Get Adobe Flash player

PAK FA, F-22, F-35 etc

PAK FA F-35 sizecomparison

O primeiro voo do PAK FA era esperado há muito tempo e caiu como uma bomba nos fóruns da internet, logo pela manhã. Os críticos e incrédulos tiveram que se calar dessa vez e os fãs do Sukhoi puderam regozijar-se.

Mas as críticas não demoraram a surgir. Alguns disseram que o PAK FA voou pela metade, pois o nariz do avião não é dele, o motor não é, a cauda também etc.

Outros, por outro lado, afirmam que o avião poderá causar um grande impacto no balanço de forças, obrigando os EUA a cederem o F-22 para seus aliados mais chegados, Israel, Japão e Austrália. Imaginem o PAK FA vendido para a Síria, Irã, Venezuela e outros?

Com certeza Moscou está em festa hoje, mas outras festas também podem estar ocorrendo na LM, fabricante do F-22 e no Pentágono, que precisava de um motivo para continuar a produção do F-22 e acelerar o programa do F-35.

Muito dinheiro ainda terá que ser investido na primeira aeronave de 5a. geração russa, mas pelo menos, ela já está voando, ao contrário do F-X2 brasileiro.

Tags: , ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

180 Responses to “PAK FA, F-22, F-35 etc” Subscribe

  1. Ara 29 de janeiro de 2010 at 19:18 #

    Com certeza o pessoal da Lockheed Martin deve estar fazendo a festa.

  2. luis alberto 29 de janeiro de 2010 at 19:20 #

    Repassando:
    Em «time» que ganha não se mexe.

    Esta frase é provavelmente a mais significativa perante a divulgação pública das características e aspecto exterior do novo caça russo.
    Aquilo que há bastante tempo se suspeitava acabou por se confirmar, pois o PAK-FA, sendo uma aeronave com muitas características novas, não tem como esconder a origem da sua estrutura básica, que é para lá de qualquer dúvida razoável, a mesma do caça Su-27 «Flanker» desenvolvido durante os anos 70.
    Os rumores de que a aeronave russa de «5ª geração» era apenas uma modificação muito significativa do caça Su-27 já tinham vindo a público há algum tempo, o que levou a especulações sobre algum tipo de relação entre o caça bombardeiro Su-34 (uma outra modificação do Su-27) e um eventual futuro caça «Stealth» russo.

    O Su-34 «Platypus» foi radicalmente modificado na parte da frente, já no PAK-FA, as modificações são essencialmente na traseira, onde os enormes lemes verticais – que sempre constituíram um problema porque transformam o Su-27 num alvo fácil – são modificados e colocados em ângulo, de forma a reflectir as ondas de radar.

    Ainda que seja uma modificação do caça Su-27 «Flanker» não seria correcto afirmar que se trata da mesma aeronave. Muitos esforços parecem ter sido desenvolvidos para tornar as linhas do «Flanker» mais doces, embora o cockpit e a carlinga se mantenham quase iguais.
    A posição dos motores e as enormes entradas de ar continuam quase idênticas às do «Flanker», o que permite concluir que de frente o novo avião não terá melhorado muito a sua performance em termos de ocultação perante os radares inimigos.

    Outra característica que os russos introduziram foi a de baías internas para o transporte de armamento, embora não se possa quantificar de forma minimamente fiável a quantidade e a capacidade das armas que poderão ser transportadas.

    A industria russa, tem tradicionalmente demonstrado uma grande capacidade para estender a vida útil dos seus projectos por períodos de tempo que seriam impensáveis para os ocidentais. Exemplo disso é a linha de viaturas blindadas, que evoluiu do T-54 para o T-72 e daí para modelos mais recentes que, tendo diferentes designações (T-80, T-90), são claramente resultado de um longo processo evolutivo.
    Um caça resultado deste tipo de evolução, tem a vantagem de ter parte da estrutura industrial necessária já montada, reduzindo drasticamente a necessidade de desenvolvimento de novos sistemas.

    Ainda que o PAK-FA seja um derivado do Su-27, ele somará às modificações estéticas e aerodinâmicas, novos sistemas de navegação, radares e motores mais modernos.
    A integração de sistemas deverá demorar alguns anos e embora a queima de etapas ao manter uma estrutura já conhecida permita tornar a aeronave operacional ainda durante esta década.

    Em termos de mercado ele poderá apresentar-se como um rival à altura de qualquer caça europeu, embora partindo de uma aeronave de grandes dimensões como o Flanker (optimizado para a performance mas com uma assinatura-radar do tamanho de uma montanha) seja impossível atingir os níveis de ocultação dos caças norte-americanos.
    Os engenheiros russos, podem saber desenhar caças, mas não podem contornar as leis da Física.

  3. Alecsander 29 de janeiro de 2010 at 19:25 #

    É antes eu só tinha notado semelhança com o F-22 Raptor, agora comparando as duas aeronaves, como foi dito por outros colegas, o bico e a cabine do PAK FA T-50 é muito parecido com a do F-35.

  4. MOKITI 29 de janeiro de 2010 at 19:30 #

    Se esse caça cumprir o que promete,ser melhor que o F-22,os E.U.A vão estar em sérios apuros,pois o preço sugerido dele de 80 MILHÕES,e um F22 170 milhoes vai forçar os E.U.A,a reativar o programa do F-22.
    Falta agora só o lançamento do Mitsubishi ATD-X

  5. Francoorp 29 de janeiro de 2010 at 19:34 #

    Senhores, agora sò tem razão quem quer ver o destino da aviação de caça e bombardeio…..Os russos acabaram com a vantagem estratégica que tinham os U.S.A. nos anos 90….nem isso pois os F-22 entraram em serviço em 2005, em 2005!!!!!!

    Agora 5 anos mais tarde a Mãe Russia da uma resposta direta e violenta, como sempre nos Yankees…temos a tecnologia e temos a capacidade de produção…vai encarar?

    -Não obrigado!!!!HEHEHE

    Agora é so esperar a Mikoyan(Mig) fazer o competidor dos F-35, pois os do F-22 eles já tem…os velhos e potentes SuKhoy!!!!!

    O dia de hoje cala a boca de muitos na internet!!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. Robson Br 29 de janeiro de 2010 at 19:36 #

    PARECE QUE A TURMA DO GRIPEN NG SUMIU.

    Realmente o mais sensato é o Jobim, pois pelo que vemos essa história de projeto bom é muito volátil. A turma do gripen toda debandou e abandonou o pobre coitado.

    O PAK-FA ainda é projeto e isso que voou não é nem um demonstrador de conceitos. Que um dia vai ser um caça, temos certeza, mas falta muito tempo e muito dinheiro.

    Quem acompanha a caminhada do F-22 e do F-35, percebe como é difícil. Será que os russos são melhores que os americanos e vão produzir um caça de um dia para o outro, com o melhor de tudo e a preço de bananas.

    Engana-se os rufólogos, poi quando vemos a inglaterra cancelabdo até porta-aviões por causa dos custos de aquisição, operação e manutenção dos F-35 vemos que a coisa não é por aí.

    O Rafale é um caça pronto, dá trabalho para os f-22 e tem o de melhor em sistemas e está operacional.

    Como os F5 ainda não termiram as suas modernizações e vão ficar por mais de uma década e os AMX estão ainda na fase de desenvolvimento da modernização e vão operar por mais de duas décadas teremos bastante tempo.

    FX-2 + F5-M + AMX-M serão o suficiente para dar tempo do Brasil não entrar em uma canoa furada.

    Teremos tempo, pois quando fomos substuir os F5-M e AMX-M teromos uma visão mais concreta da situação.

    Me desculpe os defensores de projetos desconhecidos. A FAB necessita de um caça para ontem e não tem tempo mais para um projeto que não se conhece a configuração final e nem seus parãmetros de custos de aquisição e manutenção.

    Temos sim que já pensar em um FX-3, pois os F-5 e AMX já estão com os dias contados. Vamos com calma, não se admirar por um projeto que tem futuro, mas que não sabemos qual o tempo e qual o custo.

    BRASIL ACIMA DE TUDO!!!!!!

  7. MOKITI 29 de janeiro de 2010 at 19:37 #

    Francoorp tem outra ainda,além da resposta ser violenta,é mais barata,um F-22 pra 2 sukkoi 50.

  8. MOKITI 29 de janeiro de 2010 at 19:40 #

    Se oferecerem um Sukkoi T-50 a fab ela vai dizer que não quer,por ser caro,por ELA ter a doutrina america,e outras tantas desculpas.
    E FORA AS PESSOAS QUE SABOTAM AS COMPRAR,MAS PRA COMPRAR VELHARIA NÃO TEM ESSE PROBLEMA!

  9. Robson Br 29 de janeiro de 2010 at 19:49 #

    Francoorp em 29 jan, 2010 às 19:34

    Também sou da torcida pelo PAK-FA, mas vamos por os pés no chão.

    Os associados do F-35 estão colocando os olhos da cara para terminar o caça. Será que os russos tem mais tecnologia e dinheiro do que eles?

    Será que o PAK-FA chegará perto do F-22? Qual o custo desse caça. Falar que vai usar o radar AESA que é usado no caça tal, usar a turbina tal….etc… é muito vago. O F-22 foi conceito novo em tudo, como tambem o F-35. Pois muito retalho não passa de melhoramentos em um caça atual, como é o caso do F-15. Por mais que que melhore a aparencia do F-15, esconda as armas, utilize materiais absorventes, nunca vai a ser um verdadeiro caça de quinta geração.

    Vamos aguardar e torcer pelo PAK-FA

  10. Tales 29 de janeiro de 2010 at 19:56 #

    Robson Br em 29 jan, 2010 às 19:36

    Eu acho que vi um Gripinho…ehehehehehe

  11. robertobozzo 29 de janeiro de 2010 at 19:59 #

    Ainda sou a favor do NG, pois traria conhecimento de verade… mas com a balança pendendo rapidamente aos nossos vizinhos (Chile e Venezuela, no caso de aviação) faria uma “dobradinha”, 48 SH e desenvolvimento conjunto com o Gripen, após, a produção de NG para completar a fAB; absorvendo e “aprendendo” as duas tecnologias, o inicio de um caça de 5ª geração com a Suécia e Coréia do Sul… opinião de leigo.

  12. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 19:59 #

    Os russos em matéria de aviões de combate estão 10 anos atrasados em relação aos EUA. Gostemos ou não e idependentemente dos americanos serem ou não porcos imperialistas comedores de hamburguer.
    Só agora os russos fizeram voar um caça de quinta geração que não temos a mínima idéia de suas características, porque até ontem não tinham divulgado nenhuma fotinha ou dados confiáveis.
    O Pak FA pode ser melhor que o F-22? Claro que pode. Na verdade é obrigação que seja já que os russos tiveram 15 anos pra fazer um da quinta geração.
    Agora, quem vocês acham que irá chegar primeiro na 6ª Geração?
    Embora ele possa vir a ser melhor que o F-22 em geral não é isso que ocorre. O que vemos é que no máximo os russos (e antes, os soviéticos) conseguem superar alguns dados técnicos pontuais para a satisfação da galera dos russofílos afixionados, mas no cômputo geral o “similar” americano é mais eficaz e letal.
    Também, embora os russos cheguem atrasados sem em geral emplacar nada de novo (apenas aperfeiçoam a roda), os americanos conseguem na maioria das vezes modernizar seus vetores de modo a pelo menos igualar o adversário atrasadinho, enquanto cozinham o galo até que uma versão completamente nova seja projetada e construída, fazendo a fila andar e mudando o paradigma anterior. Claro, os russos 15 anos depois chegam junto e tudo começa de novo…

  13. robertobozzo 29 de janeiro de 2010 at 20:01 #

    “verade” = verdade, desculpem.

  14. Francoorp 29 de janeiro de 2010 at 20:05 #

    Robson Br

    “Os associados do F-35 estão colocando os olhos da cara para terminar o caça. Será que os russos tem mais tecnologia e dinheiro do que eles?”

    Os Russos da MIG jà fizeram o Mig-1.44…. fazer um concorrente do F-35 é possível pra eles…Se os Russos não tivessem tecnologia para competir com os Yankees…hoje depois da guerra fria, nem existiria a concorrência entre eles!!!

    “Falar que vai usar o radar AESA que é usado no caça tal, usar a turbina tal”

    Realmente não vão usar o AESA, mas coisa muito melhor, coisa que rastrea objetos voadores de até 0,01m2….. o Irbis-E!!!!

  15. Paulo Renato 29 de janeiro de 2010 at 20:06 #

    Vamos esperar pq foi o primeiro voo do T50, ainda tem muita coisa pra ser feita.
    Sou fã dos equipamentos Russos, mas não podemos deixar de lado os Americanos eles são muito competentes em termos miltares e isso já foi comprovado.

    Abs.

  16. Robson Br 29 de janeiro de 2010 at 20:08 #

    Bosco em 29 jan, 2010 às 19:59
    `
    É isso aí Bosco!!!!
    Não precisa dizer muito, para dizer tudo.!!!!!

  17. casag 29 de janeiro de 2010 at 20:11 #

    Eu também acho que vi um Gripinho… E bom mesmo, é que a torcida dele, a ala mais forte, já correu de volta ao SH. Aliás nunca sairam. Tem um que até vira “esquerdopata” pelo PAK-FA. eheheh.

    O NG subiu no telhado.

    VÃO TENTANDO VIUVADA!

  18. Robson Br 29 de janeiro de 2010 at 20:12 #

    Francoorp em 29 jan, 2010 às 20:05

    Depois do fim da guerra fria, o que eles apresentaram de novo?
    muito pouco.

    Basta ver o estado de
    Sua marinha
    Sua fotça aérea
    E seu exercito

  19. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 20:13 #

    No geral, devido a imensa distância que há entre os EUA e a Rússia em termos de poder militar, industrial e econômico, os americanos não chegam a se preocupar com uma possível paridade tecnológica entre os vetores dos dois países e nem mesmo com uma possível superioridade do vetor russo.
    Isso ocorre porque o poderio americano é tão grande que supera com larga vantagem em termos de material, doutrina, treinamento, etc, a ponto de um vetor mais capaz não fazer a diferença na correlação de forças.
    Os russos vão atrás não para tentar superar os americanos, que sabem ser uma tarefa ingrata, pra não dizer impossível, e sim para se manterem no páreo e abocanharem uma fatia do bolo.
    Parabéns ao russos.

  20. João Paulo Caruso 29 de janeiro de 2010 at 20:25 #

    Gostaria de gentilmente discordar daqueles que dizem que o t-50 é um redesenho do flanker.

    Segundo algumas imagens que vi os motores não estão no mesmo lugar (o espaço entre eles é maior), as asas são totalmente diferentes, o corpo é diferente e as entradas de ar não são tão retas, os estabilizadores são menores e mais inclinados, o avião não possui aquela corcunda alta do sukhoi-27, a fuselagem é dividida, a estrutura básica interna também não pode ser igual e o nariz lembra um f-35. Até a distribuição do combustível interno não pode ser igual

    São muito, muito maiores as diferenças do que as semelhanças. Fazer um redesign totalmente diferente é impossível, pois ai você está criando um design novo.

    Essa aeronave, devido às suas formas vai ter caracteríticas novas e inéditas de vôo e manutenção.

    O f-15 tem muitas semlhanças com o raptor e isso não significa muito.

  21. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 20:28 #

    A comparação que deve ser feita não é se o Pak FA é melhor ou não que o F-22 e sim se o F-22 é melhor ou não que o Su-27.
    O intuito dos russos em projetar o Pak FA não é combater e derrotar o F-22 e sim para derrotar com uma mão nas costas o F-15 e o F-18E.
    Quando dois caças de mesma geração se enfrentam a vantagem estará não no vetor em si mas nas variáveis externas, como apoio, doutrina, treinamento, etc.
    O F-22 deverá estar na dianteira devido a USAF estar há anos desenvolvendo “doutrina” de usar vetores stealth (desde o SR-71 como querem alguns ou pelo menos desde o F-117 como querem outros) e como eles são os únicos que os possuem e já treinam como lutar e vencer vetores stealths há pelo menos 25 anos de modo realista em combates simulados e não em telas de computador, o que possibilita desenvolver táticas adequadas.
    O vetor americano que deverá ser superior ao Pak FA será o futuro caça de 6ªG, e não o F-22.

  22. Alecsander 29 de janeiro de 2010 at 20:35 #

    MOKITI em 29 jan, 2010 ás 19:30

    Mais a Lockheed Martin não esta reclamando, como eu disse no outro post, com o novo PAK FA T-50 a L.M vai tirar a barriga da miséria rsrsrsrs. O que a empresa norte americana vai faturar vendendo o carissimo F-35 para os países aliados não deve ser brincadeira. E se bobiar ainda vai vender F-22 a US$400 milhões para Japão e Israel.

    Um grande abraço.

  23. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 20:38 #

    Não podemos nos esquecer que quando o Pak FA estiver operacional os americanos já terão 2 caças de quinta geração operacionais e com certeza um projeto adiantado de um caça de 6ª G na agenda.
    Isso se a data de 2013 se confirmar. Eu particularmente acho pouco realista. Acho que para completar o desenvolvimento e estar apto a entrar em operação o mais provável é lá pelos idos de 2015 a 2017.
    Mas é claro, puro chute, mas baseado no cronograma de outros projetos tanto russos quanto de outros países.
    Como até que sejam produzidos caças russos de quinta geração em quantidade suficiente para fazer a diferença levará cerca de 5 a 10 anos, dá tempo dos americanos assumirem novamente a dianteira com um novo projeto.

