Home Aviação de Patrulha Força Aérea Brasileira moderniza aeronaves modelo Bandeirante

Força Aérea Brasileira moderniza aeronaves modelo Bandeirante

378
15

No início do mês de agosto, a primeira aeronave C-95M da Força Aérea Brasileira (FAB) vai alçar voo e alcançar horizontes de natureza bastante significativa. Esses aviões modelo Bandeirante, um dos principais da Força, datam de 1973 e estão passando por um processo de modernização e terão sua história reescrita: foram modernizados com alta tecnologia e estão em contagem regressiva para, novamente, entrar em plena atividade.

Ao todo, até 2013, 54 aeronaves Bandeirantes – das 95 que o Brasil possui nas versões C-95 A/B/C e P-95 A/B – terão o mesmo conceito de modernização. O projeto é coordenado no Rio de Janeiro, pelo Comando- Geral de Apoio (COMGAP), por intermédio de uma de suas unidades subordinadas, o Parque de Material Aeronáutico dos Afonsos (PAMA-AF). Dois aviões, inicialmente, passarão por uma fase de testes, para, no mês de outubro e novembro, respectivamente, serem distribuídos para as Unidades Aéreas.

Mas essas duas decolagens guardam significados que não podem ser lidos ao pé da letra: simbolizam a renovação tecnológica da FAB e acende a luz da economia no desenvolvimento de projetos de forte impacto para o Brasil. “Fizemos um estudo e chegamos à conclusão de que o custo da modernização é bem menor do que o da substituição”, garante o Major Paulo César Guerreiro Lima, coordenador do projeto.

Nova configuração

As aeronaves serão modernizadas em três fases. Na primeira, os instrumentos de navegação são ‘encorpados’ e ganham o reforço de um painel Glass Cockpit – aquele painel robusto que mostra a vida do avião –, totalmente convertido em tela LCD. Na segunda etapa, sistemas importantes, como de mecânica e hidráulica, são convertidos em outros mais confiáveis e avançados.

A última fase completa o ciclo de revitalização e dá o toque final com pintura, forração interna e outras ações dessa mesma linha. Empresas nacionais do campo da aviação fazem as duas primeiras etapas, enquanto a própria FAB, através do PAMA-AF é responsável pela terceira. Depois de todo esse processo, as aeronaves estarão prontas para novamente servir ao seu propósito – que inclui patrulha marítima,assalto aeroterrestre, busca e resgate, transporte de pessoal e cargas e outros – por mais vinte anos.

De acordo com o Major Guerreiro, quatro aviões experimentam essa modernização e voltam aos céus ainda neste ano. “Essa é nossa expectativa. Projetamos trabalhar em mais sete aeronaves simultaneamente ”, planeja o Major. A devolução das aeronaves modernizadas será realizada em sistema de rodízio entre as unidades da FAB que possuem esse avião em sua frota.

Tripulações operacionais

Do alto das muitas habilidades e sabedorias arregimentadas ao longo de anos de voo nos Bandeirantes, pilotos também ganham atenção nesse processo de modernidade. Vão fazer curso de readaptação às novas máquinas, imprimindo ainda mais qualidade aos trabalhos comandados pela FAB, já que estarão em contato com o que há de mais moderno em equipamentos de navegação e comunicação na aviação.

FONTE / FOTOS: FAB – COMGAP

VEJA TAMBÉM:

15
Deixe um comentário

avatar
15 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
12 Comment authors
Broa Fly-In: um Bandeirante modernizado | Poder Aéreo - Informação e Discussão sobre Aviação Militar e CivilGutoLeandroantonioBruno Oliver Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Elenilson
Visitante
Elenilson

Depois do B-52, o avião militar com maior tempo de uso serão esses bandeirulhas…
não vejo nada de positivo nessa notícia…

