Aeronave foi obrigada a fazer pouso forçado

Edson Luiz

Um pequeno avião carregado com cocaína por pouco não foi abatido por uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) nas proximidades de Cristalina (GO), a 140km de Brasília, no fim da tarde de ontem. Os pilotos receberam alerta para que pousassem imediatamente, mas decidiram prosseguir viagem. O Tucano da FAB disparou um tiro de advertência, mas os criminosos não se intimidaram. Em seguida, os militares efetuaram outros dois tiros de abate, forçando os traficantes a aterrissar a aeronave em uma fazenda. Os criminosos — as autoridades não souberam precisar quantos — fugiram se embrenhando na mata.

Segundo fontes da Polícia Federal, o avião vinha da Bolívia, com cerca de 150 quilos de cocaína, quando foi interceptado já sobre o espaço aéreo de Goiás. Os pilotos da FAB pediram a identificação e a origem da aeronave, mas não receberam respostas. Depois de dar o primeiro tiro de advertência, conforme determina a Lei do Abate(1), os traficantes desviaram a rota do voo, retornando em direção à Bolívia. Os militares pediram autorização do Comando da Aeronáutica, que consentiu com o tiro para abater a aeronave não identificada.

“Foram dados dois tiros para acertar o avião”, explicou a fonte da PF, que pediu anonimato. Ao perceberem que poderiam cair, os traficantes decidiram voltar à rota original e aterrissar. Os policiais federais que seguiram para o local não sabiam informar a nacionalidade do avião, nem precisar o total de cocaína que ele carregava, mas calcularam em cerca de 150 quilos. Esse foi o segundo caso no país em que a FAB atira em uma aeronave suspeita. O primeiro aconteceu em junho, em Rondônia. Mas até hoje, desde a instituição da Lei do Abate, nenhuma aeronave chegou a cair após ser interceptada.

Próximo ao local do pouso, a PF apreendeu um veículo que estava escondido na mata. Os agentes acreditam que o carro seria utilizado pelos traficantes. Dezenas de policiais federais das superintendências de Goiás e do Distrito Federal seguiram para o local, depois de avisados pela FAB. Todo o material recolhido na aeronave seria transportado para Brasília, inclusive a cocaína apreendida. A PF não tem pistas dos traficantes, nem sabia informar o destino da droga. O avião, depois de passar por uma perícia, deverá ser trazido ao Distrito Federal.

Goiás se tornou rota alternativa do tráfico boliviano, hoje, o que mais cresce na América do Sul, conforme mostrou reportagem do Correio em agosto passado. Pequenos aviões partem das regiões bolivianas produtoras de coca e voam diretamente para pistas clandestinas construídas em fazendas ou no meio da mata goiana. Há dois meses, a FAB interceptou um avião, em Mato Grosso, que partiu de uma pista clandestina próxima de Caiapônia (GO). Depois da apreensão de mais de 400 quilos da droga, a Polícia Federal começou a trabalhar intensamente na região, utilizada por traficantes que tentam evitar rotas conhecidas para carregamentos de grande quantidade de cocaína, como Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia e Acre.

Goiás, rota da cocaína

A apreensão de uma aeronave com 150kg de cocaína alvejada pela Força Aérea Brasileira (FAB) ontem, próximo à Cristalina (GO), a 140km de Brasília, confirmou o que a Polícia Federal já estava investigando desde o início deste ano: Goiás pode ser uma das principais bases de apoio utilizadas pelo narcotráfico. Em menos de dois meses, dois aviões de pequeno porte com cocaína foram interceptados em Mato Grosso do Sul, após decolarem do interior goiano. Nesse mesmo período, o volume de cocaína apreendido pela PF superou os 600kg, droga que seria distribuída no Centro-Oeste e no Sudeste do país.