  24. Francisco AMX 29 de janeiro de 2010 at 20:40 #

    Bosco, o SU-27 nasceu para fazer frente ao F-15, mesmo que muito tempo depois, mas não só fez frente como superou o F-15 em tudo! no Jane´s tem uma reportagem sobre… lá no início dos anos 90…,

    existe uma grande diferença do desenvolvimento e doutrina do ocidente para os russos, eles sempre fizeram produtos baratos e eficientes, começaram a ficar para traz depois de meados dos 80, devido aos avanços da eletrônica digital e a decadência soviética, porém parece que eles estão voltando a competir tecnicamente com o SU-30/35/33/35… mig 35, e agora com o “desacreditado” PAK-SU-50…. sei não hem, acho que este caça vem para arrebentar a boca do balão! pode não ser superior ao F-22, mas pode ser! ou pode ser igual! o problema é que assusta os USA sim! não pela sua segurança própria, mas sim pelo tornado estratégico que estará fazendo: Israel, Japão, Austrália vão ficar quietos? e o paquistão?
    outro fato é que certamente este caça irá sepultar vários FX pelo mundo afora! e ainda não sei, mesmo, se não deveria sepultar o nosso… sinceramente…

    Sds!

  25. Francisco AMX 29 de janeiro de 2010 at 20:41 #

    Além de sepultar o NG… tadin!

  26. Hornet 29 de janeiro de 2010 at 20:49 #

    Robson Br,

    “Me desculpe os defensores de projetos desconhecidos. A FAB necessita de um caça para ontem e não tem tempo mais para um projeto que não se conhece a configuração final e nem seus parãmetros de custos de aquisição e manutenção”.

    concordo plenamente.

    Aliás, com o PAK-FA voando, acho que o Rafale torna-se ainda mais a opção correta para o FX2. Investir em um projeto com o NG nesta altura do campeonato é jogar dinheiro fora, na minha opinião. Se for pra investir em algum projeto, então o mais racional seria investir no PAK-FA…voltar a conversar com a Russia e propor uma parceria. Mas nós precisamos de um caça para ontem, então o mais racional é o Rafale (por uma série de motivos, desde o caça propriamente, até por questões geopolíticas). Enfim…

    Para FX3, com PAK-FA (ou sabe-se lá o quê), é outra conversa. Acho que devemos olhar para a India neste caso. A India terá o PAK-FA, tão rápido quanto a Russia, mas assim mesmo procura caças de quarta geração avançados. Pois uma coisa não anula e nem exclui a outra. E acho que no Brasil isso é mais válido ainda.

    Mas eu acho que o PAK-FA tem uma virtude, mesmo antes de se tornar operacional: mudou o cenário no mundo da aviação de caça, pois mostra que não existe mais tecnologia restrita a um só país. E isso eu acho muito positivo. Os EUA podem estar 10 anos na frente ou atrás, não importa. O que eu analiso aqui é que a possibilidade de um multilateralismo se torna mais concreto a cada dia.

    Russia, India e possíveis outros compradores do PAK-FA, em 10 anos aproximadamente já equilibrariam o jogo de forças mundial, pois o F-35 também demorará um tempo semelhante para equipar todos os países do consórcio, ter uma quantidade mínima operacional etc. E esse equílibrio é muito bem vindo.

    Enfim…conjecturas minhas apenas.

    abração

  27. Hornet 29 de janeiro de 2010 at 20:49 #

    Robson Br,

    “Me desculpe os defensores de projetos desconhecidos. A FAB necessita de um caça para ontem e não tem tempo mais para um projeto que não se conhece a configuração final e nem seus parãmetros de custos de aquisição e manutenção”.

    concordo plenamente.

    Aliás, com o PAK-FA voando, acho que o Rafale torna-se ainda mais a opção correta para o FX2. Investir em um projeto como o Gripen NG nesta altura do campeonato é jogar dinheiro fora, na minha opinião. Se for pra investir em algum projeto, então o mais racional seria investir no PAK-FA…voltar a conversar com a Russia e propor uma parceria.

    Mas nós precisamos de um caça para ontem, então o mais racional é o Rafale (por uma série de motivos, desde o caça propriamente, até por questões geopolíticas). Enfim…

    Para FX3, com PAK-FA (ou sabe-se lá o quê), é outra conversa. Acho que devemos olhar para a India neste caso. A India terá o PAK-FA, tão rápido quanto a Russia, mas assim mesmo procura caças de quarta geração avançados. Pois uma coisa não anula e nem exclui a outra. E acho que no Brasil isso é mais válido ainda.

    Mas eu acho que o PAK-FA tem uma virtude, mesmo antes de se tornar operacional: mudou o cenário no mundo da aviação de caça, pois mostra que não existe mais tecnologia restrita a um só país. E isso eu acho muito positivo. Os EUA podem estar 10 anos na frente ou atrás, não importa. O que eu analiso aqui é que a possibilidade de um multilateralismo se torna mais concreto a cada dia.

    Russia, India e possíveis outros compradores do PAK-FA, em 10 anos aproximadamente já equilibrariam o jogo de forças mundial, pois o F-35 também demorará um tempo semelhante para equipar todos os países do consórcio, ter uma quantidade mínima operacional etc. E esse equílibrio é muito bem vindo.

    Enfim…conjecturas minhas apenas.

    abração

  28. João Paulo Caruso 29 de janeiro de 2010 at 20:50 #

    Acho que os russos começaram a ficar para trás na década de 60 com a chegada do F-4, que era muito superior ao Fishbed sem dúvida. o Mig23 veio vários depois do Phantom e mesmo assim não dá para dizer que é ele melhor.

    Concordo que o Flanker é supeior ao eagle em desenpenho, mas na prática(em combate) onde os métodos americanos de tiro fora do alcance visual prevalescem, eu fico com o F-15, que tem melhor eletrônica e melhores mísseis. Isso sem levar em conta as vantagens dos americanos em C4IOSR.

  29. Wolfpack 29 de janeiro de 2010 at 20:56 #

    E agora, F35 no Chile, PAK-FA na Venezuela, e o Brasil vai de Gripen NG????? O nosso F5 do século 21???????
    É tudo uma piada de mau gosto, este FX2 já deveria ter sido enterrado e junto com os Brigadeiros do COPAC FAB.
    []s

  30. Welington 29 de janeiro de 2010 at 21:00 #

    Robson Br o PAK FAé um conceito novo desde o seu projeto, muitos utilizam a simples aparência para julgar que a estrutura é a mesma família Flanker o que é uma burrice sem tamanho sem tamanho, pois a estrutura em si é totalmente nova e construída com materiais novos e com novas técnicas. O SU-35 BM utiliza tecnologias desenvolvidas para o PAK FA (Por este motivo ele é uma aeronave de 4.5 G), e não o contrario, o PAK FA terá tudo novo, o radar do SU-35 BM utiliza a base do radar desenvolvido para o PAK FA porem com uma antena PESA, pois a AESA ficou pronta a pouco tempo, ou seja o PAK FA é um projeto novo e não uma derivação da família Flanker como o SU-35
    BM o é…
    O PAK FA esta sendo desenvolvido para ser superior ao F-22 A e ser equivalente as futuras versões do mesmo. O F-35 é inferior ao F-22 A e também será inferior ao PAK FA, o que obrigara aos EUA a venderem o F-22 A a seus aliados para ser utilizado como caça Hi junto ao F-35. Provavelmente inicialmente o F-22 C será exclusivo dos EUA como o F-22 A é atualmente…
    Bosco os americanos podem desenvolver uma aeronave de 6º geração primeiro, mas o UCAV SKAT esta sendo desenvolvido para a próxima década, ou seja, a Rússia quer rivalizar novamente com os EUA de igual para igual como sempre foi.
    Um grande abraço a todos…

  31. Welington 29 de janeiro de 2010 at 21:01 #

    Não duvido do Chile querer o F-35 e se isto ocorrer o PAK FA terá grandes chances de desembarcar na America latina…
    Um grande abraço a todos…

  32. RL 29 de janeiro de 2010 at 21:05 #

    Será que a Inglaterra vai repensar em adiquirir os Super Tucanos uma vez que o Russão ta chagando na área?

  33. Dell72 29 de janeiro de 2010 at 21:05 #

    Não sei se acontecera festa la pelos lados da Lockheed Martin e cia
    pois vejo esta aeronave mais como uma evolução do que ja existe, o que poderia passar na mente dos senhores do poder que este projeto ao menos não é tão perigoso…

  34. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 21:09 #

    Francisco,
    você acha que os russos foram bem sucedidos com a série Su-27/30 na tentativa de serem superiores ao F-15? Eu não acho. Dê uma olhada no F-15K que você vai entender o que quero dizer.
    Se os russos quiserem vencer o F-15 de forma consistente, na maioria absoluta dos cenários, terá que usar pela lógica o Pak FA (eu acho, já que não sabemos absolutamente nada sobre ele).
    Dizer que o Su-27 bateu o record do F-15 em razão de subida, velocidade máxima, alcance, etc, não vale.
    Do mesmo modo, dizer que o Pak FA será “superior” ao F-22 não passa de um simplório exercício de otimismo exacerbado já que sequer fazemos idéia das suas reais capacidades, e mesmo quando soubermos, elas podem até se mostrar pontualmente superiores ao do F-22A mas seria a tal ponto de fazerem a diferença de modo consistente na maioria dos cenários?
    Querendo ou não os americanos estão sempre um passo a frente e são eles que ditam a “moda”.rsrs
    Claro que os russos são altamente competentes mas não a ponto de evoluírem em saltos. Eles, por força mais de sua economia, já que intelecto têm de sobra, evoluem de forma mais horizontal, acompanhando a onda estabelecida pelo concorrente.
    Claro que já fizeram avanços espetaculares em muitos setores, tais como o torpedos, ekranoplanos, hidroaviões, (e algumas ciências ocultas como telepresença e telepatia e telecinese, rsrs), etc, mas no geral sua capacidade os deixam em falta com os milhares de torcedores fanáticos por armamento russo. rsrsr..
    Um abraço meu amigo.

  35. Wolfpack 29 de janeiro de 2010 at 21:10 #

    Agora todo mundo entende porque as empresas no FX2 estão prometendo mundos e fundos, porque a tecnologia destas aeronaves do FX2 é história hoje. Passou… vamos gastar 10 bilhões com um vetor que nascerá desatualizado. Podem até doar toda a tecnologia destes caças para a Embraer e FAB. Nascerá morto.
    []s

  36. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 21:16 #

    Welington,
    não consigo comentar no seu blog. Vou tentar de novo.
    Mudando de pato pra ganso que eu saiba o Skate é um UAV subsônico de ataque (UCAV) como o X-47B americano. Ou estou enganado?
    Sei que você é um otimista inveterado (em relação ao caça russo) e lhe tenho o maior respeito, mas devo confessar que não compartilho desse sentimento. rsrs…
    Um abraço meu amigo.

  37. Francisco AMX 29 de janeiro de 2010 at 21:18 #

    Bosco, falei sobre o SU-27 em seu tempo! contra um F-15C, ambos de mesma época, depois a russia parou mesmo, mas quando foram colocados o Su-27 e o F-15C em prova, o equipamento russo superou o americano em tudo! se não vale os números que tu falou vale o quê? elmbro que estou falando de tecnologia, contestando o que tu falou: que no máximo os russo fazem algo parecido, isso é na maioria das vezes mas não todas, o SU-27 superou seu par americano, e isso foi em tecnologia também, se ele não manteve sua trajetória com o tempo… é outro assunto, mas se vc for comparar o F-15K deveria fazê-lo com o SU-30MKI TVC dos Indianos… ficaria mais equilibrado não acha?
    Bosco te notei meio tenso, foi o PAK-FA que te abalou? rsrsrss

    de uma coisa eu sei, se o GF decidir comprar o Rafale a FAB, agora, tem que ficar quietinha… pois ter o baratinho não vai pegar bem! e ter o ultrapassadinho tb não! rsrsrsrs brincaderinha!

    Abraço mestre!

  38. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 21:19 #

    Correção: Skat e não Skate.

  39. Francisco AMX 29 de janeiro de 2010 at 21:22 #

    Outra coisa que tu sabe que os russos estavam a frente 10 anos, foi o HMD junto aos AA-11… e tb com os AA-12 (R-77), sei que tu contesta o R-77 mas já li outras coisas tb… enfim, digamos que nos IR, nos anos 80 os russos estavam bem mais capazes (e nesta época os mísseis que predominavam com maior eficiência e efetividade de uso eram os IRs) e empatados em mísseis BVRs…

    Abração!

  40. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 21:23 #

    RSRSRsrsrs….

  41. Nick 29 de janeiro de 2010 at 21:23 #

    Colando aqui um comentário que fiz ao Francoorp:

    Para absorver as tecnologias do Rafale, pressupõe um produção superior aos 36 da proposta. Faz sentido continuar com esse projeto, quando existe algo muito melhor em termos de tecnologia?? E que ainda poderemos sim participar do desenvolvimento dele??

    Na minha opnião Rafale e PAKFA são concorrentes, não se complementam. Inclusive em termos de custos se for verdade aquele valor divulgado de US$80 milhões por unidade. Praticamente o mesmo valor que o Sarkozi prometeu ao Lula pelos Rafales.

    Quanto ao Gripen NG (sou gripeiro sim! :D ) reconheço que se formos participar no desenvolvimento do PAKFA. Não haveria tanta necessidade de entrarmos nesse programa mas nunca seria demais, ele se encaixa muito bem perfil operacional da FAB. E poderia ser ser considerado como o componente LOW da força.

    Para a questão da necessidade Imediata, 24 SU35BMs em compra direta, para os nossos pilotos e mecânicos começarem a se acostumar com CYRILICO!

    []’s

    e complementando :

    Se formos de PAKFA, faz muito mais sentido o SU35-BM de PRATELEIRA, talvez com um esquema de montagem da célula e manutenção de motores no Brasil.

    Isso daria tempo para a FAB criar uma doutrina de operação para os PAKFA, que deverão ter muita similiradade com os SU-35, mas com muito mais capacidade FURTIVA. Fora a diluição dos custos de operação.

    []’s
    e outro para o Ronaldo :

    Caro Ronaldo

    No meu caso, defendi e defendo o Gripen NG , não somente pelo custo de aquisição e operação, mas tambem pelo seu pacote de transferências e offsets. e tambem no aspecto operacional. E por que não como já disse ae em cima, se encaixa bem como um caça pra grandes quantidades. No caso do PAKFA, defendo simplesmente por que ele sem dúvidas fará o contra ponto ao F22. E poderemos participar dele! É caro?? tão caro quanto o Rafale, mas que na minha opinião realmente AGREGA valor , ao contrário do caça Francês.

    SE o Rafale já viesse com um airframe de 5º geração(Geometria Sthealth, Bomb-bays). Eu estaria defendendo ele nesse FX-2.

    []’s

    Acrescentado a isso, FX3 pra ontem.

    []‘s

  42. Getulio - São Paulo 29 de janeiro de 2010 at 21:24 #

    Até que enfim chegou a arma definitiva!
    Bastam apenas 04 (quatro) PAK para substituir todos os aviões obsoletos da FAB. é a melhor economia de escala jamais vista. um caça deste vale por um batalhão.

  43. Welington 29 de janeiro de 2010 at 21:25 #

    Bosco o SKAT é um UCAV demonstrador de tecnologia, a tecnologia para uma aeronave não tripulada entrar em combate em grande parte já existe e esta aplicada nos mísseis WVR. Com a ampliação dos sensores e potencializarão dos computadores se obtém uma aeronave de combate não tripulada. O SKAT é somente o inicio, a partir de sua base de testes será desenvolvido um UCAV de serie para a próxima década…
    Bosco o PAK FA poderá ser superior (Vantagem) ao F-22 A como também não pode, já deixei isto claro por diversas vezes. Tenho o mesmo otimismo com relação ao provável futuro F-22 C.
    Um grande abraço amigão…

  44. Welington 29 de janeiro de 2010 at 21:26 #

    Bosco tente utilizar o Internet Explorer…

  45. Francisco AMX 29 de janeiro de 2010 at 21:26 #

    Em um combate convencional entre forças russas/PV e da USA/OTAM, nos anos 80, os Mig-29 teriam feito várias vítimas, que nem saberiam da existência de quem os martirizou… poderiam perder a guerra, mas fariam um belo estrago! inesperado na verdade.

    Sds!

  46. Francisco AMX 29 de janeiro de 2010 at 21:28 #

    Nick, não existe SU-35BM de prateleira! o SU-35 ainda não foi fabricado!

  47. Wolfpack 29 de janeiro de 2010 at 21:28 #

    A aeronave do primeiro vôo é sem dúvida uma aeronave de demonstração de tecnologia e espero que o PAK-FA seja bem diferente quanto a presença dos sensores na fuselagem e claro superfície RAM.
    É o primeiro vôo… Fantástico, Parabéns a Sukhoi, a Rússia e a Índia. Nada como um protótipo para se conseguir acionistas ehehehehehehehehehe.
    []s

    Wolfpack supports FX3

  48. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 21:31 #

    Bem lembrado Chicão. Só uma correçãozinha. Os russos desenvolveram um HMS (S de sight/mira) e não um HMD (D de display/tela). rsrs…
    Mas de fato eles tiveram o crédito de serem os que primeiro colocaram em atividade operacional tanto um HMS quanto um míssil WVR com TVC e capacidade LOAL, o que possibilitava altos ângulos de disparo muito além da linha de visada (HOBS), mas salvo engano os americanos já faziam pesquisa na área desde a década de 60 (me refiro ao HMS).
    Outro abraço meu amigo.

