F-5EM-PAMA-SP09-foto2

A cada 1.200 horas de voo os F-5 da FAB são encaminhados ao Parque de Material Aeronáutico de São Paulo (PAMA-SP). Lá é feito o que se chama de IRAN (Inspection and Repair as Necessary, ou Inspeção Periódica Pré-Programada). Quando a aeronave completa um ciclo de 2.400 horas é feito o que se chama de “check D”. São intervenções comumente chamadas de “Grandes Revisões”.

Estas revisões também são conhecidas como manutenção “nível parque” (como o próprio nome sugere, são realizadas nos PAMAs) porque são mais completas do que aquelas realizadas pelas bases (manutenção “nível base”) onde os aviões operaram.

F-5EM-PAMA-SP09-foto3

As revisões IRAN são fundamentais para a correta manutenção da aeronave. Nas inspeções realizadas neste nível podem ser detectadas descontinuidades da estrutura (trincas, rachaduras, etc) ou níveis de corrosão avançados nem sempre visíveis a olho-nu.

Foi numa destas revisões que se descobriu a presença de problemas em algumas longaridas das asas dos F-5E adquiridos usados da USAF. As mesmas foram trocadas e as aeronaves continuam voando. Não é de se espantar. Estes aviões em especial eram utilizados pelos esquadrões “Agressors” e praticamente só participavam de combates aéreos puxando altos Gs.

F-5EM-PAMA-SP09-foto1

Depois da inspeção, em que a aeronave é totalmente desmontada e depois remontada, o que, dependendo da complexidade dos reparos, substituições etc, pode levar aproximadamente um ano, os aviões são pintados de acordo com os procedimentos vigentes na FAB. As ornamentações (bolacha do esquadrão, pinturas comemorativas, etc) são feitas nos esquadrões.

FOTOS: Poder Aéreo

SAIBA MAIS: as fotos desta matéria foram tiradas na última edição do evento “Domingo Aéreo” no PAMA-SP, em 25 de outubro de 2009, e mostra aeronaves já modernizadas para o padrão “Mike”, com o novo padrão de camuflagem. Os primeiros F-5M entregues aos esquadrões, por serem em pequeno número e haver a necessidade de adaptar ao novo padrão o máximo de pilotos, atingiram rapidamente as horas de voo para voltarem ao PAMA, por isso são vistos em revisão desde pelo menos o ano passado.

Para ver fotos dos “Mikes” no ano passado e de aeronaves ainda não modernizadas em outros anos (entre 2004 e 2006), sendo preparadas para envio à Embraer e ostentando apenas a pintura “primer”, clique nos links abaixo (o segundo link, em especial, por englobar fotos de vários anos, permite ver uma mesma célula em fases distintas de desmontagem e remontagem antes do envio à Embraer – caso do FAB 4849):

Tags: , ,

Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

13 Responses to “Quando um F-5 da FAB vai para o PAMA-SP?” Subscribe

  1. Paulo Renato 1 de novembro de 2009 at 12:32 #

    Aí está uma resposta a pessoas que não gostam dos Americanos.
    Quanto tempo esses caças estão por aqui, são da decada de 70, estão miserávelmente 30 anos de uso e ainda estão aí tendo sua vida útil prorrogada por mas algum tempo.

    Eu ainda não vi uma foto sequer de manutenção dos Mirage III e dos atuais Mirage2000.

    Será que tem uma manutenção desse nível ??????

    Será que poderia ser postado aki alguma fotos dessas.

    Abs.

  2. fernandodes 1 de novembro de 2009 at 12:48 #

    É claro que manutenções do nível que o PAMA SP faz, são essenciais, fiquei surpreso em saber que a FAB faz este trabalho, e também gostaria de saber se a família Mirage também sofre o mesmo tipo de revisão.

  3. Guilherme Poggio 1 de novembro de 2009 at 14:01 #

    Paulo Renato e fernandodes

    Sim, os Mirages 2000 sofrem revisão deste nível também, mas ela não é realizada no PAMA-SP. Quando tivermos mais tempo e mais recursos faremos uma reportagem com os Mirages.

  4. Paulo Renato 1 de novembro de 2009 at 14:18 #

    Valeu Poggio !!!

    Mas parece que sua manutenção émeio complicada né ??? ou não ???

    Sei que existe uma diferença de tecnologia entre os F5 e o Mirage, mas os caças americanos são mas fácieis de manutençã dos os caãs da França.

    Abs.

  5. cmte.felix 1 de novembro de 2009 at 14:25 #

    Estive falando com um oficial de manutenção lá do PAMA-SP e ele me falou que as revisões do F-5 são muito mais tranquilas em relação as revisões do M-2000. Segundo ele, para os Mirages faltam peças que demoram meses para chegar, sem falar na complexibilidade. Quanto as pessas do F-5 quando não tem as peças disponíveis aqui no Brasil, os americanos levam poucos semanas para mandar o que precisa.

    Nunca li nada a respeito em nenhum blog/forum, mas como esses F-5 chegam lá no PAMA??

