No diagrama pode-se comparar as sutis diferenças e semelhanças entre os mais modernos projetos de aviões de combate “stealth”, exetuando-se o projeto chinês de 5ª geração, o J-XX.

Naturalmente o protótipo do PAK-FA T-50 russo, ora apresentado, pode mudar consideravelmente de aparência.  Pode-se constatar isso comparando-se o primeiro protótipo do Su-27 Flanker, denominado T-10-1, com sua configuração atual.

O protótipo do Flanker T-10-1

su27-t10-1

Concepção final do Su-27 Flanker (versão B)

Su-27_Flanker-B

Tags:

81 Responses to “Semelhanças entre o PAK FA (T-50) e outros caças ‘Stealth’” Subscribe

  1. Welington 30 de janeiro de 2010 at 14:05 #

    Iria fazer um comentário sobre isto ontem, SU-35 BM + F-22 A+ YF-23+ F35, se obtém o SU-50…
    Com toda a certeza o PAK FA ira ser refinado até sua produção em serie…
    Um grande abraço a todos…

  2. Marcelo 30 de janeiro de 2010 at 14:07 #

    Esta imagem do Flanker é de um jogo chamado “Lock On”.

  3. Baschera 30 de janeiro de 2010 at 14:08 #

    Já se fala muito na parte traseira do T-50.
    Se comparar-mos a foto do T-10-1 com o Su-27, pode-se perceber a evolução. Acho que o PAK-FA vai na mesma direção após os novos motores AL-41F em substituição das AL-117C.

    O cone frontal também deve mudar, já o radar também será novo.

    Sds.

  4. Baschera 30 de janeiro de 2010 at 14:09 #

    Welington em 30 jan, 2010 às 14:05

    Eu leio mentes…… Kkkkkkkk…. :)

    Sds.

  5. Mauricio R. 30 de janeiro de 2010 at 14:30 #

    Se vc pretende ter um caça que seja furtivo na maior largura possível de banda, vc obrigatóriamente vai ter que arcar c/ os custos do F-22.
    Por outro lado se vc vai optar por ser mais seletivo na largura debanda e economizar algum $$$$$, vc vai optar pelo F-35 e por aquilo que vier a ser o Pak-FA qndo em serviço de esquadrão.
    O YF-23 até p/ um protótipo, estava mto crú em seu tempo.

  6. Wolfpack 30 de janeiro de 2010 at 14:31 #

    É claro que o atual modelo que vôo ontem é um vetor de demonstração de tecnologia que deve incorparar superfícies de fechamento de baias com características stealth, material RAM (mas longe das máquinas fotográficas dos reporters) tomada de ar e exaustão diferentes, sistemas de coleta de dados como o IRST embutidos, tubos de pitot deverão ser “camuflados” e por ai vai…
    O que vimos ontem foi o primeiro, o demonstrador…
    Isso é muito importante afim de conseguirem mais sócios e dinheiro do Governo Central da Rússia.

    Volto a dizer a minha previsão que em 2025-2030, os reis do céu serão o SU50(PAK-FA), F35, F22 e os UCAVs Europeus e nada mais…

    O futuro das três concorrentes no FX2 é ingrato para “aviões de combate”
    A Boeing não emplaca um caça a muito tempo. Provavelmente ficará com a missão de desenvolver os aparelhos de transporte americanos e ligação.
    A Northrop e Lockheed dividirão este nicho de aviação de caças nos Estados Unidos.
    A Dassault deve se associar a EADS para os nEUROn da vida
    A SAAB deve desaparecer como a indústria automobilística Sueca.
    Futuro ingrato para o FX2
    []s

  7. Ricardo 30 de janeiro de 2010 at 14:34 #

    Wolfpack em 30 jan, 2010 às 14:31

    Volto a dizer a minha previsão que em 2025-2030, os reis do céu serão o SU50(PAK-FA), F35, F22 e os UCAVs Europeus e nada mais…

    Tem o projeto que a Boeing ofereceu parceria para o Brasil.

  8. Ricardo 30 de janeiro de 2010 at 14:42 #

    Esqueci de comentar:
    Se a Boeing realmente oferecesse este projeto ao Brasil (somente o projeto), e sendo o projeto desenvolvido no Brasil, pergunto:

    Qual a decisão mais acertada hoje?

    Entre a Dassault e a EADS, não há lugar para para tantas empresas. Ficariam muitos executivos desempregados.

    Além disso, vejo a Dassault muito com muito mais visão de futuro do que a EADS. Os franceses estão enchergando nichos que o consórcio da EADS está ignorando hoje. Lembrando que a EADS tem muito mais chance de dar errado do que a Dassault, devido a quantidade de gente mandando….

  9. Lucas Calabrio 30 de janeiro de 2010 at 14:42 #

    Boa tarde!
    Ricardo, não estaria faltando o caça furtivo chinês?

  10. Welington 30 de janeiro de 2010 at 14:44 #

    Baschera em 30 jan, 2010 às 14:09
    Welington: KKKKKKKKKKKK, rsrsrs…
    Wolfpack em 30 jan, 2010 às 14:31
    Volto a dizer a minha previsão que em 2025-2030, os reis do céu serão o SU50(PAK-FA), F35, F22 e os UCAVs Europeus e nada mais…

    Welington: Wolf concordo, mas creio que os UCAVS serão efetivos contra as aeronaves de 5º geração somente próximo a 2030…
    Um grande abraço a todos…

  11. Welington 30 de janeiro de 2010 at 14:45 #

    Lucas Calabrio em 30 jan, 2010 às 14:42
    Ricardo, não estaria faltando o caça furtivo chinês?
    Welington : J-XX, tirou as palavras da minha boca…
    Um grande abraço Lucas Calabrio…

  12. PilotoVirtual 30 de janeiro de 2010 at 14:47 #

    ACHO QUE O BRASIL PERDEU UMA GRANDE CHANCE DE TER UM GRANDE CAÇA NA F.A. SERÁ QUE AINDA DÁ TEMPO??? E UMA PERGUNTINHA: O QUE OS AMERICANOS DEVEM ESTAR ACHANDO DO PAK-FA??? (RsRsRsss)

  13. Ricardo 30 de janeiro de 2010 at 14:48 #

    Lucas Calabrio em 30 jan, 2010 às 14:42

    Hehe, na minha concepção, faltaria a China copiar o PAK-FA. Os chineses estão bem avançados na eletrônica, mas existem muitas tecnologias escondidas debaixo das mangas dessa turma que citei.

  14. Ricardo 30 de janeiro de 2010 at 14:52 #

    Welington em 30 jan, 2010 às 14:45

    O J-14, será um ótimo caça, mas penso que assim como os submarinos nucleares chineses, os caças estariam a uma geração atrás dos outros. Quer dizer, salvo um erro de projeto, ou uma aposta errada dos principais atores neste cenário.

  15. Welington 30 de janeiro de 2010 at 14:57 #

    Ricardo interessante e coerente seu pensamento, porem o caça de 5º geração Chinês será superior a todos os coças de 4.5G, provavelmente ficando no mesmo nível do F-35, mas com toda a certeza eles não conseguirão produzir uma aeronave capaz de rivalizar em termos de combate com o F-22 “C” e com o SU-50…
    Um grande abraço Ricardo…

  16. skywalker 30 de janeiro de 2010 at 14:58 #

    Olá, turma.

    Entendo que o Brasil e outros países estão fadados a fabricar produtos apenas de média tecnologia. A gente tende a pensar sempre em produtos de ponta, como os caças de quinta geração. Mas isso é para meia dúzia de nações. A gente vai ficar é com treinadores turbo-hélices, caças leves (se rolar. . .) e aeronaves de transporte. E olha que tem bom mercado para eles. Já tecnologia de ponta. . . só se a estratégia brasileira para a área de tecnologia mudar muito, o que não acredito, pois isso depende de políticos (argh!!!)

  17. Baschera 30 de janeiro de 2010 at 15:06 #

    Ricardo em 30 jan, 2010 às 14:52

    O caça chinês 5G será o J-XX, conforme já menciono no texto. Existe até um artigo aqui no Aéreo sobre ele. É so procurar no arquivo (acho que na “nuvem” não consta)….

    Sds.

  18. Lecen 30 de janeiro de 2010 at 15:30 #

    Pessoal, a China acabou de confirmar de fato o desenvolvimento do seu caça de quinta geração.

    Sabe qual é a sensação que tenho?

