Home Sistemas de Armas ‘O Brasil vai poder comprar dois (caças) pelo preço de um’, diz...

‘O Brasil vai poder comprar dois (caças) pelo preço de um’, diz ministro sueco

778
107

gripen

vinheta-clippingO vice-ministro da Defesa da Suécia, Hakan Jevrell, e o representante da Saab Bengt Javer, fabricante de caças naquele país, apresentaram nesta quinta-feira uma proposta de venda de aeronaves ao governo brasileiro. A Suécia aposta no melhor preço, metade do apresentado pelos concorrentes franceses e americanos, e no compartilhamento de tecnologia para que a brasileira Embraer e a Sueca Saab fabriquem o caça Gripen NG também para países da América Latina e no resto do mundo.

Acredito que temos um preço forte. O Brasil vai poder comprar dois (caças) pelo preço de um – disse o ministro sueco.

De acordo com o representante da Saab, as duas empresas juntas integrariam sistemas utilizando os melhores equipamentos que existem no mercado, o que daria ao Brasil liberdade de escolha para fabricar a aeronave que melhor atende às suas necessidades.

– O Gripen NG é o único que dará autonomia para a geração de caças. Oferecendo independência em vez de dependência. A Suécia está procurando um parceiro e esse parceiro é o Brasil – disse Jevrell.

A norte-americana Boeing, com o caça F-18 Super Hornet; a sueca Saab, com o Gripen NG; e a francesa Dassault, com o Rafale, são as finalistas do programa F-X2, que selecionará o novo caça da FAB.

Na semana passada, durante as comemorações do Dia da Independência, Lula divulgou nota conjunta com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, anunciando a abertura de negociações para a compra do Rafale.

O anúncio foi amplamente visto como uma vitória do caça francês na disputa, mas, no dia seguinte, o Ministério da Defesa brasileiro divulgou comunicado garantindo que a concorrência não estava finalizada e que os três finalistas poderão entregar propostas melhoradas até 21 de setembro.

Na quarta-feira, em audiência pública na Comissão de Relações exteriores e Defesa do Senado, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, confirmou a preferência do governo brasileiro pelos caças franceses (Rafale) e que só dependia da transferência de tecnologia.

Um pouco mais tarde, o presidente Lula afirmou que a escolha do novo caça ainda estava indefinida. Ele disse ainda que não há previsão para a decisão final e pediu que seja evitado o “chutômetro” nessa questão.

Um dia antes, executivos da Boeing Company afirmaram, em SP, que o Brasil não teria “carta branca” de seu país para, no futuro, conseguir vender caças como os que pretende adquirir para a Força Aérea Brasileira (FAB).

Detalhes da proposta sueca não estão fechados

A proposta que será entregue a Jobim ainda está sendo detalhada, mas significaria que 40% do trabalho de produção dos caças seria feito no Brasil.

A Suécia também promete instalar um centro, com laboratório, para testar o sistema a ser integrado no Brasil em parceira com a Suécia. Neste centro haveria simuladores e todo o equipamento necessário para integração de armamento, sensores, computadores, software e radares.

FONTE: O Globo

Subscribe
Notify of
guest
107 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
athalyba
11 anos atrás

Acho que o Grifo tem chances …

Flavio
Flavio
11 anos atrás

Minha nossa, essa proposta é muito tentadora, pois poderíamos formar o dobro de esquadrões previstos. Mas, eu ainda prefiro o Rafale, por acha-lo mais capaz tecnicamente e por acha-lo mais independente, pois depende de TT apenas de uma país, e não de vários, como é o caso do Gripen. Mas, esta é minha opinião na escolha de apenas um vetor, pois, como sonhar não custa nada, eu acho que o melhor mesmo seriam duas plataformas… Rafale + Gripen. Isso sim seria muito bom. E sem essa história de padronização, pois, apenas com 2 caças, teríamos mais padronização do que temos… Read more »

Amaral
Amaral
11 anos atrás

Bem que o presidente Lula avisou: “Assim vamos acabar ganhando os caças”. Pague 1 e leve 2 já é 50%.

