Home Noticiário Internacional Combates aéreos sobre as Malvinas (1)

Combates aéreos sobre as Malvinas (1)

1637
86

Mais do que mísseis para derrubar um C-130

harrier_abatendo_C-130

vinheta-exclusivoNo dia 1º de junho de 1982 um C-130 Hercules da Força Aérea Argentina (FAA) matrícula TC-63 e indicativo “Tiza”, decolou do aeródromo de Comodoro Rivadavia para executar uma missão de exploração e reconhecimento na região noroeste das ilhas Flklands/Malvinas. A bordo estavam sete tripulantes. As Forças Armadas argentinas necessitavam de uma atualização da posição das unidades navais britânicas e existiam fortes indicativos de que naquela localidade seriam encontrados navios da Força-Tarefa.

O Hercules decolou às 6:30h, mas retornou pouco tempo depois por falhas técnicas. Após os reparos emergenciais, uma nova decolagem ocorreu às 8:53h. O ponto inicial da missão foi atingido às 10:15h e, a partir deste ponto a aeronave argentina passou a executar um padrão de voo típico de busca e esclarecimento.

C-130-rota

Já se aproximava das duas horas de voo quando a aeronave argentina foi rastreada pelo radar de busca aérea da fragata HMS Minerva (classe Leander) cerca de 50 milhas ao norte da Ilha Pebble/Isla Borbón. Imediatamente a fragata vetorou dois Sea Harrier da Royal Navy que realizavam CAP nas proximidades para interceptar o Hercules.

Os dois Sea Harrier pertenciam ao esquadrão No.801, então baseados no HMS invencible, sendo que o líder era o Capitão-de-Corveta Nigel “Sharkey” Ward (pilotando o XZ451) e na sua ala estava o Capitão-Tenente Steve Thomas. Cada Sea Harrier estava armado com dois mísseis AIM-9L Sidewider nos cabides externos das asas e dois canhões ADEN de 30 mm em pods sob a fuselagem. Os cabides internos eram ocupados por tanques de combustível.

Nigel_WardWard iniciou o ataque aproximando-se da cauda do C-130 sem alertá-lo. Disparou o primeiro Sidewider, que não atingiu o alvo. O segundo míssil foi disparado em seguida, detonando entre os dois motores da asa direita do Hercules. Os dois mísseis haviam sido disparados, mas o Hercules continuava voando. Ward não teve alternativa, e começou a disparar os seus canhões. Depois de 240 tiros (de um total máximo de 300) a asa do Hercules foi arrancada e a aeronave mergulhou em direção ao oceano. Segundo informações da FAA, neste momento o piloto argentino enviou a seguinte mensagem:

…volando a 10.000 pies (nivel de vuelo 100) tal cual lo ordenado, el IFF se enciende por 10′- 7′- 6′, se mantiene encendido… ¡Estamos en emergencia! …

Não houve mais informações sobre os sete tripulantes que estavam a bordo. Faleceram neste episódio os seguintes militares argentinos:

  • Vicecomodoro Hugo César Meisner
  • Capitán Rubén Héctor Martel
  • Capitán Carlos Eduardo Krause
  • Suboficial Principal Julio Jesús Lastra
  • Suboficial Auxiliar Manuel Alberto Albelos
  • Cabo Principal Miguel Angel Cardone
  • Cabo Principal Carlos Domingo Cantezano
Subscribe
Notify of
guest
86 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sirkis
Sirkis
10 anos atrás

Saudações!

Que sacrilégio! Eles usaram o canhão! risos

Boa Tarde!

Tito
Tito
10 anos atrás

Como são antiquados esses Iglaterenences, depois dessa até a Rainha deve ter ficado com vergonha e dito:

-Usaram canhões???
-Cortem-lhes as cabeças.