  49. Francisco AMX 29 de janeiro de 2010 at 21:33 #

    HMS… eu sempre que vou escrever… me lembro dos navis britânicos… rsrsrs e escrevo errado…

  50. Wolfpack 29 de janeiro de 2010 at 21:35 #

    Muita coisa, mas muita coisa irá mudar ainda no PAK-FA. Podem apostar. A Aeronave de produção terá as linhas deste demonstrador, mas superfícies como as portas das baias e trem de pouso, assim como o desenho das entradas de ar. Eu acredito nestas mudanças.
    Uma outra hipótese é se diminuir o TVC e utilizar uma exaustores com superfícies iguais aos do Raptor. Esta última alternativa é um pouco duvidosa, pois o F35 não apresenta esta preocupação.
    []s
    Wolfpack supports FX3

  51. Francisco AMX 29 de janeiro de 2010 at 21:38 #

    WOlf e ele vai ter ar-condicionado e direção hidráulica tb! :)

  52. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 21:41 #

    Francisco,
    “sei que tu contesta o R-77″rsrs… Eu não! Eu não contesto nada. Quem disser isso eu processo por injúria e difamação. rsrs..
    Eu acho que você se referiu ao R-73. Se for a ele piorou. Eu não contesto. Só acho que apesar do “alarde” da época os americanos já estavam conscientes que os combates ar-ar do futuro seriam travados fora do alcance visual e o impacto não foi tão grande como apregoado pelos fãs de equipamentos russos.
    Tanto é verdade que levaram mais de 15 anos para terem algo parecido por terem dado prioridade a sua doutrina de combate BVR. Ganhou força o Amraam e ao WVRAAM pós Sidewinder foi dado menor prioridade (e verbas).
    Quanto ao R-77 eu acho ele um ótimo míssil, equivalente ao Amraam em todos os aspectos (salvo a versão D do Amraam que não tem similar entre as versões do R-77, já que a versão “Ramjet” ainda não “voou”)
    Até mesmo a barbatana treliçada eu acho uma boa sacada embora reduza o alcance máximo do míssil por ser pesada e com maior arrasto. rsrs..
    Um abraço.

  53. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 21:46 #

    Os americanos acharam que seus AIM-9L/M de Terceira Geração dariam conta do recado até a chegado de um legítimo Quinta Geração.
    Na verdade os mísseis Sidewinder L e M eram (e continuam sendo) excelentes mísseis.

  54. Tõe Alves 29 de janeiro de 2010 at 22:00 #

    O dia foi atípico, com essa notícia. O Tio Sam, deve continuar a produzir os F-22, pois para competir com o PAK-FA…, pelo pôster aqui demonstrado, só ele mesmo pra rivalizar.

  55. Galileu 29 de janeiro de 2010 at 22:05 #

    Robson br

    quem te disse que a FAB e o Governo estão com pressa??

    se tivessem não estariamos no FX-2 indo pro 3, capaz de chegar no 4……

    abraço

  56. Cor Tau 29 de janeiro de 2010 at 22:09 #

    “É antes eu só tinha notado semelhança com o F-22 Raptor, agora comparando as duas aeronaves, como foi dito por outros colegas, o bico e a cabine do PAK FA T-50 é muito parecido com a do F-35.”

    Esse caça deve ser a versão para exportação como o F-35………Versão “pra quem quiser”……….Abraços Alecsander……

    E a China e o Japão vem logo atras enquanto nos aqui se rastejando por musquito…..E a gente aqui pensando em caça de saci…Meu Deus Do Ceu Do Perpeto Socorro…….A Turma do Pererê deve começar a parar de pensar e agir como Aeroclube do Bolinha e fazer como a Marinha tenta fazer…….Pega pesado…..

    http://www.youtube.com/watch?v=nOlZ5kHBB3s

    São(por enquanto) a segunda maior potencia bélica………

  57. Nick 29 de janeiro de 2010 at 22:09 #

    Caro francisco AMX, não vai me dizer q o SU35 BM tb eh de papel!

    De qualquer forma ele foi oferecido e recusado.
    Mas diante das circunstancias… eu penso q deveria ser revisto essa decisão :D

    []‘s

  58. germa 29 de janeiro de 2010 at 22:11 #

    Grande Bosco,
    concordo com tudo o que vc escreveu nesse post, mas vivemos em um mundo que está cada dia mais perto de ter os podederes mais equilibrados.

    Os bric´s fazem sucesso hj,pelo grande poder de influnência que terão em um futuro próximo e não fazem parte do clube da NATO.Imaginando que o Chinglingling 5G estára voando em breve e o Su-50 tá aí imagine o cenário geopolítico para 2020??

    sobre o f-15 X u su-27…acredito que se tornou f-15 X su-35
    uma vez o que 27 ficou parado no tempo.

    eu lí e to demorado pra postar pq eu não achei a matéria onde diz que o SU-50 será o unico caça da russia,assim seria mais fácil para competir com os americanos.

  59. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 22:16 #

    Provavelmente uma nova versão do F-22 irá incorporar um IRST (ou seriam 2?) com “janela stealth”e painéis conformais laterais do AESA, dando uma cobertura radar quase periférica.
    Também o HMDS e o DAS do F-35 se integrados ao F-22 iria incrementar sua capacidade de combate a níveis inusitados, principalmente se combinados com os AIM-9X block II.
    Vale salientar que mesmo que o PAK FA possa levar mais mísseis que o F-22, basta 1 para que um caça seja abatido. Ou seja, levar mais mísseis não o tornaria “superior” e sim com mais “persistência de combate”.
    Talvez nem mesmo a “persistência” aumente, já que a doutrina russa prevê lançamentos duplos contra um único alvo, na medida do possível.

  60. Ricardo 29 de janeiro de 2010 at 22:20 #

    Wolfpack em 29 jan, 2010 às 20:56
    É tudo uma piada de mau gosto, este FX2 já deveria ter sido enterrado e junto com os Brigadeiros do COPAC FAB.

    Caro, acho que você pegou um pouco pesado. Porém, de uns tempos para cá, a casa caiu mesmo.

    Jogaram a culpa no Lula por ter anunciado no 7 de setembro a “vitória” de um caça. Todos sabiam que esta éra a data da revelação. Sendo assim, o governo só tinha que revelar o vencedor, mas quem tinha que fazer o trabalho não o fez. A FAB éra a responsável por dar subsídios para o governo, e não deu. A fim de direcionar o vencedor, elaborou um relatório que deve ter deixado os americanos que fizeram o relatório que apontou que o Iraque tinha instalações nucleares de boca caída.

    Resultado. Vamos chegar no 7 de setembro novamente, sem ter uma definição por falta de subsídios.

    Muitos acham que o governo estaria desqualificando o trabalho da FAB. Porém, quem decide estratégias, precisa de subsídios, e não de alguém dizendo o que quer.

  61. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 22:28 #

    Germa,
    sem dúvida. Acredito, aliás como todos, que a hegemonia americana está em franca decadência e rumamos para um mundo multipolarizado. Com certeza os EUA serão uma das potências dominantes, mas sem o poder de agora.
    Mas fato é que até meados do Século é difícil, salvo motivo de força maior e completamente imprevisível, os EUA deixar de ser militarmente a Nação mais poderosa.
    Mas sem dúvida será interessante a “corrida” pra ver quem consegue tirar o dente do Dragão rsrs. Ou melhor dizendo, o “bico da águia”.rsrs..
    Um abraço.

  62. Francoorp 29 de janeiro de 2010 at 22:28 #

    Galera… cansei já li muito por hoje e aqui jà são 02:28 e tà na hora de dormir!!!

    Valeu a todos!! Força PAK-FA!!! Ele existe e voa também, assim calado quem deve no cartório!!!

  63. Francisco AMX 29 de janeiro de 2010 at 22:32 #

    Ricardo escreveu:

    “Jogaram a culpa no Lula por ter anunciado no 7 de setembro a “vitória” de um caça. Todos sabiam que esta éra a data da revelação. Sendo assim, o governo só tinha que revelar o vencedor, mas quem tinha que fazer o trabalho não o fez. A FAB éra a responsável por dar subsídios para o governo, e não deu. A fim de direcionar o vencedor, elaborou um relatório que deve ter deixado os americanos que fizeram o relatório que apontou que o Iraque tinha instalações nucleares de boca caída.
    Resultado. Vamos chegar no 7 de setembro novamente, sem ter uma definição por falta de subsídios.
    Muitos acham que o governo estaria desqualificando o trabalho da FAB. Porém, quem decide estratégias, precisa de subsídios, e não de alguém dizendo o que quer.”

    Interessante Ricardo, tenho a mesma impressão! a FAB parece não estar interessada em ter avião de verdade! está interessada em desenvolver nossa indústria… um papel que não compete a ela… mas eles sabem disso, com certeza!

    Abraço!

  64. germa 29 de janeiro de 2010 at 22:41 #

    hornet,
    Então eu concordo com vc.
    rafale F3(low) + SU-50(hi)…seria perfeito.

    até em TO tipo malvinas, imaginando que o SU-50 seja superior em combate ao F-35 e ao eurofighter os rafales só jogariam bombas na marinha real.
    heheh

  65. germa 29 de janeiro de 2010 at 22:42 #

    THE NY times ublished:

    January 29, 2010Filed at 8:27 a.m.

    New Russian Stealth Fighter Makes First Flight

    MOSCOW (Reuters) – Russia test-flew a long-awaited new fighter aircraft on Friday, determined to challenge the United States for technical superiority in the skies and impress weapons buyers.

    The “fifth-generation” stealth fighter — Russia’s first all-new warplane since the collapse of the Soviet Union plunged the defense industry into poverty and disarray — flew for 47 minutes, planemaker Sukhoi said.

    “It’s a remarkable event,” Prime Minister Vladimir Putin told his cabinet, but he suggested the plane still needed work.

    “There is very much to be done, in part as regards the engine,” Putin said. “But the fact that the plane is already in the air is a big step forward.”

    Russia’s main television networks led news programs with reports of the flight and showed footage of the needle-nosed, camouflage-painted plane taking off from a snow-lined airstrip at a Sukhoi factory in Komsomolsk-on-Amur, in Russia’s Far East.

    “The plane performed very well. All our expectations for this first flight were met,” Sukhoi spokeswoman Olga Kayukova said on Rossiya 24 television. “The premiere was a success.”

    Foreign journalists were not invited.

    Fifth-generation aircraft are invisible to radar, have advanced flight and weapons control systems and can cruise at supersonic speeds. The new plane is Moscow’s answer to the U.S.-built F-22 Raptor stealth fighter — the world’s only fifth-generation fighter yet in service — which first flew in 1997.

    Putin said the plane would first be delivered to the Defense Ministry in 2013 and serial production would start in 2015. Analysts have said it would probably be five to seven years before Russia’s military gets to fly the new fighter.

    Successful development of the fighter, which Rossiya 24 said has been tentatively dubbed the T-50, is crucial to showing Russia can challenge U.S. technology.

    The 1991 Soviet collapse ushered in a cash-strapped time of troubles for Russia’s military. Its aircraft makers have been building warplanes based on updated Soviet-era designs.

    EMBARRASSING SETBACKS

    Defense spending increased in the oil-fueled period of economic growth during the 2000-2008 presidency of Putin, who has encouraged pride in Russia’s military might.

    The military has continued to suffer embarrassing and sometimes deadly setbacks since the nuclear submarine Kursk sank in 2000, killing all 118 seamen aboard.

    Several failed tests of the submarine-launched Bulava (Mace) intercontinental ballistic missile, touted by Putin as able to pierce any air defense, have troubled the Kremlin.

    The Interfax news agency quoted an unidentified source as saying the new Russian plane had lowered and raised its landing gear twice during the flight and added that “the American F-35 fifth-generation jet couldn’t do that (on its test flight).”

    Lieutenant Colonel Marcel de Haas, Russian security researcher at the Netherlands Institute of International Relations Clingendael, was not convinced of the plane’s bright future.

    “My impression is that this new fighter plane is also more propaganda than a real expectancy,” he told Reuters by e-mail.

    Russian Deputy Prime Minister Sergei Ivanov told the cabinet more work had to be done on the engine and the armaments system. Neither he nor Putin went into details.

    The new plane is important for future Russian arms sales.

    In a statement on the company website sukhoi.org, Sukhoi director Mikhail Pogosyan said the company planned to develop its fifth-generation fighter program further with India, its biggest client for existing planes.

    Sukhoi is Russia’s largest exporter of military planes and accounts for about a quarter of the country’s annual arms sales, which reached $7.4 billion last year.

    Besides India and China, existing clients for Russia’s weapons include U.S. foes such as Iran, Syria and Venezuela, and their purchase of an advanced new fighter could cause concern in the United States and its allies.

    The U.S. Congress has banned export sales of the F-22.

    (Additional reporting by Darya Korsunskaya, Dmitry Solovyov and Gleb Stolyarov; Editing by Andrew Dobbie)

  66. Lado Negro da Força 29 de janeiro de 2010 at 22:43 #

    Apesar de leigo, gosto do assunto e pesquisando alguns doidos teóricos da conspiração universal, questionaram a semelhança do FX indiano com o FX brasileiro. Ambos os governos selecionam caças de 4ª geração.
    O interessante nisso tem haver com manifesta participação dos indianos no desenvolvimento do caça russo PAK FA. Esse posicionamento dos indianos, explícito, teria intenções obviamente dissuasórias para com o Paquistão.
    E onde entra o Brasil nisso?
    Bem, não possuímos nenhum (quase) inimigo declarado como a Ìndia, e, portanto, não seria interessante expor uma possível participação no projeto russo.
    Entretanto, possuímos uma imensa reserva de petróleo já descoberta, só que ainda não revelada justamente por receito da cobiça externa.
    Cogita-se fortemente que o Brasil tenha participação secreta nesse projeto – e também os franceses. Franceses?!
    A questão é, como nossos amigos bebedores de vodka consiguiriam tanto dinheiro para investir num projeto tão exorbitantemente caro engavetado na década de 80?
    E porque os franceses se interessariam?
    Os comedores de scargott, com sua irritante postura de desenvolver toda tecnologia militar sozinhos, estariam interessados não no avião em si, MAS NO CONHECIMENTO TECONOLÓGICO ADVINDO DE SUA CONCEPÇÃO AO VOO PARA DESENVOLVER O PRÓPRIO A PARTIR DO KNOW-WHY E KNOW-HOW RUSSO.
    Eis as sandices (que podem conter verdades insondáveis…), os franceses financiaram parcialmente o projeto russo para que pudessem absorver teconologia para seu próprio caça de 5ª geração; nós, os adoradores da cachaça, fizemos aliança estratégica com os franceses e financiamos o PAK FA T-50 indiretamente para que, assim que concretizarmos a compra dos Rafales e, futurametne, já houver um excelente intercâmbio tecnológico militar, desenvolvamos juntos com os franceses os caças de 5ª geração e os UVACs (6ª geração).
    Os franceses e sua centenária fama colonizadora já descobriu um novo mundo para eles, e nós temos de onde sugar conhecimento para desenvolver nossas estilingues.
    Só detesto a idéia de comer scargott estragado, por isso, todo cuidado é pouco.
    Ah! Cogitam-se também outras teorias malucas sobre porta-aviões nuclear brasileiro, guerras no ciberespaço… e a conquista de marte pelos chineses.

  67. Robson Br 29 de janeiro de 2010 at 23:05 #

    Galante,

    coloca de novo um post do gripen NG.
    Coitado deve estar deprimido

  68. venilton 29 de janeiro de 2010 at 23:09 #

    Em «time» que ganha não se mexe.

    Esta frase é provavelmente a mais significativa perante a divulgação pública das características e aspecto exterior do novo caça russo.
    Aquilo que há bastante tempo se suspeitava acabou por se confirmar, pois o PAK-FA, sendo uma aeronave com muitas características novas, não tem como esconder a origem da sua estrutura básica, que é para lá de qualquer dúvida razoável, a mesma do caça Su-27 «Flanker» desenvolvido durante os anos 70.
    Os rumores de que a aeronave russa de «5ª geração» era apenas uma modificação muito significativa do caça Su-27 já tinham vindo a público há algum tempo, o que levou a especulações sobre algum tipo de relação entre o caça bombardeiro Su-34 (uma outra modificação do Su-27) e um eventual futuro caça «Stealth» russo.

    O Su-34 «Platypus» foi radicalmente modificado na parte da frente, já no PAK-FA, as modificações são essencialmente na traseira, onde os enormes lemes verticais – que sempre constituíram um problema porque transformam o Su-27 num alvo fácil – são modificados e colocados em ângulo, de forma a reflectir as ondas de radar.

    Ainda que seja uma modificação do caça Su-27 «Flanker» não seria correcto afirmar que se trata da mesma aeronave. Muitos esforços parecem ter sido desenvolvidos para tornar as linhas do «Flanker» mais doces, embora o cockpit e a carlinga se mantenham quase iguais.
    A posição dos motores e as enormes entradas de ar continuam quase idênticas às do «Flanker», o que permite concluir que de frente o novo avião não terá melhorado muito a sua performance em termos de ocultação perante os radares inimigos.

    Outra característica que os russos introduziram foi a de baías internas para o transporte de armamento, embora não se possa quantificar de forma minimamente fiável a quantidade e a capacidade das armas que poderão ser transportadas.

    A industria russa, tem tradicionalmente demonstrado uma grande capacidade para estender a vida útil dos seus projectos por períodos de tempo que seriam impensáveis para os ocidentais. Exemplo disso é a linha de viaturas blindadas, que evoluiu do T-54 para o T-72 e daí para modelos mais recentes que, tendo diferentes designações (T-80, T-90), são claramente resultado de um longo processo evolutivo.
    Um caça resultado deste tipo de evolução, tem a vantagem de ter parte da estrutura industrial necessária já montada, reduzindo drasticamente a necessidade de desenvolvimento de novos sistemas.

    Ainda que o PAK-FA seja um derivado do Su-27, ele somará às modificações estéticas e aerodinâmicas, novos sistemas de navegação, radares e motores mais modernos.
    A integração de sistemas deverá demorar alguns anos e embora a queima de etapas ao manter uma estrutura já conhecida permita tornar a aeronave operacional ainda durante esta década.

    Em termos de mercado ele poderá apresentar-se como um rival à altura de qualquer caça europeu, embora partindo de uma aeronave de grandes dimensões como o Flanker (optimizado para a performance mas com uma assinatura-radar do tamanho de uma montanha) seja impossível atingir os níveis de ocultação dos caças norte-americanos.
    Os engenheiros russos, podem saber desenhar caças, mas não podem contornar as leis da Física.

