmadinejad e dos Aiatolas.)
    Data: em breve se os Aiatolas iranianos não mudarem de idéia quanto a tirar Israel do mapa.

  64. Baschera 6 de agosto de 2010 at 21:49 #

    Vader disse:
    6 de agosto de 2010 às 21:25

    Ô Loco……. só em privado……. com compromisso em cartório… senão eu “danço”……. mas vai uma dica….. os nossos “arquiinimigos” do norte estão dizendo certas coisas…… sobre as centrífugas de Aramar, por exemplo, pesquise e verás….. quanto ao resto, bico fechado.

    Outra coisa, alguns membros “ocultos” gostariam muito de ver a continuação do desenvolvimento dos meios tecnológicos voltados ao projeto secreto abandonado. Existem acusações de que pertenceríamos ao clube de clientes do Dr. Khan, entre outras coisas mais……

    Sds.

  65. Marine 6 de agosto de 2010 at 22:01 #

    Bosco,

    To calmo amigo hehehehe! Mas e dificil ver tanta hipocrisia, conhecimento de historia trocado por achismo e lenda de internet assim como ideologia besta sem se alterar tem hora hehehe….

    Tem gente que continua acreditando que o Japao estava “derrotado” sendo que os documentos historicos no mundo todo provam que 80% do seu exercito ainda estava intacto e pronto pra combater ate o ultimo homem. Tem gente que se recusa a acreditar mas nunca esteve e viu as defesas japonesas em Iwo Jima ou Okinawa pra ter um pequeno gostinho do que seria invadir o Japao.

    Outros ficam indignados que se matou 150.000 com as bombas atomicas mas matar mais com bomba incendiaria podia? Ou quem sabe matar 1 milhao a bala durante a invasao seria melhor? Essa miope sem contexto historico e de doer…

    Outros ainda falam sobre bloqueio naval….Como se a marinha mercante japonesa ja nao fosse inexistente, iria bloquear-se o que entao? Iriamos impedir jangadas de borracha de chegar ate o Japao?

    O fato e que:
    1- Salvou a vida de MILHOES de pessoas dos DOIS lados, dos males o menor.
    2- Mostrou pra URSS quem seria o novo manda-chuva no lugar da Europa.
    3- Poupou a infraestrutura do Japao de uma invasao ainda mais devastadora para que pudesse ser reerguido.
    4- Proporcionou o fim da guerra da maneira mais rapida possivel, mais rapido do que uma invasao, um bloqueio naval ou magia negra de camdomble…

    Semper Fidelis!

  66. Vader 6 de agosto de 2010 at 22:02 #

    Ah, Baschera, isso? O Rodrigo já tinha dado a fita…

    Mas acho que não tem nada a ver não.

  67. Baschera 6 de agosto de 2010 at 22:12 #

    Vader disse:
    6 de agosto de 2010 às 22:02

    Pois é… o Rodrigo também sabe…. minhas fontes são as mesmas dele, mas …deixa prá lá. Importante é não mexerem nos imperadores, que tá tudo certo !!

    Sds.

  68. Vader 6 de agosto de 2010 at 22:26 #

    Bascha, se isso for verdade tamo afunhanhado. Nosso glorioso desgoverno bolivarieca dessa vez conseguiu meter-nos na m. até o pescoço.

    Eu já tinha dado a fita que eles conseguiriam…

    Bem, agora é o seguinte: “fujam para as colinas” e o último que sair, é favor apagar as luzes…

    Abs.

  69. Baschera 6 de agosto de 2010 at 22:31 #

    Vader…… já fugi…… prá serra gaúcha !!! hahahaha….

    Sds.

  70. barca 6 de agosto de 2010 at 23:21 #

    Bom nesse post posso dar uma visão de um filho de japones no qual o avô lutou,um tio,sendo que ambos morreram,e um tio quase foi lutar só não foi pois a guerra terminou,bom a visão que muitos japones tem,inclusive amigos intimos do meu pai é a seguinte:

    ” Se o Japão tivesse a bomba tb a usaria”,
    Infelizmente houve essas mortes,o japão sempre foi um pais beligerante,desde dos seus primordios,basta ver a primeira arma de fogo chegou atrás dos navegantes portugueses se não me engano,e logo eles aprenderam,as espadas na qual eles aprenderam atráves das tecnicas dos chines,e no qual a Katana foi desenvolvida na epoca dos mongois,depois da Batalha de Tsushima,o japão teve seu apice militar,foi a primeira nação não branca a vencer uma nação europeia,pois muitos asiaticos tinha o complexo das humilhações impostas por europeus e americanos,basta ver a historia da abertura dos portos no japão,tiveram que engolir as exigencias para abrir os portos,o impressionante foi a industrialização imposta pelo Imperador Meiji,algo mais impressionante e rapida do que a Revolução Industrial Inglesa,basta lembra que antes do começo da Segunda Guerra as duas Marinhas que dominavam com maestria as tecnicas de porta-avioes eram japão e estados unidos.
    Mas infelizmente ocorreu a guerra e muitos japones foram pegos de surpresa,pois acreditavam que seu inimigo seriam os Russos,Eu não vejo resentimento por parte dos japoneses que conheço,pelo contrário,pelo menos os que convivo admiram os E.U.A,meu pai por exemplo ama o Elvis…rsrs.

  71. barca 6 de agosto de 2010 at 23:26 #

    O colega acertou no que disse,seria um massacre uma invasão convencional por parte dos americanos,tanto que depois da rendição ouve mais de 2000 suicidios por harakiri,aqui está um dos motivos que levaram tantos a cometer o harakiri,segundo o código Bushido:

    – Como castigo e forma de recuperar a sua honra pessoal, uma vez que esta foi perdida em alguma atitude indigna do nome de sua família e de seus ancestrais;

    – A fim de evitar ser prisioneiro em campos de batalha, pois era considerado imensa desonra entre os samurais se render ao adversário; assim, eles preferiam renunciar à vida do que entregar-se a mãos inimigas. Além disso, a rendição também não era uma boa escolha, pois os presos eram quase sempre torturados e maltratados;

    – Em um ato de pura lealdade, o samurai chega a se matar para chamar a atenção de seu senhor (daimiô) a algo de errado que ele venha fazendo, advertendo-o. Alguns samurais também se suicidavam ao ver o declínio dos seus senhores, ou mesmo quando estes morriam, como forma de acompanhá-los eternamente e seguir o preceito de que um samurai não serve a mais de um daimiô em sua vida.

    Felizmente esse militarismo japones foi colocado de lado ou está adormecido para o bem dos seus cidadãos e do mundo!

  72. Galileu 6 de agosto de 2010 at 23:38 #

    Fico pensando, se não houvesse bomba atômica, será que os EUA teriam êxito na invasão, e em quanto tempo seria??

