domingo, novembro 28, 2021

Gripen para o Brasil

Array

CINDACTA II operará com software da Atech em 2010

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

ATECH-sagitario-FOTO-PA

Evandro Fadel

O Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta 2), com sede em Curitiba, deve começar a operar, em março do próximo ano, um novo software de controle de voo, com tecnologia totalmente brasileira. “A vantagem desse software é que nos dá uma capacidade maior de controle e gerenciamento”, disse nesta segunda-feira, 14, o comandante interino do Cindacta 2, coronel Leônidas de Araújo Medeiros Júnior.

O software, conhecido como Sagitário (Sistema Avançado de Gerenciamento de Informações de Tráfego Aéreo e Relatórios de Interesse Operacional), já está em testes na unidade paranaense, instalada em um prédio de quatro andares totalmente subterrâneo. Segundo o coronel, uma das novidades do novo sistema é que ele informa qualquer possível conflito de voo antes mesmo de as aeronaves deixarem o chão. O software segue todas as práticas e recomendações do mercado internacional, incluindo as da Eurocontrol (Organização Européia para a Segurança da Navegação Aérea).

“É também um software brasileiro, que tem duas grandes vantagens: primeiro, pode-se implementar qualquer atividade operacional e ter pronta resposta e, segundo, o custo é bem menor, em alguns momentos até dez vezes menor”, disse Medeiros Júnior. O software foi desenvolvido durante dois anos pela empresa Atech, que trabalha em conjunto com a Força Aérea Brasileira (FAB). A expectativa é que até 2012 todo o País esteja coberto com esse sistema. “Se os investimentos governamentais continuarem, até 2012 teremos retirado todo o atraso tecnológico que porventura exista”, garantiu o coronel.

Entre as novidades, a solução traz o fundo de tela cinza, o que torna menos cansativo para os olhos do que os negros que estão no software atual, o X4000. Ele também ganha mais contraste de cores, facilitando a identificação das funcionalidades. De acordo com a Atech, o teclado deve ser praticamente descartado, tornando-se opcional o uso. O operador pode, com apenas um clique no mouse, alterar graficamente uma rota de voo ou até mesmo estabelecer novas rotas caso haja situação de conflito entre aeronaves. Também é possível enviar mensagens para os pilotos, como se fosse um torpedo de celular. O software já vem preparado para receber aplicativos necessários para a navegação do futuro, quando controladores e pilotos devem se comunicar via satélite.

FONTE: Estadao.com.br

- Advertisement -

3 Comments

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
flaviodepaula

É só investir em P&D que mais tecnologias de ponta como esta aparecerão.

Parabéns aos envolvidos e a Atech.

NoNickname

Lá vem mais um software da Atech cheio de bugs. Será que os aviões vão sumir igual no X400?

NoNickname

Estava brincando!! 🙂
Fico muito feliz por este sistema ter sido desenvolvido por uma empresa Brasileira! Tenho orgulho de ser Brasileiro!!!
Valeu Atech! Um dia quero trabalhar com vocês!! 🙂

Últimas Notícias

O Gripen E vai igualar e, em muitos casos, ser melhor do que os atuais caças de quinta geração, afirma o Chefe da Força...

A Saab apresentou os seis primeiros Gripen E produzidos em série e que em breve ficarão prontos para a...
- Advertisement -
- Advertisement -