Repsol
Repsol
11 anos atrás

Alguem expert ai poderia me dizer se o Gripen NG tem possibilidade de ser operado em porta aviões? no SP de preferencia.
Grato desde já.

zocca
11 anos atrás

sera que se o brasil comprace 36 rafales eo restante gripem, não poderiamos receber as transferencias de tecnologia das duas empresas(sueca e francesa) o brasil ganharia muito mais, alem de ter duas aeronaves pra vender

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

Prezado Hornet
Parece até premonição, mas falamos ontem a noite sobre isso via e-mail. So falta a teoria do bem-te-vi ser confirmada.
e vamu q vamu kkkk
Abraço

Prezado athalyba

Posso estar muito engando, mas tenho o seguinte raciocíonio:
1- Vence o Rafale no f-x2
2- Formação de um consórcio Brasil- Suécia-França, no desenvolvimento do jato de 5 geração que pode ser o gripen.
Abraço

sds

Douglas
Douglas
11 anos atrás

Creio essa seja a melhor opção. O custo operacional é baixo, haverá alguma transferência tecnológica e o avião também tem preço baixo. Para completar a defesa seria bom adquirir dois ou tres esquadroes de um caça bimotor pesado tipo o F 15 SE Eurofighter ou até o SU 35. Esse papo de transferencia total de tecnologia é apenas isso, papo. Caberia ao governo no futuro abrir os cofres e dar a embraer condições de desenvolver um caça para um futuro FX 3 em conjunto com um fabricante europeu. Se a embraer tiver acesso a parte da tecnologia de aerodinamica supersonica… Read more »

Paulo Renato
Paulo Renato
11 anos atrás

Acho que o Rafale já é o vencedor !!!
Não vai ter jeito não !!!

Abs.

Renato Guerra
Renato Guerra
11 anos atrás

Alguem saberia me informar qual é a estimativa do custo hora vôo do Gripen NG?

Abs

Alexandre G.R.S.
Alexandre G.R.S.
11 anos atrás

Prezados, Seguindo o raciocínio de alguns colegas que aqui postaram acho interessante a escolha de duas aeronaves. Óbvio, isso esbarra em muitos fatores como por exemplo a de sermos a unica força aérea no continente operando duas aeronaves de concepção moderna, forçando assim uma corrida armamentista desnecessária, fazendo com que governos vizinhos gastem muito de seu PIB em armamentos em detrimentos de outros gastos com infra estrutura e bem estar, o que para os negócios do Brasil não seria interessante. Porém, termos um ou dois esquadrões equipados com o sistema Frances, configurando-se dessa forma como nucleos de modernidade por excelência… Read more »

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

Prezados
Se olharem direito pro gripen e pro rafale eles são meio parecido no formato delta e com canard, so faltaria um aprimoramento da furtividade , e segundo o amigo Hornet comentou que esse novo jato poderia fazer frente com o f-35.
sds

matheus
matheus
11 anos atrás

O Gripen NG poderia ser um primeiro passo para um avião nacional, pois como participaremos do projeto teremos a capacidade de futuramente fazermos um Gripen bimotor de 5 geração, mais do que aviões prontos o Brasil quer ter a capacidade produzir seus próprios com ou sem ajuda internacional é isso que a Suécia está oferecendo.

Felipe Cps
Felipe Cps
11 anos atrás

36 Rafales e 84 Gripen? Hummmm… sonhar não custa…

Mas na impossibilidade acho que 2 Gripen por um Rafale vale MUUUUUUUUUITO à pena…

Sds.

Amaral
Amaral
11 anos atrás

Os 36 caças FX2 são importantes para a soberania nacional sim, desde que com repasse tecnológico. Agora, fechar com os franceses (36 Rafales) e ainda com o Suecos é um luxo pelo qual o Brasil não tem condições políticas nem financeiras de bancar. Já há os gastos com a Marinha e há ainda a restruturação do Exército (soldado do futuro). Fora a infraestrutura do país.

