terça-feira, outubro 26, 2021

Gripen para o Brasil

Cooperação militar Brasil-EUA pode favorecer a Embraer

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

STucano_USAF

Márcio Kroehn

A fabricante brasileira pode ganhar a preferência dos americanos e receber a encomenda de 100 aviões Super Tucanos. O Pentágono abriu licitação para adquirir 200 aeronaves – 50% imediatamente. Os mais otimistas acreditam até que esse acordo pode dispensar a licitação, em função das boas impressões passadas pelos militares americanos sobre o modelo nacional. Se o negócio for mesmo adiante, a Embraer estará prestes a receber uma encomenda de cerca de US$ 3 bilhões. É para o presidente Frederico Curado não deixar mais de sorrir. Esse valor representará quase 60% da receita líquida da companhia no ano passado, que foi de US$ 5,5 bilhões. O maior mercado da Embraer é, até o momento, a aviação executiva e comercial, que está em baixa com a crise nos países ricos. “O nível de previsibilidade da aviação de defesa é maior, o que dá mais tranquilidade para a empresa”, diz Alan Cardoso, analista da Ágora. Por enquanto, a companhia sonha com o contrato e os investidores ainda aguardam para tomar a decisão. A Embraer pode ser a grande aposta de 2010 caso o pedido americano chegue à mesa de Curado.

FONTE: Isto É Dinheiro, via Notimp

- Advertisement -

47 Comments

Subscribe
Notify of
guest
47 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alex Nogueira

Vamos torçer para que o negócio seja fechado, pois além do favorecimento econômico, poderemos nos favorecer da integração de novos equipamentos eletrônicos e talvez até de futuras versões do Super Tucano.

glauber

Porque os americanos tem interesse no super tucano se eles tem aviões melhores?

Vader

Vamos ficar na torcida. Mas a irracional posição do governo federal a favor do programa nuclear iraniano (a maior preoupação na agenda de política externa do governo Obama) pode por tudo a perder.

Uma pena sermos governados por quem somos. E uma pena que essa gente represente o país.

Sds.

Ricardo_Recife

Glauber,

Custo e eficiência, neste ponto não existe nada melhor que o ST.

A7X

Olá,

O Super Tucanos é atualmente a melhor aeronave do seu tipo em operação.Fiquemos na torcida.

Um negócio como este seria ótimo para a Embraer e para o Brasil. Além, é claro, de reforçar as enfraquecidas relações Brasil-EUA na área militar.

Abs.

A7X

errata : “… o Super Tucano é atualmente…”

Antonio M

E muitos dispositivos e motor so ST são americanos.

O que teriam de melhor é o AT-6 porém, nota-se que a versão que fizeram que seria o concorrento do ST, é como se fosse o Tucano T27 armado e com motor mais potente.

O Super Tucano usou como base o projeto do T27 mas, a fuselagem é maior e redimensionado para suportar muito mais aviônica, as duas metralhadoras .50 orgânicas etc., tornando-se na verdade uma outra aeronave, muito diferente do Tucano original.

Audaz

Creio que para o tipo especifico de missão para a qual o ST é projetado, não ha outro avião em atividade que o supere, prova disto, são os sucessos conseguidos em missões reais pela Força Aerea Colombiana.

Godoy

O que fazemos vendemos, e somos mto capazes, acho até que se a Embraer tivese um pouquinho mais de coragem ja estariamos desenvolvendo um caça de 5 geração.

Antonio M

E ainda vou encontrar uma entrevista com sr. Curado onde diz que o mercado militar não era uma prioridade à Embraer principalmente no que tange a desenvolver/participar do projeto de um caça.

Era algo mais ou menos assim.

E agora tal mercado pode ser até uma salvação…sinal dos tempos ?!

PilotoVirtual

Vem Super Hornet aí…
(RsRsRsss)

CADU

Godoy disse:
19 de abril de 2010 às 11:16
“O que fazemos vendemos, e somos mto capazes, acho até que se a Embraer tivese um pouquinho mais de coragem ja estariamos desenvolvendo um caça de 5 geração.”

Infelismente neste pais, empresario só bota grana se for do governo, do bolso, é ruim deles colocarem.

abraço.

Godoy

é o que eu disse MEDO.

fredy

Agora só falta o Jobim vir a público dizer que o Brasil não está interessado em exportar aviões para os imperialistas americanos e que o que importa mesmo para a embraer é obter a super tecnologia embarcada nos rafales.