    É que estamos num marco histórico semelhante ao lançamento do navio Dreadnought no início do século XX.

    Todos os navios anteriores se tornaram imediatamente obsoletos.

    Acredito que agora os países mais desenvolvidos irão buscar de alguma maneira adquirir caças de quinta geração em detrimento dos de geração 4.5.

    E o Brasil? Vai insistir em Pré-Dreadnoughts?

  19. Galielu 30 de janeiro de 2010 at 15:36 #

    lol nos temos vidente agora no site né wolf

  20. Nick 30 de janeiro de 2010 at 16:31 #

    Muita coisa vai mudar nesse PAKFA, mas as linhas gerais deverão ser essas. Eu gostei desse design, evolução da familia Flanker, inspiração no YF-23,F22 e F35…pode-se dizer que não tem como fugir muito nesse design furtivo para qualquer caça com características VLO.

    Futuro : caças tripulados: SU-50, J-14 e F22/F35 ->posteriormente o F-XX
    ucavs :SCAT, X-45/X-47, NEURON e provavelmente um modelo chinês.
    possíveis caças de 5 geração: projeto Koreano, Japônes e Sueco.
    caças como o Rafale, Typhoon, SU-35 BM, Gripen NG, MIG-35,F-16 B60, F15-SE e talvez um F-18 UltraHornet deverão ser considerados caças de 2ª linha. A composição “LOW” das forças aéreas.
    Aparentemente não haverá mais caças tripulados desenvolvido na Europa Ocidental, fora o maproad da Saab. Alguem ae tem mais alguma informação / atualização??

    []‘s

  21. Hornet 30 de janeiro de 2010 at 16:45 #

    Lucas Calabrio e Wellington,

    como disse o Lecen acima, a China acabou de confirmar seu caça Stealth:

    http://pbrasil.wordpress.com/2010/01/30/china-confirma-o-seu-5%C2%AA-geracao/

    abração procêis!

  22. Ricardo 30 de janeiro de 2010 at 17:03 #

    skywalker em 30 jan, 2010 às 14:58

    A gente vai ficar é com treinadores turbo-hélices, caças leves (se rolar. . .)…só se a estratégia brasileira para a área de tecnologia mudar muito, o que não acredito, pois isso depende de políticos (argh!!!)

    Skywalker, não é a estratégia que tem que mudar, são so brasileiros. Rssss
    É a já conhecida e tão falada síndrome do vira-lata. Porém, todo mundo fala, mas ninguém muda. Hehe…

    Hornet em 30 jan, 2010 às 16:45
    Sim, Hornet, foi por isso que citei o J-14.

    Galielu em 30 jan, 2010 às 15:36
    Rssss…Galileu, é um blog, podemos simular o que quisermos. Difícil fica quando alguém toma um sentimento com uma verdade única. hehe

  23. Leonardo 30 de janeiro de 2010 at 17:35 #

    Pergunto aos colegas em especial ao Wellington nosso expert em equipamento russo.

    Muitos estão questionando a furtividade do PAK-FA, muitos pelo nariz e mais pelos bocais de escape, mas alguém sabe haverá alguma possibilidade do bocal dos novos motores do PAK-FA serem diferentes do formato convencional? Pois, se paramos para analisar mesmo a versão V/STOL do F-35 é convencional também opera uma Iris convencional em seu bocal de escapamento e nem por isso deixou de ser furtivo, será que realmente a influência de um bocal com saída quadrada o retangular faz tanta diferença assim. Outra pergunta nesta configuração com estes motores que ainda não são definitivos o SU-50 já é capaz de realizar o supercruise.

    Um grande abraço a todos.

  24. Baschera 30 de janeiro de 2010 at 18:12 #

    Leonardo em 30 jan, 2010 às 17:35

    Leonardo, a probabilidade é grande já que são protótipos.
    Como exemplo, na matéria, coloquei as fotos do protótipo Sukhoi T-10-1 e o Sukhoi Su-27 definitivo. Compare a parte trazeira dos dois modelos e terás uma boa medida do que pode ser provável.

    Hornet,

    Prefiro J-XX à J-14….. XX quer dizer “Xing – Xing” rsssss.

    PS: (Baschera não suporta mais o FX-2) Parafraseando o Justin….

    Sds.

  25. Felipe Cps 30 de janeiro de 2010 at 18:12 #

    Sem dúvida o T-50 tem o design mais bonito de todos, embora eu concorde que este muito provavelmente não seja o definitivo.

    Quanto ao comentário do Lecen, acho que ainda não se pode dizer que os stealth são “dreadnoughts do ar”. Vejam só, o F-22 já existe a algum tempo, o F-35 está na bica de se tornar operacional, e mesmo assim ninguém parou de comprar caças não-stealth (Índia, Brasil, África do Sul, Austrália, EAU, Kwait, Suíça, etc); ainda há muito espaço no mundo para caças de 4,5 ger. Empresas como a SAAB (com o Gripen, os AWACS e outros produtos) ou a Embraer (com o ST, o FX2 e aviões comerciais) ainda vão vender muito nesta década.

    Penso que o que será mais e mais importante não é a superioridade aérea pura e simplesmente, mas sim uma combinação desta com a questão preço (de aquisição e de operação). O contribuinte do mundo civilizado não quer mais saber de sustentar imensas máquinas de guerra como as que existiram durante a guerra fria. A defesa, mesmo em superpotências como os EUA, vai cada vez mais ter de adaptar seus projetos a uma realidade orçamentária que exige mais transparência e menos gastos.

    Quanto ao futuro, vejo a Dassault com mais chance de quebrar do que a SAAB, que está exportando o Gripen com muito mais eficácia (eu diria: “que nem água”, rsrs) do que a empresa francesa com sua caríssima “jaca encalhada”. A SAAB está capitalizada pelas vendas estrangeiras, e pode muito bem bancar o desenvolvimento de um caça de 5a geração (aliás, a empresa já tem planos para tanto). E vale sempre lembrar que os suecos historicamentre nunca ficaram atrás dos russos por muito tempo.

    Sds.

  26. Hornet 30 de janeiro de 2010 at 18:16 #

    (Baschera não suporta mais o FX-2)…kkkkkkkkkkk

    Estou pelas tampas também…hehehe

    abração

  27. Mauricio R. 30 de janeiro de 2010 at 18:20 #

    É uma questão que me intriga tb, pois pelas fotos e informações disponíveis até o momento, não dá p/ dizer que a aeronave russa apresenta furtividade de amplo espectro tal como o F-22.
    Então fica a duvida, se essa novo ac teria furtividade similar ao F-35 ou seria somente um pouco mais furtivo que o SH e o F-15SE.

  28. G-LOC 30 de janeiro de 2010 at 18:56 #

    Eu notei que o compartimento de armas dos caças americanos estão bem mais a frente. No F111 também. No russo tem um compartimento atrás do CG.

  29. Mauricio R. 30 de janeiro de 2010 at 19:09 #

    O palavrão abaixo é o link p/ uma análise preliminar do Pak-FA pelo jornalista Bill Sweetman p/ o blog Ares da Aviation Week and Space Technology:

    (http://www.aviationweek.com/aw/blogs/defense/index.jsp?plckController=Blog&plckBlogPage=BlogViewPost&newspaperUserId=27ec4a53-dcc8-42d0-bd3a-01329aef79a7&plckPostId=Blog%3a27ec4a53-dcc8-42d0-bd3a-01329aef79a7Post%3a021e786e-04be-426b-ad32-dcbb54b90d00&plckScript=blogScript&plckElementId=blogDest)

  30. Welington 30 de janeiro de 2010 at 20:43 #

    Leonardo como bem dito pelo amigo Baschera este é o primeiro protótipo do PAK FA, o mesmo evoluirá muito até sua produção em serie. Até o presente momento sabemos que existem diversos estudos para bocais de exaustão com vetoração de empuxo e com técnicas de redução da assinatura IR, mas não sabemos se serão implementadas no PAK FA, provavelmente sim, mas nada fora do comum e com certeza o mesmo possuirá um sistema TVC 3D similar ao atual, o que inviabilizara uma mudança radical nos bocais. No que se diz aos bocais de entrada, provavelmente existira alguma face que “escondera” a face do motor que como no SU-35 BM recebeu uma camada de materiais RAM e cerâmicos para dimiuir o RCS frontal do motor. Em se tratando de RCS o PAK FA será mais furtivo que o F-22, isto não há duvidas, os mesmos tinhão este objetivo desde o principio e sabendo do nível tecnológico em termos de materiais RAM dos russos aliado a tecnologia da forma Dara ao SU-50 um excelente RCS…
    Um grande abraço a todos…

  31. Berkut 30 de janeiro de 2010 at 20:46 #

    Que momento único, pela primeira vez um vetor consegue unir todas as “torcidas”.