    A verdade é que o s 2 lados estavam cansados…

  73. barca 6 de agosto de 2010 at 23:42 #

    Marine o Japão estava derrotado sim,tanto que muitos oficiais da marinha queria fazer um ataque suicida,depois da rendição,eles iriam jogar varios Zeros sobre a frota americana assim que ela entrasse na baia de Tokio,o japão é uma ilha sem recursos naturais,para abastecer a maquina de guerra japonesa,ela necessitva do mar,pode dizer que vc está certo num ponto,moralmente o japão não estava derrotado,pelo menos por parte dos militares,mas eles estavam loucos agarrados a algo que não valia naquela situação.
    Agora uma coisa engraçada,se vc procurar,sabia que mesmo com os bombardeios americanos a produção de Zeros não foi parada,eles distribuiam a produção das peças em casas que pareciam civis,escolas,tudo que pudesse esconder que naquele local estava sendo produzido algo que fosse militar.
    Voce sabia MARINE,que foi o japão que desenvolveu o conceito de submarino porta aviões,e foi o unico país do mundo a conseguir tal façanha,procura depois na net por “submarino Seiran ”

    Pra vc ver essa classe,os americanos ficaram espantados com o que viram,mas era tarde para o japão!

    http://pt.wikilingue.com/es/Classe_I-400

  74. Ivan 6 de agosto de 2010 at 23:52 #

    Barca,

    Importante a apresentação desta visão.

    Grato,
    Ivan.

  75. barca 6 de agosto de 2010 at 23:52 #

    Ah lembrando,sei que é off´topic,mas segundo o cronograma que vi a um certo tempo numa pagina americana em 2011 será o primeiro voo do prototipo do Mitsubishi ATD-X,o blog pderia procurar informações sobre o andamento do projeto dos japones!

  76. Ivan 6 de agosto de 2010 at 23:57 #

    Barca,

    Talvez o I-400, com seus aviões embarcados, e, portanto, capacidade de projetar poder sobre terra, seja o precursor dos modernos submarinos armados com mísseis cruise mar-terra.

    Ivan.

  77. peter pown 7 de agosto de 2010 at 0:13 #

    A história é sempre escrita pelos vencedores!

  78. barca 7 de agosto de 2010 at 0:43 #

    peter pown nesse caso é verdade sim,o japão já estava derrotado,mas a moral dos seus soldados não,mas alguns tiveram o bom senso de parar a loucura que muitos militares queriam desencadear,a familia do meu pai,tinha posses,meu avô era da Marinha Imperial,meu tio que morreu era piloto,eles tinha uma situação boa,e racionavam a comida,tudo contado,e a cidade dele que era Hokaido que não foi tão castiga havia gente passando fome,minha avó tinha um anel de ouro muito grosso que era do meu avô,que era como se fosse uma poupança deles para evitar que a familia passase fome,tiveram que se desfazer de muita coisa,eles doaram tudo de metal que eles possuiam que pudesse ser deretido para fabricar armas.
    Muitos Mitsubishis Zeros tiveram partes de metal substituida por bambu!
    Eu tenho a seguinte visão,numa guerra de longa duração um exercito muito grande é segundário,o mais importante é a máquina de guerra,a capacidade industrial,e nisso naquela época os E.U.A eram imbátiveis!

  79. barca 7 de agosto de 2010 at 0:47 #

    Eu perdi meu avô e meu tio,mas admiro muitooooo os E.U.A,e se vc me perguntar se eu gostaria que o japão hoje fosse a maior potencia do mundo,eu iria te responder:

    Prefiro os E.U.A…rsrs

  80. Gabriel T. 7 de agosto de 2010 at 0:47 #

    Peter pown, não força!

  81. barca 7 de agosto de 2010 at 0:57 #

    Sabe como era testada as katanas japonesas,,rsrs,ela foi desenvoldida para cortar o corpo do oponente mesmo ele usando armadura,eles pegavam os prisoneiros e os vestiam com as armaduras,se não me engano eram mongois,e as testavam neles…
    Nem Gengis Khan inventou um metodo de teste desses…
    Desse passado japones ,e seu fascinio pela arte da guerra,levou a esse triste acontecimento,ainda bem que esse lado está adormecido,por isso que tenho quase uma certeza que enquanto os E.U.A,tiverem o japão ao seu lado,a China não vai se atrever a fazer algo para dominar a Asia.
    O japão tem capacidade nuclear,pode produzir bombas,tem uma tecnologia espacial e de lancamento de foguetes muito boa,só que eles são meio mineiros,ficam quietos no cantinho deles.

  82. barca 7 de agosto de 2010 at 1:05 #

    Bom agora ninguém pode me acusar mais de ser rafalete,pois não tenho nada que me ligue a frança,a não ser o gosto pela sua literatura e arte,e tb de gostar de jogar o Virtua Fighter com o personagem Lion Rafale…rsrs

    Pra quem não conhece

    http://www.youtube.com/watch?v=YFBaynqZPag

    Viu o rafale está presente até nos jogos…rsr

    Um abraço a todos

  83. barca 7 de agosto de 2010 at 1:07 #

    Rafale acrobatico;

  84. Excel 7 de agosto de 2010 at 1:44 #

    Vader
    6 de agosto de 2010 às 20:26.

    Vader, você sumarizou muito bem o sentimento da maioria das pessoas que não conseguem engolir ainda essa imagem de Japão “paz e amor” ou de pobre coitado que eles tanto gostam de fazer, enquanto eles ainda tem muito o que prestar conta de seus atos durante a guerra.

    Antes da derrota mataram gente adoidado, como se não houvesse qualquer traço de humanidade nos seus corações, mas quando foram vítima do resultado de suas próprias ações conseguiram lembraram da humanidade e dignidade perdida em suas almas para lembrarem o resto do mundo de sua condição de “humanos” e como tal merecedores de compaixão e piedade. Pena que eles não tiveram isso com as suas vítimas.

    Este evento relacionado com as bombas nucleares ilustra muito claramente este Japão que adota duas medidas para ver o mundo: de um lado eles mesmos, vítimas inocentes da maldade humana, e de outro o resto do mundo, pobres desafortunados vítimas das conseqüências da guerra, por isso mesmo, apenas números e estatísticas que devem ser esquecidos para o “bem da humanidade” afinal devemos esquecer as coisas feias do passado e pensar no futuro, não?

    Digo de novo, seria muito bom ver os japoneses honrarem não apenas a morte dos japoneses que perderam a vida pela explosão da bomba, mas dos outros que morreram pelas suas mãos também, asiáticos e ocidentais, dando com isso prova genuína que condenam a morte de todos, e não apenas dos japoneses.

    Por fim, quanto a esse tal código de honra dos samurais, o Bushido, parece que os militares japoneses faltaram à aula no dia em que a academia militar deles resolveu ensinar a parte do código que fala sobre justiça, compaixão, respeito e clemência pelas pessoas, principalmente os seus inimigos. Ainda dá tempo …..

  85. Ivan 7 de agosto de 2010 at 9:24 #

    Barca,

    Vc será agora nosso ‘ Samurai Rafalete ‘ ! He he he…

    Cordial Sds,
    Ivan, um ‘ Cangaceiro Gripete ‘. :)

  86. Vader 7 de agosto de 2010 at 10:30 #

    Excel disse:
    7 de agosto de 2010 às 1:44

    Excel, veja só, eu particularmente sou profundo admirador da cultura japonesa.

    Acho que o japonês é para o mundo oriental o que o alemão é para o mundo ocidental. Dois povos com uma determinação de aço, uma força de vontade incansável, uma vontade de trabalhar e produzir férrea e uma capacidade de suportar o intolerável por suas crenças, sua civilização e seu modo de vida. Não é à tôa que são o que são, mesmo após terem sido derrotados na Guerra (o alemão ainda em duas seguidas).