Godoy

Acho que a venda dos ST não terão dada a ver com o F-X2.

Godoy

Uma pergunta, O ST que foi alugado para os americanos esta sendo melhorado por eles, ou eles tem lagum projeto neste sentido?

Antonio M

E não quis criticar destrutivamente a postura da Embraer pois, é uma empresa privada e deve satisfações aos seus acionistas porém, tem de ter um depto. de mkt à altura do mercado.

No período pré-privatização estava “mal das pernas” e graças aos esforços do governo e FAB, teve uma privatização das melhores feitas no Brasil se tornando uma das maiores e melhores do mundo.

Lembrem da Engesa, privada e de sucesso, quando seu proprietário bancou o projeto do caro de combate Osório para aquela concorrência internacional e ao perdê-la decretou o fim da empresa.

Godoy

Na verdade o projeto era bom mas o governo não apoiou, se fose nos dias de hoje seria totalmente diferente, o Brasil adotaria o Osório como seu MBT, e acredito que teria mercado.

O presidente da empresa disse que não foi calote do Sadan nem nada, mas sim falta de administração.

Matheusts

se o governo tivese apoiado metade dos progetos militares brasileiros estariamos com belas aeronaves de 4G° e talves 4G°meia, com um belo tanque de guerra (talves um dos melhores) e com a ENGESA uma bela empresa (pra mim seria uma das maiores no brasil hoje em dia) e com belas escoltas maritimas.
agora não podemos reclamar tanto assim temos para 2020 tecnologia de caças de 4G° (talves em produção) 1 SUB nuclear e varios conve sionais e fragatas (acredito FREEMs….) e novas viaturas blindadas para o EB com varias opções de armamentos

não estamos tão ruim assim

Godoy

O Brasil tem qualidade, isso n da pra negar.

“O VSB-30 é o melhor do mundo em sua categoria. É tão bom e confiável que não vamos gastar tempo, dinheiro e energia para inventar o que já existe”,

Afirmou a estatal sueca Swedish Space Corporation sobre o nosso foguete de sondagem.

Wolfpack

Super Hornet comendo pelas beradas. Caso a equação da ToT for resolvida, o vespão pode ser o futuro caça da FAB. Aposto que os Fabianos iriam adorar.
Não existe poder maior de convencimento que um pedido de 3 bilhões de dolares. Até o Luis Marinho deve achar um bom negócio o Vespão.
Poderia vir alguns C/D para a Marinha.

Nick

Acredito que ninguem pode ignorar um negócio potencia de até US$3,6 bilhões de dólares. Por mais que esse governo queira quebrar a “coleira” americana e adotar a francesa, fica difícil dizer a um negóco desses. Imagina o impacto que teria em termos de empregos se fabricarem à toque de caixa 100 STs nas plantas da Embraer. Praticamente iria dobrar a cadência de produção. Fora que um dos itens de offset com relação aos SuperHornets é fabricação de partes do SH não só para a FAB mas para toda a produção, incluíndo os da USNavy. Ou seja em termo estritamente comerciais,… Read more »

Nick

errata: “negpcia potencia” = “negócio potencial”

[]’s

Edcreek

Olá, O Supertucano é ideal para guerra no Afeganistão, veja que os Afegãos apesar do contigente internacional grande em solo e grande cobertura aerea com F-16, Mirage-2000, Tornado, EC-725 Caracal, UH-60 Black Hawk, etc, mesmo assim com taticas de guerrilhas milenares sobrevivem e causão danos a poderosa força internacional, Osama Bim Ladem então nem pensar. É como atirar com um canhão em um passarinho. São três pontos principais ao meu ver: 1)Desvantagens dos meios atuais: os caças a jato são caros de operar, tem manutenção mais minuciosa, são rapidos demais, gastão muito combustivel, precisão de pistas boas para operar; 2)Vatagens… Read more »

Marcos

Só resta duas coisa a fazer:

1º- Literalmente, rezar para que o négocio seja realizado e com isso a Embraer possa deslanchar de vez.
2º- Nem Jobim e muito menos Lula, fazerem outra bobagem e colocar tudo a perder, por que ai sim a embraer pode começar a achar dificuldades, não muito distante.