  32. Felipe Cps 30 de janeiro de 2010 at 20:58 #

    Caro Welington:

    O link enviado pelo Maurício R., de um analista da aviationweek nos diz exatamente o contrário:

    “Apparently the designers and systems analysts have looked at the thorny question of “how much stealth do we want to pay for?” and have come up with a different answer than the F-22 designers.”

    “Aparentemente, os projetistas e analistas de sistemas olharam para a delicada questão de “quanta furtividade queremos pagar?” e vieram com uma resposta diferente dos designers do F-22.”

    Já estou lendo vários comentários pela net de que o T-50 não será tão furtivo quanto o F-22, ou seja: não será furtivo em todos os quadrantes. Algo como a furtividade do F-35, mas sem o refinamento tecnológico deste.

    Por outro lado, acho bastante difícil um caça ser inteiramente furtivo apenas dependendo do tratamento de material, e não do emprego das formas defletoras. Por fim, não vejo como o T-50 poderá vir a ter o controverso (pra dizer o mínimo: em minha opinião, inútil) vetoramento de empuxo em 3D e manter a furtividade total, a menos que o russo invente um sistema difusor de formas que tenha a capacidade de girar no próprio eixo.

    Assim, o T-50 é uma nova carta no jogo, muda alguma coisa, mas deve estar bastante distante de bater o F-22 no quesito furtividade.

    Sds.

  33. Welington 30 de janeiro de 2010 at 21:11 #

    Felipe Cps não concordo com a análise deste analista, a exemplo o SU-47 possui um RCS frontal de apenas 0,3 m2 sem se utilizar da forma como redutora do RCS da aeronave. Com a evolução da tecnologia de materiais RAM absorventes, se os atuais fossem empregados no SU-47 com certeza este valor ficaria abaixo do 0,1 m2. Temos que ressaltar que o SU-47 não se utilizou da tecnologia da forma para reduzir seu RCS, já o PAK FA teve a forma como técnica de redução básica unida com os materiais RAM absorventes, materiais compostos e diversas outras tecnologias como radome seletivo, ETC., tenho convicção que o RCS do SU-50 será inferior ao do F-22 A, porem não digo o mesmo de sua assinatura IR, pois nunca foi divulgado nada sobre o PAK FA utilizar bocais com tecnologia stealth IR e sim que o mesmo se utilizaria de um sistema TVC 3D, o que dificulta a redução da assinatura IR no setor traseiro…
    Um grande abraço Felipe Cps…

  34. Welington 30 de janeiro de 2010 at 21:13 #

    Só mais uma observação o RCS do SU-27 era de 10m2 e seus designer não se modificou muito em relação ao SU-35 BM que possui um RCS frontal de 0,6 m2…
    Um grande abraço Felipe Cps…

  35. André Castro 30 de janeiro de 2010 at 21:24 #

    Será que o paquistão embarca no J-XX ?

    Sobre a China , hoje ela congelou todas a visitas militares com EUA , porque os americamos aprovaram um pacote de mais de 6 bilhões de dolares em armas para Taiwan .

  36. ۞ ۩ _FLY_ ۩ ۞ 30 de janeiro de 2010 at 21:25 #

    Wolfpack em 30 jan, 2010 às 14:31

    ” tubos de pitot deverão ser “camuflados” e por ai vai… ”

    Meu amigo, já está em projeto um substituto dos atuais pitots.
    os novos, são sistemas de “sensibilidade” de pressão. São colocados no bico, o ar pressiona o censor e de acordo com a massa de ar e a altitude, ele indica a velocidade. Claro, o mesmo que um pitot faz, so que esse é voltado para a furtividade, e logo irá para a área da aviação civil.

    Não vou dizer a minha fonte, pois corro risco de ser morto pela UCT.

    Boa noite

  37. ۞ ۩ _FLY_ ۩ ۞ 30 de janeiro de 2010 at 21:28 #

    Quando o PAK-FA estiver terminado, 100% stealth, ele será o 5ª geração (ou o caça em termo geral) mais bonito do mundo.
    Isso se fizerem uma pintura decente e não usarem aquele azul calcinha no painel (como de costume).

  38. Felipe Cps 30 de janeiro de 2010 at 21:47 #

    Welington: nesse caso não será tão furtivo quanto o F-22 neh? Se não terá redução IR na traseira, quem plotar um T-50 às 06:00 horas deste ganhou neh?

    Sds.

  39. Mauricio R. 30 de janeiro de 2010 at 21:53 #

    “…bocais de entrada, provavelmente existira alguma face que “escondera” a face do motor que como no SU-35 BM recebeu uma camada de materiais RAM e cerâmicos para dimiuir o RCS frontal do motor…”

    Isto vai além de colar placas de material RAM, pois o mesmo gera níveis de IR que necessitam ser dissipados no ambiente e cerâmicos são permeáveis ao radar.
    Os trunkings das tomadas de ar são retos alinhados ponta a ponta c/ as turbinas, então não tem como esconder a face do compressor, pelo menos p/ um radar de alta frequência e pulsos curtos.
    Tb não há espaço p/ fazer um trunking em S como no F-22 e em menor escala no SH, haveria a necessidade de juntar as turbinas, o que diminuiria a eficiência das diminuídas superfícies de controle e do TVC em proporcionar roll a aeronave.
    E os russos não estão sequer próximos da tecnologia americana de curar as pás do compressor, impregnadas c/ material RAM.

    “…de RCS o PAK FA será mais furtivo que o F-22, isto não há duvidas, os mesmos tinhão este objetivo desde o principio e sabendo do nível tecnológico em termos de materiais RAM dos russos…”

    Não vai nem passar nem perto do nível de furtividade de banda larga do F-22.
    Sem um amplo trabalho prévio, não há nada que os russos possam mostrar que possa suplantar a 3ª geração em tecnologia stealth americana.
    As pessoas se esquecem que enquanto os americanos introduziam o B-2 em serviço e criavam a tecnologia da geração do F-22 e do F-35, a ex-URSS ia pro brejo, o partidão foi deposto e o dinheiro sumiu.
    Não é introduzido um projeto completamente novo desde 1988, então o que os russos realmente apresentaram foi o Flanker de 4ª geração, se este vai apresentar características de furtividade mesmo que de banda estrita, poderá ser colocado ao lado do F-35 apesar da diferença de orientação qnto a missão.
    Ou será somente mais uma aeronave de geração 4,5+ agregada de alguma furtividade como o SH e o F-15SE.

  40. ۞ ۩ _FLY_ ۩ ۞ 30 de janeiro de 2010 at 22:25 #

    Então o que foi o voo do PAK-FA????
    Demonstração de que?

    Welington, sei que você é muito inteligente, mas por agora, não está dando razões mito concretas sobre o porque você acredita tanto que o PAK será melhor que o F-22.

    Será que os russos finalmente desenvolveram a tecnologia de “escudo” magnético, que em teoria tornaria uma aeronave não 100% stealth em 100% stealth.

    Me diga no que se baseia?

  41. grifo 30 de janeiro de 2010 at 22:48 #

    “Em se tratando de RCS o PAK FA será mais furtivo que o F-22, isto não há duvidas,”

    Nem em sonho. Comparado com os americanos, os russos ainda estão engatinhando em sua tecnologia de furtividade, e se conseguirem fazer do PAK-FA um vetor LO já será um feito. Um caça VLO como o F-22 talvez a Rússia consiga fazer na próxima geração.

  42. Wolfpack 30 de janeiro de 2010 at 23:08 #

    Coloquem a foto do LIFT ao lado destes caras para ver como iremos ficar em 2020…

  43. skywalker 31 de janeiro de 2010 at 0:31 #

    Colegas:

    Volto a dizer: apesar de todos querermos o melhor caça que tiver, com os maiores recursos e tudo mais, com complexo de vira-lata ou não(e sem nacionalismo tupiniquim), vamos é ficar na média tecnologia, com um vetor “nervoso” mas simplizinho. Se russos, americanos ou franceses nos convidarem para entrar em parcerias, pode crer que o que buscam é o dinheiro para bancar desenvolvimento, transferindo pouca coisa. Temos apenas dois caminhos, pela estratégia ora adotada: ou entramos num conflito real, que maximize nossas necessidades aéreas, ou, pelo nível de diplomacia que temos, seremos sempre escudados por outra nação. A gente quer ser grande potência, mas ainda levaremos uns 30 anos para conseguir falar mais grosso no cenário internacional. Não é pessimismo, é evidência concreta, pelo andar da carruagem.