    E mais do que isso: acho que, como o alemão, o japonês convive hoje muito melhor com seu passado do que os que não são japoneses, quero dizer: os japoneses, tanto como os alemães, sabem que não são nem foram jamais santos. Os japoneses de hoje, como os alemães, sabem que seus antepassados cometeram atrocidades na guerra e antes dela.

    Os japoneses e alemães de hoje sabem que se seus pais e avôs tivessem metido a mão na bomba atômica (não foi por falta de tentativa), teriam feito uso dela da mesma forma que os americanos.

    A história dos japoneses, como a história dos alemães, foi por eles mesmo passada a limpo. Os japoneses e os alemães pediram perdão e foram perdoados. Mas fizeram o mais difícil: SE PERDOARAM.

    Taí o amigo Barca para atestar o que digo: como descendente, e de família da pequena nobreza ainda, ele fala com propriedade: os japoneses lutavam bravamente por seu país, não iriam se entregar ao inimigo, o Bushido (que era/é no Japão uma religião, a mais poderosa das ferramentas de guerra) considerava indigna qualquer rendição, e teriam feito a exata mesma coisa que fizeram os americanos, ou pior, se tivessem tal arma nas mãos. O Japão iria lutar até o último homem, como a Alemanha nazista lutou até quase o último suspiro.

    Quem não sabe ou não quer enxergar tais fatos? Os não-japoneses. Os não-alemães. Os não-americanos.

    Os hipócritas anti-americanos.

    Enfim, acho que as coisas com o lado “perdedor” da guerra estão resolvidas. Não acho que os japoneses tenham auto-piedade ou auto-comiseração não: eles apenas querem lembrar ao mundo (e isso é sempre bom), o quão terrível a guerra, qualquer que seja ela, é. E o quão tétricas são as armas de destruição em massa, e especificamente os artefatos nucleares.

    Acho que os idiotas esquerdopatas e pseudo-nacionalistas que apóiam a prospecção e construção de tais armas por outros países, inclusive o nosso, deveriam escutar um pouco os japoneses: deveriam se informar do quão terrível são tais engenhos de guerra. Deveriam refletir, e a data é boa para isso, profundamente, sobre qual o sentido da guerra e qual a função de uma arma. Antes de propor a besteira de que outros países construam armas nucleares, deveriam refletir sobre o que dizia Sun Tzu: “as armas são instrumentos de má-sorte”.

    As coisas com o lado “perdedor” estão resolvidas, portanto. Também com o lado “ganhador” estão resolvidas, ou alguém acha que o americano um dia vai dizer ao japonês e ao alemão “é verdade, tem razão mea culpa, mea maxima culpa, vocês foram bonzinhos e nós terríveis” e simplesmente deixar de existir? Simplesmente se matar de auto-piedade?

    O que não está resolvido é com “os outros”: os que hoje, 65 anos depois, tentam leviana e hipocritamente perverter o julgamento da história em nome de um combate feroz e insano a estes mesmos ganhadores, que, não importa o que fizeram depois, naquela guerra salvaram a civilização da barbárie, da destruição, da dor e da morte.

    Para os imbecis apressadinhos que não sabem, ou hipocritamente se recusam a saber, os EUA só tinham material físsil para três bombas atômicas: uma explodiu em Alamogordo (primeiro teste nuclear). As outras duas foram as utilizadas. Se o Japão não tivesse atendido ao ultimato-blefe de Harry Truman e aceitado sua rendição, e se os EUA não tivessem aceitado manter o Imperador Hiroíto, sofreriam uma crise de confiança sem precedentes, pois tinham feito uma ameaça que simplesmente não poderiam cumprir. O mundo desabaria, e a guerra talvez acabasse sem um vencedor, o que evidentemente seria uma catástrofe para o mundo inteiro, mas especialmente para os asiáticos.

    O ato dos EUA, as duas bombas atômicas sobre o Japão Imperial, não foi o ato de um covarde, portanto: foi o ato de um desesperado. Uma nação desesperada com a dor. Dor da perda de milhares de seus filhos, dor do sacrifício de milhões de famílias, dor do cansaço de se colocar um país inteiro para produzir bens de guerra, dor da fome de se racionar tudo em nome de uma vitória que custava mais e mais, sempre, para vir.

    Mais de meio século depois, alguém que sequer pertenceu a qualquer dos dois lados da guerra, querer sublimar tudo isso para fazer um julgamento apressado e histriônico, apenas para tentar sub-repticiamente converter o vencedor em vencido moral, e o perdedor em santo injustiçado (papel que mesmo os “perdedores” se recusam a que se-lhes apeche), é um HIPÓCRITA TOTAL.

    Saudações.

  87. gnesp 7 de agosto de 2010 at 10:35 #

    Na verdade o lancamento da bomba atomica, tanto o “little boy” como o “fat boy” foi uma demonstracao do poderio armamentista que o americano queria mostrar ao mundo, principalmente as sovieticos.
    Existem dados que essas bombas foram usados como um teste real da devastacao que pode causar.
    Ha dados na inteligencia americana onde dados dos resultados e ate grafico de devastacao medida do ponto de impacto (na verdade nao teve impacto porque estourando no ar a devastacao é maior) foram utilizados para fazer simulacao em caso de utilizacao em cidades sovieticas, como Moscow.
    Nao digo que isso é certo ou errado, mas hoje em dia é impossivel que essas coisas ocorram, o mundo está mais globalizado…crise em um país influencia o mundo todo…
    Guerra custa muito caro hoje em dia. Mas o massacre economico vai continuar e sempre continuará, mas sem guerras.
    Paises como China, Coreia, Israel, e outros paises que necessitam de recursos já estao a procura de locais ou terras em paises pobres , mostrando o seu poderio economico, para “conquistar” terras que antigamente eram feitos pelas guerras.
    Concluindo….tudo é questao economico…guerras, conquistas, etc…
    Antigamente matavam para isso e hoje em dia “matam” do mesmo jeito, mas com fome.

  88. Rodrigo 7 de agosto de 2010 at 11:02 #

    Vader disse:
    6 de agosto de 2010 às 22:02

    Do jeito que a coisa vai, vai virar e o primeiro a dançar vai ser o SSN.

  89. Excel 7 de agosto de 2010 at 11:59 #

    Vader,

    Compartilho com você a idéia de que o uso da bomba era justificável diante dos fatos da época, ou seja, foi um ato pensado e necessário para evitar um mal maior.

    Concordo com você que não se pode condenar os Estados Unidos pela escolha que fizeram diante dos fatos que hoje sabemos os motivaram a fazer o que fizeram, ou seja, não são os monstros que os anti-americanos querem fazer parecer. Uma coisa é condenar a “barbárie” no conforto de nossas poltronas e outra é tomar uma decisão dessa gravidade diante dos fatos que se avolumam diante dos seus olhos.

    Contudo de resto não consigo concordar com você. Primeiro por que acho que a bomba está ai para ficar e não será eliminado do arsenal dos países apenas pela nobreza das nossas aspirações. O ser humano é um ser feio que precisa dar vazão aos seus impulsos primitivos e neste aspecto as guerras fazem parte de nossa natureza, logo se destruirmos as bombas criaremos outras coisas piores para dar vazão aos nossos impulsos de confrontação.