    Nesta imagem da parte traseira, tornam-se evidentes as origem do «novo» caça russo, quando comparado com a imagem abaixo, de um Su-27«Flanker»

    Duvidas esclarecidas

    A ligação agora tornada pública entre o PAK-FA e o Sukhoi Su-27 «Flanker» explica os custos de desenvolvimento que foram divulgados pela imprensa – nomeadamente a imprensa indiana – que colocam os valores em torno dos 4.000 a 5.000 milhões de dólares.
    Esses valores seriam absolutamente incompatíveis com uma aeronave completamente nova, mas fazem todo o sentido quando se trata de uma derivação de uma estrutura base já existente.

    Problemas para os caças F-22

    Muitos analistas não esperavam ser surpreendidos pelo novo caça russo e a verdade é que se confirmaram as reduzidas expectativas.
    A divulgação das imagens do novo avião de combate vem suportar as teses daqueles que nos Estados Unidos defendem a redução do número de aeronaves F-22 «Raptor» e F-35 «Lighting», os caças que o PAK-FA deveria ter capacidade para defrontar.
    Perante uma aeronave que é claramente um derivado de um modelo com trinta anos de vida, vai ser muito difícil para os generais norte-americanos, defender a atribuição de mais recursos para os caríssimos programas da força aérea norte-americana.

    ——————————————————————————–

  69. MOKITI 29 de janeiro de 2010 at 23:16 #

    Temos chances de ter o Sukkoi T50,nno plano de reaparelhamento da marinha vem uma previsão de adquirir 50 caças de superioridade aérea para ser usado em porta-avioes,e a aquisição de 3.

  70. Alexandre M.P. 29 de janeiro de 2010 at 23:16 #

    Vamos fechar com a Suecia já, acordo para o NG voando em 2015, e inicio do desenvolvimento conjunto de um quinta geração independente de tecnologia americana. Eles ate ja tem um desenho que andaram oferecendo para a Corea.
    É o unico pais que pode nos oferecer uma parceria real do desenvolvimento de caças que seria vantajoso para os dois lados.
    Falar que quando tivermos desenvolvido um caça de 5a. os americanos terao um de 6a é chover no molhado eles sempre estarão na frente de todos, nos temos é que trabalhar para tentar diminuir essa diferença e estarmos em condiçoes de defender nosso pais de possiveis outros adversarios.

  71. Galahad 29 de janeiro de 2010 at 23:17 #

    Eu sei que eu devia ler só o post e nem chegar perto dos comentários para não me aborrecer. Infelizmente, eu sou um otimista e sempre espero ler alguma coisa que amplie o que está no artigo publicado. Vâ esperança, como de hábito. É só um flaxflu, ou grenal, como preferirem. Parece que, ao comentar, todo mundo entra em “suspension of disbelief mode on”.
    O que vejo é que a maioria dos comentadores crê, piamente, que não existe vida inteligente, em matéria de tecnologia militar, fora dos Estados Unidos. O resto do mundo é uma cambada de imbecil, incapaz de construir qualquer coisa ou projetar um cartucho de espingarda eficiente. Nessa questão do PAK-FA, a menos de 01 ano, eu li aqui, nos comentários, frise-se, que nunca existiria um caça russo de 5ª geração. Que os russos não tinham conhecimento, não tinham dinheiro, eram feios e bobos. Bom, agora que o PAK-FA voou, li um comentário em que, baseado no vídeo, o comentarista concluiu que o PAK-FA tem menos potência que o F22. PQP! Tem um sujeito com essa capacidade de análise no Brasil (calcular a potência de uma aeronave totalmente nova com base em um vídeo de 3minutos), e nós estamos importando os novos vetores para a FAB? Tem que dar com um gato morto na cabeça de todo mundo no MD, já que são incapazes de encontrar esses talentos, que devem existir aos montes, e usá-los no desenvolvimento de nosso próprio fighter de 6ª geração!
    O problema, e eu vou repetir mais uma vez, é que voces acreditam em propaganda. É aquele grande defeito da maioria das pessoas, que só sabe que existe e acontece aquilo que viu na mídia. Em toda mídia: jornal, rádio, tv, internet, literatura especializada. Se não apareceu na mídia, não existe. No entanto, a mídia apresenta apenas um recorte da realidade, ela não é a realidade. E esse recorte da realidade é feito com base naquilo que interessa à mídia, seja no âmbito econômico, seja no âmbito político. Nesse campo, o da propaganda, ninguém supera os EUA. Do contrário, talvez todos nós fossemos fãs de balalaika, bebedores de vodka e comedores de goulash, em vez de rock, uísque e hamburguer. Eu, por exemplo, talvez gostasse mais de Stolichnaya do que de Jack Daniel’s.
    Eu sugiro que todos considerem a possibilidade de que há países que preferem não alardear o que estão fazendo e em que pé está seu desenvolvimento tecnológico e que não pagam documentários no THC, nem anúncios de primeira página no NYT. Sugiro, sobretudo, que mantenham sempre um pé atrás com aquilo que é publicado. Não lembro o nome, mas um nobre inglês, dono de jornais, dizia o seguinte: “Notícia é aquilo que alguém, em algum lugar, não quer que seja publicado. O resto é propaganda.” Isso vale para F22, PAK-FA, F35, etc…

  72. Hornet 29 de janeiro de 2010 at 23:30 #

    germa em 29 jan, 2010 às 22:41

    Eu escrevi hoje nos outros posts que o PAK-FA tem o mérito (mesmo sendo só um protótipo) de mudar a trajetória da aviação de caça mundial, e repeti isso no meu comentário acima. E isso tem que ser pensado pela FAB também. Ou a FAB muda seus paradigmas agora, ou danou-se tudo em um futuro médio.

    No caso da FAB, o planejamento era basicamente o seguinte: FX2 para padronizar a frota.

    Isso funciona agora. Mas daqui a uns 10 ou 15 anos não funcionará mais.

    Explico melhor: o planejamento da FAB (de padronização dos meios) foi pensado para um cenário. O cenário no qual somente os EUA possuiam caças Stealth – e que não vendiam pra ninguém (F-22), ou que ainda estava sendo testado e seria vendido para uns poucos países (F-35). Nesse cenário faz sentido termos um caça padrão de quarta geração, um único modelo de caça, na FAB. Muito bem.

    Mas agora, com o PAK-FA mostrando que a Russia e a India podem ter caças Stealth em breve, e mais que isso, que outros países também poderão (pois a restrição desta tecnologia acabou)…não dá mais pra pensar em um único caça para a FAB para os próximos 30 ou 40 anos, pois daqui a 30 anos o mundo inteiro (modo de dizer) estará voando caças Stealth, ou UCAVs, ou coisas ainda mais sofisticadas. (o Wolfpack havia cantado essa bola, eu até ponderei um pouco na ocasião, mas com o PAK-FA voando muda tudo de figura).

    Então, acho que precisamos rever esse planejamento da FAB.

    O Rafale nos proporcionará, sem sombra de dúvida, muita coisa positiva: desde questões geopolíticas favoráveis até defesa do espaço aéra confiável (pois ele é um caça de ponta e muito capacitado), TT com um mínimo de garantia etc.; além de tempo também (o Rafale não é F-5M, né?), para pensarmos os novos caminhos a serem seguidos em breve. Mas precisamos pensar nesses caminhos logo.

    E aí fica a questão em aberto: qual o outro vetor para compor a frota da FAB junto com o Rafale (FX2)?

    Precisa ser algo entre o PAK-FA ou o que resultar do desenvolvimento do nEUROn, no mínimo.

    E é por isso que eu defendo sim a conclusão do FX2, pois não temos mais tempo para perder nisso. Quanto mais protelamos, mais atrasados ficamos. E parcerias de cunho estratégico agora, mais do que nunca, são fundamentais. Parcerias não são casamentos e nem sequer dependência, mas sim uma abertura de possibilidades. A própria França está negociando com a Russia uma série de armas, incluindo a venda de um navio Classe Mistral.

    É o tal negócio, o mundo agora precisa se descentralizar, especialmente na área de tecnologia militar.

    O PAK-FA mostrou o caminho: dois países do “terceiro mundo”, (na verdade emergentes), unidos e colocando novas regras no jogo.

    O caminho é esse: parcerias de cunho estratégico. E o Brasil, que já é parceiro da França, pode muito bem ampliar este leque lá pelos lados da Eurásia, pois pelo visto o mundo passa por lá agora (e nem é só por causa do PAK-FA…mas enfim…)

    abração

  73. Francoorp 29 de janeiro de 2010 at 23:38 #

    Galahad:

    Eu tinha ido dormir antes desta postagem, mas depois que virei na cama e decidi abrir o olho no poder aereo…arregalei os olhos!!!!

    “O que vejo é que a maioria dos comentadores crê, piamente, que não existe vida inteligente, em matéria de tecnologia militar, fora dos Estados Unidos. O resto do mundo é uma cambada de imbecil, incapaz de construir qualquer coisa ou projetar um cartucho de espingarda eficiente.”

    Esse complexo de vira lata já tà dando nos nervos!!!!!!!!!!!

    Otimo texto e faço minha as tuas palavras, se aceitas!!

    Excelente a parte dos gênios que com 3 minutos jà fizeram o raio-X do PAK…vou lembrar sempre esta!!

    Depois a verdade dos recortes da mídia…verdade!!

    Valeu, existem ainda pessoas coerentes!!

  74. sr.ricardo 29 de janeiro de 2010 at 23:39 #

    Estava “contemplando” as fotos e o vídeo do PAK FA e me deparei com um detalhe: as dimensões do nariz das derivas das asas (propriamente ditas) e dos estabilizadores . . . . não parece que se tirarmos a “gordura” nào fica um caça do tipo/porte do F-35 ? Bom, não tenho bola de cristal mas sou capaz de apostar que vem uma versão monomotor por aí . . . .
    Pô, só eu consigo ver isso ?!

  75. Francoorp 29 de janeiro de 2010 at 23:43 #

    Hornet:

    “Mas agora, com o PAK-FA mostrando que a Russia e a India podem ter caças Stealth em breve, e mais que isso, que outros países também poderão (pois a restrição desta tecnologia acabou)…não dá mais pra pensar em um único caça para a FAB para os próximos 30 ou 40 anos, pois daqui a 30 anos o mundo inteiro (modo de dizer) estará voando caças Stealth, ou UCAVs, ou coisas ainda mais sofisticadas. (o Wolfpack havia cantado essa bola, eu até ponderei um pouco na ocasião, mas com o PAK-FA voando muda tudo de figura).”

    Assino embaixo!! Sempre de ótimo nível os teus posts.

  76. João Paulo Caruso 29 de janeiro de 2010 at 23:49 #

    “venilton em 29 jan, 2010 às 23:09″

    O valor que eu tinha escutado era de dez bilhões de dólares, e podem ter certeza que ainda faltam mais alguns bilhões.

    Se isso é um redesign ou uma melhoria no design do su-27 então eles devem ter esticado uma foto do flanker no photoshop e começado a construir.
    Não é como se o avião fosse feito de argila que é só apertar um pouco que ele muda de forma, tudo que for diferente deve ser pensado, calculado, testado e custa caro pois muda os materiais, o peso, a aerodinâmica, a estabilidade,a manutenção, a RCS e muito mais.
    Em aviação refazer é reprojetar.

    Olhem o exemplo do F/a-18 que, com o Hornet sendo parecido com o Superhornet eles tem 85% das peças diferentes e mesmo assim para os leigos eles são quase iguais.

    Com exeção do trem de pouso nãos vejo nada do flanker que possa se encaixar no PAK
    Esse T-50 não é um flanker. Existem semelhanças porque eles estão repetindo o que deu certo como no caso do F-15 e F-22.

  77. Bosco 29 de janeiro de 2010 at 23:52 #

    Galahad,
    de minha parte não existe torcida. Em todo comentário que faço, em momento algum coloco um vetor com absoluta superioridade sobre o outro. Muito pelo contrário. O que mais faço é tentar colocar os pingos nos is.
    Por exemplo, em nenhum comentário meu nesse post você leu uma única linha falando mal do Pak Fa. Se remei contra o “senso comum” foi apenas no sentido de reduzir as expectativas falsas de alguns (falsas porque as características do caça russo são totalmente desconhecidas) e tentar mostrar que no mundo real, onde caças são fabricados por homens, pilotados por homens e mandados para matar outros homens, a coisa não é como gostaríamos que fosse por conta de nossos hormônios masculinos circulando em nossos corpos sentados em nossas confortáveis poltronas de nossas aprazíveis residências.
    Também do mesmo modo que você eu me surpreendo com algumas afirmativas que parecem querer fazer-nos acreditar que os americanos são um bando de imbecis e tapados. Isso não corresponde a realidade e temos muitos subsídios para contrapor a essa tese estapafúrdia, mesmo porque, temos mais acesso ao que se faz nos EUA do que na Rússia ou na China ou na Índia.

  78. sr.ricardo 29 de janeiro de 2010 at 23:56 #

    Para os sovietISTAS (ou russISTAS) e estados-unidISTAS,

    Vocês são piores que os radicais xiITAS!

    ISTA/ITA: sufixo que demonstra radicalismo – posição extremada.

    EUA x URSS/Russia, usavam doutrinas bastante diferentes entre si. Como exemplo podemos citar o “aparente” atraso tecnológico em eletrônica soviética nos anos 1970 e 1980. a nova geração de caças ocidentais desse período apresntava uma enchurrada de novidades enquanto os modelos soviéticos tinham equipamentos da geração anterior. Com o fim da guerra fria, um ex-comandante soviético confirmou e justificou essa realidade da seguinte forma: segundo ele não era conveniente colocar um caça completamente novo, pq dessa forma as tripulações deveriam ficar no chão para aprender TUDO de novo para operar a nova aeronave. Ao passo que se o avião tivesse um ambiente familiar bastaria introduzir gradadivamente novos equipamentos e conceitos ficando os pilotos assim o menor tempo possível em terra.

    Não digo que os soviéticos estivessem certos ou errados, mas não dá pra deixar considerar essa doutrina interessante . . . .

  79. Galahad 30 de janeiro de 2010 at 0:07 #

    Bosco,

    “Isso não corresponde a realidade e temos muitos subsídios para contrapor a essa tese estapafúrdia, mesmo porque, temos mais acesso ao que se faz nos EUA do que na Rússia ou na China ou na Índia.”

    É disso que eu estou falando. Lembra desse trecho: “Notícia é aquilo que alguém, em algum lugar, não quer que seja publicado. O resto é propaganda”?

    Francoorp,

    Sinta-se a vontade. São apenas considerações de um leigo que um dia, sentado no sofá da sala, assistindo “Guerra Aérea do Futuro”, ligou o senso crítico e se deu conta que era impossível que potências como China. Rússia, Iran, Inglaterra, França, Alemanha e Japão estivessem sentadas, esperando o dia que o Tio Sam resolvesse mandar uns F22 e uns B2 fazer-lhes uma visita. Desde essa epifania, resolvi descobrir aquilo que não está na mídia dominante. E tive bons resultados, diga-se de passagem.

  80. Bosco 30 de janeiro de 2010 at 0:13 #

    Galahad
    eu mesmo se fosse copiar e colar todas as “pérolas” ditas hoje por vários participantes a respeito das qualidades do Pak FA, com afirmações das mais estapafúrdias, faria o senhor pelo menos refletir um pouco mais sobre suas impressões.
    Não faço isso por não ser de minha índole usar o argumento de outro que penso ser equivocado, para dar crédito a leitura que faço dos acontecimentos e aos meus argumentos.
    Mas deixo o convite para que “passeie” por todos os posts do dia sobre o tema Pak FA.

  81. MOKITI 30 de janeiro de 2010 at 0:19 #

    Francoorp concordo com vc,poucas pessoas conhecem a história da aviação sovietica,desde dos caças IL2,até o MIG25,esse sim fez o TIO Sam tremer nas bases,eles consideravam o MIG25 UM SUPER CAÇA,criaram o F-15,pra superar o mig 25 gastaram bilhoes,acabou superando,outro caça que causou espanto no ocidente foi o mig 29,quando caiu a cortina de ferro e alguns oficiais da OTAN viram o MIG-29.
    Paises com a tradição da Rússia,Japão,inglaterra,França,sabem desenvolver caças tem tradição,outro projeto que estou louco pra ver materializado é o MITSUBISHI ATD-X,até hoje pra quem conhece um pouco da História da segunda guerra respeita o nome Mitsubishi,com seu famoso Zero.Seria impactante ter um novo caça Mitsubishi voando pelos céus e com a avançada eletronica japonesa.
    O que me dá raiva é ver o nosso FX-2 ainda sem definição,e com a FAB parecendo que não está nem ai,falando em avião mais barato.

  82. Felipe Cps 30 de janeiro de 2010 at 0:20 #

    Acho o maior barato quando certas pessoas, notadamente rafalecheiros convictos (ou seriam do famoso PIAIG?) não se conformam sequer que a FAB não queira seu queijo podre, caro, superfaturado, sem escala e sem ToT caça franchélico, isso ainda quando o PAK-FA T-50 Stealth custa o mesmo preço da JACAAAAAAAAA!!!!

    JACAAAAAA ATOLADAAAAAA!!!!

    JACAAAAAA ENCALHADAAAA!!!!

    JACAAAAAA ATOLADAAAAAA!!!!

    NINGUÉM QUER ESSA JACA ENCALHADA!!!! INDA MAIS AGORA!!!!

    Inacreditável a bitola desse povo! E ainda tem a cara de pau de botar a culpa na FAB!!!! Como se a FAB tivesse tido acesso a qualquer caça 5a Ger!!! Ora, a FAB teve acesso a um 5a ger, e sabem o que o Governo Federal fez? Disse que era “demais para nós”…

    Ora, vão lamber sabão, viúvas do inferno… :)

  83. Edgar 30 de janeiro de 2010 at 0:29 #

    Alguém se lembra do motivo do presida ter saído fora do projeto do PAK?