  44. Welington 31 de janeiro de 2010 at 0:40 #

    Felipe Cps na realidade o F-22 não possui nenhum sistema para mascarar sua assinatura IR as 6H, a mesma fica exposta, o que não ocorre, por exemplo, com o F-117 que possui uma
    Grelha que esconde a face traseira do motor do motor, tanto o SU-50 quanto o F-22 utilizam materiais especiais (Geralmente compostos de carbono e cerâmica) para dissipar o calor dos exaustores, isto não é novidade. O F-22 não possui uma técnica de redução IR no quadrante traseiro as 6H.
    A face traseira do motor do F-22, YF-23, F-35 e do SU-50 ficam a mostra, em caças de alto desempenho não da para esconder a face traseira do motor como no F-117, no máximo se consegue uma redução na parte inferior e lateral escondendo os bocais do motor, mas com isto se perde em manobrabilidade pela perda do sistema TVC.

    Mauricio R neste ponto estava citando apenas a redução do RCS da aeronave. A carenagem protege a face frontal do motor, uma fonte IR e EM, a mesma absorve a maioria das EM, por ser construída com materiais RAM absorventes. As ondas remanescentes que conseguires passar por esta barreira são absorvidas pelos materiais RAM absorventes empregados nas palhetas do motor e mesmo assim se alguma tiver energia para ser ecoada, ela ainda terá que passar pela carenagem antes de sair do duto, ou seja, esta técnica assim como a de curvatura do duto de ar é extremamente eficaz, principalmente com o uso de materiais RAM absorventes.

    Rsrs materiais cerâmicos possuem uma alta resistência a elevadas temperaturas e dissipam bem o calor, porem o material cerâmico utilizado nos fãs da turbina é um RAM cerâmico e não cerâmica pura rsrs…
    Mauricio R radares de baixa frequência não conseguem travar os alvos pela sua baixa precisão ocasionada pelo excesso de ruídos, ou seja, os mesmos atualmente servem para localização e orientação e não como diretores de tiro. Estes também podem ser utilizados contra qualquer aeronave Stealth…

    Mauricio rrsrss, os Russos são os mais desenvolvidos em materiais RAM absorventes…
    Tenho plena convicção que o PAK FA terá um RCS inferior ao do F-22 A…

    Um grande abraço a todos…

  45. ۞ ۩ _FLY_ ۩ ۞ 31 de janeiro de 2010 at 3:01 #

    Welington em 31 jan, 2010 às 0:40

    O problema do PAK-FA nas entradas de ar onde dizem não ser furtivas por não ter o material de furtividade que o camufle, acho que tenho uma idéia sobre a engenharia russa aplicada.

    Imagine que essas palhetas do compressores sirvam propositadamente para refletir os sinal de radar para a parede interna da tomada de ar (as palhetas tem uma certa inclinação de alguns graus), assim, ele seria absorvido pelo material RAM interno.

    Imagine também que o “bico” no centro do compressor também possa ser feito em forma cortada, algo como os espremedores de laranja. Então, o compressor não precisaria ser necessariamente escondido.

    Talvez esse “jeitinho” russo de simplificar as cosas, possa fazer mesmo o PAK-FA ser barato, coisa que o F-22 não é. :|

    Agora, se eu estiver um pouco correto, e que as análises de especialistas possam estar parecida com a minha, vou desistir da arquitetura e virar engenheiro. rsrs heheee

    Bom dia :)

  46. FLY 31 de janeiro de 2010 at 3:22 #

    Welington em 31 jan, 2010 às 0:40

    Welington, não sou bem um especialista da área militar, mas acho que posso explicar o caso dos compressores expostos.

    Bem, imagine que os compressores seja feitos (nesse caso) justamente para refletir o sinal de rada para o lado interno do motor ou seja, o lado interno da tomada de ar, que teria o material absorvente RAM para absorve-lo. Uma especia de truque de espelho.

    Eu sempre admirei a criatividade da engenharia russa. Não desmerecendo a americana, mas os russos davam (na minha opinião) saltos maiores que os americanos.

    Agora, não acredito realmente que este motor em geral, tanto tomada de ar, quanto exaustores, sejam os do PAK-FA, claro, sei que são do Flanker, mas não podem ser desse formato tão rustico e fisicamente não tão stealth.

    Veja que nas costas do avião e na barriga, partes do motor ficam expostas, algo que para um 5ªG é estranho e incompatível que a sua capacidade Stealth.

    Acho que os russos estão escondendo o jogo. A manipulação e a “falsa” desvantagem sempre fizeram com que os amadores sempre perdessem para os espacialistas no jogo de xadrez, que é de estratégia, logística, manipulando o adversário e criando uma armadilha para ele.

    Bem, é a opinião de um entusiasta da aviação que quer ser arquiteto. Rsrsr

    Até o próximo tópico.

  47. FLY 31 de janeiro de 2010 at 3:24 #

    Ah! estava quase me esquesendo.

    http://www.youtube.com/watch?v=cMzy6aJi9fs

    Propaganda americana anti-rússia

    Se vocÊ é fraco, não veja o video até o fim.

  48. cos 31 de janeiro de 2010 at 4:20 #

    ao meu ver o t-50 sera suprior ou igual so f-22.. e simples o f-22 ja foi produzido e o t-50 vai ser agora.. com certeza os russos e indianos tenhem mts informaçoes sobre o desenpenho do f-22 e do caça europeu que e de 4.geraçao..e decertaza vai melhorar ainda mas. alias manobras recentes envolvendo caças f 22 foram envolvidas em segredo pois causou polemica td pk o f-22 nao e tao suprior e tao furtivo quanto esperava se.. na australia outro exercicio entre f-22 e caças antigos f 11 os f-22 averbaram uma derrota! o k fez soar alarmes na australia devido os caças su 33 k a indonesia e malasia tenhem e vao adequerir e possivelmente o su 35 segundo falam e tao bom quato ao f-22 perdendo no capitulo “stealth” ..os australianos tenhem posto em duvida o f-35 ..que pra mim e mas charme e publicidade .mas ha um dado a nao esquecer os russos tenhem desenvolvido sistemas d plasma anti radares que possivelmenteja foram testados em alguns avioes. “caso do bombardeiro nuclear que sobrevoou base americana sem ser dectetado sera?.. no meio disso tudo pena k o t-50 nao seja como as fotos espalhadas na net., e nao ver um caça como o yf 23 e lindo

  49. cos 31 de janeiro de 2010 at 4:44 #

    pena que o brasil nao entrou no projecto ..msm sem tendo acesso a td tecnologia sempre tinah um aviao capaz e de respeito e decerteza a tecnologia brasileira aprenderia mt com a pouca tecnologia fornecida.. ficar pelo Rafale e o JAS-39 Gripen e deixara de lado um caça 4.5 su 35? locura.. com o su 35 o brasil metia america do sul e arredores em sentido..para um pais grande e com vizinhos como chaves o rafale e o gripen nao sao as melhores escolhas. pk nao o caça europeu? ate a grecia vai ter esses caças..por esse andar quando sair os caças 6 geraçao la vai o brasil ter um de 5geraçao. ja agora o brasil precisa de caça bombardeiro.. e nada melhor no mercado que o su 34. e ja agora com a tecnologia e saber que o brasil tem hj pk nao um “super+super tucano a jacto? :-)

  50. Felipe Cps 31 de janeiro de 2010 at 6:52 #

    Welington em 31 jan, 2010 às 0:40

    “Felipe Cps na realidade o F-22 não possui nenhum sistema para mascarar sua assinatura IR as 6H, a mesma fica exposta”

    Bem, tá bem Welington, então essa foto aqui com os dissipadores de calor abertos por conta do uso do afterburner deve ser mentira então neh?

    http://cache.gawker.com/assets/images/2009/04/custom_1240318383246_F22Afterburner.jpg

    Amigo, o F-22 tem dissipadores de calor na saída de exaustão, embora por ser ser informação classificada não se saiba qual é a efetividade disso ou se funciona a todo o tempo. Mas se você olhar essa foto abaixo e comparar com a de cima, vai se notar que quase não dá para se visualizar a exaustão, o que decerto diminui a assinatura IR:

    http://weblogs.dailypress.com/news/local/military/blog/f22_09.jpg

    Enfim, de qualquer maneira, e ao contrário do que disse o amigo, o T-50 não parece ter QUALQUER tratamento IR em sua exaustão. Pode se argumentar até que esta não é sua turbina definitiva (a se ver) mas que aparentemente não tem nenhuma redução, isso não tem. A não ser que o russo tenha descoberto uma nova lei da física e o combustível que queima no T-50 gere um plasma frio… :)

    Sds.