    Abraços

  6. RodrigoMF 1 de novembro de 2009 at 14:39 #

    O espaço do PAMA-SP vai pro saco em breve. Já tem alguma alternativa para onde ele vai ser transferido ?

    Se vocês querem fazer uma reportagem sobre a manutenção dos M2000, podem preparar uma viagem para a França.

  7. Manoel Jose Ferreira Penna Neto 1 de novembro de 2009 at 14:51 #

    comprei um dvd da Hangart6 , fala alguma coisa sobre a manutenção em nivel de Base,mas,sabe como é, ninguem se aprofunda muito, apenas comparações entre os Mirates III e 2000.
    nenhuma aprsentação do armamento e-ridiculo-o comentario de que o painel nao podia ser mostrada por proibição da fabricante.
    quanto ao PAMA-SP as expo.de plastimodelismo do grupo GPPSD foram feitas durante 2 ou 3 anos lá,e fotografamos a vontade.
    depois de 2008 nao usaram mais o PAMA- uma pena.

  8. Guilherme Poggio 1 de novembro de 2009 at 15:09 #

    Os F-5 voam até Cumbica. De lá seguem por via terrestre até o PAMA-SP.

    Como bem disse o RodrigoMF, a manutenção do M2000 tipo IRAN é feita só na Frnaça. Aqui é nível base em Anápolis. Só os Mirage III tinham manutenção nível parque no prórpio PAMA-SP.

  9. Caon 1 de novembro de 2009 at 16:04 #

    ***Muito Off-Topic***
    O Fantástico de hoje vai apresentar uma raportagem com os 3 finalistas do FX2, Talvez os editores pudessem divulgar aqui no blog
    Abraços

  10. Paulo Renato 1 de novembro de 2009 at 17:36 #

    Caro cmte.felix em 01 nov, 2009 às 14:25 ,

    Foi muito boa esse seu comentário, os loucos pelo Rafaleco precisam ler isso e ver que os Americcanos não são nenhum bichos.
    Pensam que os franceses são flores rs..rs…rs…
    Não são confiáveis e de manutenção complexae ainda tem os Russos que dizem que são muito complicados.

    Valeu mesmo SH na cabeça.

    Abs.

  11. Felipe Cps 1 de novembro de 2009 at 18:13 #

    Eu acho que, já que a FAB não tem um caça inteiramente nosso (coisa difícil) tem que ter um avião que possa ser usado. E tão aí os F-5 com “milhões de anos” sendo manutenidos no Brasil, e quando falta peça gringo entrega rapidinho… se gringo não entregar, basta encomendar na Coréia…

    Porque esperar meses no hangar pela boa vontade de europeus em mandar peças é de uma “tonteria” total…

    Mirage / Rafale: “Corre Bino, é uma cilada!”

    Sds.

  12. Wilson "Giordani" de Souza 1 de novembro de 2009 at 18:27 #

    A Embraer/FAB conhece mais o F-5 que os EUA…

    []s

  13. flaviodepaula 1 de novembro de 2009 at 23:48 #

    Parabéns a FAB pelo alto nível de profissionalismo. Não tenho dúvidas de que essa manutenção é difícil e da um puta trabalho.

    Mas então, o pessoal não perde a chance de “meter o pau” no Rafale heim, o tópico é sobre o F5 e não esquecem o francês. Será que já pensaram que a complexidade maior do Mirage deve ao fato de ele ser muito superior ao F5? Ta certo de reclamar que as peças demoram a chegar, mas falar em demora e complexidade de manutenção é um exagero.

    Se for para termos mais opções de fornecedores, melhor comprar o Gripen então. É mesmo uma “cocha de retalhos” e o que não lhe falta é fornecedores, kkkkkkkkkk

    ei, foi só pra bagunçar heim….tou començando a me convencer que é melhor ir de Gripen do que Rafale….F18? nem no inferno.

    BRASIL!!!!

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Ataques de Rafale e Mirage 2000D a alvos do EI, no Iraque

Nos últimos dias, ocorreram novos ataques de jatos franceses em apoio a tropas iraquianas que lutam contra o Estado Islâmico, e […]

Compre sua revista Forças de Defesa 12ª edição

Saiu a Revista Forças de Defesa 12ª edição, com 120 páginas! A versão impressa está disponível para compra pela Internet e […]

Sergio Gonçalves Horta é o novo Presidente da AEL Sistemas

A AEL Sistemas S.A. (“AEL”), uma das subsidiárias da Elbit Systems Ltd. e da Embraer, anuncia que Sergio Gonçalves Horta […]

Boeing e Avianca comemoram a entrega do primeiro 787 Dreamliner da companhia aérea

Empresa colombiana usará a aeronave em rotas para a Europa, América do Norte e na América do Sul – Em […]

Gripen NG: FAB assina contrato de manutenção

A Saab deverá prestar os serviços entre 2021 e 2026, com o apoio direto de empresas brasileiras – A Força […]

Embraer adia para 2015 o primeiro voo do seu supercargueiro KC-390

  Decisão foi tomada para ‘priorizar a segurança de voo’ da maior aposta comercial da empresa, segundo fontes – A […]