  84. MOKITI 30 de janeiro de 2010 at 0:45 #

    Uma pergunta cara,se ninguém quer o Rafale,o que será do grippen agora ?,até o SUKKOI T-50 JÁ VOU E O GRIPPEN ?…

    Desculpe não resisti,não sou fanatico pelo rafale,queria mesmo era o SUKKOI na FAB.

  85. Jose 30 de janeiro de 2010 at 0:56 #

    Felipe Cps essa história de que foi oferecido o F-35 a FAB é mentira,vc acha que a Norton Grop,iria oferecer um caça em pela concorrencia em andamento,sendo uma das três finalistas a Boeing,não tem cabimento,ela iria comprar uma briga com a Boenig,ela ofereceu foi o F-15,e ela disse que torce pelo fim do FX-2 pra ela poder melhorar sua oferta!!

  86. Hornet 30 de janeiro de 2010 at 0:57 #

    Mokiti,

    o Gripen (NG) que vc se refere seria aquele: o mito, o palmito…hehehe

    também não resisti…hehehe

    abração

  87. MOKITI 30 de janeiro de 2010 at 0:58 #

    Essa história de que foi oferecido o F-35 a FAB é mentira,vc acha que a Norton Grop,iria oferecer um caça em pela concorrencia em andamento,sendo uma das três finalistas a Boeing,não tem cabimento,ela iria comprar uma briga com a Boenig,ela ofereceu foi o F-16, ela disse que torce pelo fim do FX-2 pra ela poder melhorar sua oferta com o F-35!!

  88. Leonardo 30 de janeiro de 2010 at 1:05 #

    Bosco,

    Observando a discussão entre vc é Francisco AMX e Wellington, aliás, como sempre de ótimo nível dado o clareza e conhecimento a que todos três demonstram ter, noto em ti uma resistência enorme a qualquer tipo de equipamento russo, sei que vc já deixou bem claro que não gosta de equipamentos russos, não digo nem que fale mal, apenas nunca acredita em nada que vem de lá ou que não seja americano, em várias oportunidades percebi em seus post’s, principalmente quando por algumas circunstâncias tal equipamento é considerado ou dado como superior ao seu par americano, simplesmente não aceita e tentar valer seus argumentos a todo custo, pondo sempre em cheque a veracidade dos dados relativos ao equipamento russo, talvez “veracidade” seja um termo forte demais e eu sei disso, mas também creio está máxima se dá para ambos lados, entretanto, quando o mesmo ocorre do lado americano a verdade parece ser pura e absoluta.

    Por favor, não me entenda mal, tenho profundo respeito por ti e por todos os colegas deste blog, como entusiastas queremos sempre aprender mais e mais e é um dos colegas do blog a qual procuro dar uma atenção especial ao que escreve, sempre usa de bons argumentos. Entendo também que gostos e opiniões são estritamente particulares, isto é fato, mas estou me referindo a sua dificuldade em aceitar qualquer coisa referente aos Ivan’s, ou seja, nunca acredita sempre questiona quando algo vem do velho Urso.

    Voltando ao assunto, pelo pouco que sei os aviões furtivos primeiramente foram construídos visando penetrar nas defesas antiaéreas do pacto de Varsóvia, isto acredito que deva concordar comigo que em matéria de equipamento anti-aéreo a Rússia sempre esteve a frente dos EUA, dizem até que houve um estudo não sei se foi na década de 70 ou 80 em que as forças da Otan seriam seriamente reduzidas a níveis bastantes perigosos em poucas semanas de conflito, se chegassem as “vias de fato” pela forma convencional, outro ponto, é perceptível que a doutrina americana moderna visa sempre o combate BVR, porque será? Creio que devido a uma paridade do equipamento, digo aeronave por aeronave, então, entra a tal vantagem da tecnologia americana, e nisso não há o que se questionar, porém o PAK-FA (sem levar em conta os outros vetores do inventário russo) está sendo desenvolvido em conjunto com os indianos e estes por suas vez tem fama de excelente conhecedores da área de informática, os EUA após a Coréia e o Vietnã, não mais enfrentaram uma guerra com países que impusessem uma real oposição as suas forças armadas, em um conflito com uma nação um pouco mais bem equipada e treinada, com toda certeza diminuiria está disparidade de recursos tecnológicos a qual os EUA dispõem , hoje dada a globalização é mais acessível a todos, é lógico que em graus diferentes.

    É justamente este meu grande questionamento, a partir do momento que os oponentes tiverem acesso a uma eletrônica não falo igual mais similar de forma não tão distante, que tornem furtivos seus aviões, o combate com certeza será WVR, sei que dirá para isso os americanos já desenvolveram o AIM-9X em conjunto com capacetes HMS, mas por outro lado ninguém está “parado no tempo”, pelo que foi dito nestas matérias sobre o PAK-FA , parece haver mísseis WVR que ainda são desconhecidos pelo ocidente entrando em serviço junto com está aeronave, há também uma versão do R-77 que dizem ter alcance de 250 km, bom acho que nem AIM -120 C-7 , é isso mesmo C-7? Tem este alcance.

    Meu caro, mais uma vez peço que não me entenda mal, não há nada pessoal pelo contrário, é apenas questão de ponto de vista.

    Um abraço.

  89. Cor Tau 30 de janeiro de 2010 at 1:08 #

    “Não adianta pensar em transferência de tecnologia se esta já está em vias de obsolescência.”

    Ainda mais neste pais…Onde tudo é sempre complicado…Melodramatico…Enrolado e sabotado….A frase resumi perfeitamente o que eu sempre achei…….Até pensava em possibilidade hi-low…..Mas tudo o que vejo aqui só faz corroborar o que eu acho e o que ainda continuarei achando…….Este pais deveria começar não a pensar em caça de 5G mas em de 6G(Como as empresas do consórcio Neuron que parece que assinaram um contrato que as impedem de desenvolverem novos caças de 5G diferentes dos atuais de forma a concentrarem-se no amadurecimento de Gripen, Typhoon e Rafale, sem desviar energias e recursos do Neuron, Tem que se ver essas coisas em relação ao caça de 5G da SAABida como alguns sonham aqui)…Em um interceptador 6G como 14-X…Pois as possibilidades e as circunstancias seriam mais favoraveis, compativeis e possiveis a nos…..Uma possibilidade viavel e de futuro para este pais é o desenvolvimento em “conjunto”(Algo como a India fez~Dividir custos~Se fazer um vetor especial pra nos ou nosssas necessidades como eles fizeram la) com algum pais como a França por Ex(Neuron)…Mas fazer em Conjunto mesmo(Protocooperação) e não essas patifarias de propostas que são oferecidas a nós aqui(Se forem mesmo de Rafale correr atras desse Neuron)…A Dassault é a projetista principal do Programa Neuron desde 2003 e tambem responsavel pela arquiteura dos sistemas, controle de vôo, montagem final, e ainda pelos testes em terra e aéreos…Um interceptador de 6G sera mais simples e eficiente do que um caça de 5G…Para mim os caças de 5G são como o Windows vista enquanto que os de 6G serão como o windows 7(mais rapido~simples~leve) por serem UCAV’s…..Pode ser caro e demorado tal coisa mas sera apenas dessa forma que verdadeiramente teremos “asas” e dai pra frente teremos retornos reais….Iremos gastar bilhões com um vetor~tecnologia obsoleto que nada acrescentara para este pais de retorno…..Estão querendo investir em caça~tecnologia obsoleta mas de custo de caça de 5G………………Temos que começar a estabelecer alianças sérias e verdadeiras como a India e outros paises fazem……..To tirando onda(comemorando) que nem o Galante………Irru……………

    “Cor Tau supports 6G-BR” :-)

  90. Alex 30 de janeiro de 2010 at 1:48 #

    Parece que o nível desceu!!

    Fico com a opçõa da enquente:O Brasil deveria cancelar o F-X2, fazer o leasing de alguns Su-27 e entrar de cabeça no PAK-FA.

    Vamos ser sinceros, mesmo por cima da pausada a tendencia é o economia brasileira se torna cada vez mas forte (estavel) e o Brasil aumentar sua influente, em especial na america latina.
    A principio, num cenaria dos proximos 20 ou 30 anos, o Brasil seria o uúnico pais na america latina capaz operar, de forma satisfatoria, um avião do porte do PAK-FA.

  91. Bosco 30 de janeiro de 2010 at 1:58 #

    Leonardo,
    como diz o velho Jack: vamos por partes.
    Eu parto do princípio que existe um sentimento anti-americano e aqueles que o possuem usam de todas as maneiras para denegrir o equipamento militar americano. Para isso se valem do “concorrente” que estiver à mão.
    Se for francês ou russo não importa. Importa é não ser americano.
    Isso eu, como entusiasta do tema “tecnologia militar” tento combater, já que não consigo evitar.
    Gostaria que você colasse uma frase em que tenha denegrido o equipamento russo. Tanto nesse post quanto em outro ou em qualquer um dos outros dois blogs da Trilogia sob qualquer equipamento que tenha tecido algum comentário.
    Por exemplo, você colocou que os EUA desenvolveram a tecnologia furtiva para penetrar as defesas do Pacto de Varsóvia como se isso de alguma maneira fosse uma demonstração de fragilidade dos americanos. Ora! É claro que eles desenvolveram a tecnologia Stealth para realizarem exatamente isso. Não podia ser diferente.
    Para invadir o Brasil que só possuía cahões Bofors 40 mm apontados pelos sistema “Zoião” é que não foi. rsrs.
    Quanto a sua afirmativa que a Rússia sempre esteve a frente em relação a tecnologia anti-aérea eu concordo. Só não concordo quando falam que um S-400 abate um F-22 a 400 km.
    Outro ponto do seu comentário parece querer dizer nas entre linhas que os caças americanos evitam entrar em combate WVR por acharem que os caças russos são temíveis, daí preferirem o combate BVR onde eles são superiores. Novamente você está coberto de razão. É assim mesmo que se deve fazer. Não entrar no jogo do adversário e tentar lutar no campo em que você é superior. Nada de errado com isso né?
    Acho que não existe ninguém em pleno gozo de suas faculdades mentais que vai querer fazer o jogo do inimigo por pura camaradagem sabendo que tem mais chances fazendo seu próprio jogo.
    É claro que os caças russos são formidáveis e devem ser evitados no combate WVR.
    Quanto a sua afirmação que os indianos poderiam agregar tecnologia de ponta ao russos eu desconheço, portanto, não tenho como fazer nenhum tipo de consideração.
    Também não sei nada sobre possíveis mísseis desconhecidos ao ocidente com capacidades insuspeitas.rsrs..
    Eu passo.
    Agora, sobre um míssil BVR ter alcance de 250 km não acho impossível não. Na verdade existem mísseis russos ar-ar anti-AWACS com 400 km de alcance.
    O problema não é o alcance do míssil e sim o alcance do radar e a sua “discrição”. Na verdade um caça Stealth como o F-22 (não me refiro ao Pak FA por não saber suas características) tem grandes possibilidades de vencer um combate contra um Su-35 armado com um R-77M armado apenas com um Derby. O que conta não é o alcance do míssil e sim o alcance que o alvo é detectado e travado e o alcance que ele detecta e trava no F-22.
    Não preconceito. Podemos tirar o Su-35/R-77 e colocar um F-18E/AmraamC7 contra um F-22.
    O F-18E irá detectar o F-22 a uns 20 km, mas o F-22 irá fazer o mesmo com o F-18E a uns 150 km pelo menos. Quando o F-18E entrar na zona de disparo do Derby levado pelo F-22 ele ainda não terá consciência da presença dele e seus mísseis de Amraam de 120 km de alcance não valerão de nada.
    Quanto a um hipotético combate entre o F-22 e o Pak FA salvo engano o mesmo se dará no campo visual. Daí num comentário meu aí de cima eu ter colocado que os F-22 iriam precisar de alguns “opcionais” como o HMDS e o DAS do F-35, um IRST e antenas do AESA adicionais como no projeto original. Tais acessórios poderão aumentar o nível de consciência situacional e permitir a vantagem dentro do campo visual.
    Quanto ao míssil americano que tem grande alcance será a versão AIM-120D e não a C7. A versão D é dita ter um alcance cinético contra um alvo frontal se aproximando de 180 km, quando lançada pelo F-22.
    Vale salientar que, como disse acima, não importa o alcance cinético desse míssil Amraam D se o inimigo for um Su-50, portanto, alcance de míssil não é sinal de superioridade.
    Um abraço meu amigo.

  92. Bosco 30 de janeiro de 2010 at 2:18 #

    Esse negócio de combate aéreo hoje ficou da seguinte maneira: o combate WVR tem como ser evitado, já o BVR não tem.
    Se você acha que pode ganhar na arena BVR, faça.
    Se caso for melhor na arena visual, só lamento. Na grande maioria das vezes vai ser papado antes de saber o que o atingiu.
    Haverá algumas situações que o combate irá se desenrolar dentro do campo visual? Claro que sim e tal acontecimento será tão mais freqüente quanto mais similares forem os caças em combate.
    Ou seja, é pouco provável que um Rafale entre em combate visual contra um F-5 ou que um F-22 entre na arena visual contra um F-18E.
    Já um Rafale X F-18E ou um F-16 X Mig 29, de mesma geração, as chances disso ocorrer são muito maiores.

  93. Audaz 30 de janeiro de 2010 at 6:04 #

    Cada qual no seu quadrado,um pouco de realismo não faz mau a nínguem. Nós não estamos numa corrida armamentista com os vizinhos, nossa preocupação é estar minimamente atualizados, coisa que por sinal nao estamos conseguindo (isto em se tratando de vetor, pois creio eu que nos demais itens quem compoem uma Força Aerea a FAB, nao perde em nada para as similires da America Latina). Duvido muito que as demais forças da America do Sul adquiram caças de 5º nem a longo prazo. Não há situação politica, tecnina nem tao pouco financeira para isto. Portanto o Brasil tinha era que enfim concluir este FX2. Escolher de uma vez um caça para nao ficarmos tão defasados e pronto. o resto fica pra sonhadores… claro que os sonhos é quem movem a realidade. Se é pra ter um vetor de 5ª ou mais, que seja pelo menos uma parte desenvolvida aqui.

  94. evandro 30 de janeiro de 2010 at 6:35 #

    Os Americanos devem estar se matando de Rir. Chamar essa Banheira voadora de 5ªGeração!!!! hahahahahahahaha!!!!!!!

  95. robert 30 de janeiro de 2010 at 6:56 #

    vo faze uma pergunta:

    Se os EUA NÂO tem verba pra comprar vários F-22,que é um avião PRONTO, pq que eles iriam aprovar um futuro projeto de um avião 6ºgeraçao???

    esses dados pra mim nao batem.

  96. papa leguas 30 de janeiro de 2010 at 6:57 #

    enquanto nossos politicos fazem marólinhas e só conversão de fiado, os outros trabalhão e se desenvolvem!! bem no fim toda verba do plano nacional de defesa vai parar na mãos dos haitianos q não tem culpa é claro.. mas somaras mais uns pontinhos para o lula ganhar o nobel da paz e a dilma sair presidenta.hahahaha. e dele marólinha e dele conversa fiadooo

  97. Thierry 30 de janeiro de 2010 at 7:57 #

    Hornet em 29 jan, 2010 às 23:30

    100% agree
    I think France should make a deal with Putin-Medvedev:a couple of Mistral against 20 SU 50 !!!!!!!!!!!!I always loved russian great inventivity wih small amount of money-made miracles with rockets and A and H bombs etc etc
    Joint venture Dassault-Sukhoi also!!!!!!!!!!!?
    Russki-Fransouski Neuron hehehhe
    Seriously speaking,why was the SU 35 not selected in the last list?Will USA agree after Venezuela to see tens of SU 50 in the brazilian sky?hummm …
    No risk then to see US Marines and US fighters +Patriot launch ramps in Columbia aiming at Brazil(like USA do in Poland with new Patriots…)???
    Let me know here your thoughts !

  98. Novesfora 30 de janeiro de 2010 at 8:25 #

    Para o Audaz das 06:04: Parabéns, você foi na mosca! E dentro dessa linha de pensamento, a escolha certa é o caça sueco, pois, não?
    Mas e a comi$$ão do Lula, como fica?

  99. Novesfora 30 de janeiro de 2010 at 8:35 #

    Em tempo: lendo alguns comentários cheguei a conclusão que os Estados Unidos já eram. Os russos tomam a Europa em 3 minutos e a América do Norte em 15! Gengis Khan e Átila saíram da cova para dominar o ocidente, e os PAK FA serão seus cavalos…

  100. Thierry 30 de janeiro de 2010 at 9:01 #

    Hornet,have you seen the new Sukhoï Superjet 100?competition to Embraer…

  101. germa 30 de janeiro de 2010 at 9:12 #

    HI thierryis good to see you here, I thoughts you gone.
    hehe

    I think in the near future, I mean,10 years Hugo chavez and his revolution they already sunk.

    Venezuela suffers twice.the internacional crises made the oil prices falling donw and the prices are sky rocketing,no elertic power and theres no food at the market.

    but about the US marines and USAF(my opinion)it will be.
    you know what happens when USA install bases in Colombia???
    NOTHING AT ALL.

    In brazil, our politic have no estate strategy,just governament strategy.If was make a research asking the people what figther Brazil should afford, they´ll anser none.

    because we are not in war and brazil needs more important things like, build a new soccer stadium,where do not get a professional soccer.I mentioned Manaus(AM) and Cuiabá(MT).you can look on the google maps.

    there is my point of view.