    De fato não devemos usar as bombas, pois é “feio”, mas entendo que hoje em dia elas servem como um freio, uma voz na nossa consciência para nos lembrar até onde devemos ir na nossa sanha, e as consequências que veremos se passarmos deste limite, é o tal poder dissuasório da bomba, que coloca em pé de igualdade fracos e poderosos quando cada lado tem uma.

    Tem coisas para os quais não tem volta, e a bomba nuclear é uma delas, por que se acabarmos com ela outra coisa pior virá no seu lugar, e bem ou mal de certa forma ainda conseguimos controlar este mal que acabamos de criar.

    Quanto à questão de que os japoneses e alemães estão hoje felizes, pois estão felizes com o seu passado, acho isso papo pra boi dormir. Um amigo meu costumava dizer que os criminosos esquecem os seus crimes mas as suas vítimas não, e é isso que existe hoje nestes países. A Alemanha pediu perdão pelo seu passado e hoje está de lua de mel com Israel, mas e por que não o Japão???

    A Alemanha não tinha com escapar disso, afinal era a segunda vez que participavam de uma guerra mundial, e ainda sempre pelo time dos vilões, mas o Japão ter pedido perdão??? O comprometimento dos alemães com o seu passado é tanto que tem lei federal para punir quem fala besteira contra o massacre dos judeus, mas e o Japão??? Até o primeiro ministro deles ofende a memória de suas vítimas …

    O Japão é um país que valoriza demais a aparência das coisas, por isso todo esse ritualismo em tudo o que fazem, e por isso mesmo até hoje só aparentaram pedir desculpas e só aparentam que estão arrependidos do que fizeram, mas na prática nada de concreto foi feito. O Japão não pediu desculpas e também não foi perdoado, pelo menos não pelas suas vítimas, que é o que importa. Vá no Bom Retiro em São Paulo e diga para um judeu que viveu na época da grande guerra que você perdoa os alemães pelo que eles fizeram aos judeus, e veja o que eles tem a dizer sobre isso. O Brasileiro tem o problema de relativizar demais as coisas por que ainda tem uma cultura e história muito jovem.

    Para mim, quando a guerra começou, a primeira coisa que os japoneses fizeram foi ir para o banheiro e depois de fazer o número dois, pegaram o tal bushido para limpar o barro de suas nádegas. Estão felizes porque esqueceram o que fizeram no seu passado??? assim eu também ficaria …

    Um forte abraço amigo.

  90. Alexandre 7 de agosto de 2010 at 12:47 #

    Meu deus essa ato dos americanos foi covarde, matar mulheres e crianças que nada tinham a ver com a guerra.
    Para mim os americanos queriam testar a bomba e mostrar para o resto do mundo em especial os soviéticos o poderio deles.
    Agora querer justificar tais mortes com os crimes de guerra do passado tanto do japão quanto de outros países é besteira. Um ato não se justifica com outro, não é pq os japoneses fizeram no passado que os americanos tinham que fazer no futuro.
    Eu não sou anti americano, mas também não sou paga pau dos mesmos defendendo até mesmo seus crimes de guerra.
    Agora podemos ir além, podemos ir para a guerra do vietnã e verificar quantos vilarejos não foram dizimados pelas tropas americanas ou a atual guerra ao terro dos eua.

  91. A-Bomb 7 de agosto de 2010 at 14:02 #

    Alexandre disse:
    7 de agosto de 2010 às 12:47

    E quantos seres Humanos você acha que o Comunismo Soviético matou?
    Te garanto que foi 10 vezes mais que os Americanos.
    A desgraça Comunista continua matando até hoje.
    Cuba e Coreia do Norte são exemplos do “paraíso” que é um estado Comunista.

    Então amiguinho de graças a Deus que eles existem.
    Acha que Chines e Russo são “bonzinhos”?

    Se fosses os “mocinhos Comunistas” Soviéticos (ao qual nosso governo tanto admira)seria dizimada mais da metade da população japonesa.
    Russo não tem piedade.

    Sorte os Americanos terem a “bomba” porque o velho Urso Russo já estava panejando espalhar a desgraça comunista pela Europa.

  92. Marine 7 de agosto de 2010 at 15:41 #

    Documentario do History Channel sobre o plano de invasao do Japao:

    http://www.youtube.com/watch?v=aVSuUF3KaCI

    Excelente mas infelizmente a unica maneira de se ver de graca que conheco e no youtube.

    Sds!

  93. BRACOFORTE 7 de agosto de 2010 at 15:54 #

    É no mínimo imoral a hipocrisia demonstrada pela politicagem diplomática internacional, direcionada pelos países dominantes junto a ONU e, ainda, a passividade dos fiéis defensores dos direitos humanos de nunca sequer terem proposto denúncia contra o Sr. Harry Truman, 33º Presidente dos Estados Unidos da América, este apoiado pela insana direita extremista norte-americana, como CRIMINOSO DE GUERRA à Corte Internacional de Justiça em Haya.
    Os vergonhosos bombardeamentos atômicos ocorridos em HIROSHIMA e NAGASAKI autorizados por Truman, numa demonstração desproporcional de força e loucura, poderiam muito bem ser realizados em ilhas inabitadas do Pacífico, forçando a rendição incondicional do Japão.
    Portanto, amigos, Adolf Hitler nunca foi e nunca será o único bandido da História Moderna. Infelizmente, com excessão do Brasil, os vitoriosos sempre escrevem a História.

  94. Dalton 7 de agosto de 2010 at 16:37 #

    Lendo alguns dos ultimos comentários acho interessante frisar duas
    coisas:

    não eram apenas os EUA que não aceitavam a rendição condicional japonesa – se bem que o Japão tinha outras exigencias além de apenas manter o Imperador – …a União Sovietica era contraria também a rendição condicional e lembrou aos EUA que o Japão da mesma forma que a Alemanha teria que render-se INCONDICIONALMENTE a TODOS os aliados e a rendição não poderia ser tratada entre o Japão e apenas um dos aliados, leia-se Estados Unidos.

    O fato de atrocidades cometidas pelo Japão terem sido lembradas aqui não significa tentar justificar o uso da bomba, mas lembrar o que era o Japão nesta época…pois muitos desconhecem completamente o que foi o Japão nas décadas de 1920 e 1930 e sua conduta durante a guerra
    considerada a mais brutal de todos os beligerantes quanto a populações civis, prisioneiros de guerra ou até mesmo naufragos de mercantes torpedeados.

    Longe de mim fomentar ódio ao Japão, país que admiro e mesmo fiz uma modesta monografia sobre a recuperação japonesa no pós guerra, que contou com ajuda americana mas muito trabalho duro por parte dos japoneses.

    sds

  95. Alexandre 7 de agosto de 2010 at 17:00 #

    A-bomb meu caro eu dou graças a deus que mesmo em um mundo doentiu, ainda existam pessoas sensatas.
    Agora pelo que eu me lembro nenhum desses países que vc citou usou duas bombas atômias nos seus inimigos. Não que eu defenda eles, muito pelo contrário eu sou a favor da democracia. Agora vc acha que os eua foram democráticos quando eles jogaram as duas bombas no Japão???????
    Eu sou contra a qualquer crime de gerra praticado, independente do país. O que eu não aceito é que existem pessoas que tentam justificar tais meios. Com a falso pretexto que era para evitar possíveis mortes no futuro.