  51. Asimov 31 de janeiro de 2010 at 9:09 #

    Primeiro vôo:

    T-50: 2010
    YF-22: 1990
    YF-23: 1990
    X-35: 2000

  52. Wolfpack 31 de janeiro de 2010 at 10:00 #

    FLY,
    Talvez vc desejou dizer STEALTH PLASMA.
    Bem, primeira regra, não menosprezar a capacidade dos físicos russos de destruir os sonhos bilionários do complexo militar Americano com soluções inteligentes e baratas. A história da Rússia é marcada por estes fatos.
    [http://videolog.uol.com.br/video.php?id=380602]
    [http://www.youtube.com/watch?v=nUQ5YM2p0GQ]
    [http://www.youtube.com/watch?v=HzCCnOYKfrM&feature=related]
    [http://www.youtube.com/watch?v=temwscJsI7A&feature=related]
    O PAK-FA pode surpreender, e pelos últimos acontecimentos do Serviço de Inteligência Americano, sabemos que sua confiabilidade fica abaixo da crítica.
    []s

  53. Nick 31 de janeiro de 2010 at 10:23 #

    Caro wolf,

    o LIFT ficaria bem nessa foto! hahaha []‘s

    Sério, o Gripen NG se encaixa bem entrando como o componente LOW(maiores quantidades, menores custos de manutenção), e o PAKFA(menores quantidades, maiores custos de manutenção) ou um outro caça de 5ª geração para compor o HI da Força.
    Considero o Rafale ou o F-18 concorrentes nesse caso.

    Sim existe, um solução de compromisso na questão de furtividade no PAKFA, mas não considero relevante especialmente ás 6 horas. Tacticamente se o caça se estiver às 6 horas entendo que ele estaria se afastando de um engajamento, onde em um cenário REAL , o emprego de misseis BVR já estariam lançados e um PAKFA estaria se afastando ou engajando outro alvo.

    []‘s

  54. Welington 31 de janeiro de 2010 at 12:00 #

    ۞ ۩ _FLY_ ۩ ۞ o mais provável é que os Russos incorporem uma ou duas carenagens no duto de entrada para esconder a face frontal do motor, mas existem inúmeras outras técnicas que podem ser utilizadas…
    Um grande abraço ۞ ۩ _FLY_ ۩ ۞…

    Felipe Cps como já avia dito o F-22 não possui nenhum sistema para mascarar sua assinatura IR às 6H, a face traseira do motor fica totalmente exposta. Não há como se utilizar grelhas e outros artifícios para esconder a face traseira do motor do motor em aeronaves de alto desempenho. O SU-35 BM assim como o F-22 utiliza materiais compostos de carbono e cerâmica para dissipar e mascarar a assinatura IR do motor pela estrutura e nos bocais de exaustão, mas no quadrante traseiro e após o bocal de exaustão é impossível mascarar a assinatura IR em aeronaves de alto desempenho como o F-22 e o SU-50.

    Abaixo segue algumas fotos que demonstram que a face traseira do motor do F-22 A fica totalmente exposta.
    http://www.airliners.net/photo/USA—Air/Lockheed-Martin-F-22A/1426748/L/&sid=5911136c25d531eb3a166c1dd03d228f
    http://www.airliners.net/photo/USA—Air/Lockheed-Martin-F-22A/1246201/L/&sid=5911136c25d531eb3a166c1dd03d228f
    Felipe Cps o SU-35 BM também possui materiais para dissipar o calor, porem estes são efetivos onde são empregados, ou seja, eles mascaram a assinatura IR na aeronave, após o bico de exaustão e no quadrante traseiro não da para mascarar a assinatura IR em aeronaves de alto desempenho…
    O SU-50 utiliza das mesmas técnicas de redução IR do F-22, o bico de exaustão redondo não quer dizer nada, o que importa são os materiais utilizados para dissipar e mascarar a assinatura IR…
    Um grande abraço Felipe Cps…

  55. Welington 31 de janeiro de 2010 at 12:01 #

    Meu comentário esta aguardando moderação…
    Um grande abraço a todos…

  56. Mauricio R. 31 de janeiro de 2010 at 12:23 #

    Os russos não tem tecnologia stealth maturada, os americanos sim e já estão na 3ª geração dela.
    Os russos tem algum protótipo c/ as características do Tacit Blue ou do Have Blue??? Não!!!
    Os russos tem algum ac c/ as características do F-117??? Não, além do que praticamente “forneceram” os modelos matemáticos c/ os quais os americanos criaram esta coisa!!!
    Os russos tem algum ac c/ as características do B-2??? Não!!!
    Então não tem coelho saindo da cartola, o T-50 não passa sequer perto da tecnologia de furtividade de banda larga do F-22 e pronto; não há base tecnológica p/ tal e não há bastante RAM no mundo p/ tanto.
    O que precisa ser determinado é se o atual nível técnico russo lhes permite ter tecnologia de banda estreita similar a aplicada ao F-35.
    Os russos teriam tecnologia p/ curar as pás do compressor de uma turbina impregnando RAM, como os americanos tem???
    No momento não, o que já os coloca em desvantagem pois teriam que pinta-las.
    O que levanta outro questão.
    Qual a tecnologia de RAM disponível aos russos no momento???
    Eles já teriam evoluído das pastilhas e desenvolvido uma massa, que nem massa corrida de pintar parede, ou já teriam uma tinta tal qual a aplicada ao B-2???
    Notem que RAM não é a solução do problema da furtividade, mas uma das ferramentas, então sua aplicação tem limites técnicos, operacionais e como demonstrado pela operação cotidiana do B-2; financeiros que talvez os russos não possam encarar.

  57. Mauricio R. 31 de janeiro de 2010 at 12:32 #

    E nessas quem vai sair perdendo é a Europa, tão reclamona das atitudes americanas.
    Typhoon, Gripen C/D e NG e Rafale, não tem o nível de furtividade do novo ac russo.

  58. Mauricio R. 31 de janeiro de 2010 at 13:09 #

    Welington,

    Pelas fotos postadas dá p/ se perceber o qnto o TVC americano esconde o fluxo escapando pela tubeira da turbina.
    Isto os russos tentaram emular, mas aparentemente o resultado não agradou e eles preferiram desenvolver seu TVC em cima de uma tubeira normal redonda, mesmo c/ desvantagem de não ser possível aplicar RAM na tubeira propriamente dita e no pós-queimador.
    Então os russos ficaram c/ 2 problemas, aumentaram a complexidade da turbina e induziram uma necessidade de mais manutenção pois o TVC deles é parte da turbina, ao contrário do americano que é parte da fuselagem do F-22.
    E acrescentaram um pto de arrasto, no Redflag era justamente o momento de engajar o TVC que os americanos precipitavam p/poder obter uma vantagem ao engajar os Su-30MKI.