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

Prezado Alexandre G.R.S.
Sempre fui partidário de dois vetores(mínimo) para o Brasil.
Sendo um país continental, precisa de um vetor low e outro hi (embora estejam na mesma classe, de acordo com o Welington)
sds

Alexandre G.R.S.
Alexandre G.R.S.
11 anos atrás

Prezados,

Não sei se do ponto de vista da EMBRAER seria interessante aliar-se a uma outra empresa e começar a desenvolver um sistema de armas e o pais de origem de umas das empresas não usara principalmente em se tratando de uma moderna e delicada aeronave.
Quanto ao desenvolvimento de uma aeronave de 5° geração a conversa é outra. Mas estamos falando de algo para no minimo 25 anos.
Muitas aguas rolarão nesse interím.

matheus
matheus
11 anos atrás

Os componentes estrangeiros serão substituídos pó suecos ou brasileiros, o único a fugir da regra é o motor. Lembrado que a SAAB não é concorrente da EMBRAER, o que da vantagem do Gripen NG sobre o Rafale.
COMPRAR RAFALE É DAR TIRO NO PÉ!

Bruno
Bruno
11 anos atrás

Com essa nova proposta a escolha fica difícil. Acredito que a maior dificuldade do Gripen continua sendo o motor que é produzido nos Estados Unidos.

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

Uma coisa é certa , o F-18 SH é carta fora do baralho

Jonas Rafael
Jonas Rafael
11 anos atrás

Tava demorando a vir a contra-proposta da SAAB. Já que eles não podem aumentar a TT e nem prometer compras fizeram a cartada no preço. Tomara que se não der o Rafale o governo opte pelo Gripen. Estou apostando nisso.

Alexandre G.R.S.
Alexandre G.R.S.
11 anos atrás

Prezado Felipe cps,

Acredito que orçamento haja sim. Não é por falta de dinheiro que isso não se concretizaria. Acho que isso perpassa necessariamente por vontade politica. E dai… o resto todos nós sabemos…

eduardo
eduardo
11 anos atrás

O fato do Gripen ter sistemas originários de diversos países também pode ser visto como uma vantagem. Certamente é o avião mais “aberto” a adaptar sistemas de procedências diversas. Os americanos trabalham apenas com equipamentos americanos, os franceses com tecnologia francesa e o suecos com tecnologia inglesa, americana, francesa, alemã e, quem sabe um dia, brasileira. Vê-se o resultado disso na possibilidade de integração de armamentos ao avião. O Rafale é homologado apenas para armamento francês. O F-18 é homologado para armamentos de alguns países além dos EUA, e o Gripen é homologado para armamentos suecos, franceses, americanos, sul-africanos, israelenses,… Read more »

Alexandre G.R.S.
Alexandre G.R.S.
11 anos atrás

Prezado Felipe cps,

Desculpe-me o post era endereçado ao colega amaral… a fusão pela qual a minha empresa esta passando esta me deixando meio “zureta”

flavio
flavio
11 anos atrás

O Lula se precipitou e já escolheu o Rafale, dificilmente voltando atrás… Mas estou certo de que o Gripen seria melhor, poderíamos ter muito mais caças, pelo preço de cada unidade; o gasto, com o tempo, seria muito menor e, principalmente, estaríamos JÁ participando do desenvolvimento e da construção de um moderníssimo supersônico! Duvido muito que, pelo seu preço e seu enorme gasto com o passar do tempo, o Rafale possa ser comprado em grande quantidade. Vamos ter uma “Força” Aérea com poucos caças ou com algum outro caça a fazer companhia ao Rafale. Força Aérea com 100 Rafales??? É… Read more »

Bruno
Bruno
11 anos atrás

A escolha deixou de ser estratégica e passou a ser política. Os suecos não vão formalizar oficialmente a proposta. Por esse valor, eles estão deixando algum ponto importante de fora, a tecnologia do radar, armamento…

matheus
matheus
11 anos atrás

Não vejo muito problema quanto ao motor, pois na pior das hipóteses podemos escolher outro fornecedor de motor, não se esqueçam que o Gripen ainda é um projeto. Tenho certeza que os EUA não vão proibir a utilização de seu motor, até mesmo pro que sabem que não estamos comprando só caças e que outras concorrências virão, não vão querer queimar o filme deles com o Brasil e com a Suécia

Marcelo Tadeu
Marcelo Tadeu
11 anos atrás

Repsol,

Respondendo a sua pergunta, apesar de eu não ser expert. Não, não há possibilidade do Gripen operar em PA e acho que não existe nenhuma idéia da Saab para uma versão destas, até porque a Suécia não tem esta tradição de Aviação Embarcada, o quintal dela é o Mar Báltico, onde lanchas rápidas de patrulha com mísseis e embarcações médias levam vantagem.