  96. gibbabr 7 de agosto de 2010 at 17:05 #

    Não cabe se julgar quem cometeu mais erros em momentos de guerras mas se matar civis é e sempre será um erro e uma vergonha, fui e sempre serei um soldado pronto a dar a vida por meu país mas NUNCA aceitarei o fato de um soldado tirar a vida de um civil inadvertidamente. Jogar as bombas sobre civis foi uma covardia, uma atrocidade, talvez nescessaria mas nunca aceitavel; a meu ver os usa podiam te0lo feito sob uma zona de combate onde as vitimas seriam soldados que ali estavam já dispostos a dar suas vidas uns pelos outros (p q em uim combate vc luta para se manter vivo e proteger um companheiro que está fazendo o mesmo, o resto é detalhe.) Acredito que o q foi feito foi um ato de pura crueldade, hj em dia, fico _______ao ver entrevista de quem jogou a bomba não demonstrar remorso por ter matado civis, baixas civis nunca são aceitaveis.

  97. Rodrigo Marques 7 de agosto de 2010 at 17:46 #

    Alexandre,

    Com base nas últimas invasões em Iwo Jima e outras ilhas, a estimativa “otimista” para a matança do lado japonês era de cerca de 2 milhões de habitantes ( a maioria civis) ao longo de 1 ano e de 200.00 baixas do lado americano.

    Então meu caro, você pode escolher matar 300.00 pessoas em um intervalo de 5 a 10 dias ou 2 milhões ao longo de um ano.

    Isso sem falar que as bombas foram um recado bem dissuassivo a qualquer pretensão do brutal regime de Stalin, que era praticamente tão assassino quanto o de Hitler, com a simples diferença de que o último atacou covardemente uma etnia e o primeiro simplesmente exterminou os opositores e dissidentes. A “fatura” de Stalin está na ordem de uns 10 milhões.

    Procure pelo ” Holocausto Ucraniano de 32-33″”

    Abraços

  98. Marine 7 de agosto de 2010 at 17:56 #

    A hipocrisia de alguns e tanta que o que lhes incomoda nao e o fato de que morreram 150.000 pessoas, o que lhes incomoda e a maneira que foram mortos!

    As centenas de milhares de mortos em bombardeios convencionais pelos dois lados nao atrai tanta atencao e reclamacao desse pessoal, as centenas de milhares de prisioneiros de guerra mortos em campos de concentracao principalmente pela Alemanha, URSS e Japao nao atrai tanta reclamacao desse pessoal, os milhoes de mortos em camaras de gas nao da tanta discussao hoje em dia mais. Os milhoes de civis japoneses que morreriam a bala, artilharia, baioneta, bombardeio, lanca-chamas no fogo cruzado de uma possivel invasao as ilhas japonesas nao atrai tanta reclamacao desse pessoal…

    Enfim, pode matar a rodo de forma convencional que nao tem problema, esse pessoal nao liga, ja esta acostumado…Agora matou com as perversas, maldosas bombas atomicas vira crime de guerra e moral!

    Vai ser hipocrita e fora da realidade assim la na terra do algodao doce com chantilly!

    Sds!

  99. ALDO GHISOLFI 7 de agosto de 2010 at 18:12 #

    A bomba foi lançada apenas para acelerar o fim da guerra e impedir os russos de aumentarem vantagens em relação aos aliados. Os USA sabem como usar da mídia, inclusive com o chamado “Dia da Infâmia” quando o Japão atacou ‘traiçoeiramente’ em Pearl Harbour. Pergunto o que é que os americanos esperavam, se desde há muito tempo já estavam sendo mantidos pelo governo os Tigres Voadores? Quem atacou quem primeiro? Dizer que os Tigres Voadores eram compostos por civis aventureiros é uma grande falácia, que visa manipular a verdade.

  100. Dalton 7 de agosto de 2010 at 18:38 #

    “Quem atacou quem primeiro?”

    Aldo…

    já em 1937 os japoneses afundaram a canhoneira americana USS Panay que havia inclusive resgatado cidadãos americanos de Nanking, que foi vitima de um dos piores crimes de toda a Historia…o livro é chocante não apenas pelos fatos mas pelas fotos.

    O incidente com a USS Panay que teve mortos e feridos não foi a unica vez que americanos foram mortos “sem intenção” pelos japoneses.

    abs

  101. BARCA 7 de agosto de 2010 at 18:49 #

    Marine,eu concordo com vc,não quero dizer que aprovo isso longe de mim,mas infelizmente na guerra há aquela celebre frase de Maquiavel:
    “O ser humano começa uma guerra quando quer e termina quando pode”
    Guerras tem que ser evitadas,é cruel o que aconteceu,o que eu disse é que se o Japão tivesse a bomba tb a usaria,é confortável para nós olharmos agora,anos depois,podemos dizer coisas,supor,mas naquele momento era uma guerra,uma situação complexa,na guerra apenas olhamos o nosso lado e não os outros,infelizmente é matar ou morrer,não aprovo em nada o que os E.U.A,fizeram,por mim isso é uma coisa que passou,e não tenho raiva,ódio dos amerincanos,pelo contrário acho uma grande nação,e muitos americanos nem sabem que o japão lutou contra os E.U.A,vou colocar pra vc uma declaração do maior ás japonês.

    Saburo Sakai :

    “Uma vez eu estava num fórum de discussão com o [piloto do Enola Gay] Col. Paul Tibbets nos EUA e alguém me perguntou o que eu achava sobre a Bomba Atômica. Eu falei “Se o Japão tivesse a bomba e eles me mandassem pilotar o avião que a carregava para bombardear São Francisco ou outro lugar, eu teria feito com prazer. É o trabalho do soldado. Seguir ordens e lutar pelo seu país”. Eu penso que Tibbets foi um grande herói para os EUA por voar lá apenas com dois B-29 e sem escolta de caças, isso requer coragem. Nesta época ninguém sabia nada sobre a Bomba Atômica, não havia nenhum tratado internacional contra o seu uso, como havia para armas químicas. Os EUA até mesmo jogaram panfletos alertando o povo em Hiroshima que uma nova arma estava para ser usada. Isso é apenas guerra.”

    Olha o que ele acha do Piloto:

    ”. Eu penso que Tibbets foi um grande herói para os EUA por voar lá apenas com dois B-29 e sem escolta de caças, isso requer coragem.”

    O que ele pensa sobre as bases americanas no japão:

    Essas pessoas são apenas estúpidas. Eles pensam que esses soldados poderiam atualmente começar uma guerra ou algo do tipo, embora eles seriam os primeiros a serem mortos? Eles pensam que se nos livrarmos dos exércitos, livraremos o mundo das guerras? Eles também pensam que se nos livramos dos médicos, livraremos o mundo das doenças? Por que não entendem que as forças armadas são como uma apólice de seguro em caso de emergência. Quem eles pensam que vai proteger o Japão no caso de uma invasão? O artigo nove da constituição [a parte da constituição japonesa que renuncia à guerra como um direito soberano]? Eles pensam que se colocarem copias do Artigo nove coladas em tábuas ao redor das praias do Japão, um invasor depois de ler vai se virar e voltar para casa?

    Olha o que o Japão está na calada da noite está construindo,e a constituição deles impõe certas limitações:

    ASM-3 (XASM-3) (Japan), Air-to-surface missiles – Anti-ship

    Type
    Radar-guided anti-ship missile.