Pois é, né. 🙂

Barca
Barca
10 anos atrás

Senhor Sirkis,não entendi o motivo do seu riso,e do sacrilegio,se for ula forma de ironizar o combate entre os Argentinos e Ingleses,aconselho o senhor a ler um pouco mais sobre a Guerra das Malvinas,Se a junta Militar tivesse tomados os preparativos de uma forma racional talvez tivessemos a repetição de uma nova Batalha de Tsushima,no qual o famoso mito de superiodade dos paises ditos desenvolvidos cai por mar. Vc não sabe mas a argentina fez um ataque fantastico quase no final da guerra para matar o comandante britanico,ele escapou pr algunis minutos,os argentinos deram tb um show no quesito de… Read more »

Vinicius Kober
10 anos atrás

Nessas horas o piloto de transporte deve sentir falta do armamento defensivo…

André Oliveira
André Oliveira
10 anos atrás

Não tem nada de engraçado na perda de sete chefes de família despachados para a morte quase certa numa das guerras mais irresponsáveis já promovidas por um governo covarde como a assassina ditadura do alcoólatra Leopoldo Gualtieri..A inglaterra, despreparada, distante milhares de qilometros de qualquer apoio, levou dois meses para liquidar um inimigo que estava 300 km de seu litoral e não foi capaz de sequer instalar uma base para aviões mais modernos na própria ilha deixando-a apenas com aviões leves pucará, inofensivos para os Harrier.. Bravo para a coragem dos militares argentinos, que, contra a incompetência do próprio governo,… Read more »

grifo
grifo
10 anos atrás

Senhor Sirkis,não entendi o motivo do seu riso,e do sacrilegio,se for ula forma de ironizar o combate entre os Argentinos e Ingleses

Nada disso, foi uma forma de ironizar alguns aqui que acham que o canhão em um avião de caça não serve para nada…

ditongo
ditongo
10 anos atrás

Faltou uma daquelas torretas dos bombardeios da 2 Guerra mundial instalada no Hércules (quero dizer algo adaptado daquele tipo e função)

Daniel
Daniel
10 anos atrás

Muito bom assunto! … No livro La batalla Area de Nuestras Islas Malvinas de Pio Matassi, é relatado que o impacto do sidewinder foi na asa esquerda … também relata que o piloto britanico foi para a reserva logo após o conflito, devido ao ato de não cavalheirismo ao finalizar o hercules com fogo de canhões, no qual, segundo o autor, o hercules estava ferido mortalmente e não iria muito longe. Existe relato de outros C-130 perdidos em combate??
Boa Tarde!

Barca
Barca
10 anos atrás

Perdas da Task Force Britânica Aeronaves: * 7 BAC Seja Harrier FRS.1 * 4 BAC Harrier GR.3 * 3 Boeing CH-47 Chinook HC-1 * 5 Westland Seja King HC-4/TENS * 9 Westland Wessex TENS-3/HU-5 * 3 Westland Lynx TENS-2 * 1 Westland Scout AH-1 * 3 Aerospatiale 342 Gazelle AH-1 Capacete do Sir Tristam abandonado em Fitz Roy Navios afundados ou destruídos: * Destruidor tipo 42 classe Sheffield (D-80) HMS Sheffield (Afundado pelo Comando de Aviação Naval segundo relatórios oficiais) * Destruidor tipo 42 classe Sheffield (D-118) HMS Coventry * Fragata tipo 21 classe Amazon (F-184) HMS Ardent * Fragata… Read more »

SO
SO
10 anos atrás

Mais uma historia que poucos sabiam

Ha muito entre argentinicos e inglaterrenses que a van filosofia entusiastica pode imaginar

O Tiza – TC-63 entrou para a imortalidaded aeronaval, que sua guarnição hoje esteja voando em céus tranquilos, tendo como ala Dios

Saludos
SO

Ivan
10 anos atrás

Vinicius Kober, Os russos tinham o costume de colocar um canhão duplo de 23mm na cauda dos seus aviões de tranporte tático. Eu achava isso um absurdo, uma perda de carga útil, enfim, um anacronismo. Bem, eu achava! Depois desta fico pensando se não devo rever meus conceitos e respeitar mais uma ‘boca de fogo’ defensiva. Em tempo, muitos tentaram e outros tantos tentarão retirar os canhões dos caças em face da superioridade dos mísseis. Mas todo dia encontro mais um exemplo do uso dos velhos e práticos canhões automáticos e/ou metralhadoras. Sei que o Bosco vai me crucificar, mas… Read more »

Barca
Barca
10 anos atrás

Peço desculpas se foi a sua intenção ironizar os que acham o canhão inutil,apoio vc,tem que ser meio bobo para achar que o canhão é inutul,deve ser a mesma tribo que diz que os teco tecos de traficatens tem que ser abatidos por míssil,sendo que o preço do míssil é bem mais caro que as balas…rsrs

Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

Pessoal

O inglês deveria ter utilizado o canhão desde o início. O custo de um míssel é muito maior que a munição. Fora que o míssil poderia ser muito necessário em um futuro combate contra caças. É quase um crime abater um C 130, mas é a guerra. Não tem jeito mas este C 130 era um alvo militar relevante.

Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

Tudo bem que os mísseis não funcionaram mas contra o C 130 deveriam ter sido a última opção e não a primeira. Mas é um fato triste esse abate.

Galileu
Galileu
10 anos atrás

nossa esse Hércules deu trabalho heim, se tivesse um canhão na cauda tipo os bombardeiros russos……..derrubava o Harrier.

robert
robert
10 anos atrás

Agora eu vejo aquele post sobre o Club-k e vejo que se a Argentina tiver uns 5 conteiners daqueles já ficaria muito difícil a Inglaterra recuperar as Malvinas caso eles queiram invadir.

Roberto
Roberto
10 anos atrás

E olha que eram dois Aden de 30mm.

Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

O CC Niguel era o comandante do esquadrão. Talvez aí a dificuldade do abate??? Sabe como é, o tempo passa o braço fica duro, mais tempo na escrivaninha que na cabine, voando menos que os outros.

Sirkis
Sirkis
10 anos atrás

Saudações Barca! Peço ao nobre amigo muita cautela no seu julgamento. Minha ironia recai sobre a inútil alegação de que canhão é ultrapassado e hoje não tem mais serventia. Também sugiro ao nobre amigo que se desarme dessa tensão. Eu sei sim sobre a Guerra das Malvinas e não há a necessidade do nobre amigo me pedir para ler sobre as Malvinas. Se você for de São Paulo, o convido a vir conhecer a minha biblioteca particular e ver os livros que tenho aqui sobre a guerra. São 2 estantes só sobre as Malvinas. Quase todos lidos, com exceção de… Read more »

Sirkis
Sirkis
10 anos atrás

“-Usaram canhões???
-Cortem-lhes as cabeças. ”

Essa foi ótima!

Boa Tarde

Sirkis
Sirkis
10 anos atrás

Saudações!

Turma vejam essa foto:
comment image

Um mig-21 abatendo um Atlantique paquistanês. Séi que é fora da notícia mas tem haver ao fato de que vai depender da doutrina de emprego a forma de se abater um alvo.

Boa Tarde!

Roberto
Roberto
10 anos atrás

Sirkis,
Você tem quantos livros de aviação?

Deivid
Deivid
10 anos atrás

C-130 é osso duro de roer,quem diria kk

Tito
Tito
10 anos atrás

Eu acho até estranho a atitude do piloto do Harrier, usar os mísseis de inicio, as versões do AIM-9 dessa época tinham dificuldade de travar em aviões que não não fossem a jato.

Marcelo
Marcelo
10 anos atrás

Barca, acho que os argentinos não sabiam que estavam atacando o alto comando inglês, eles atacaram as tropas inglesas e o alto comando estivera ali um pouco antes pois fora inspecionar o avançço das tropas, não era seu QG. Posso estar errado mas acho que foi isso. Quanto ao uso dos mísseis, acredito que possa ter sido uma tentativa de elminar logo o alvo, uma vez que ele havia curvado para as Malvinas e logo entraria na área de atuação da defesa antiaérea argentina. Mas estranho para mim foi o Ward não “liberar” o ataque do Thomas, que ainda tinha… Read more »

Marcelo
Marcelo
10 anos atrás

Sim, a hélice é mais dificil, pois gera menos calor…Tanto que o primeiro errou e o segundo não conseguiu um impacto direto no motor, tendo explodido pela expoleta de prossimidade.

Caipira
Caipira
10 anos atrás

Não sabia que a Inglaterra tinha perdido 10 harrier nas Malvinas, essa fonte é correta?Alguém tem mais detalhes?

