sexta-feira, maio 27, 2022

Gripen para o Brasil

Satélite geoestacionário nacional carece de verbas

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Projeto estratégico terá aplicação em defesa, meteorologia e telecomunicações; Brasil hoje aluga esses satélites

vinheta-clippingA AEB (Agência Espacial Brasileira) quer a parceria de empresas privadas para financiar a construção do satélite geoestacionário nacional, que deve permitir ao país autonomia, por exemplo, na realização de comunicações militares.

O negócio deverá ser por meio de PPP (parceria público-privada), pois a agência espera evitar que a escassez de recursos e os cortes orçamentários atrapalhem o andamento do projeto, tido como estratégico.
O custo para a construção do satélite é de cerca de R$ 600 milhões, valor que representa mais de duas vezes o orçamento médio anual da AEB (R$ 260 milhões, desde 2005).

O seu desenvolvimento conta com a ajuda das agências espaciais russa (Roskosmos) e francesa (Cnes). Estima-se que, seguido o cronograma, o satélite esteja pronto em cinco anos.

“Nós sabemos que no orçamento do programa espacial [brasileiro] é muito difícil acomodar em curto prazo um projeto como esse [do satélite]. Então a gente precisa de alternativas. Uma delas é justamente a parceria público-privada”, disse o diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da AEB, Thyrso Villela.

De acordo com o ele, o governo, por meio do Ministério do Planejamento, já fez uma chamada para empresas interessadas em realizar um estudo que deve apontar a viabilidade da PPP na construção do satélite. Só depois disso é que o governo deve começar a procurar por organizações dispostas a investir no projeto.

“Isso [a PPP] garantiria os recursos para que o projeto vá para a frente. Depois dos estudos prontos, vamos ver se a parceria é viável do ponto de vista tanto do governo quanto das empresas”, afirmou Villela.

Órbita alta

O satélite geoestacionário é chamado assim porque gira na mesma velocidade da Terra e fica “estacionado” sobre um mesmo ponto do planeta, numa órbita alta em volta do equador, a cerca de 36 mil quilômetros de altitude.

Como usa uma tecnologia mais complexa que a de satélites de sensoriamento remoto, que ficam em órbitas baixas (a menos de mil quilômetros), seu custo também é mais elevado.

É usado, por exemplo, em telecomunicações e transmissão de TV por assinatura.

De acordo com Villela, o satélite será empregado na áreas de meteorologia -pois permite a observação contínua de uma determinada região-, comunicação de governo (ministérios e Polícia Federal, por exemplo), e comunicações militares.

O Brasil já teve um satélite geoestacionário, mas perdeu o controle sobre ele após a privatização da Embratel, no governo FHC. Hoje, o país aluga satélites, inclusive para as comunicações militares.
Para o engenheiro aeronáutico e presidente da AAB (Associação Aeroespacial Brasileira), Paulo Moraes Junior, a PPP é uma boa saída para garantir a continuidade do projeto.

“[A PPP] me parece a solução ideal, pois a iniciativa privada é mais ágil do que o Estado. Mas desde que o Estado se imponha nessa parceria, ou seja, mantenha o controle sobre o satélite, pois são comunicações militares, de segurança.”

Não há uma definição sobre a contrapartida que uma empresa pode obter com essa PPP. De acordo com Moraes Junior, entre as possibilidades está a exploração de canais de transmissão de informações, com a venda do serviço para empresas da área de telefonia, internet e TV.

FONTE: Folha de São Paulo, via Notimp

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Mauricio R.

Desde que não haja nenhuma empresa francesa metida nesse negócio, estaremos bem.

Rafael

“O seu desenvolvimento conta com a ajuda das agências espaciais russa (Roskosmos) e francesa (Cnes). Estima-se que, seguido o cronograma, o satélite esteja pronto em cinco anos”

Fritche

Citando:
“O Brasil já teve um satélite geoestacionário, mas perdeu o controle sobre ele após a privatização da Embratel, no governo FHC”

A gente sempre acaba lembrando dele, não que não tenha feito coisas boas tbm, mas a coisas que não da para entender…

Wolfpack

Vendo no Discovery Channel o documentário sobre o programa espacial americano, Mercury, Geminy e Apollo, fico pensando que como com toda a tecnologia computacional atual o Brasil não consegue colocar em órbita um satélite com recursos próprio. Somos tão ruins assim?