    ;)

  102. Ivan 30 de janeiro de 2010 at 9:14 #

    Bosco,

    Ontem a noite fui a uma comemoração e hoje pela manhã estou comprometido com uma reunião de trabalho.
    Só tenho tempo de ler, mais ou menos…

    Por favor, vc sabe algo sobre os projetos da Boeing para um Caça Stealth (com possível C-VANT com versão) para a US Navy?

    Abç,
    Ivan, o Pernambucano.

  103. Dalton 30 de janeiro de 2010 at 9:18 #

    ” apenas nunca acredita em nada que vem de lá ou que não seja americano”

    Caro Leonardo,

    com certeza não é o caso do Bosco, nem meu caso, mas veja só…vc
    até hoje tem duvidas que os EUA enviaram astronautas à lua, portanto
    talvez seja vc que não acredite muito do que vem de lá…(EUA)(rs)

    “dizem até que houve um estudo na década de 70 ou 80 em que as forças da Otan seriam seriamente reduzidas a níveis bastantes perigosos em poucas semanas de conflito, se chegassem as “vias de fato” pela forma convencional”

    O declinio da URSS começou já nos anos 80, graças também aos 10 que eles lutaram no Afeganistão…os EUA ficaram ainda mais tempo no Vietnã, deixaram o comando para o Vietnã do Sul, mas nem por isso
    houve uma desintegração dos EUA. Há muito exagero no que a URSS
    podia fazer e muito exagero até ventilado pelos proprios EUA para manter a OTAN unida e preparada, pois a URSS, exageros a parte seria
    um osso duro de roer.

    “É justamente este meu grande questionamento, a partir do momento que os oponentes tiverem acesso a uma eletrônica não falo igual mais similar de forma não tão distante, que tornem furtivos seus aviões,o combate com certeza será WVR, sei que dirá para isso os americanos já desenvolveram oAIM-9X em conjunto comcapacetes HMS”

    O melhor meio de abater um caça, seja de quarta ou quinta geração
    é destrui-lo no solo e não são apenas os americanos que pensam desta maneira, portanto, há muito exagero penso eu, que haverão muitos combates a la “barão Vermelho” no futuro…aliás, mais um lote fresquinho de tomahawks block IV já foi garantido.

    Que equipamento sovietico/russo não esquecendo o ucraniano é bom e barato não há duvida, mas parecem ser de mais cara manutenção e ao
    longo de décadas de uso, o barato pode acabar caro.

    Um abraço e desculpe a intromissão…mas o pessoal do “Naval” tá dormindo ainda (rs)

  104. Ronaldo 30 de janeiro de 2010 at 9:38 #

    Galera, o PAK fez o 1° voo ontem e ja penasam em trazer para o Brasil? É piada so pode ser, ate que ele esteja operacional e com linha de fabricação ativa, e o Brasil poder sonhar comprar alguns (com transferência tecnológica zero, é preciso dizer), os AMX e F5 e Mirage de FAB ja foram pro lixo a muito tempo.
    É preciso comprar os Rafales sim absorver uns 30% da tecnologia e comprar um 5° geração daqui uns 10 ou 15 anos quando os países fabricantes autorizarem.

  105. Nelson Lima 30 de janeiro de 2010 at 9:40 #

    Olha, quem chama aquele país cruel de Mãe Rússia deve ter um complexo de Édipo muito sério! O PAK deve ser comparado ao nosso PAC. É só promessa!A balança geopolítica não vai mudar em nada até porque as sociedades não toleram mais que seus governos torrem quantias astrnômicas com corridas armamentistas. nem mesmo o patriótico povo norte-americano! Eles querem pagar menos impostos e ter emprego para viajarem para algum país tropical nas férias e não ficarem financiando esses brinquedinhos caros!

  106. Berkut 30 de janeiro de 2010 at 9:46 #

    Infelizmente, o Brasil não deve ir de Pak-Fa…
    O Jobim vai ficar repetindo a falta de TOT, que os russos não irão passar… e não vão mesmo, os caras já fabricaram, só de mig-21, mais de 13500… e agente pressionando com 36 caças… risível!

    Sem contar o fato de os Eslavos serem péssimos negociantes.

    Sds.

  107. Wolfpack 30 de janeiro de 2010 at 9:51 #

    Observem a barriguinha dele…
    http://forum.keypublishing.co.uk/showthread.php?t=96337&page=32
    Sem dúvida nasce o rival dos Raptors.
    Agora o próximo é o Chinês YF23… e quando estes pássaros estiverem no ar, nós estaremos colocando o nosso LIFT Gripen NG para combatê-los de igual para igual rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
    É uma piada esse FX2.
    []s

  108. Wolfpack 30 de janeiro de 2010 at 9:56 #

    Mas este Su50 deve ser muito para a doutrina da FAB. É mais importante as pensões dos Brigadeiros da Reserva que só falam besteira. Como eu postei dias atrás. Esta geração de Fabianos não é capaz de ler o Mundo Atual. Preferem a rotina de sempre, e o mais próximo disso é o Gripen NG. Vamos manter o Status quo…nada mais que isso, senão é complicação. Tá tão fácil hoje…
    []s

  109. tyrion 30 de janeiro de 2010 at 9:59 #

    Que bom…ta dando ate para matar a saudade dos bons e velhos tempos da Guerra Fria…a boa e velha corrida armamentista entre o leste-oeste…”Na guerra sempre avança a tecnologia/seja guerra santa,quente,morna ou fria…” bons tempos!!!

  110. tyrion 30 de janeiro de 2010 at 10:02 #

    agora uma coisa e certa…infelizmente estamos 60 anos atrasados…o pais do pai da aviação…o negocio ta dificil…espero que nossos filhos nao venham a pagar o preço da nossa negligencia…

  111. Francisco AMX 30 de janeiro de 2010 at 10:09 #

    Galahad em 29 jan, 2010 às 23:17

    Perfeito!

    só friso que prefiro Rock! :)

    grande abraço!

  112. Francisco AMX 30 de janeiro de 2010 at 10:12 #

    Wolfpack em 30 jan, 2010 às 9:56

    Eu penso mais ou menos assim Wolf… talvez não tão radical! rsrsrss
    na verdade eu acho que meu pensamento sobre o FX-2 é muito parecido com o seu! só não sei se isso é bom ou ruim! rsrsrsrs brincaderinha!

    Abração!

  113. Thierry 30 de janeiro de 2010 at 10:17 #

    Ivan,football 2014 world cup in Manaus,Amazonia=good for the region
    Sukhoi Brazil,why SU 35 and russian subnuc hull connection didn’t work?which reasons?
    Strategy with future subnuc for PRE SAL was there and is still there.

  114. Dalton 30 de janeiro de 2010 at 10:18 #

    Bela tentativa Germa !

    mas creio que nosso amigo Thierry não será tão facilmente convencido. Aliás, não entendo tanto a preocupação dele e
    outros com os americanos.

    A França está no Afeganistão ao lado dos EUA pois sabe que se o
    Afeganistão cair, o Paquistão poderá cair também…e o Paquistão tem armas nucleares. Situação bem diferente dos anos 80 quando
    todo o mundo vibrou quando a URSS teve que abandonar o Afeganistão.

    O Patriot a ser instalado na Polonia é uma arma defensiva, a complementar os SM3s instalados em navios americanos que ficarão
    patrulhando o Atlantico Norte já que a Russia “convenceu” o Obama a não instalar misseis na Republica Tcheca afinal a Russia depende mais do que nunca de seu arsenal atomico, pois as forças convencionais não encontram-se em boa fase, como até o incidente com a Georgia em 2008 provou.

    França e EUA compartilham a mesma opinião sobre o Irã não ter armas atomicas pois eles já possuem um missil de combustivel sólido que pode atingir a Europa por isso uma maior necessidade contra misseis balisticos.

    abraços

  115. Wolfpack 30 de janeiro de 2010 at 10:25 #

    Coloquem mais um post do Brigadeiro do AMX para falar do Su50…
    O cara é um gênio, sua obra, o AMX é um sucesso de vendas e com o MLU da FAB ficará no mesmo nível dos F35/Su50…rsrsrsrsrsrsrsrsrs

  116. Bosco 30 de janeiro de 2010 at 10:29 #

    Ivan,
    o que se sabe é que a Boeing estaria desenvolvendo um caça de 6ªG para a USN denominado de FA-XX que deverá estar voando até 2017 e que deverá começar a operar em 2025 substituído os F-18E restantes.
    Ao que tudo indica teria uma versão não tripulada também.
    As características divulgadas até agora dão conta que teria furtividade nível VLO-2 (banda larga e all aspect), sendo discreta até para radares de baixa frequência e ao nível “visual”(????).
    Também se divulgou que teria grande persistência de combate com uma autonomia “monstro” devido a um motor revolucionário (combined cycle propulsion). Já li que poderia contar até mesmo com velocidade hipersônica (além de Mach 6.0) e armas de energia direta, embora não consigo achar o site. Claro que é pura especulação, vale salientar. rsrsrs…
    Vou ver se encontro novamente o site pra informar o link.
    Um abraço meu caro.

  117. Thierry 30 de janeiro de 2010 at 10:34 #

    germa,sorry I thought it was Ivan who replied me
    So germa, yesterday Hillary Clinton was in Paris, made a blah blah speech saying OK for a european army but first NATO is more important etc etc in the same time, US base in Rumania and Patriot units in Poland
    Dalton is also right…
    As always France surfing between its alliance to USA when world essential security questions matter and its wish to remain not a vassal but a partner?Pretention?maybe
    Anyway,frankly speaking I would love Dassault having now in its barracks a SU 50,dismount it and check everything +maybe add some 100% Dassault Thales equipment…who knows?

  118. Henrique Sousa 30 de janeiro de 2010 at 11:04 #

    Não que seja ruim, até pq o conhecimento se constroi sobre bases anteriores, e não sei se alguém ficou com a mesma impressão que eu, mas a base deste PAK para mim parece muito o Su-35/37.

    Como falei, não que isto seja ruim, mas a posição e a carenagem dos motores; trem de pouso traseiro; o “pescoço” da aeronave querendo mandar o bico para baixo; e por ai vai. Mas estou com a impressão que por baixo de toda esta mudança temos um bom e velho Su-35/37.

    Mais uma vez, não que isto seja ruim…

  119. Mauricio R. 30 de janeiro de 2010 at 11:15 #

    A foto no link abaixo mostra que as entradas de ar do Pak-FA, estas tem a configuração similar as do SH, chanfradas em 2 planos.
    Uma outra foto no mesmo site, aquela c/ o piloto de teste, mostra o uso de serrilhamento em uma tampa, aliás como nos ac stealth americanos.

    (http://www.kommersant.ru/dark-gallery.aspx?PicsID=415335&stpid=65)

    Infelizmente tb mostra o alinhamento dessas mesmas entradas de ar c/ as turbinas, o que não ajuda a esconder a face do compressor e compromete a furtividade.
    Na AFM existe uma discussão de que o trunking das turbinas seria em S no sentido vertical, argumento reforçado pela forma e a maneira como o trem de pouso recolhe, mas alguns observam que não há espaço p/ tanto.

  120. jose carlos 30 de janeiro de 2010 at 11:25 #

    Acho que é por isso que o nosso FX2 está demorando tanto, estavam aguardando o Võo do PAK FA, para ter quem sabe melhor opção de barganha com os participantes da concorrencia hummmmm, ja pensou.

  121. Mauricio R. 30 de janeiro de 2010 at 11:26 #

    “…o “pescoço” da aeronave querendo mandar o bico para baixo; e por ai vai.”

    Mas isto não é proposital diversas aeronaves já se serviram deste compromisso de design, uma queda do alinhamento do nariz entre 8° e 10 ° pois é uma maneira de melhorar a visibilidade por sobre o mesmo sem induzir um arrasto aerodinâmico significativo.

  122. joão 30 de janeiro de 2010 at 11:27 #

    Acho que o pessoal aqui está supervalorizando o PAK. Para alguns entendidos, ele não passa de uma evolução do Su-27. Ainda que seja um excelente avião, possui uma assinatura radar monstruosa. Dá pra mensurar essa afirmação pelo custo do desenvolvimento do projeto 5 bilhões de dólares, valor infimo se comparado ao do F-22, F-35, Rafale, EF) e pelo tempo de mesmo. Portanto, ainda sou mais o Rafale para o nosso FX-2. Deixem o FX-3 para daqui 20 anos. Segue abaixo trecho de um outro site, por sinal o mesmo do 2º comentário deste post.

    “Em termos de mercado ele poderá apresentar-se como um rival à altura de qualquer caça europeu, embora partindo de uma aeronave de grandes dimensões como o Flanker (optimizado para a performance mas com uma assinatura-radar do tamanho de uma montanha) seja impossível atingir os níveis de ocultação dos caças norte-americanos.
    Os engenheiros russos, podem saber desenhar caças, mas não podem contornar as leis da Física.”

    “Duvidas esclarecidas

    A ligação agora tornada pública entre o PAK-FA e o Sukhoi Su-27 «Flanker» explica os custos de desenvolvimento que foram divulgados pela imprensa – nomeadamente a imprensa indiana – que colocam os valores em torno dos 4.000 a 5.000 milhões de dólares.
    Esses valores seriam absolutamente incompatíveis com uma aeronave completamente nova, mas fazem todo o sentido quando se trata de uma derivação de uma estrutura base já existente.

    Problemas para os caças F-22

    Muitos analistas não esperavam ser surpreendidos pelo novo caça russo e a verdade é que se confirmaram as reduzidas expectativas.
    A divulgação das imagens do novo avião de combate vem suportar as teses daqueles que nos Estados Unidos defendem a redução do número de aeronaves F-22 «Raptor» e F-35 «Lighting», os caças que o PAK-FA deveria ter capacidade para defrontar.
    Perante uma aeronave que é claramente um derivado de um modelo com trinta anos de vida, vai ser muito difícil para os generais norte-americanos, defender a atribuição de mais recursos para os caríssimos programas da força aérea norte-americana.”

  123. Francoorp 30 de janeiro de 2010 at 11:41 #

    Alguém lembra que o Rafale bateu o Typhoon em exercício de combate aéreo??? Agora veja esta:

    http://pbrasil.wordpress.com/2010/01/30/eurofighter-typhoon-trucida-o-f-15-em-simulacao-de-guerra-da-otan/

    Desculpa pelo Off-Topic!!

  124. Mauricio R. 30 de janeiro de 2010 at 12:07 #

    Alguém lembra que o Rafale não foi até o momento exportado p/ ninguém e que o Typhoon é operadao por 6 forças aéreas???
    Ou que há somente 180 Rafales ENCOMENDADOS, enquanto há 200 Typhoons em SERVIÇO ATIVO???
    E não compararem a tranqueira francesa c/ o “pão quentinho” do Su-30, nem precisa ser o -30MKI indiano!!! O vexame será maior.

  125. Wolfpack 30 de janeiro de 2010 at 12:27 #

    João é feio não postar sua fonte de informação:
    @ copy right
    http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?NrNot=884
    Podemos pensar que foi você que escreveu tais fatos…

  126. Wolfpack 30 de janeiro de 2010 at 12:29 #

    Francoorp, notícia mais que velha, e prova a tentativa de reação da EADS a surra dos Typhoons em Al Dhafra.
    Acontece no começo do ano passado e existem dúvidas sobre esta performance dos EF2000.
    []s

  127. alex zdor 30 de janeiro de 2010 at 12:32 #

    Всем привет!!!
    Что тут обсуждать. Единственный соперник ПАК ФА это F-22 который изначально имеет относительно небольие отсеки для вооружения по сравнению с ПАК ФА,и за чего будет проигрывать уже на всегда по арсеналу оружия на борту.И что бы установить паритет в вооружении
    америкосам неоьходимо строить с чистого листа новый планер с новой компоновкой!!!!

  128. Dalton 30 de janeiro de 2010 at 12:33 #

    Francoorp…

    No mundo real as coisas seriam diferentes e mesmo em exercicios
    as coisas mudam de um dia para outro e obviamente a midia faz um alvoroço quando aeronaves americanas são “derrubadas”.

    Mas o Typhoon na verdade não fez nada demais já que os F15s são aeronaves mais antigas e no combate a curta distancia devem ser melhores, mas a doutrina americana prega sempre o combate a longa distancia.

    Mesmo Skyraiders abateram MiGs 17 no Vietnã, portanto muita coisa
    “surpreendente” pode acontecer em combate real.

    abraços

  129. Leonardo 30 de janeiro de 2010 at 12:37 #

    Bosco e Dalton

    Nunca mais esqueceu o lance do homem a ter ou não ido a Lua, anda um pouco sumido, apareça mais no blog aéreo, tenho notado que andas muito pelo blog naval, aquele bate papo foi bastante interessante na época RSRSRSRSRSR. Mas sem querer jogar lenha na fogueira, pois posso até apanhar, mas talvez em 2020 ou um pouquinho mais a frente haverá ma “nova” uma missão americana a lua, bom de 69 até hoje rola um tempinho legal, por isso tem duvidas, porém jamais posso afiramar que não foram, primeiro não era nascido e depois sinceramente acho que não havia tecnologia disponível na época para tal feito, parto do princípio que hoje o grande problema citado por um especialista americano da qual não lembro o nome na revista Galileu em artigo sobre a corrida espacial entre EUA, Rússia, China e também a Índia e o grande problema citado por este é criar um veiculo que transporte combustível suficiente para executar a missão na lua e retorne a órbita terrestre, partindo do princípio de quem foi em 69, hoje não teriam este tipo de dificuldade? Vamos supor que Cristovão Colombo tivesse descoberto a América e demorasse mais 51 anos (isso se forem em 2020) para retornar ao continente, isso em uma época que não havia tecnologia nenhuma somente a energia do vento (fazendo um paralelo entre a tecnologia da época 69 para a de hoje). É por essas e outras que tenho dúvidas, porém volto a afirmar não seria insano a ponto de afirmar que tal evento não tenha ocorrido.