    Development
    Mitsubishi Heavy Industries is developing the (X)ASM-3 high-speed anti-ship missile as a successor to Japan’s Type 93 (ASM-2). The new missile has an integrated solid propellant/ramjet motor and a range of 200 km, or more. It reportedly includes a dual-mode imaging IR and active radar terminal seeker. The missile incorporates several ‘stealthy’ features including a low radar cross-section design and the use of low-reflectivity composite materials. Japanese reports have suggested that XASM-3 development has been underway since the beginning of this decade. While no public announcement has been made to this effect, the Japan Defense Agency has continued to support technology items that would benefit the XASM-3, such as a ramjet propulsion system. The first concrete evidence of the XASM-3 programme appeared in August/September 2006 when Mitsubishi F-2 test aircraft of the TRDI were seen carrying XASM-3 test missiles. Since then flight trials with captive missile have continued.

  102. Marine 7 de agosto de 2010 at 19:07 #

    Barca,

    Voce tocou num ponto interessante! A tripulacao do Enola Gay ao partir para a missao nao tinha como saber o que a bomba faria, sabiam que era algo diferente e com certeza arrazador, mas nao tinham a menor ideia dos detalhes sobre armas nucleares que nos conhecemos hoje.

    Sds!

  103. Alexandre 7 de agosto de 2010 at 19:17 #

    Eu fico impressionado, muitos acham que somente os americanos tem o direito de tirar a vida de pessoas inocentes, pelo fato deles serem os salvadores do mundo.
    Tudo isso é bobagem , agora Marine vc acha que os americanos foram diferentes do alemães, soviéticos e japoneses depois desse ataque.
    Agora essa desculpa de matar pessoas inocentes em nome do país é uma tremenda burrice. Seja qual país for.
    Nesse tópico estamos discutindo o uso da bomba pelos americanos, que ao meu ver foi covarde. Pelo menos Pear Habor foi em cima de tropas americanas e esse foi em cima de crianças e mulheres. Agora me pergunto alguns de vcs parou para penssar quantas pessoas morrem depois sobre o feito da radiação e o tão doloroso deve ter sido.
    Agora volto a dizer independete do pais, quem mata inocentes com o pretexto para acabar com a guerra ou para matar alguma altoridade importante do inimigo é um ato covarde.

  104. Excel 7 de agosto de 2010 at 19:55 #

    Concordo com o Marine,
    Acho que podemos sair matando gente de modo convencional a rodo por ai que não vamos ofender a moral de ninguém, pelo menos não de acordo com a opinião de muitos “esclarecidos” aqui.
    Esta paranóia toda me lembra muito a comparação de mortes causados por acidente de carros e de avião. Enquanto morrem centenas de milhares de pessoas por ano de acidente de carro (ou serão milhões?) e ninguém liga para isso, quando alguns aviões caem e morrem algumas centenas de pessoas a paranóia toma conta de todos. Avião mata infinitamente menos gente do que carro, mas a comoção que ela causa nas pessoas é algo astronomicamente desproporcional …
    É como o colega Vader disse: anti-americanismo aflorando por aqui.

  105. ALDO GHISOLFI 7 de agosto de 2010 at 20:31 #

    Dalton: não justifico ninguém. Entendo o afundamento da canhoneira como um incidente da guerra que o Japão deflagrou contra a China. Não esquecer que os USA eram ‘amigos’ da China e, na fase do conflito em que estavam, me atreveria a dizer que a canhoneira estava no local errado, na hora errada, fazendo o que era certo. O que não justifica
    os Tigres Voadores, que eram combatentes ostensivos. Não defendo o Japão, pois a História está escrita e quem lê sabe o quanto de barbárie que foi feito no território chinês pelos japoneses, como os colegas já falaram. Ataco a manipulação da verdade, que é escrita pelos vencedores (vae victis!) e o uso de um artefato nuclear num momento, em que pese as argumentações, o Japão já estava vencido. Dizer que muitas vidas foram salvas é falácia e serve apenas à dialética dos vencedores que, diga-se de passagem, também eles não esperavam tamanha destruição. Na realidade, o que aconteceu foi uma estúpida e desnecessária demonstração de força, que poderia ter sido feita noutra hora e noutro lugar. Ataco a guerra e espero que nunca mais se repita o detonar de uma bomba destas sobre qualquer cidade.

  106. Dalton 7 de agosto de 2010 at 20:56 #

    Alexandre…

    Não vi ninguém aqui defender que só americanos podem tirar a vida de inocentes.

    Já que vc citou Pearl Harbor, em abril de 1942, os EUA fizeram decolar do USS Hornet 16 B-25s para atacar o Japão . Apenas alvos industriais e militares foram atacados, inclusive um pequeno porta-avioes.

    15 aeronaves após o ataque dirigiram-se a China onde fizeram pousos forçados e foram auxiliados pelos chineses . Alguns tripulantes foram
    capturados e sob tortura, foram obrigados a confessar que atacaram escolas e hospitais 3 deles sendo sentenciados a morte e outros 5 passaram o resto da guerra em condições inumanas, um não sobreviveu.

    abs

  107. Dalton 7 de agosto de 2010 at 21:04 #

    “o que aconteceu foi uma estúpida e desnecessária demonstração de força, que poderia ter sido feita noutra hora e noutro lugar. Ataco a guerra e espero que nunca mais se repita…”

    Aldo,

    também concordo que a guerra é uma estupidez, o problema aqui na sua colocação de noutra hora, noutro lugar, é que os EUA continuariam bombardeando o Japão e os sovieticos entraram na guerra em agosto pegando pesado…milhares de civis japoneses foram mortos quando eles invadiram as Ilhas Sacalinas…se o Japão resolvesse render-se
    antes de novembro e da invasão quantos não morreriam até lá?

    Nem Hiroxima sensibilizou seriamente os lideres japoneses, a entrada dos sovieticos na guerra e Nagasaki efetivamente sim!

    abs

  108. ALDO GHISOLFI 7 de agosto de 2010 at 21:24 #

    É verdade, exatamente por isso é que penso que as bombas foram detonadas apenas por causa dos soviéticos, nem tanto pelos japoneses, pelo que eles representavam ou pelas vidas que poderiam ser salvas. Por causa dos soviéticos, para forçar o rendimento do Japão antes que eles começassem a olhar para o outro lado. Para mim, esse é o ponto nevrálgico e triste de Hiroshima e Nagasaki, o que me diz que as bombas poderiam ter sido evitadas.

  109. Marine 7 de agosto de 2010 at 21:51 #

    Excel,

    Pois e, tem gente que nao adianta quantos livros, quantos documentos oficiais dos dois lados existirem, quantos pesquisadores dos dois lados que ha 65 anos estudam o assunto pra enxergarem a realidade do fato.

    Simplismente escolhem os fatos a suportar suas crencas e ideologias pessoais e jogam fora tudo aquilo que nao apoia seus achismos e se 65 anos de documentos nao vao faze-los enxergar a realidade, nao sera nos aqui que faremos.

    Afinal a roupa do rei e linda nao e?! ;-)

  110. Dalton 7 de agosto de 2010 at 21:55 #

    Aldo…

    acho que não me fiz entender…foram necessárias duas bombas atomicas e a entrada dos sovieticos na guerra para sensibilizar os
    lideres japoneses de que não valia mais a pena lutar e continuar sacrificando a população…que aliás, mesmo com a temida policia
    politica, desde o inicio da guerra na China faziam seus protestos contra os militares e contra a guerra.