  59. Welington 31 de janeiro de 2010 at 13:10 #

    Mauricio R. rsrs os Russos não possuem tecnologia stealth matura?
    A tecnologia furtiva é muito mais antiga do que se pensa. Data de 1941, quando foi estudada pelos britânicos, e foi proposta para bombardeiros de longo alcance alemães em 1943 e 1944! Além de proposta por cientistas alemães no Gotha 229 na segunda guerra mundial, cujo desenho lembra muito o bombardeiro B-2 americano.
    A técnica de forma, como redutora de assinatura por radar utilizada hoje por aviões como o B-2 e o F-117, foi predita e descrita por um cientista russo em 1966 que já estudam esta desde antes desta data. Ao contrário do que pensam grande parte dos “analistas ocidentais”, e muitos aficionados por aviação e meios militares, os russos estão bem desenvolvidos no quesito redução de assinaturas por radar (Radar Cross section) e da assinatura Infravermelha (IR). Recentemente, os indianos conseguiram reduzir o RCS de seus Migs 21 bison (sem armas) de 2,2m2 para 0,18m2 com a utilização de RAM absorvente e RAM magnético, fornecido pelos russos. O SU27 possui um RCS frontal de 10m2, o SU47 aeronave que não utilizou a forma como redutora de seu RCS possui um RCS de 0,3m2 e se a mesma utilizasse os mais novos materiais disponíveis seu RCS ficaria abaixo dos 0,1m2, agora imagine esta tecnologia implementada em uma aeronave que utiliza a tecnologia da forma e você terá o PAK FA.
    Rsrsrs Mauricio R os Russos utilizam materiais RAM nas palhetas das turbinas a anos, inclusive o SU-35 BM e o MIG-35 utilizam estas tecnologia.
    O que você não entendeu é que a tecnologia da forma é simples e conhecida pelos Russos e aplicada ao PAK FA.
    Os Russos utilizam desde tintas aplicadas em finas camadas por sprays eletrônicos a materiais sólidos feitos totalmente em materiais RAM absorventes, alem da utilização de materiais compostos e de outras tecnologias como radome seletivo. Repito os Russos são os mais desenvolvidos em termos de materiais RAM absorventes seguidos pelos americanos. Varias aeronaves utilizam materiais RAM absorventes como o Typhoon, Rafale, Gripen, F-18 E/F, SU-35 BM, ETC.
    A furtividade não é uma tecnologia inovadora criada pelos Americanos, os mesmos são os que mais utilizaram a forma como redutora do RCS, ao contrario dos Russos que sempre deram ênfase aos materiais RAM absorventes e compostos, por saberem das limitações da tecnologia da forma, porem com o tempo eles viram que a tecnologia da forma mesmo limitada é a que confere uma maior redução do RCS, porem esta se utilizada com materiais compostos e RAM absorventes tense como resultado uma aeronave com um nível de furtividade similar a do F-22 A, que utiliza estas três tecnologias como base de redução do seu RCS…
    Entenda os Russos e Americanos são os mais desenvolvidos em termos de furtividade, e estão bem próximos em termos de conhecimentos, com vantagens em determinadas aéreas para cada lado…
    Um grande abraço Mauricio R…

  60. Welington 31 de janeiro de 2010 at 13:15 #

    É possível e já é aplicado RAM nas tubeiras dos caças Russos. Após a tubeira o fluxo sai normalmente não existe segredo, dentro da tubeira e motor são utilizados materiais compostos de carbono e cerâmico para dissipar e mascarar a assinatura IR, mas após os bocais esta se estende para depois da aeronave não da para mascarar, a não ser que se utilize grelas como no F-117, mas isto é impossível em aeronaves de alto desempenho…

  61. Rodrigo Cesarini 31 de janeiro de 2010 at 13:51 #

    Welington, a verdade é que a Rússia usa tecnologia sueca até em seus submarinos nucleares, como ficou comprovado nessa foto:
    http://englishrussia.com/images/submarine_typhoon/1_043.jpg

    Mais aqui:
    http://www.englishrussia.com/?p=2525

    Brincadeira, é só para descontrair um pouco

    []s

  62. Wolfpack 31 de janeiro de 2010 at 14:29 #

    Esperem e a surpresa aparecerá… Não desprezem nunca a capacidade Russa de superar o Bilionário Complexo Militar Americano…
    Propagando, bem propaganda e marketing é com os Gringos mesmo…
    []s

  63. Mauricio R. 31 de janeiro de 2010 at 15:19 #

    “…os Russos não possuem tecnologia stealth matura?”

    Cadê??? Aonde foi empregada??? Em quais aeronaves??? Ah, dispenso as risadinhas.

    “Além de proposta por cientistas alemães no Gotha 229 na segunda guerra mundial…”

    Um bombardeiro alemão, que nunca voou e nem teve a validade da tecnologia verificada.

    “A técnica de forma, como redutora de assinatura por radar utilizada hoje por aviões como o B-2 e o F-117, foi predita e descrita por um cientista russo em 1966 que já estudam esta desde antes desta data.”

    Como eu disse anteriormente, os russos PENSARAM na coisa, foram prá Portugal perderam o lugar, pois quem APLICOU o principio de forma na PRÁTICA foram os americanos!!!

    Qnto ao B-2 logo após a 2ªGM, a mesma Northrop que décadas depois voaria-o, voava as asas-voadoras XB-35 e YB-49 fruto da pesquisa americana, que indicava ser esta a melhor forma de anular a detecção por radar.

    “…com a utilização de RAM absorvente e RAM magnético, fornecido pelos russos.”

    RAM pela sua constituição já é ABSORVENTE, mas não magnético pois pulsos de radar não são metálicos, mas ondas de rádio.

    “…os Russos utilizam materiais RAM nas palhetas das turbinas a anos, inclusive o SU-35 BM e o MIG-35 utilizam estas tecnologia.”

    Duvido e não dou fé, além do que ambas as aeronaves citadas sequer em serviço ativo se encontram.
    O que não pode ser dito de B-2 e F-22.
    Ah, e como dito anteriormente, dispenso as risadinhas…

    “O que você não entendeu é que a tecnologia da forma é simples e conhecida pelos Russos e aplicada ao PAK FA.”

    E o que vc se recusa a aceitar, é que essa tecnologia aplicada ao PAK-FA, é inferior a tecnologia americana em serviço ativo.

    “Repito os Russos são os mais desenvolvidos em termos de materiais RAM absorventes seguidos pelos americanos.”

    Tá difícil de ver essa sua afirmação corroborada pelos fatos, pois além das aeronaves stealth conhecidas ( F-117; B-2; F-22 e F-35) serem americanas, temos o U-2 e o SR-71 que tb são aeronaves americanas, que de uma maneira mais simplória empregaram RAM ou furtividade pela forma; mas não estamos vendo nenhuma aeronave soviética e/ou russa, sequer similar.

    “A furtividade não é uma tecnologia inovadora criada pelos Americanos, os mesmos são os que mais utilizaram a forma como redutora do RCS”

    Mto pelo contrário, a furtividade pela forma é uma tecnologia inovadora, em oposição a redução de RCS pela aplicação de RAM.

    “…ao contrario dos Russos que sempre deram ênfase aos materiais RAM absorventes e compostos, por saberem das limitações da tecnologia da forma…”

    Como se o U-2 e o SR-71 fossem mais furtivos que F-117; B-2; F-22 e F-35, na absoluta falta de uma aeronave russa similar.

    “…a tecnologia da forma mesmo limitada é a que confere uma maior redução do RCS, porem esta se utilizada com materiais compostos e RAM absorventes…”

    Ué e tdo aquele blá, blá blá da superioridade russa em materiais RAM, sem uma aplicação prática comprovando a tecnologia???

    Vc insiste em mencionar materiais compostos, mas ainda não entendeu que os mesmos são permáveis ao radar e sua função é manter o peso baixo em oposição ao uso de ligas metálicas.

    “Entenda os Russos e Americanos são os mais desenvolvidos em termos de furtividade, e estão bem próximos em termos de conhecimentos, com vantagens em determinadas aéreas para cada lado…”

    Entenda por mais que isso lhe desagrade, são os americanos que lideram essa corrida várias voltas á frente de russos , chineses e europeus.
    Eles tem do U-2 ao F-35 p/ mostrar a realização de seu esforço tecnológico, na prática.

    “É possível e já é aplicado RAM nas tubeiras dos caças Russos. Após a tubeira o fluxo sai normalmente não existe segredo,…”

    Não é o que dezenas de fotos, de tda as gerações de Flanker e Fulcrum mostram.

    “…dentro da tubeira e motor são utilizados materiais compostos de carbono e cerâmico para dissipar e mascarar a assinatura IR,…”

    Carbono de uso aeronáutico é uma fibra, é tecido, não tem aplicação nas partes quentes de uma turbina.

    “…a não ser que se utilize grelas como no F-117, mas isto é impossível em aeronaves de alto desempenho…”

    Pode ser impossível p/ os russos, mas p/ os americanos e seu TVC instalado no F-22, não.

  64. Wolfpack 31 de janeiro de 2010 at 15:33 #

    Mauricio R. a resposta está no meu post logo abaixo:
    http://www.aereo.jor.br/2010/01/31/a-furtividade-do-pak-fa/

    Assista aos vídeos que postei e verá a origem da tecnologia stealth do F117 Nighthawk. O depoimento é fantástico, e quando a sobrevivência de seus filhos estiver em jogo, os cientistas russos pensam duas vezes em manter silêncio sobre seus estudos e pesquisas.
    []s

  65. Welington 31 de janeiro de 2010 at 16:15 #

    Mauricio R. SU-47, SU35 BM, MIG-35, MIG-21, varias tecnologias empregadas nestas aeronaves visam a redução de sua assinatura EM, porem nunca foi alcançado o nível VLO pela não utilização da forma como redutora do RCS, até agora com o PAK FA.