gaspar

galera, primeiramente vamos passar o corretor ortografico antes de postar…

sera que o ST seria fabricado aqui no Brasil ???
Os EUA tem uma lei na qual fica bem claro que qq equipamento militar TEM DE SER FABRICADO EM TERRENO NORTE AMERICANO…
agora precisa ver se eles serao fabricados em Gaviao Peixoto ou nos EUA…

Wolfpack

Negócio importantíssimo para a saúde financeira da Embraer, mas alerto que estes aparelhos devem ser produzidos nos Estados Unidos em sua planta na Flórida.
Com um incentivo destes, acho que o FX2 vai mudar de dono logo logo. Não é um negócio ruim, mas as questões passadas, de bloqueio sobre material sensível, abertura de software, integração de armamentos, manutenção dos motore, etc. Bem temos que ouvir de novo o Brigadeiro Venâncio rsrsrsrsrsrsrs.

Wolfpack

Boa Edcreek, quais seriam as alterações que a USNavy poderia pedir nos Super Tucanos? Alguém arrisca o que o novo ALX poderia oferecer de novidade comparativamente com o atual A-29?
[]s

Nick

Caro Gaspar, mal ae , a pressa faz essas coisas…. 🙂 Sobre os ST, o que anda circulando é que os 100 primeiros seriam compra de prateleira deles, ou seja manufaturados aqui. Mas se pensar bem, essa versão SuperTucanow, deve ter um índice de componentes americanos ainda maior que os ST padrão, por conta da eletrônica deles. Agora os outros 100 teoricamente seriam montados na Flórida. Agora tudo vai depender de 2 coisas: urgência da USAF/NAVY e avanços na negociação de uma compensação para os americanos. Se não for os F-18 SH poderia ser talvez os C-17, quem sabe? Mas… Read more »

hms tireless

“Com um incentivo destes, acho que o FX2 vai mudar de dono logo logo. Não é um negócio ruim, mas as questões passadas, de bloqueio sobre material sensível, abertura de software, integração de armamentos, manutenção dos motore, etc. Bem temos que ouvir de novo o Brigadeiro Venâncio rsrsrsrsrsrsrs.”

Antes um acordo bélico entre duas nações que contemple a compra recíproca de produtos, em bases sólidas, que tenha o condão de reforçar o intercâmbio entre estes países, do que uma “parceria estratégica”,a piada em falsas premissas, onde uma parte entra com o dinheiro e a outra com os produtos.

Tito

Nick disse: 19 de abril de 2010 às 14:12 Caro Gaspar, mal ae , a pressa faz essas coisas…. “Sobre os ST, o que anda circulando é que os 100 primeiros seriam compra de prateleira deles, ou seja manufaturados aqui. Mas se pensar bem, essa versão SuperTucanow, deve ter um índice de componentes americanos ainda maior que os ST padrão, por conta da eletrônica deles. Agora os outros 100 teoricamente seriam montados na Flórida.” Nick, posso estar enganado, mas infelizmente não é bem assim, por força de lei, todo equipamento bélico comprado pelo governo Norte Americano deve ser construído/montado lá.… Read more »

Nick

Caro Tito,

Não posso responder com certeza, mas talvez um dos motivos mais urgentes desse acordo militar Brasil-EUA seria facilitar a compra de prateleira de algumas unidades do ST. Não porque eles queiram, mas porque precisam. Agora é claro que vai existir um debate lá do mesmo modo que aqui, e um lobby da Beech pode entrar em ação, mas, convenhamos, o AT-6B deles ainda nem foi testado em combate, enquanto o ST já voou no AFEGANISTÂO.

Tudo vai ser um questão como já disse, de negociação, vamos ver.

[]’s

Tito

hms tireless disse:
19 de abril de 2010 às 14:22

Perfeito, esse negocio de parceria “caracu´” com a turma do biquinho não me convence.

Abs.

Tito

Caro Nick,

Talvez se abra uma exceção por conta da urgência de contar com o avião no Afeganistão, mas vai dar muita conversa no Senado deles.

Mas quem sabe de certo.

Abs.

Humberto

Não tenho dúvidas que o avião terá que ser fabricado lá, só espero que a Embraer não tenha que se unir (neste projeto) com alguma fabricante americano. Não creio que aja alguma grande alteração no ST, pois se fosse rolar, o T-6 levaria vantagem, acredito que sejam colocados alguns sensores e ou antenas pontuais, gosto de acreditar que o ST está pronto para o que eles necessitam. Sim, concordo que o mar não está para peixe e a Embraer tem que achar outros meios de sobreviver..O KC tá ai para provar também. Por fim, Engesa foi para o saco não… Read more »

floresteiro

Um ST liquidando o Osama??
Até que não seria ruim não….