    Mesmo depois de Hiroxima, Hiroito estava mais preocupado se permaneceria ou não como Imperador/Deus…não que ele fosse tão insensivel, era uma questão cultural mesmo até pela importancia que ele representava na sociedade japonesa.

    Depois de Nagasaki, o blefe americano de que ainda haviam dezenas de bombas e a entrada dos sovieticos na guerra fez com que a esperança japonesa de resistir a invasão caisse finalmente por terra.

    abs

  111. Francisco AMX 7 de agosto de 2010 at 22:59 #

    Rodrigo,

    Não sou hipócrita como vc quer pintar “amiguinho” e deixei bem claro que considero todos, não só os USA, erradíssimos nesta prática horrenda, te devolvo a pergunta, já que ousou tocar no assunto “familia”, o que não te dei a mínima deixa para tal intromissão…imagine ter sua familia… todinha… em Nagasaki no dia fatídico…
    se vc não consegue perceber a diferença de ter um familiar morto combatendo e seu filho (deste familiar), pequeno, criança, morrendo queimado por uma bomba… começo a entender a vossa pessoa…

    Isso, de certa forma, serve para Vader, Bosco, Marine, respeito vcs e gostaria de ser respeitado! no fim… acho que xiitas tem para os 2 lados mesmo… uma pena…
    considerar o bombardeio a cidades, tanto nuclear como convencional, um meio “menos” pior é algo muito deprimente!
    Caro Marine, me preocupa sim, como inocentes, principalmente crianças, morrem e pq morrem… sem uma chance sequer… transformados, pelos colegas inclusive, como números… só isso…
    Hoje vcs aceitam a OTAM/USA ou a IDF destruir um prédio, com centenas, dezenas de pessoas… para pegar um bandido? parece, pois perto de bombardeios em cidades densamente povoadas, derrubar um prédio deve ser pouca coisa… uma pena…

    Marine, outro dia estava vendo umas fotos de seus colegas, segurando, desesperados, crianças iraquianas, nos braços… se vc já viu… isso te tocou? tento se colocar no lugar daquele soldado? perguntar a ele se ele preferia passar por aquilo denovo ou invadir um prédio cehio de bandido apenas com uma pistola? já te respondendo… certamente ele escolheria a segunda opção! e você?

    Sds!

  112. Excel 8 de agosto de 2010 at 0:21 #

    Para de viajar na maionese Francisco AMX,
    Você e os outros que condenam este episódio já reconheceram que o mundo não é um conto de fadas, mas hipocritamente fazem questão de tratá-la como se fosse.
    Você já esteve numa guerra??? Viu isso de perto para poder julgá-la corretamente???
    Eu venho de um país que foi vítima das atrocidades cometidas pelos japoneses durante a guerra e o Marine é membro das forças armadas que lida com essa questão diariamente, e deve ter participado de algumas até, e te digo que numa guerra pra valer não existe esse negócio de devia ser deste jeito ou daquele jeito, só por que isso é mais bonitinho ou não.
    Se fosse tudo feito do jeito que deveria ser, então pra começar nunca deveria haver uma guerra, nem mortes, e todos deveriam amar a paz mundial e virar Hare Krishna, acorda !!!!
    A bomba foi utilizada por vários motivos, todos devidamente pesados e calculados e tal episódio insere-se num contexto complexo que você se nega a entender por ideologia.
    Não digo que todos os motivos foram corretos, mas nas circunstâncias do momento era o melhor a fazer, afinal ninguém mais agüentava mais a guerra, seja perdedor ou vencedor … numa linguagem mais simples, a caca já estava aí, que importância fazia ter mais ou menos dessa caca num momento como esse, quando o mais importante era acabar com a desgraça logo, seja para o bem de quem ganha, seja para o bem de quem perde.
    Todos concordamos que matar é errado, seja com estilingue ou com bomba nuclear, pois matar é errado de qualquer jeito, mas não vivemos num mundo em que podemos fazer as nossas escolhas baseados somente em princípios, principalmente numa guerra onde a tua vida está em jogo. O próprio Barca reconheceu que se o Japão tivesse fabricado a bomba primeiro teria utilizado contra os norte-americanos sem piedade.
    Meu pára de beber o que você bebe e vai dar uma volta por aí e ver as coisas como elas são, e depois que você entender que as coisas não são tão bonitas como você pensa bem vindo à realidade !!!

  113. BARCA 8 de agosto de 2010 at 0:59 #

    Excel discordo de vc,o japão nunca se fez de coitado ou chorou,a coisa é bem simples,os padrões de guerra no oriente são assimselvagem,tanto dos chineses,coreanos,japoneses,basta vc ver as guerras no periodo dos reinos na china,um general chines tendendo 50mil prisoneiros ordenou a deloga de todos,os mongois,talvez os menos selvagens sejam os coreanos,nas o japão nunca se fez de coitadinho,cito isso porque conheço de causa,afinal de contas era uma guerra,e infelizmente é só barbaridade,o brasil mesmo fez um genocidio no paraguai,algo que envergonha a nossa história,discordo de vc nesse ponto,nunca se fizeram de coitadinho,faz parte da cultura deles,nunca demonstrar fraquesa,ou reclamar,falo a cultura deles por ser brasileiro,apesar de ser filho de um japonês.
    Vou te dar outro exemplo,durante a revolução socialista na china o exercito de MAO deixou uma cidade com mais de 200 mil pessoas morrerem de fome,homens,mulheres e crianças,eles não permitiram,nem as crianças e mulheres sairem,para tomar a cidade que tinha o exercito nacionalista,o proprio Mao negociou com os japoneses,fazendo jogo duplo,para não atacar o exercito vermelho e depois traiu esse acordo,numa guerra infelizmente não há moral,humanidade.

  114. Francisco AMX 8 de agosto de 2010 at 1:06 #

    Excel, tu me conhece? então carinha vá se tratar!

    não sou imbecil, não preciso “ir a guerra” para discernir sobre o que é ruim e o que é horrendo! já vc parece não ter nenhuma noção!

    Só 2 coisinhas, não entra de sola, pq minha canela é de aço entendeu?
    De onde tu tirou que sou levado por alguma ideologia? me mostre um post meu que leve a crer qualquer coisa desta natureza!
    no meu post acime escrevi e generalizei, não só sobre os USA meu caro, mas citei outros paises, estou farto de dizer que se é ruim com os USA, pior sem eles! se eu pudesse estaria vivendo nos USA, admiro aquele povo e sua real democracia. então carinha, não venha querer “mostrar” seu mundo real para mim! pois, como pode ser real se quem observa, no caso, vc, não tem a mínima noção do que fala!???

    boa noite!