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

@Elenilson Se eu fosse você refazia essa conta, pois dentro da FAB mesmo tem células com mais anos e horas de vôo que os Bandeirante/bandeirulhas. As forças armadas são pragmáticas com relação aos equipamentos que usam. Enquanto a vida útil e necessidade deles na linha de vôo, eles continuarão operando. Eles não jogam fora um equipamento só porque ele tem décadas de uso. Nenhuma fora faz isso. A força aérea mais rica do mundo, a USAF, opera B-52, T-38, KC-135 e algumas outras aeronaves com mais de 40 anos de entrada de serviço. Desses, só os KC-135 serão substituidos a… Read more »

Marcelo Tadeu
Visitante
Marcelo Tadeu

é isso ai Clésio!!

Elenilson
Visitante
Elenilson

Clésio e “P-S” Marcelo,

O bandeirante/banderulha é um projeto inacabado…é o que deu pra fazer na época…nao dá pra comparar/colocar no mesmo patamar B-52 com esses bandeiras…nao dá…

Robson
Visitante
Robson

Nunca na historia desse país, se modernizou tantas aeronaves.

PS. acho que vou modernizar meu corsa sai mais barato que comprar outro, desculpa só pra descontrair.

marujo
Visitante
marujo

Baixou o bom senso: melhor e mais barato modernizar o Bandeirantes (avição símbolo da indústria aeronáutica brasileira) do que embarcar em aventuras nada republicanas como adquirir o Casa 212 – uma plataforma tecnológica tão antiga quanto a nacional. Parabéns à FAB.

Gohan
Visitante
Gohan

Concordo com Clésio. E lembrem-se, o mais importante de uma aeronave é a aviônica, ou seja, se as celulas estão intactas, isso é um otimo negocio pois teremos aparelhos de ultima geração!!

Fabio Mayer
Visitante
Fabio Mayer

O Marujo levantou algo importante: As opções para substituir o Bandeirante eram o Let e o Casa 212, aeronaves de desenho quase tão antigo, a um custo bem maior que o dessa modernização. É certo que seriam aeronaves novas, com todas as vantagens disto, mas o único diferencial operacional delas com o Bandeirante é a porta traseira larga para o compartimento de carga, que se não fez falta até hoje, pode esperar um pouco mais. Com essas aeronaves modernizadas, é possível projetar seu substituto, Quem sabe a Neiva/Embraer projete um avião dessa classe a partir do conhecimento já existente e… Read more »

Fabio Mayer
Visitante
Fabio Mayer

Aguardemos também a modernização dos tucanos.

Que teriam funçao de treinamento básico, embora eu pense que se deve configurá-los com AT. Isso porqe a FAB queria 130 unidades de Super Tucanos, mas só conseguiu 99. Tendo a reserva dos AT-27 devidamente modernizadas, teria aeronaves numa espécie de reserva tecnica.

skywalker
Visitante
skywalker

Amigos:

Modernizar equipamentos é algo comum nas forças aéreas de todos os países, não só dos “sem caças” como o nosso… Remontando o projeto do Bandeirante, ele foi feito para ser robusto, para situações de uso com falta de estrutura, em ambientes inóspitos… Sendo assim, pode nos servir por muitos anos e ajudar a poupar recursos preciosos.

Bruno Oliver
Visitante
Bruno Oliver

E os motores? Não vão mudar?

antonio
Visitante
antonio

É uma pena que eles não serão remotorizados …

E quanto aos radares e sistemas especiais dos Bandeirulha? Sofrerão algum upgrade?

Leandro
Visitante
Leandro

Bandeirulha é o naval né? O que será que farão neles? Eles não seriam substituidos pelo P-3????
Quanto ao Bandeirantes por que não modernizar todas as aeronaves em uso?

Guto
Visitante
Guto

@Leandro

Talvez nem todas as células valeriam a pena modernizar devido ao estado das mesmas.

trackback

[…] Força Aérea Brasileira moderniza aeronaves modelo Bandeirante […]