    RAM (Radar Absorbing Material- material absorvente de EM), o texto é do Carlos Emilio, copiei e colei, pois não aguento mais ficar citando a mesma coisa 1 milhão de vezes.

    O SU-35 BM possui diversas tecnologias de redução do seu RCS assim como o MIG-35, inclusive materiais RAM em suas palhetas, o fato dos mesmos não se encontrarem em serviço não influencia na utilização de tecnologias avançadas em seus protótipos de pré produção…

    Meu caro a tecnologia da forma é simples, pegue uma lanterna e ilumine um espelho frontalmente, a luz será refletida em sua grande parte de volta ao ponto emissor, porem se você inclinar esta superfície a luz será defletida para outra direção que não a de origem, esta tecnologia é conhecida pelos Russos desde 1960, não existe tecnologia superior, a mesma não foi utilizada na época pelos Russos pois seus cuculos eram muito complexos e os comutadores da época não suportavam os cálculos, posteriormente com a evolução dos processadores um cientista americano criou um software com base dos estudos deste cientista Russo que calculava os ângulos de deflexão para redução do RCS, e o resultado foi o F-117 simplesmente pela fraca taxa de processamento dos computadores da época, agora imagine hoje com os computadores atuais, resultado F-22 e SU-50..
    Não há como comparar o RCS de uma aeronave que utiliza a tecnologia da forma e de materiais RAM com uma que só utiliza a 2º, vou citar um exemplo claro o SU-47 possui um RCS de 0,3m2 no setor frontal, esta aeronave possui as mesmas dimensões do SU-27 e não se utilizou da forma como redutora do seu RCS, o SU-27 possui um RCS frontal de 10m2, ou seja, a redução do RCS foi de 33 vezes somente com a utilização de materiais compostos e RAM absorventes, não há nada no ocidente conhecido, o F/A-18 E/F SH utiliza 70kg de materiais RAM absorventes e possui um RCS de 1m2 no setor frontal, ou seja esta aeronave é bem menor que o SU-47 e possui um RCS bem maior.
    Mauricio R : Como se o U-2 e o SR-71 fossem mais furtivos que F-117; B-2; F-22 e F-35, na absoluta falta de uma aeronave russa similar.
    Meu caro o F-117; B-2; F-22 e F-35 utilizam a tecnologia da forma e de materiais compostos, portanto devem por obrigação possuir um RCS inferior a de uma aeronave que utiliza apenas a forma como redutora.
    Materiais compostos não refletem ondas EM, estes reduzem o RCS da aeronave e diminuem o peso da mesma, estes materiais estão substituindo vários outros materiais refletores como Titânio, alumino ETC, estes reduzem sim o RCS da aeronave…
    O F-22 não possui nenhum sistema de redução da assinatura IR no setor traseiro, como já exposto, não ha nenhuma técnica de redução após o bocal de exaustão. Até aeronaves de 4.5G utilizam materiais compostos de carbono e cerâmica para o mascaramento e dissipação do calor no corpo do motor e nos exaustores, porem após o exaustor a trila de calor é detectável e impossível de ser camuflada.
    Nesta imagem pode se ver o tratamento com tinta RAM no bocal de exaustão direito do SU-35 BM.
    http://maks.sukhoi.ru/media/photo/maks2007/maks2007d1p236.jpg

    Pelo seu texto percebo que você é um fã americano e um anti Russo, alem de desconhecer em muito a história e a tecnologia stealth. Não me entenda mau, um grande abraço Mauricio R…

  66. Mauricio R. 31 de janeiro de 2010 at 16:28 #

    Welington,

    O seu blá, blá, blá é de que só os russos sabem do riscado, mas a realidade não corrobora isso.
    Mas e aí aonde estavam os super-sabidos russos, enquanto os americanos criavam 3 gerações de aeronaves furtivas???
    Vc só sabe falar de RAM, repete isso quase que como um mantra e depois sou eu que não sei o que é stealth!!!
    Rapaz, vc escreveu e eu te contra argumentei, e como mtos aqui pelo visto vc não gostou.
    Fazer o que…

  67. Welington 31 de janeiro de 2010 at 17:06 #

    Mauricio R. stealth significa capacidade de descrição, não significa estritamente que deva ser do nível VLO abaixo dos 0,01m2, o PAK FA é uma aeronave stealth VLO e aposto que possuirá um RCS inferior ao do F-22 pela extensa utilização de materiais RAM absorventes, compostos, tecnologia da forma dentre outras tecnologias como radome seletivo, canopy com filetes metálicos que absorvem ondas eletromagnéticas, dentre outras inúmeras tecnologias.
    O SU-50 esta sendo desenvolvido desde 1989 e tem como objetivo ser igual ou superior ao F-22 se será ainda é uma incógnita, mas pelas projeções o mesmo o superara…
    Mauricio R. peço desculpas se me exaltei com você, me desculpe é que estou escrevendo uma meteria que é muito extensa e esta me dando muito trabalho, novamente peço desculpas…
    Um grande abraço Mauricio R….

  68. Welington 31 de janeiro de 2010 at 20:15 #

    Só como observação Existem dois tipos de materiais absorventes de radar: o RAM dielétrico e o RAM magnético.
    Um grande abraço a todos…

  69. robertobozzo 31 de janeiro de 2010 at 23:36 #

    Weligton, boa noite. Como pecebo que vc é quem entende mais de aviação russa aqui pergunto: por que o projeto do SU 47 não foi pra frente ? Quais foram os problemas, ao que parece incontornáveis, que fizeram este projeto ser abandonado ?
    E mais uma pergunta “ingênua”: se escolhessemos o F18 no FX2, não poderíamos barganhar assumir o YF23 ???

  70. Rafael 1 de fevereiro de 2010 at 13:29 #

    Tenho uma pergunta pa galera do blog, empuxo vetorado e stealth naum combinam?E os helicopteros, quando iremos velos furtivos?

  71. Bosco 1 de fevereiro de 2010 at 13:44 #

    Rafael,
    quase que o Comanche vinga e aí teríamos um helicóptero furtivo operacional.
    Por outro lado há um grande interesse em reduzir a assinatura radar, térmica, visual e sonora de helicópteros e isso tem sido feito de modo paulatino e não radical como no caso do Comanche.
    Uma das maiores fontes de reflexo radar de um helicóptero são as pás dos rotores que em muitos já é de material composto.
    Quanto à TVC e furtividade, tem relação sim. É dito que o TVC ajuda na furtividade já que permite uma redução no tamanho das superfícies de controle (e até eliminá-las) e permite refinamentos de curso sem que as mesmas se movam, o que alteraria o ângulo de incidência do feixe de radar e poderia aumentar a assinatura momentaneamente.
    No PakFA é visível que esse conceito foi usado dada a pequena dimensão dos estabilizadores verticais/lemes.