Alex Nogueira

Vai ser uma boa oportunidade para mostrar ao mundo a que veio o Super Tucano, e se tudo der certo (Acredito que vai dar) a EMBRAER vai ganhar um novo “STATUS” no setor de defesa. o que pode proporcionar novos projetos e muitos desenvolvimentos das aeronaves já existentes. Além do mais, com as previsões econômicas para o futuro próximo que apontam o Brasil como a 5º maior econômia do mundo, os EUA não são tontos em deixar passar a zero o nosso mercado, pro disso é que fizeram esse novo acordo de cooperação militar. Enfim, tudo parece caminhar para um… Read more »

Contraditorio

Parece que a USNavy esta realmente interessada no ST, mas acho dificil a Embraer ganhar a concorrencia, pois apesar do ST ser mais confiavel, o produto da Beechcraft é bom e poderá contar com o suporte do “Buy American”.
Os americanos estão chamando o Brasil para a negociação, para saber que tipo de off set temos a oferecer. Isso poderia virar o jogo a nosso favor.

Baschera

Senhores, O próprio texto da matéria diz: PS: O texto entre parenteses é meu….. ” O Pentágono abriu licitação para adquirir 200 aeronaves – 50% imediatamente. Os mais otimistas acreditam até que esse acordo pode dispensar a licitação (O Jobim inclusive já mencionou isto), em função das boas impressões passadas pelos militares americanos sobre o modelo nacional”. Vejam: ….. dispensar a licitação…… então seriam contruídos aqui pelo menos os 100 primeiros. A mesma matéria também diz: …..50% imediatamente…. então não haveria tempo hábil de lá se construir uma fábrica com peesoal técnico, ferramental, etc..etc. ao menos para estes 50% iniciais.… Read more »

Mauricio R.

“Uma pergunta, O ST que foi alugado para os americanos esta sendo melhorado por eles, ou eles tem lagum projeto neste sentido?”

Pela foto dá p/ ver o monte de antenas que o ST-padrão da FAB não tem e tb o flir, que é bem robusto mas aí nem é novidade; o flir dos ST colombianos tb é diferente e mais capaz.

Mauricio R.

“Os mais otimistas acreditam até que esse acordo pode dispensar a licitação, em função das boas impressões passadas pelos militares americanos sobre o modelo nacional”.”

Tem gente acreditando em histórias da carochinha…
E isso depois de KC-X, C-SAR-X, VH-XX, ARH-70, etc…

CosmeBR

É bom para os EUA (motor), para Israel (aviônicos) e para a montadora EMBRAER. Tomara que seja verdade, mas que isso não nos obrigue a levar o SH.

BRASIL ACIMA DE TUDO!

Wolfpack

Bem lembrado CosmeBR. O Super Hornet pode ser útil para todo mundo, mas o histórico de boicotes americanos a transferência de tecnologia e abertura dos softwares de seus equipamentos ainda vai pesar na decisão do FX2, mesmo com a compra fabulosa (se vingar) dos ALXs da Embraer. Acredito que a iniciativa é americana para mudar este histórico ruim para consolidar as relações entre os dois países e depois em um futuro aumentar a confiança a ponto de oferecer algo mais do que simples compra de prateleira. Se for compra de prateleira, os custos do F18E/F não estão altos? Curiosidade apenas.… Read more »

Edcreek

Olá,

Vi em algum lugar a um tempo atraz que a FAB abriria mão dos seus ALX que estão na linha de produção em prou do pedido Americano logo no fechamento do pedido em dois ou três meses a Embraer poderia entregar um pequeno lote, claro isso nas configurações locais para up-grade lá.

Ressalto que ainda não confio na compra, só depois de assinado e paga a 1º parcela da compra, Americanos vcs já viram…….

Abraços,

Rodrigo

Já abriu.

arion

Esta na cara… eles não querem comprar nossos aviões, vejam a historia passada sobre isto… eles so querem saber o verdadeiro potencial dos super tucanos . . . e só isto…

Últimas Notícias

Simulação de mobilidade aérea urbana da Eve no Rio de Janeiro começa em novembro

São José dos Campos – SP, 26 de outubro de 2021 – A Eve Air Mobility, da Embraer, vai...
- Advertisement -
- Advertisement -