Sds,

Marco Antonio Lins
11 anos atrás

Esmola grande cego desconfia !!!!….Não estou comprando brinquedo!
E sim vetores!…Será que o NG bate de frente com o Rafale.Como diz o Godoy em sua entrevista. “O Rafale e uma grande maquina de Guerra.”
Não se engane se não for o melhor do mundo no momento.

Asterix
Asterix
11 anos atrás

Existe um diatdo que diz: “QANDO A ESMOLA É MUITO GRANDE, O SANTO DESCONFIA”.
Meu Prof. de Aerodinâmica na EAPAC em 1980 já falava: “decolar com um monomotor é o mesmo que já decolar em emergência”.

Asterix
Asterix
11 anos atrás

QANDO??..desculpem.QUANDO.

Marcelo Tadeu
Marcelo Tadeu
11 anos atrás

Senhores,

Posso estar enganado, mas a escolha já está decidida. É o Rafale. A Boeing já “roeu a corda” quando falou em Transferência Necessária e não adianta o Obama ligar para o Lula, para o Papa ou qeum ele quiser, as leis americanas de transferência de tecnologia sensível são severas.

A SAAB vem com esta história de 2 por 1 , o que pode estar maquiando alguma coisa. O valor não pode cair tanto sem tirar algo do pacote. É o que eu acho, salvo melhor juízo.

Abraços

Bruno
Bruno
11 anos atrás

Tem a compra de helicopteros, pode até sobrar para os americanos, fornecer Apaches e Black Hawk, montados pela Helibras.

Repsol
Repsol
11 anos atrás

Marcelo Tadeu
Mais pelo tamanho do Gripen, não seria o caso de só algumas mudanças do avião? A saab diz que ele pousa em pistas curtissimas, e até rodovias, acho que pra um porta aviões não seria impossivel.

RL
RL
11 anos atrás

Agora todo mundo entra em desespero.

(risos).

Ninguem quer perder esse negócio.

Bruno
Bruno
11 anos atrás

O lobby americano é muito forte

Gripen
Gripen
11 anos atrás

Pô, 1 Rafale custa 92 milhôes do doláres!!! Totalmente fora da realidade brasileira.

A proporção 2:1 de Gripens é plausível.

Abraços

Marcelo Tadeu
Marcelo Tadeu
11 anos atrás

Repsol,

AS mudanças não compensariam a escala de produção. Reforço do trem de pouso, tratamento anti-corrosivo da célula e motor. Somente 3 países utilizam PA convencionais: EUA, França e Brasil, futuramente a Inglaterra, mas ela já se enganjou no F-35, então o mercado é muito pequeno.

Abraços

LBacelar
LBacelar
11 anos atrás

” Tecnologia do motor O modelo sueco usa motores norte-americanos. Jevrell disse que isso não é um problema para o Brasil. “A integração de um motor é muito cara. mas se no futuro o Brasil quiser desenvolver um caça próprio com outro motor, nós vamos mostrar como se integra esse motor. Nós mostramos como integrar o motor num caça supersônico. Depois, se o Brasil quiser escolher outros motores, é possível.” ” Ou seja, a transferencia de tecnologia na parte de motores não existe, se os americanos quiserem embargar os suecos nos ajudam a adaptar um novo motor ou seja, CORRE… Read more »

Repsol
Repsol
11 anos atrás

Mais com o orçamento apertado da MB, uns Gripen Naval cairia bem, e ficaria uma “gracinha” tbm. hahah
Mais sou partidario dos Rafale, e graças a deus é ele que virá, meu medo é que se com os atuais vetores, só 3 voam, imagina com os Rafale.
Abrço.

Asterix
Asterix
11 anos atrás

Sonhar não custa nada…..vamos trocar bananas por loiraças suecas e champagne…..
Agora falando sério, o Rafale é imbatível mesmo. Só falta melhorar (e muito) o preço.

bruno
bruno
11 anos atrás

Eu acho que não vai dar em nada de novo, ta quase acabando o ano, as eleições estão perto.