ALLISON ZILLER
10 anos atrás

Boas amigos, infelizmente a missão do C-130 já estava condenada ao sair para uma missão que não lhe cabia. Os argentinos fizeram a coisa que meio aquele ditado: “quem não tem cão, caça com gato”. No caso deste infeliz acontecimento, colocar um avião desprovido de qualquer sistema tático de autodefesa e sem recursos adequados para dar o alerta esperado foi comprovadamente desespero todal dos argentinos uma vez que guerra é guerra e quanto maior o alvo mais fácil de se ver… Sacrificaram 7 importantes vidas a troco de uma possível informação de uma maneira estúpida assim como foi toda a… Read more »

Caipira
Caipira
10 anos atrás

“…também relata que o piloto britanico foi para a reserva logo após o conflito, devido ao ato de não cavalheirismo ao finalizar o hercules com fogo de canhões…”

Essa eu acho dificil de acreditar…

ALLISON ZILLER
10 anos atrás

e toda aeronave de transporte em missão de transporte em uma guerra, já é por si só um risco altíssimo, atribuir mais uma tarefa à sua tripulação é um abuso e um desespero.

Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

“Caipira disse:
28 de abril de 2010 às 16:20
Não sabia que a Inglaterra tinha perdido 10 harrier nas Malvinas, essa fonte é correta?Alguém tem mais detalhes?”

Um Sea Harrier caiu do porta-aviões, dois colidiram em vôo, um Harrier entrou voando num morro. Os abatidos foram por AAA. Nenhum por caças argentinos.

Joaca
Joaca
10 anos atrás

Senhores
No livro sobre o conflito das Malvinas – editado em 1990, afirma-se que o vice-comodoro tomou a decisão de procurar a força tarefa inglesa do alto. Ele arriscou e foi pego, mas se tivesse localizado a FT inglesa, já poderia alterar os pacotes de ataque para esta.
Senhores, guerras são feitas de oportunidades e sorte, o TC-63 foi vítima, mas poderia ter sido o nemesis da FT inglesa.
Os argentinos, com um pouco mais de sorte e espoletas melhores, poderiam ter mudado a guerra, mas a sorte era inglesa nestes dias…
At
Joaca

Joaca
Joaca
10 anos atrás

Senhores
Um SHar pode ter sido abatido por um Dagger, contudo, o piloto abvatido morreu e não houve confirmação. Há muito ainda a se discutir sobre esta guerra, talvez em 25 anos, quando os registros ingleses tornarem-se públicos, saberemos .
At
Joaca

GSV
GSV
10 anos atrás

Que covardia!!!

Como já mencionado pelo amigo (Marcelo) o C-130 era apenas mais um alvo. Mas despejar quase a carga completa em um alvo que não oferecia resistência não é atitude de um Gentleman.

A “pelea” foi mais intensa nos mares… já li algumas transcrições de bordo muito interessantes.

Marcelo
Marcelo
10 anos atrás

As perdas de HArrier / Sea Harrier

Sea Harrier
derrubado pela defesa aérea
XZ450 –04.05.82
XZ456 – 01.06.82
acidentes
XZ452 e XZ453 – colidiram no ar em 06.05.82
ZA192 – explodiu após a decolagem em 23.05.82
ZA174 – escorregou para fora do Porta Aviões HMS Invencible em 29.05.82

JOACA será o ZA192 que vc esta mencionando??

Harrier
derrubado pela defesa aérea
ZX972 em 21.05.82
XZ988 em 27.05.82
XZ 963 em 30.05.82

Acidente
XZ989 em 08.06.82

abçs
MM

Marcelo
Marcelo
10 anos atrás

Todas as perdas: Thursday 22nd April [b1, b2] – Two Wessex HU.5’s of C Flt, No.845 NAS, RFA Tidespring crashed on Fortuna Glacier, South Georgia in bad weather. All crew rescued. Friday 23rd April [b3] – Sea King HC.4 of No.846 NAS embarked on HMS Hermes crashed into the Atlantic at night in bad weather south west of Ascension (8.15 pm). Pilot rescued but PO Aircrewman Casey lost. Tuesday 4th May [b4] – Sea Harrier of No.800 NAS, HMS Hermes shot down over Goose Green by radar-controlled, 35mm Oerlikon fire (1.10 pm). Lt Taylor RN killed. Thursday 6th May [b5,… Read more »

MHenrique
MHenrique
10 anos atrás

Pobre tripulação do C-130… era praticamente uma missão suicida!!!!