    Voltando as questões dos combates aéreos, quero deixar bem claro sou fã do equipamento militar russo, porém como entusiasta não posso deixar de nutrir o mesmo sentimento pelo equipamento militar americano, talvez pela rusticidade prefira os russos, mas o questionei em relação ao Bosco é devido ao fato dele sempre por em cheque os dados fornecidos para os equipamentos militares russos, em nenhum momento citei que falou mal.

    Quanto às defesas aéreas de ponto, ter sido o motivo ou não do surgimento dos caças furtivos, eu dei a entender que não tinha certeza absoluta ou que fosse “fragilidade dos americanos”, na verdade os próprios americanos e russos talvez não nutram uma rivalidade tão grande principalmente hoje que não mais existe a URSS, pelo contrário há um respeito recíproco, pois sabem da tenacidade presente ambas os lados. Somente acho que há sempre houve muito mais equilíbrio nesta balança do que de fato nos fazem crer, pelo menos aqui no ocidente.

    Quanto PAK-FA não se pode falar muito, até porque acredito que está ainda não seja sua configuração final, mas quem pode esclarecer isso é nosso amigo Wellington o nosso grande expert em equipamento militar russo do blog.

    Também não anti-americano, sou ocidental é impossível não assimilarmos tal cultura em nosso cotidiano já nascemos assim, bato palmas pela prontidão da ação que estão realizando no Haiti, e não concordo com os anti-americanos que dizem que estão tomando a frente no país, a troco de que? O que há naquele país que possa interessar os americanos? Existe outro país com tal capacidade para ajudar este povo tão sofrido? Com certeza absoluta não somos nós que temos nem mesmo a velha Europa fez a metade do que estes estão fazendo.

    Meus amigos quero deixar bem claro o respeito por ambos, e pessoas como vcs somente enriquecem a qualidade dos assuntos discutidos neste blog.

    Um grande abraço.

  130. Francoorp 30 de janeiro de 2010 at 12:38 #

    Wolfpack

    A noticia é de hoje meu!! Se isso é velha??? O FX2 é assombração! hehe

  131. Francoorp 30 de janeiro de 2010 at 12:44 #

    Dalton

    “mas a doutrina americana prega sempre o combate a longa distancia.”

    que os Yankees são covardes nós ja sabemos muito bem, basta lembrar de 2 atômicas para ver a verdade, sujou a calça so de pensar em invasão!

    Mas os combates de curta distancia ainda existem, certo em menor quantidade, mas como dissestes em combate tudo pode acontecer, mas exercício serve pra isso não?? fazer acontecer de mentirinha!!!

    Se os dados de exercícios fossem inúteis… ninguém treinava e fazia!!

    Abçs

  132. Dalton 30 de janeiro de 2010 at 12:52 #

    Francoorp…

    Os MiGs 17 foram abatidos por pilotos americanos voando Skyriders
    foi bom demais para “covardes” não.

    leia algo sobre Iwo Jima e Okinawa…e vc verá que não são tão covardes quanto vc pensa e uma invasão ao Japão custaria mais vidas japonesas que americanas assim como foi em Okinawa.

    os exercicios aereos não foram feitos para mostrar a nós entusiastas quem tem o avião melhor…guerra é algo que envolve
    inumeras plataformas e inumeras situações não apenas avião no mano a mano.

    sds

  133. joão 30 de janeiro de 2010 at 12:56 #

    Wolfpack

    Acho que vc não leu tudo o que escrevi. Repare que eu mencionei “Segue abaixo trecho de um OUTRO SITE, por sinal o mesmo do 2º comentário deste post.”

    Além do que, tive a preocupação de colocar a “cópia” entre aspas. Desculpe se isso não foi o bastante. Da próxima eu cito a fonte também.

    Abraço a todos.

  134. Francoorp 30 de janeiro de 2010 at 13:01 #

    Dalton:

    Estas historias eu conheço muito bem, e jà a mentalidade de combater o inimigo a distancia é coisa de covarde!! Iwo Jima era so uma ilhasinha… Em Okinawa os japoneses não tinham nem apoio aéreo decente… assim é fácil ganhar né?? estes exemplos não chegam nem aos pés de Stalingrado!!! e Kursk então???

    Nunca falei que o combate aéreo deve ser mano a mano, não ponha palavras na minha boca, obrigado.

    Se tivessem coragem mesmo teriam invadido Cuba nos anos 60, mas faltou café no bule né?? e Coragem entre as pernas. Não me venha falar de contextos diplomáticos e teorias mil. Faltou o fator “X”.

    Veja que pra invadir o Iraque tiveram que por 10 anos de embargue…assim é moleza filho.

  135. Bosco 30 de janeiro de 2010 at 13:11 #

    “Em Okinawa os japoneses não tinham nem apoio aéreo decente…”
    Isso me lembra um episódio do filme “Os Imperdoáveis” em que o personagem representado pelo Clint Eastwood entra em um “saloon” onde tinham colocado na porta seu amigo morto e pergunta quem é o dono do estabelecimento para em seguida atirar nele a sangue frio.
    Perguntado por que cometeu aquela covardia contra um homem desarmado ele diz: ele deveria ter se armado quando resolveu enfeitar seu bar com meu amigo morto.
    Se os japoneses não se prepararam para defender Iwo Jima não deveriam ter atacado Pearl Harbor.

  136. Ricardo 30 de janeiro de 2010 at 13:14 #

    Wolfpack em 30 jan, 2010 às 9:56
    Mas este Su50 deve ser muito para a doutrina da FAB.

    O pior de tudo, é que a FAB na ânsia de direcionar o FX-2, diz que este projeto será muito melhor para a indústria brasileira. Só que a Embraer não está vendo o mesmo que a FAB, a ponto de pegar o financiamento total feito pelo governo brasileiro e ir desenvolver a indústria da União Européia.
    http://moraisvinna.blogspot.com/2010/01/ministerio-da-defesa-de-portugal-quer.html

    Wolfpack em 30 jan, 2010 às 12:29
    Francoorp, notícia mais que velha, e prova a tentativa de reação da EADS a surra dos Typhoons em Al Dhafra.
    http://pbrasil.wordpress.com/2010/01/30/eurofighter-typhoon-trucida-o-f-15-em-simulacao-de-guerra-da-otan/#comment-3917

    Lembrando que no combate simulado, dentro do visual, sobrou até para o F-22. Ou seja, em todo o treinamento só um Rafale foi engajado na disputa direta com o Typhon, enquanto o Typhon foi engajado 7 vezes pelo Rafale.
    E o F-22, dentro do visual, não conseguiu enquadrar nenhuma vez o Rafale, e ao mesmo tempo teria sido enquadrado e abatido em uma ocasião pelo Rafale.

    Assim é fácil demais. Pegar o dinheiro do governo federal para investir na Europa.

  137. Francoorp 30 de janeiro de 2010 at 13:17 #

    Bosco:

    E os Alemães não deveriam ter invadido a URSS!!

    Se for pensar assim nem guerra existiria!!E estaríamos perdendo tempo em fazer comentários na internet.

    Pearl Harbor foi so um ataque preventivo que acabou em guerra.

  138. Mateus_LB 30 de janeiro de 2010 at 13:28 #

    Prestem atenção na foto e veja a semelhança dele com o SU-27. O pak-fa ou t-50 é baseado no su-27 gostem ou não. Me desculpem os russófilos mas duvido muito que eles consigam fazer um caça com um RCS e assinatura IR ao nivel do f-22, que o que importa, quanto mais pelo preço de U$ 80.000.000? Para mim ele está mais ao nível do f-35. Alguns falam de semelhança entre ele e o f-22 e eu até agora não vi onde, pois é claro que todos tem desenho facetado para dimunuir a reflexão de radar, mas isso e não significa que ele seja parecida com o f-22, diferenciar desenhos de caça de 5ª geração para alguns é como diferenciar japones de coreano

  139. Rogério 30 de janeiro de 2010 at 13:44 #

    Francoorp e Bosco,

    Por gentileza quantos aviões americanos a URSS usou na SGM?

  140. Dalton 30 de janeiro de 2010 at 13:46 #

    Francoorp…

    posso gostar dos EUA, mas nem por isso entro aqui e escrevo que russos são covardes, que fizeram acordos com alemaes nas duas grandes guerras mundiais e não fosse o “lend lease bill” que levou para a URSS milhares de caminhões studebacker entre outras coisas
    se os russos teriam se saido tão bem nas suas batalhas.

    Okinawa não é bem uma “ilhazinha” mas vejo que vc tem uma ideia já formada sobre os EUA portanto seria inutil discorrer sobre outras grandes batalhas onde os americanos lutaram mesmo estando em grande desvantagem, como em Wake.

    Covardes e herois há em todo lugar, mesmo no grandioso exercito da ex URSS, onde aqueles que eram mandados lutar desarmados ao fugirem, uma atitude humana mais que justificavel nesta situação eram alvejados covardemente pela retaguarda.

    sds

  141. URUTAU 30 de janeiro de 2010 at 13:48 #

    Carissimos Senhores

    Eu havia resolvido sómente ler e analisar os comentários
    sem procurar me manifestar mas devido ao up-grade da hilariedade
    de diversos comentários nas ultimas 24hs estou reavaliando o meu
    posicionamento e voltarei a tecer alguns breves comentários
    Como já era do meu conhecimento assim como do próprio blog em sua
    toatalidade encontramos diversos até muitos amigos comentaristas no
    blog que muito embora muitos neguem veementemente são totalmente e
    radicalmente anti EUA
    Tenho como entendimento que todas as vezes que qualquer pessoa se
    deixar levar pela ideologia seja ela qual for estara inevitavelmente
    e devo também ressaltar infelizmente maculando comentários que caso
    ocorresse sem a prevalecencia da ideologia seriam arrazoados lógicos
    com forte argumentação e embasamento mas via de regra não é isto que
    esta acontecendo muitissimo pelo contrario todos esses predicados
    vem sido substituidos de forma sistematica pelas ideologias
    Vindo dessa forma a produzir frases como estas :

    Pearl Harbor foi so um ataque preventivo que acabou em guerra.
    que os Yankees são covardes nós ja sabemos muito bem, basta lembrar

    de 2 atômicas para ver a verdade, sujou a calça so de pensar em invasão!

    Os americanos explodiram uma nova arma secreta provocando o terremoto no Haiti

    Armamentos americanos são infinitamente inferiores aos armamentos russos
    Estes e uma infinidade de outros comentários chegando ao apice
    do comentario do nosso amigo frances ou pseudo frances como muitos
    por aqui assim pensam postar o seguinte :

    OS AMERICANOS IRÂO INSTALAR BATERIAS DE MISSEIS PATRIOT NA COLOMBIA
    PARA ABATER POSSIVEIS CAÇAS OU MISSEIS DEIXANDO A ENTENDER DE NACIONALIDADE BRASILEIRA

    È senhores realmente esta ocorrendo um fantástico UP-GRADE HILARIO
    NO BLOG portanto …………………………………………

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Saudações Senhores

  142. rolouco 30 de janeiro de 2010 at 13:52 #

    eu sei que aqui o assunto do momento e o pak fa, mais tenho uma pergunta sobre um video que vi hoje no youtube,sobre a munição 90mm anti-tanque flecha. diz no video de 1986 que elas podem perfurar ate meio metro de aço.
    como costumo ler este blog vejo que tem pessoas que tem um nivel de conhecimento belico muito elevado. gostaria de saber se ela esta em uso hoje em dia no exercito nos cascaveis? se estao sao ate que uma boa arma anti tanque. poderiamos atualizar estes cascaveis para o tiro noturno e em movimento que seriam leves rapidos e mortais contra carros de combate!!

    so perguntei aki porq esta todo mundo ak!!!

  143. Francoorp 30 de janeiro de 2010 at 13:55 #

    Se tiver alguma mentira é so dizer qual é!!

  144. davidjp 30 de janeiro de 2010 at 13:55 #

    acho que esse bichao da de 8A1 em quanquer f35 e com o preço dele, quanquer força aerea do mundo vau ter um caça muito melhor q o f35,
    lembrem o f35 e um caça leve, o bichao ai em cima e peso pessado!
    fx3 logo!

  145. Dalton 30 de janeiro de 2010 at 14:00 #

    Pearl harbor foi um ataque preventivo???

    Francoorp…pelo amor de Deus não foi! Ao mesmo tempo que eles estavam atacando Pearl Harbor o Japão estava atacando em varias frentes, ou seja, foi tudo muito bem planejado.

    Pearl Harbor na verdade foi apenas a ponta do iceberg das ambiçoes militaristas japonesas que já estava em franca atividade na China desde 1937.

    Rogério…

    Cerca de 18000 aeronaves foram enviadas a URSS…sendo quase 5000
    P39s.

    sds

  146. Rogério 30 de janeiro de 2010 at 14:03 #

    A verdade Francoorp é que se não fosse os americanos e inglese os Russos estariam falando alemão hoje.

    Pergunte para os sul-coreanos, israelenses, kuwaitianos, franceses ingleses o quão covardes sãoos americanos.

  147. Mauricio R. 30 de janeiro de 2010 at 14:21 #

    A última missão Apollo á Lua foi a 17 em 1972, pelo menos p/ quem acredita que o homem foi á lua.

  148. Rogério 30 de janeiro de 2010 at 14:27 #

    Ah, Francoorp lembrei eles tambem foram os primeiros a reconhecerem a independencia do Brasil.

    []s

  149. Ricardo 30 de janeiro de 2010 at 14:30 #

    Rogério em 30 jan, 2010 às 14:03

    A Guerra do Iraque foi uma covardia….hehe

    Muitas das tecnologias que os EUA têm hoje foram mandadas pela Inglaterra durante a 1ª, mas principalmente a 2ª grande guerra.

    A Coréia do Sul eu não conheço a história, e os Franceses, estes se dão muito bem com os americanos, mas cada um na sua.

    E Israel, este há muito que não se pode dizer que depende dos EUA. Na verdade, eles só precisam que os EUA não atrapalhem, vendendo armamentos para os vizinhos inimigos.

    Tanto Israel como a França, são independentes falando-se em tecnologia militar. Já a Inglaterra, vem cortando custos há muito tempo.

    A Rússia, meu caro, tenho sabido que foi ela que fez a diferença na guerra, e não ao contrário. Foi ela que minou as forças alemãs, e não a Inglaterra e os EUA.

    Mas, estou aberto para entender mais sobre o assunto.

  150. Rogério 30 de janeiro de 2010 at 14:37 #

    Ricardo só em seus sonhos tá

    []s

  151. jsilva 30 de janeiro de 2010 at 14:44 #

    Como foi citado pelo Bosco, Leonardo e outros aqui,

    Os americanos sempre tentam levar o combate aéreo para a arena BVR onde são superiores, e os russos sempre tentam trazer para o combate visual que é sua especialidade.
    Esse é ao meu ver o objetivo do PAK-FA, com dois caças stealth e com boa capacidade de manobra para esquivar dos mísseis BVR, o combate volta para a arena visual e o Pak-Fa esta sendo projetado para ter mais mísseis que o F-22, portanto sendo mais persistente na arena de combate. A incrível manobrabilidade dos caças russos também é uma prioridade no PAK-Fa. Se conseguirem isso voltarão a ter uma ligeira vantagem no combate aéreo moderno.
    O que quero ressaltar aqui é que apenas a tecnologia embarcada não ganha um combate como muitos pensam aqui, os russos não pensam em ter aviônicos e eletrônica tão sofisticadas e caras como as do ocidente, eles querem apenas o suficiente para que a capacidade aerodinâmica dos seus caças voltem a fazer a diferença.

  152. Dalton 30 de janeiro de 2010 at 15:04 #

    Ricardo…

    não me incomodo com off-topics…

    Todos os países que lutaram a grande guerra tinham deficiencias e qualidades…e só para lembra-lo ou informa-lo, mesmo no seculo 19
    a poderosa Inglaterra já comprava navios construidos no recém independente EUA.

    A França tem uma maior independencia em armamento nuclear, já que até os misseis americanos Trident 2 equipam os submarinos estrategicos britanicos, MAS…os franceses utilizam muita tecnologia americana também…como:

    -catapultas e aparelho de frenagem no porta-avioes De Gaulle
    -aeronaves de alerta aereo antecipado E2C no Charles de Gaulle
    e E-3 na Força aerea.
    -turbinas GE para os novos submarinos de ataque em construção.
    -bombas paveway da Raytheon

    Quanto a Israel, os submarinos são de origem alemã e foram vendidos por um preço mais do que “camarada” e sem uma ajuda financeira e militar por parte dos EUA Israel não poderia sobreviver no meio de centenas de milhóes de arabes.

    Quanto a URSS o sacrificio foi imenso e calculado, pois primeiro Stalin fez um pacto com os nazistas para ganhar tempo, mas sem o lend lease bill, os sovieticos não teriam triunfado, pois até caminhoes adequados não existiam para as pessimas estradas sovieticas para levar tropas e suprimentos para a linha de frente.

    Lembre-se do apelo de Stalin a Roosevelt para que abrisse uma nova frente além da italiana, na França, para aliviar a pressão sobre as tropas russas e não foi nada fácil devido a distancia entre EUA e Grã-Bretanha mas os americanos foram capazes de construir mais de 3000 navios de transporte em apenas 4 anos.

    Enfim…fica dificil dizer que a Russia fez a diferença e não o contrário.

    abs

  153. Thierry 30 de janeiro de 2010 at 15:38 #

    Urutau,dear anonymous friend,you are fully wrong regarding my “anti-americanism”,I might belong to the real 30-40% French really pro american regarding the past.OK?
    Now here is an industrial competition
    And yes I believe Brazil buying right now dozens of SU35 + SU50,having russian technicians helping you to build a subnuc hull etc humm big brother would watch you in a funny way and maybe not so friendly as before.This is my certitude.And when Americans want to pressurize a country,they know and have the means to do it.In 2003 France experienced these means when refusing to join them for invading Irak.
    Have a good day

  154. Francoorp 30 de janeiro de 2010 at 16:47 #

    Quando os Angloamericanos abriram a nova frente na França com o dia D, já era verão de 1944, os soviéticos jà tinham libertado quase toda a Polônia e o leste europeu. Jà tinham chegado em Pozdam.
    Poucos dias depois começaram a entrar em território alemão,.