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Lucas Calabrio, exatamente. Falamos ontem. Vou aproveitar a oportunidade pra esclarecer meu ponto de vista a todos, que creio ser semelhante ao seu (me corrija se estiver errado). O FX2 tem um problema de fundo: não definiu se queria um caça pesado ou leve. Só diz que quer um caça multirole. Pois bem, este ponto criou alguns dilemas: o preço é um deles. É claro que o Gripen é mais barato que o Rafale e o Super Hornet, pois ele pertence a outra categoria, é um caça leve. Sua categoria é a mesma dos F-16, Mirage 2000-5, F-35 (monoreatores) etc;… Read more »

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

Amigo Hornet
Melhor explicação sobre a teoria do bem-te-vi impossível.
Abraço

VerdeAmarelo
VerdeAmarelo
11 anos atrás

Nosso Presidente bem que poderia ler algumas postagens e seus respectivos comentários aqui no aereo para basear suas escolhas políticas e/ou pessoais. Minhas perguntas aqui com meus botões são: O que está nos bastidores de tamanha aproximação à França? Qual é efetivamente a questão política relacionada a escolha dos Rafale? O Gripen não parece, ao menos para o leigo aqui, uma opção tão interessante quanto o Rafale se estamos olhando para frente para o desenvolvimento? Ora, se o Gripen é ainda um projeto não se poderiam buscar outros parceiros ou fornecedores para partes críticas cuja transferência de tecnologia não seja… Read more »

welington
welington
11 anos atrás

Sempre fui mais simpático a proposta Sueca que a Francesa, porem olhando no contexto geral a parceria com a França tem seu ponto positivo, uma maior transferência tecnológica em cada setor individualizado graças a uma parceria mais ampla, o que beneficiaria o SNB, porem geraria uma dependência a longo prazo que pode ser benéfica em termos de parceria, mas ruim por dependermos de muitos sistemas de defesa a um único parceiro durante décadas, porem em se tratando apenas do FX2 a melhor proposta é a Sueca, graças ao seu baixo valor de aquisição, manutenção e operação, grande transferência tecnológica dentro… Read more »

Leoamx
Leoamx
11 anos atrás

Duas turbina uma turbina. Não aguento mais este argumento fútil, ainda mais se tratando da turbina sceneca que não é confiável, uma GE F414 é da família de turbinas mais confiáveis do mundo.

O que já postei antes está se confirmando o gov suéco e SAABdeu o lance de 50% de desc., negócio da china Mula

mane
mane
11 anos atrás

O F-35 tem um só motor. Vai ser o caça padrão de praticamente toda a OTAN. E é um caça que opera em porta-aviões. Parece ridículo alguém ainda argumentar que duas turbinas seja uma vantagem e não uma tremenda desvantagem por causa do alto custo. O Gripen sempre foi a metade do preço do Rafale. A SAAB não está dando nenhum desconto, está apenas dizendo agora claramente na imprensa o que está na proposta e que a FAB já sabe há muito tempo. A FAB procura um caça para entrega em 2014. A FAB procura um programa onde exista real… Read more »

Marcelo Tadeu
Marcelo Tadeu
11 anos atrás

Leoamx,

Que turbina é essa que vc arranjou? Sceneca?? rsrsr!!! É SNECMA, ou vc quis dizer SNECA!!!

Mas ela não é ruim não, já foram resolvidos os problemas na M-88

Sds,

Deio
11 anos atrás

Parabéns Hornet, matou a pau no texto.

Mesmo que eventualmente isso não venha a acontecer, seria uma belíssima idéia.

Resta aos cérebros de Brasília perceber e trabalhar por isso.

Harry
Harry
11 anos atrás

Caro Hornet He, He,
Ou seja o governo brasileiro vai se decidir por UMA ÚNICA OPÇÃO
O nome dele é Rafale 99,9%

Porque?

A França não perde essa nem a pau Juvenal.

A França não vai levar outra vez esse desaforo pra casa

A França vai ser atrevida e insolente chame como quiser.

Agora uma pergunta que não cala e postei anteriormente, afinal
o BNDS tem estudo de compra SAAB? Ai pergunto para que Rafale.

Abs