  115. ALDO GHISOLFI 8 de agosto de 2010 at 9:29 #

    Salve Marcel: os colega estão esquentando o debate… é bem verdade tudo o que dissestes. O problema é que resta muito difícil analisar a questão histórica de ontem, sob a ótica de hoje. A geopolítica da época era outra, a filosofia era outra, as estratégias eram outras e, realmente o Hiroito – me perdoem seus descendentes!- qual Maria Antonieta com seus brioches, estava alienado querendo saber se continuaria sendo o Deus Imperador. Hoje, só resta lastimar e tirar partido do que se passou, pois a História se repete. Falo apenas que a decisão poderia ter sido outra, não fossem os russos. Acho que,tu e eu, apenas nos colocamos cronologicamente um pouco atrás um do outro, pois levantastes um dos pontos vitais da questão: o ‘cachorrão’ americano de que possuíam outras muitas bombas. Não fosse isso, os russos continuariam os seus avanços e vitórias pois, apesar de cansados, estavam eufóricos com a destruição da Alemanha. Um outro ponto, sem justificar os japoneses, é o que os alemães fizeram com a população e os soldados russos. Falei antes dos massacres que os japoneses infligiram nos chineses, mas e os alemães? E depois, os russos? Isso, apenas durante a ‘WWII’. Temos casos de genocídio já muitíssimo antes, durante a colonização inglesa da Nova Zelândia, da Austrália, na África. O que nos coloca na conclusão de que a natureza humana é a mesma, independentemente do tempo e do espaço. “Lupus est homo homini non homo”, estaria certo Plauto? E depois Hobbes? Daí a bomba atômica sobre H&N. Grande abraço.

  116. Ulisses 8 de agosto de 2010 at 18:27 #

    Caro Alexandre Galant! O EUA não começou a 2º Guerra Mundial, mas por causa dos seus interesses imperialistas na Ásia e com medo de a Rússia quando empurrasse a Alemanha de volta não parasse em Berlim, mas sim no canal da Mancha, tornando toda a Europa Ocidental comunista, forçou através de bloqueio econômico que o Japão o ataca-se, belo motivo para estimular a população americana a envolver-se na guerra. Ou você nunca leu sobre o movimento imperialista americano nas Filipinas, China e outras ilhas do pacífico? Por causa disto, o governo americano deixou o Japão atacar Pearl Habour e matar quase 5000 pessoas, mesmo sabendo que a esquadra japonesa tinha saído dos portos no Japão e radares no Havaí em tivessem descoberto a frota aérea aproximando do porto de Honolulu.

  117. Bosco 8 de agosto de 2010 at 21:20 #

    Ulisses,
    Engraçado que você chama os americanos de “imperialistas” por terem pretensões na Ásia, mas não usou nenhum adjetivo para os soviéticos que como você mesmo disse tinha intenção de não parar em Berlin e sim chegar ao Canal da Mancha e dominar toda a Europa.
    Se os americanos merecem ser chamados de imperialistas por terem pretensões na Ásia, qual o adjetivo pertinente a quem queria dominar toda a Europa?

  118. GUPPY 9 de agosto de 2010 at 13:14 #

    A verdade é que quem possuísse a bomba, ou qualquer outra arma mais terrível, a usaria. Por motivos vários, justos ou não. Ou vocês acham que se os alemães tivessem bombas atômicas teriam vacilado em destruir Londres? No caso americano, ainda tinha o fator União Soviética. A Cortina de Ferro poderia ter sido estendida muito mais à Oeste.
    Abraços

  119. Ulisses 9 de agosto de 2010 at 19:55 #

    Caro Bosco! Mas quem disse que eu considero os russos menos imperialistas que os americanos. Apenas citei um fato, os EUA sabiam e queriam que os japoneses atacassem de surpresa para poder criar um fato que deixassem os americanos indignados e entrassem na guerra. E o motivo do Roosevelt querer entrar em guerra era justamente evitar que a Rússia virasse os imperialistas na Europa. Mas a grande diferença é que os EUA planejaram isto e deixou seus cidadãos morressem em Pearl Habour! Os Russos iam apenas aproveitar a oportunidade, não tinha sido planejado nem queriam, entrar em guerra contra a Alemanha! Basta ver os resultados de da invasão a Finlândia em 1939, um massacre para o exercito russo!

  120. Vader 10 de agosto de 2010 at 13:39 #

    Quanta m…. deus do céu, às vezes dá até “vergonha alheia” de ler tais porcarias… mais um pouco e tem tonto que irá dizer que o Almirante Yamamoto era um agente da CIA…

    O antiamericanismo é o refúgio do idiota mesmo…

  121. Ulisses 12 de agosto de 2010 at 21:30 #

    Vader, vai assistir _______________

    EDITADO POR ATACAR OUTRO PARTICIPANTE

  122. Ulisses 13 de agosto de 2010 at 19:29 #

    Verdairo site de direita! O guri que sonha ainda com guerra nas estrelas fala bobagem e fica publicado. Contesto afirmando dados históricos e é censurado! Leiam e não fiquem apenas no cinema! Cinema é bom para divertir, mas história se vê em livros!

    NOTA DOS EDITORES:

    ULISSES, VOCÊ NÃO FOI ATACADO PELO BLOG, ENTÃO NÃO O ATAQUE, INSINUANDO SER UM “SITE DE DIREITA”, OU “DE ESQUERDA”, OU “DE CENTRO”, OU DO QUE SUA CABEÇA VIER A IMAGINAR.

    E, FALANDO NO ASSUNTO DE ATACAR, SEU COMENTÁRIO NÃO FOI EDITADO POR CONTER “FATOS HISTÓRICOS” OU POR QUALQUER IDEIA QUE O MESMO CONTINHA.

    FOI EDITADO PORQUE VOCÊ FALTOU COM EDUCAÇÃO, ATACANDO OUTRO LEITOR.

    QUALQUER DÚVIDA, LEIA AS REGRAS DO BLOG ANTES DE COMENTAR.

    VOCÊ JÁ TEVE A ATENÇÃO CHAMADA OUTRAS TRÊS VEZES POR CONDUTA NÃO APROPRIADA ÀS REGRAS (POR FAZER ATAQUE A OUTROS LEITORES E PROPAGANDA POLÍTICA) E ESTA É A ÚLTIMA VEZ.

    DA PRÓXIMA, SEUS COMENTÁRIOS SERÃO BLOQUEADOS.

  123. Ulisses 13 de agosto de 2010 at 21:20 #

    ___________________

    EDITADO

    COMENTARISTA BANIDO

  124. CRIS 13 de março de 2011 at 10:37 #

    lendo os comentarios , percebo que algumas pessoas creem que pra compensar um confronto em terra , a melhor opçao; teria sido uma bomba atomica . sera que nao nao havia outra soluçao (mais humana mais ponderada)?

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Rafale para o Qatar: Dassault prefere não comentar notícia sobre venda iminente

Segundo reportagem publicada pela Reuters nesta segunda-feira, 24 de novembro, a empresa francesa Dassault Aviation prefere não comentar sobre uma […]

Com desdobramento de Mirage na Jordânia, principal papel do Rafale contra o EI será de reconhecimento

Caças Rafale ainda poderão bombardear alvos, porém de forma suplementar a seis jatos Mirage 2000D, que passarão a ser o […]

95, 102 e 116 milhões de dólares: aproveite que os preços do F-35 estão despencando…

…afinal, sem motor a tendência de um avião é cair mesmo! – Brincadeiras à parte com o fato do valor dos motores do […]

Brasil espera uma proposta da Suécia para empréstimo de caças Gripen para uso da FAB

Suécia teria oferecido ao Brasil empréstimo ou aluguel de caças suecos enquanto os comprados não chegam; entregas só começam em […]

Rio pode ser a primeira cidade a receber o A380

O Galeão pode ser o primeiro aeroporto da América do Sul a receber o Airbus A380-800 e o Boeing 747-8, […]

Compre sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]