Com a repressão policial nas fronteiras, principalmente em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná, o tráfico tem encontrado dificuldades nas rotas para fazer a droga chegar ao Brasil. Os confrontos entre a polícia e os criminosos no Rio também contribuíram para que fosse necessário encontrar alternativas, e Goiás foi escolhido por ficar em uma região central do Brasil, onde praticamente não existia o tráfico de drogas em grandes escalas. Pelo estado, passavam as chamadas formiguinhas, que são pessoas contratadas principalmente no Norte do país para trazer pequenas quantidades de pasta base de cocaína para Brasília e também levá-las para o Nordeste.

Segundo fontes da Polícia Federal, as investigações realizadas até agora não descartam que haja pistas de pouso clandestinas próximas ao Entorno de Brasília. Normalmente, o narcotráfico arrenda propriedades rurais com documentação falsa, enganando os proprietários dos imóveis. Em Caiapônia (GO), por exemplo, onde a PF apreendeu mais de 460 quilos de cocaína em agosto passado, uma fazenda utilizada pelos traficantes foi alugada por uma pessoa residente em São Paulo. A área de inteligência da PF está rastreando aquisições recentes de imóveis por desconhecidos, principalmente vindos de outras regiões.

No caso do primeiro avião apreendido em agosto, a PF conseguiu localizar os dois pilotos, que foram encontrados exaustos em uma fazenda próxima à cidade de Rondonópolis (MT). Eles contaram que receberam R$ 4 mil para fazer o transporte. A PF não descarta que o grupo que atuou na ocasião seja o mesmo que tentou ingressar com 150 quilos de cocaína ontem. A aeronave quase foi abatida por um avião Tucano(1) da FAB. Fontes da Polícia Federal não informaram de onde a cocaína teria saído, mas provavelmente seria das localidades de Chimore e Chapare, zonas de maior produção de coca na Bolívia.

Até a noite de ontem, policiais federais trabalhavam nas proximidades de Cristalina e Catalão, na tentativa de encontrar os traficantes que fugiram por uma mata depois do pouso forçado pelos tiros de advertência.

Ataque

Os aviões Tucano da FAB são próprios para treinamento e ataque de solo, por isso o modelo é usado em missões de interceptações de aeronaves suspeitas. Fabricado pela Embraer, o Tucano hoje é um dos mais usados pela Aeronáutica, mas também por forças do Paraguai, Iraque, Egito, Inglaterra, França, Honduras, Argentina, Colômbia, Venezuela, Peru e Qatar. Além de metralhadoras, pode até carregar foguetes.

FONTE: Correio Braziliense

NOTA DO BLOG: a aeronave estava muito próxima da Capital Federal. Este seria mais um motivo para agir com rigor, lembrando que o tráfico de drogas é assunto da PF e a proteção do espaço aéreo brasileiro é da FAB.

Tags: , ,

Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

11 Responses to “Tucano da FAB abre fogo contra avião do tráfico” Subscribe

  1. Wilson "Giordani" de Souza 30 de outubro de 2009 at 8:42 #

    Tem que identificar o destino dessa droga. Enquanto só prendermos peixe pequeno esse problema não irá parar de crescer.

    Imagina a adrenalina de disparar em uma situação real… =)

    []s

  2. hercilio 30 de outubro de 2009 at 9:00 #

    Efetuaram dois tiros de abate e não abateram …assim não vale.

  3. flaviodepaula 30 de outubro de 2009 at 10:04 #

    Hercilio,

    concordo com vc. Deveria ter destruido em voo, seria um transportador a menos.

    Mas, já que pousou, cabe a PF investigar e ver para onde a droga ia…

    Parabéns a FAB

    BRASIL!!!

  4. Felipe Cps 30 de outubro de 2009 at 10:09 #

    Hercílio: se não me engano a salva de tiro (rajada) tem um tempo máximo de duração determinado. Por isso pode ser que não tenha sido suficiente para abater a aeronave. Mas pode crer que se a atitude de vôo não tivesse mudado o Tucano teria abatido a aeronave.

    Parabéns à FAB, de novo. E de novo os traficantes fugiram da Federal. Que beleza… :(

    Sds.

  5. Wilson "Giordani" de Souza 30 de outubro de 2009 at 10:22 #

    Humildemente discordo do pessoal que acha que o avião deveria ter sido derrubado: isso dificultaria as investigações sobre o destino das drogas.