  72. Welington 1 de fevereiro de 2010 at 13:55 #

    Robertobozzo o Su47 e o MIG-1.44 não foram abandonados, muito pelo contrario, eles foram utilizados exaustivamente em testes de novas tecnologias tais como fly by wire, aerodinâmica, porão de armas interno, materiais compostos, RAM absorventes, supercruise, etc., na realidade estas aeronaves desde sua construção tiveram como objetivo serem utilizadas para testes, ou seja, como bancada de testes para novas tecnologias e as mesmas cumpriram muito bem o seu papel, lembro-me certa vez que li uma noticia a mais de 5 anos que o SU-47 estava testando exaustivamente varias tecnologias para serem utilizadas no futuro caça Russo de 5º geração o PAK FA.
    O conceito do SU-47 revolucionou o modo de se pensar em aeronaves, porem este não passou de um demonstrador de tecnologias, mas contribuiu em muito para o PAK FA. Um dos maiores problemas do SU-47 era sua instabilidade em velocidades transsonicas que tornavam o vôo perigoso e este foi uma das principais motivos para a não utilização desta configuração no PAK FA…
    Rafael combinam sim, o F-22 utiliza porem um sistema 2D, o PAK FA ira utilizar um sistema 3D, muitos acham que simplesmente por um bocal ser redondo ele refletira mais EM, o que na pratica não se confirma, muito pelo contrario, superfícies retas a fonte emissora são as maiores fontes de ecos para os radares. O TVC juntamente com a aerodinâmica, contramedidas eletrônicas e descartáveis podem salvar uma aeronave de um míssil de 5º geração fora da NEZ (no escape zone), na maioria das vezes…
    Já existe um helicóptero furtivo o RAH-66 comanche, porem o mesmo não entrou em produção pelo seu alto custo unitário…

    Um grande abraço a todos…

  73. Welington 1 de fevereiro de 2010 at 13:57 #

    O Bosco já lhe respondeu, rsrs, sorry…

  74. Felipe Cps 1 de fevereiro de 2010 at 14:11 #

    Welington em 01 fev, 2010 às 13:55:

    “muitos acham que simplesmente por um bocal ser redondo ele refletira mais EM, o que na pratica não se confirma, muito pelo contrario, superfícies retas a fonte emissora são as maiores fontes de ecos para os radares”

    Welington, se você observar bem, verá que as quatro partes ou “abas” do TVC2D do F-22, posicionado na carenagem, logo após o escape de gases da turbina, não são retas e sim “chanfradas”, seguindo os mesmos padrões não-refletivos ao radar do restante da aeronave, além de ocultar ao menos parcialmente a assinatura IR.

    Ao contrário, a saída das turbinas do T-50 são perfeitamente redondas e “comuns”, o que qualquer radarzinho meia boca detecta como uma forma “não-natural”, pra não falar que fica impossível ocultar o sinal IR.

    Sds.

  75. Welington 1 de fevereiro de 2010 at 15:04 #

    Felipe Cps meu comentário não foi uma critica ao bocal do F-22 que não é reto, e sim uma critica aos que acham que uma superfície redonda ira ecoar mais EM para a fonte emissora.
    http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2010/01/PAK-FA-12.jpg
    Vou citar um exemplo claro, veja nesta imagem e imagine uma EM direcionada aos bocais de exaustão, os mesmos são redondos e inclinados, a emissão magnética será defletida para outra direção que não a de origem pela sua inclinação e por ser redonda, esta mesma técnica é utilizada nos bocais do F-35 que são redondos e inclinados. O fato do F-22 utilizar bocais 2D são simples e puramente pelos EUA não dominarem esta tecnologia de vetoração de empuxo 3D e não pela melhor eficácia do sistema 2D que também é arredondado…
    A única parte que é uma fonte refletora em potencial é a parte interna dos exaustores, porem como ocorre no SU-35 BM estes são tratados com RAM magnético, assim como a face traseira do propulsor…
    Um grande abraço Felipe Cps…

  76. Welington 1 de fevereiro de 2010 at 15:11 #

    Felipe Cps como já citei dentro do corpo da aeronave e do exaustor são aplicadas camadas de materiais compostos de carbono e cerâmicos que visão mascarar e dissipar a radiação IR, porem depois dos exaustores e no setor traseiro é praticamente “impossível” reduzir significadamente a radiação IR de aeronaves de alto desempenho, como no F-117 que utiliza uma grela e um duto para esconder a face do motor.
    Um grande abraço Felipe Cps…

  77. Felipe Cps 1 de fevereiro de 2010 at 16:13 #

    Welington em 01 fev, 2010 às 15:04:

    “O fato do F-22 utilizar bocais 2D são simples e puramente pelos EUA não dominarem esta tecnologia de vetoração de empuxo 3D”

    Hehehe Welington, vc realmente e em sã consciência acha que os EUA não teriam capacidade de fazer uma vetoração 3D se achassem que serviria pra alguma coisa além de fazer acrobacias? Aliás, pra que serve vetoração 3D em um combate aéreo predominantemente BVR? E mais, será que o que a 3D faz a 2D não faz? Por fim, lembro ao amigo que o bocal da turbina do F-35B (que não é americana, mas de tecnologia destes conhecida) também se desloca, e que provavelmente ele também terá vetoração 3D, embora esta se dê muito possivelmente apenas por conta do auxílio ao vôo VTOL e STOVL.

    “e não pela melhor eficácia do sistema 2D que também é arredondado”

    Amigo, já mostrei em 2 fotos acima que o sistema de vetoração do F-22 se prende à carenagem, não ao bocal da turbina, e não é arredondado, e sim em abas de direcionamento do fluxo, abas estas que são chanfradas e não arredondadas.

    Sds.

  78. Welington 1 de fevereiro de 2010 at 18:17 #

    A tecnologia de vetoração de empuxo 3D não é simplesmente um bocal com controles hidráulicos que movimentam um bocal móvel e sim um sistema hidráulico de rápida reposta que consegue mover mais de 17.000kg a qualquer momento e não o sistema de vetoração do F-35 que se movimenta pouquíssimos graus apenas para estabilizar a aeronave no pouso, dando pouquíssima manobrabilidade a mesma nesta manobra, como é comum neste tipo de aeronave…

    Os bocais 3D servem para elevar a manorabilidade da aeronave no plano horizontal e não somente no vertical como o 2D. Uma aeronave super manobrável com sistema de vetoração de empuxo como o do F-22, Typhoon( Se for da vontade do cliente), SU-35 BM, MIG-35 e o PAK FA possuem mais chances de escapar de um míssil fora da NEZ se atuarem em conjunto com os sistema de contramedidas eletrônicas e descartáveis, porem se a aeronave não for super manobrável e depender exclusivamente de seus sistemas de contramedidas eletrônicas e descartáveis o mesmo possui mais chances de ser alvejado que escapar de um míssil fora da NEZ. Quanto mais manobrável for a aeronave no plano vertical e horizontal mais chances de sobrevivência mesma terá, seja contra mísseis BVR e WVR fora da NEZ ou contra caças inimigos em combate aproximado.
    Como bem dito no meu post, os bocais de exaustão do F-22 são arredondados e não retos…
    Lembrando que estou falando da estrutura dos exaustores e não dizendo que os mesmos são circulares…

    http://www.kopeikingallery.com/media/gallery/Lockheed%20Martin%20F-22A%20Raptor.jpg
    http://home.pon.net/hunnicutt/images/F22.jpg
    Concluindo meu post anterior bocais circulares e inclinados não elevam o RCS da aeronave, muito pelo contrario…
    Desde já peço desculpas pela simplicidade do meu post, mas tenho que sair e estou atrasado…
    Um grande abraço Felipe Cps.

  79. cos 5 de fevereiro de 2010 at 22:48 #

    so uma perguntinhas ou duas.. 1 visto que sao 3 protótipo construidos sera possivel que os outros 2 sejam diferente a espeste apresentado ao puplico? 2tanto o t-50 como f-22 carregam algum tipo arma ou missil ataque ao solo?

  80. aleph 25 de fevereiro de 2010 at 2:44 #

    Repercussões do PAK-FA, depois do seu primeiro vôo: http://www.ausairpower.net/APA-NOTAM-150210-1.html.
    Interessante…

Trackbacks/Pingbacks

  1. Novo vídeo do PAK FA | Poder Aéreo - 19 de maio de 2010

    [...] Semelhanças entre o PAK FA e outros caças stealth [...]

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Mais um operador do Gripen a caminho: a Eslováquia

Ministro da Defesa Martin Glvác confirmou que há um acordo para alugar os jatos suecos, segundo a Rádio Slovakia International […]

Divisão de sistemas eletrônicos da ST Engineering abre subsidiária no Brasil

São Paulo, julho de 2014 – A Singapore Technologies Engineering Ltd (ST Engineering) anuncia que sua divisão de sistemas eletrônicos, […]

Pacote tunisiano de 12 helicópteros UH-60M Black Hawk com mísseis Hellfire e foguetes Hydra

Requisição tem valor total estimado de 700 milhões de dólares, incluindo metralhadoras, motores extras, designadores de alvo, sistemas de alerta, […]

Índia venderá 10% da HAL para viabilizar produção do Rafale

Objetivo é utilizar os recursos para modernizar instalações da empresa estatal, que além do caça Rafale francês precisará produzir a […]

Pousa na Índia o sexto C-17 da IAF

O birô de informações à imprensa da Índia (Press Information Buerau) informou na segunda-feira, 28 de julho, que a Força […]

EUA: China testa sistema anti-satélite

Os EUA disseram que a China testou um míssil projetado para destruir satélites e está pedindo para que Pequim evite […]