    Se Não tivessem feito o dia D, os Soviéticos teriam vencido mesmo assim a guerra na europa!!!

    Para aqueles que dizem que foi a ajuda de meios que fez a URSS lutar e vencer a guerra… isso parece tanto propaganda!!! A produção soviética tinha sido transferida para o outro lado dos montes Urais, e em 1942, tinha alcançado 60% da capacidade de produção. Em 1943 esta produção já estava a mais de 80%.

    Em 43 e 44 foi o período em que a URSS mais fez a reconquista do território, além de começar a invadir a prússia oriental, tudo isso baseado somente nos próprios meios de produção,e a guerra pro Reich a esse ponto era perdida, e todos no alto comando já sabiam disso.

    Deveriam somente resistir à vingança russa até o ultimo homem, esperando assim que os ocidentais chegassem primeiro a Berlim…mas não foi possível resistir a mais potente maquina militar que já marchou na face deste planeta.

    A URSS praticamente sozinha.

    Veja este site:

    http://www.oolhodahistoria.ufba.br/01sentid.html

    Coisa de universidade, e não de jornalzinho e documentários de TV manipulados.

    Abçs.

  155. Leonardo 30 de janeiro de 2010 at 16:55 #

    Maurício,

    Vc comentou: A última missão Apollo á Lua foi a 17 em 1972, pelo menos p/ quem acredita que o homem foi á lua.

    Não sei esta carapuça serviu para mim, acredito que sim, mas me referi a primeira vez que foram, e é em cima disso meu questionamento, porque hoje existe a tal dificuldade que o especialista americano citou no artigo na matéria da revista Galileu que citei em meu post, se foram lá desde 69. Mas volto a dizer não tenho certeza o que é bem diferente de fazer afirmação, não sou nenhuma autoridade especializada corroborar tal fato, seria insanidade de minha parte.

    Um abraço.

  156. Bosco 30 de janeiro de 2010 at 16:58 #

    Antes de dar minha opinião afirmo que não estou sendo antirusso ou coisa que o valha. Se lerem com atenção entenderão meu ponto de vista.

    Jsilva,
    sem dúvida o T50 irá pelo menos “igualar” as chances levando o combate ao alcance visual e tirando muito da vantagem do F-22.
    Não acredito que os russos terão vantagens nessa arena. Como disse ficará meio a meio, o que já é bastante razoável tendo em vista a diferença pró EUA no combate BVR tendo o F-22 como adversário.
    Acredito que para se obter algum tipo de vantagem significativa no combate BVR os protagonistas terão que fazer uso de tecnologias exóticas como caças não tripulados, armas de energia direta, furtividade banda larga (visual e térmica), mísseis anti-mísseis, IRCMs avançadas como laser de cegamento de mísseis, etc.
    Sem dúvida a tecnologia poderá fazer diferença também no combate WVR no sentido de aumentar o nível de consciência situacional e reduzindo o tempo de reação. Um sistema sem dúvida que irá ser padrão é o DAS que será usado no F-35. Ele é um conjunto de 6 sensores com formação de imagem (na verdade são como se fossem 6 IRSTs) com cobertura periférica total integrados ao sistema de fusão de dados, que inclusive projeta uma visão sintética ao piloto dia e noite. Tal nível de consciência associado a uma maior automação e a um alto nível de integração homem/máquina (armas controladas por comando de voz, etc) poderá fazer a diferença no combate de curto alcance.
    Um abraço.

  157. Hornet 30 de janeiro de 2010 at 17:03 #

    Thierry em 30 jan, 2010 às 7:57

    Thierry,

    The SU-35 was declassified by FAB because Russia would not discuss ToT. At least that’s the official information.

    But do not worry too much about it. Rafale + UCAV (nEUROn) will balance the game again. Another reason I prefer and support the Rafale in Brazil.

    Brazil and France may not have any fifth-generation fighter. We may have to skip this step and go straight to the sixth generation: Rafale + UCAVs.

    It would be very welcome this solution. For me it would be perfect.

    abração bro!

  158. Ronaldo 30 de janeiro de 2010 at 17:04 #

    Eu so queria saber se alguem aqui teve acesso as dados sobre RCS do PAK-FA, todo mundo deve ser engenheiro aeronáutico aqui, se russos e qualquer outro que queira fazer uma aeronave steath, vai diminuir o RCS talvez não tanto quanto o F-22 mas ainda assim o suficiente para não se engajado de longe pelo radar.

  159. MOKITI 30 de janeiro de 2010 at 17:11 #

    evandro vc vai me desculpar mas chamar esse caça de banheira e desprezar os caças russos e um erro terrível,se vc procurar saber sobre o periodo da guerra fria,vai ver o quanto os caças sovieticos espantaram o mundo por diversas vezes,VAI ALGUNS DOS GRANDES FABRICANTES RUSSOS:

    Antonov
    Tupolev (Tupolev Tu-144)
    MIG (3.500 km/h (Mach: 3,03)
    Sukkoi

  160. MOKITI 30 de janeiro de 2010 at 17:14 #

    Cabe lembrar tb que esse caça é o prototipo,os americanos devem estar muito preocupados,pois o F-22 é muito caro,a economia deles está em crise,e o Sukkoi t-50 vai ser no mínimo mais eficiente que o F-35.

  161. Bosco 30 de janeiro de 2010 at 17:19 #

    Leo,
    você está colocando muita dificuldade para o homem ir a lua. rsrs…
    A tecnologia básica já estava disponível. Não é nada assim tão complicado não.
    A tecnologia de propulsores foguetes de combustível líquido a base de oxigênio/hidrogênio, tecnologia de comunicação, sistemas inerciais, computação, manutenção de vida, células de combustível, materiais ablativos, aerodinâmica hipersônica, etc, já estava tudo pronto. Foi só preciso juntar tudo com um objetivo comum.
    Para isso não faltou verbas e nem um esforço nacional por parte dos americanos motivados pela Guerra Fria. Virou uma questão de Estado.
    Para nós isso é difícil porque falta a nós brasileiros uma identidade nacional, referência vinda “de cima”, líderes, uma causa valorosa que nos faça até colocar a vida em risco, etc. Sem falar que mais da metade do orçamento do Estado Brasileiro deve ser desviado e com certeza 100% é mal versado pelas raposas de plantão no galinheiro.
    A ida do homem a Lua foi feita, infelizmente pelos motivos errados e na hora errada. Com certeza, 50 anos depois, a coisa será muito mais bem planejada para o bem da humanidade e provavelmente para a desgraça do Cosmos que correrá o risco de ter a espécie humana infestando o Universo. Tremei todas as criaturas viventes que o Homem está se libertando das amarras da gravidade e prestes a sair do seu berço. As consequências provavelmente serão terríveis.
    Um abraço.

  162. Dalton 30 de janeiro de 2010 at 17:26 #

    Leonardo…

    não quis colocar vc em “fria” até porque muita gente não acredita
    mesmo, mas lembrei de vc, não apenas por isso, mas pela sua boa educação.

    Infelizmente nem o Hubble foi projetado para esmiuçar uma area tão pequena na lua quanto as areas de alunissagem, mas recentemente
    o LRO (lunar reconnaissance orbiter) tirou fotos de areas lunares onde é possivel ver o estagio do modulo lunar que permaneceu na superficie e mesmo a sonda japonesa Kaguya tirou fotos de menor qualidade antes de chocar-se intencionalmente com a superficie lunar.

    Com o tempo, vcs irão convencer-se…

    abraços

  163. Bosco 30 de janeiro de 2010 at 17:36 #

    Dalton e Leo,
    as fotos aí: http://www.nasa.gov/mission_pages/LRO/multimedia/lroimages/apollosites.html

  164. Bosco 30 de janeiro de 2010 at 18:00 #

    Rolouco,
    alterar o canhão do Cascavel para atirar em movimento seria muito complexo já que teria que adaptar uma plataforma giro estabilizada em 3 eixos. Ou seja, seria uma arma completamente nova.
    Quanto ao tiro noturno é mais fácil já que bastaria alinhar um sistema de visão noturno e/ou de imagem térmica e um telêmetro laser associado a um computador balístico.
    Em relação ao poder de perfuração da munição cinética de 90 mm ela é sim muito eficiente mas não seria capaz de vencer a blindagem dos tanque mais modernos.
    Embora pareça muito mas 500 mm de penetração em uma blindagem homogênia não é nada demais. Alguns mísseis com ogiva HEAT perfuram mais de 1200 mm em blindagem homogênia.
    Só pra se ter uma idéia um projétil cinético de 120 mm penetra quase 800 mm de blindagem homogênia a 4 km.
    OBS: é claro que veículos blindados não possuem 1 metro de espessura de blindagem, mas a munição é testada em relação a quanto penetraria em uma blindagem com a resistência equivalente a blindagem homogênica (RHA). Blindagens compostas e inclinadas, embora sejam mais finas (cerca de 20 cm no setor frontal de um MBT), são tão resistentes quanto o equivalente a uma determinada espessura de “blindagem homogênia”.
    Um abraço.

  165. Felipe Cps 30 de janeiro de 2010 at 18:19 #

    Jose em 30 jan, 2010 às 0:56

    “Felipe Cps essa história de que foi oferecido o F-35 a FAB é mentira”

    Não, não é mentira. Saiu numa entrevista do Jobim e do Saito, antes do envio do RFI do FX2 às empresas concorrentes.

    Sds.

  166. Getulio - São Paulo 30 de janeiro de 2010 at 18:22 #

    Na verdade eu esperava um caça com desenho mais avançado que este aí, que parece muito com o F-22. Acho que os russos ou americanos fazem competição tipo espelho. Um produziu algo eu também e ficamos empatados.
    Eu esperava algo tipo Berkut, mais arrojado, mas creio que eles não querem fazer uma corrida, mas um espelho do que o outro tem para não gastarem muito.

  167. Getulio - São Paulo 30 de janeiro de 2010 at 18:29 #

    O desenho do PAk parece ter mais DNA do MIG do que da SUKHOI. Vendo o Flanker numa das fotos acima, vejo que é este é o caça com desenho totalmente diferente, para mim um desenho harmonioso de um pássaro.
    Este PAK e o F-22 não parecem que voam bem, face a pretensão de priorizar a invisibilidade e não o voo. Ainda prefiro o SU-35 para a FAB.

  168. Robson Br 30 de janeiro de 2010 at 19:09 #

    joão em 30 jan, 2010 às 11:27

    concordo plenamente com seus comentários

    num outro post tinha colocado o mesmo e fui muito criticado.

    Aliás, o SU-27 deu origem a muitos protótipos que não foram para frente.

    US$5bi é muito pouco para ser equivalente ao F-22.
    Realmente os gererais americanos não vão conseguir mais dinheiro para os F-22, pois um novo f-15 são suficientes.

  169. Ronaldo 30 de janeiro de 2010 at 19:33 #

    Ainda bem que o Brasil não tentou imitar os outros quando fez as ultracentrifugas de enriquecimento de urânio!! Já pensaram se nos tivessemos gastado tanto quanto ou outros países?
    O que custou o F-22 não quer dizer nada.

  170. joão 30 de janeiro de 2010 at 20:49 #

    Robson Br em 30 jan, 2010 às 19:09

    Cara, sou fã da aviação russa. Costumo fazer a seguinte analogia, meio fraquinha, mas vai lá: os americanos precisam de uma dúzia de ovos pra fazer um bom omelete. Os russos conseguem uma coisa muito próxima e as vezes mais saborosa com apenas um ovo. Sacou?

    No entanto, sejamos racionais: pelo pouco que entendo, comparar esse avião (o qual eu achei lindíssimo, o mais bonito de todos pra mim) com o F-22 não dá meu camarada. Pelo menos por enquanto não dá não, nem a pau. Quiçá daqui uns 10 anos…

    Vamos de Rafale mesmo!

  171. Thierry 31 de janeiro de 2010 at 7:05 #

    Hornet em 30 jan, 2010 às 17:03

    if SU35 was not OK for technology transfer ,so what about SU 50?russian inventivity is great,just wondering a Dassault-Sukhoi merger he he…

    great quality footage of an “old” sexy curbs fighter

  172. Vilas Nobre 31 de janeiro de 2010 at 7:12 #

    Galahad em 29 jan, 2010 às 23:17

    Esta foi entre os olhos… parabéns (rsrsrs) !

  173. Vilas Nobre 31 de janeiro de 2010 at 7:41 #

    Rogério em 30 jan, 2010 às 14:03

    A verdade Francoorp é que se não fosse os americanos e inglese os Russos estariam falando alemão hoje.”

    Discordo totalmente. A URSS conseguiu reverter o avanço alemão a partir da batalha de Stalingrado. A partir daí os russos comandaram a iniciativa na frente leste até as portas de Berlin. Aliás os Americanos e Ingeleses tiveram que correr a partir da Normandia para evitar que os russos avançassem mais do que avançaram sobre o território alemão e europa oriental.

    Agora, isto não deve ser tomado como uma afirmação que os ingleses e americanos ficaram em casa encolhidos enquanto os soviéticos faziam o trabalho sujo. Cada país aliado teve seu papel importante na guerra. Querer minimizar e desprezar os esforços de um lado ou de outro é no mínimo ao querer conhecer a história

  174. Vilas Nobre 31 de janeiro de 2010 at 7:52 #

    Em tempo, também discordo que os americanos foram covardes no pacífico porque lançaram bombas atômicas e não invadiram o Japão. Não duvido que a vitória dos EUA sobre Japão por meios convecionais fosse uma questão de tempo, mas qual seria o custo em termo de tropas, recursos, etc ?? As FA já tinha provado que era um adversário muito tenaz (prefeiram morrer a se entregar) e só um evento muito dramático para fazê-los se render rapidamente naquele momento, daí o emprego das bombas A. É claro que os EUA aproveitaram para passar um recado à URSS também, justamente pelo apetite demonstrado pelos russos na Europa…

  175. Mauricio R. 31 de janeiro de 2010 at 13:31 #

    “A URSS conseguiu reverter o avanço alemão a partir da batalha de Stalingrado. A partir daí os russos comandaram a iniciativa na frente leste até as portas de Berlin.”

    Contaram c/ pesada ajuda material anglo-americana p/ tanto.
    Considere que enquanto os russos lutavam em Stalingrado, os americanos lutavam em Guadalcanal; que foi o pto de inflexão da guerra no Pacifico.

    “Agora, isto não deve ser tomado como uma afirmação que os ingleses e americanos ficaram em casa encolhidos…”

    Vc se esquece que ingleses e americanos tb lutavam na Índia, China e no Pacifico além da Europa Ocidental, Atlântico Norte e Mediterrâneo.
    Enquanto o principal teatro de operações russo era limitado do Báltico aos Urais.

  176. rolouco 31 de janeiro de 2010 at 13:34 #

    vlw bosco!!!
    entao nosso cascavel esta no exercito so para fazer numero. porq sem estas capacidades nao da mais para nosso pequeno guerreiro.
    gostaria de ler neste blog uma materia detalhada da situaçao em que hoje se encontra nossa forca terrestre, sobre o que nos ainda temos de bom, e o que ainda falta.

  177. Villas Nobre 31 de janeiro de 2010 at 18:39 #

    Mauricio R. em 31 jan, 2010 às 13:31

    (???)

    Ok , eu desisto… foram os americanos que inventaram o T-34, Vassily Zaitsev provalvemente foi treinado na Inglaterra e Lydia Litvyak e Marina Raskova conseguiram seus abates na WWII pilotando Spitfires ou P-51´s…

  178. davidjp 31 de janeiro de 2010 at 21:45 #

    cara vamos ter calma, começamos com t50 e f35 e ja voltamos a 2º guerra, calma ae acho que o t50 vai levar o combate para o visual denovo ai os americanos tremen!
    deixado bem claro nao sou a favor de nenhum mais acho os dois belos fabricantes de armas, cada qual a seu jeito!

  179. buiatchaca 17 de setembro de 2010 at 6:16 #

    …a alemanha herdou 24 mig 29 que foram modernizados para padrão nato e depois vendidos a polônia pelo valor simbólico de 1 euro cada… Aí eu indago, porque que nós não compramos!!! Eu até dava do meu dinheiro pra não não ver mais aqueles f-5 se desintegrando cada vez que se faz um exercício militar!! caiu o canopy no meio das vaca, elas não dão mais leite!!! porcaria yankee monomotora!!

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Força Aérea da Rússia receberá 100 novos MiG-35

O Ministério da Defesa da Rússia planeja assinar junto à Corporação Russa de Construção Aeronáutica MiG um contrato para o […]

Boas notícias em café da manhã da Helibras, MBDA e Avibras com jornalistas

A Helibras, a MBDA e a Avibras convidaram jornalistas para um café da manhã hoje, na sede da Helibras em […]

Japão poderá vender componentes para mísseis aos Estados Unidos

O Governo japonês prevê aprovar em breve a venda aos Estados Unidos de componentes para mísseis fabricados no Japão, no […]

‘ShinShin’ está atrasado, mas deve voar ainda este ano

Segundo o Grupo Jane’s, projeto ATD-X poderá dar origem a um caça de sexta geração japonês O ministro da Defesa […]

Rússia: mais informações sobre a encomenda de novos MiG-29 SMT

A Rússia assinou um contrato com a MiG Aircraft Corporation (RAC MiG) para a compra de mais 16 aviões de […]

Helibras entrega dois novos EC725 totalizando 11 unidades em operação nas Forças Armadas

A Helibras acaba de entregar mais dois helicópteros EC725, cumprindo os prazos e critérios de nacionalização estipulados pelo contrato assinado […]