  6. alfredo.araujo 30 de outubro de 2009 at 10:56 #

    Eu ja sou mais radical…
    Se atirou para derrubar e nao derrubou, atira nos meliantes enquanto eles tiverem fugindo a pé!!

  7. yluss 30 de outubro de 2009 at 14:14 #

    Interessante observar nossas reações, todas naturalmente justificadas pela indignação ao ilícito do tráfico, aliemntado pelo consumo,que tanto faz sangrar nossa sociedade…

    Mas sobre o fato em si, seria interessante saber detalhes de como um piloto de ST atira para derrubar e a salva não acarreta tal fato. Já entrei em um Caravan e me lembro da impressão de que ele é bem maior do que pensava enquanto me aproximava. Talvez seja bem ribusto mesmo. Ainda assim, onde teria sido atingido pela salva? Parte central da fuselagem? Alguma asa? A PF poderia divulgar fotos da certeria ação da FA, não?

  8. danielpereira 30 de outubro de 2009 at 14:58 #

    Ações como está estão ganhando o noticiário a cada dia, por ai se tira a grande necessidade do reaparelhamento das forças armadas. Alguns já indagaram por que o avião consegui e só foi interceptado no estado de Goías, na minha opinião acho que não houve falha no controle da defesa aérea, pois se caças interceptacem ainda sobre RO ou MT, o mesmo poderia conseguir adentrar novamente no espaço aéreo boliviano ou então caso interceptado seria trabalhoso o transporte dos item para a cidade, no caso obtaram por seguir a aeronave e só aqui, já no controle de anápolis inteceptar o tal e forçar o pouso. Parabens a defesa aerea, também deve existir um controle maior nas fronteiras maritimas e terrestres dos territórios na região de onde veem os intorpecentes, a desculpa e falta de pessoal e material, mas isso se resolve com vontade politica.

  9. Walderson 30 de outubro de 2009 at 15:19 #

    penso que devia ter sido derrubado. Se acontecesse, o tráfico iria pensar duas vezes em entrar no Brasil. Pena que não derrubou, pois ninguém foi preso, então, não há como investigar nada que não pudesse se ele tivesse sido abatido.

    Um abraço.

  10. hercilio 30 de outubro de 2009 at 15:53 #

    Que os EUA tem um passado ruim em matéria de TT não da para negar,
    mas os tempos são outros.

    Não somos mais a republica das bananas.
    Temos influência política,econômonica e um grande futuro.

    É interesse de qualquer nação parceria com o Brasil.

    Da-lhe SH.

  11. hercilio 30 de outubro de 2009 at 15:59 #

    Desculpem o comentário,post errado.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Cerimônia marca entrega da frota completa das aeronaves de patrulha da FAB

As aeronaves P-3AM Orion foram recebidas a partir de 2011   A Base Aérea de Salvador (BASV) realizou na quarta-feira […]

Contrato de 12 aviões A330 MRTT para a Força Aérea Francesa

Aeronaves receberam o nome ‘Phénix’ e custarão 3 bilhões de euros, incluindo sistemas de apoio e treinamento. Terão três pontos […]

Centro de Suporte ao Cliente da Helibras recebe certificações ISO 9001 e NBR 15100

Estruturas da empresa localizadas em Itajubá (MG) e São Paulo (SP) também passaram por revalidação das normas  – O Centro […]

Veja no ForTe: Exército Brasileiro vai escolher seu blindado 4×4

O Projeto Estratégico Guarani, do Exército Brasileiro, deve selecionar em breve o vencedor do Programa VBMT-LR (Viatura Blindada Multitarefa, Leve de […]

Helibras: eixo de transmissão já foi substituído num dos EC725 entregues e em cinco da linha de produção

  Já do modelo civil EC225 em operação no Brasil, três já receberam o novo eixo, segundo a empresa. Cadência […]

FAB dá início a processo de modernização de radares tridimensionais

Com a atualização, os radares terão uma das mais altas tecnologias empregadas no mundo – O Parque de Material Eletrônic […]