Roberto
Roberto
10 anos atrás

Difícil ver um piloto de casa com barba.
Royal Navy, scandinavos e árabes, acho que só.

Roberto
Roberto
10 anos atrás

Digo caça.
Sorry!

Vader
Vader
10 anos atrás

SO disse: 28 de abril de 2010 às 15:14 “Ha muito entre argentinicos e inglaterrenses que a van filosofia entusiastica pode imaginar” É meu caro, o dia em que se contar na grande mídia que os gurkhas castravam em massa, a golpes de cimitarra, os coitados dos prisioneiros argentinos, muita gente vai ficar muito louca da vida… E o pior é o que os argentinos com suas “invenções de Tucumã” não ficavam muito atrás na brutalidade com os pdg´s argentinos… Quem já ficou cinco minutos num “poste argentino” pode imaginar do que se trata… Essa guerra ainda tem muita coisa… Read more »

Roberto
Roberto
10 anos atrás

Para os que falam de cavalheirismo na guerra,
Vocês queriam o quê?
Que o piloto voasse na ala e disesse:
Olá senhores, posso abate-los?

Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

O CC Nigel Ward voou recentemente de Sea Harrier. Sentado na nacele trazeira o voo foi conduzido pelo seu filho que se qualificou também nessa aeronave.

Marcos
Marcos
10 anos atrás

O que dizer desses caras(Pilotos Argentinos), só uma coisa, HEROIS

Wolf
Wolf
Reply to  Marcos
1 ano atrás

Revista “Força Aérea” No.113 agosto/2018 página 22 “Hercules al Ataque”. Os argentinos adaptaram lançadores de bombas de 500lb no C-130H. Na matéria a descrição do ataque feito a navios nas imediações de Port Stanley.

dranuits
10 anos atrás

A MB não adquiriu o Sir Galahad ?

Realista
Realista
10 anos atrás

Sirkis e Grifo, o Galante não precisa de suas paparicações, coisa feia! rsrsrsrs ele sabe se virar sozinho! afinal foi até “buscar” um post para embasar sua afirmativa… Vcs leram o que escrevi? acho que não! querem é tumultuar mesmo! – Quando eu disse que canhão não era necessário? – Quando eu disse que canhão não tem utilidade? Para os “expertos”, observem que até contra um gordo o Ingles lançou seus 2 mísseis, só não tendo êxito pro ser quase inverno, frio abaixo de zero, e o Hercules é turbo-helice… para refrescar a memória de vcs… e o AIM-9L é… Read more »

Realista
Realista
10 anos atrás

Vader,

o nome da arma Gurka era o Kukri… acho que escreve assim!

sds!

Roberto
Roberto
10 anos atrás

Realista,
Você tomou postura correta desde o início e se fez entender.
Tenho certeza que o Sirkis te entendeu bem e concorda com você.
É natural um pouco de humor e claro, as pessoas ficarem um pouco perdidas, afinal é muito comentário.

Realista
Realista
10 anos atrás

Roberto, humor? do Sirkis? sarcasmo vc quer dizer…

Obrigado pelas palavras!

Sds!

SO
SO
10 anos atrás

Tive com varios ex Gurkhas, que eram da EQP segurança do Splendour of the Seas na temporada 99/00 e 00/01 e eles me falaram que não houve atrocidades, mas que o mundo os teme pela sua habilidade, se necessária com o Kukhri Eles eram todos ex CPL´s (CB´s) e tive a oportunidade de ver com meus oio em uma ocorrencia na qual um tripulante demitido atropelou o Chefe da Segurança, um cara de 1m90, ex RN, mas o ex Gurkha de 1m67 (+ ou -), que estava cerca de 2 m atras do Chefe lhe deu um “engasga gato” em… Read more »

Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

O ser humano é igual em qualquer lugar. É só botar pressão que vira bicho. Não foram só os Gurkas que cometiam barbaridades. Houve um caso de um soldado britânico que receberia uma alta condecoração. Mas descobriu-se que seu passa tempo era cortar orelha de argentino. Possuia muitas nos bolsos. Os argentinos também cometeram barbaridades. Só não fizeram mais pois não tiveram oportunidade. Quanto ao abate do C 130. Dá pena, mas é inimigo. E lugar de inimigo é fora de combate, seja vivo ou morto. É a guerra.