RodrigoBR

Wolfpack, Não somos ruins, somos muitas vezes imbecis em algumas coisas no Brasil. Essa necessidade de termos satélites geoestacionários é primordial, fundamental para a segurança e também ninguém pensa que o valor dos alugueis de canais de outros satélites serão economizados e que deveriam pagar “as prestações” desses satélites que TEMOS OBRIGATORIAMENTE que construir e lançar. Além de satélites de comunicação como estes, a de se pensar na maior quantidade de satélites de sensoriamento remoto(mapeamento,condições do tempo,meio ambiente,etc), para reduzir o tempo de revisita do satélite pelo mesma região. Hj só possuimos o CBERS 2B (Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres)… Read more »

RodrigoBR

Também é fundamental um sistema de posicionamento por satélites nacionais para ser usado pelas FAs. Obviamente não temos tecnologia e nem recursos para possuirmos um sistema GPS tupiniquim, mas com 5 ou 6 satélites já teríamos algum poder de localização especificamente para o território nacional e adjacencias, pois em um eventual conflito que venha de encontro aos interesses dos atuais proprietários: os EUA-GPS, União Européia-Galileo e os russos-GLONASS poderiam embaralhar o sinal propositalmente para deixar-nos sem capacidade de localização por satélite.

X-nobe

Este governo FHC sem sombra de duvida foi e ainda é o pior de todos os governos que o Brasil já teve desde que deichou de ser colonia de Portugual. Alem de terem vendido tudo o que podiam vender a preço de banana, terem feito um monte de imprestimos e depois torado todo o dinheiro sabesse lá com o que eles acabaram com muitos projetos fundamentais para nosso desenvolvimento. Com o disse na outrapagina nunca votei para o Lula, mais fico feliz que ele estege na presidencia, no lugar de tucano. Se deichar os neo-liberalistas faserem o que quiserem eles… Read more »

Alecsander

X-nobe

Como diria o Colunista José Simão que apesar de trabalhar na Folha de São Paulo tem um postura anti-liberal igual a sua:
Viva o anti-tucanes, viva o Brasil rsrsrsrsrsrs…

Um grande abraço.

Ulisses

Eu acho que o governo Collor foi o pior.

Sopa

Collor+FHC+EUA, existe ou existiu coisa pior por BRASIL ???

“Nas favelas não, mas no SENADO só sujeira pra todo lado”

gil

Nada na área militar e em outras de suma importância estratégica para o país funciona sem o GEOestacionário…,…sem “GPS” local com bandas saltitantes e criptografadas, não conseguiremos direcionar corretamente nehum vetor ou arma sofisticada….a defesa não funciona…o monitoramento fica fraco e vira uma piada!!!!

Se não há capacidade independente de lançamentos e satélites militares disponíveis para serem lançados no caso de um conflito, as estratégias de defesa ficam extremamente contingenciadas….

Acho que quem pensa em END e define prioridades tá no mínimo durmindo no ponto…nenão????!!!!

Luís Aurélio

Wolfpack …” o Brasil não consegue colocar um satélite em órbita com recursos próprios. Somos tão ruins assim”?? Nós talvez não!!! Mas a milicada burra, ( os altos coturnos ), sim. Êles numca quiseram colocar satélite em órbita, êles queriam fazer um míssil de longo alcance , por isto o VLS era propelido com combustível sólido, que é combustível usado em mísseis. Paralelo a isto tinham o programa nuclear para geração de energia elétrica, que também era cortina de fumaça para construção de bomba atômica. Como foram incompetentes!!! Mais de 20 anos no poder e não conseguiram fazer a lição… Read more »

André Castro

Conheço algumas pessoas que trabalham no projeto do VLS ,e realmente o VLS não era para ser um veiculo lançador de satélite , também tem outro projeto que pouco se fala projeto “SARA” que nada mais é do que uma cápsula de reentrada atmosférica ,que poderia ser usada em um ICBM ,mas agora esta voltada para pesquisas em microgravidade ,parece que vai ser testada em 2012 abordo do VS-40.

Lucas Calabrio

Prezados
Todos nós sabemos( e internacional também)que o Brasil quer e vai construir vls pra formatação de misseis balísticos (ICBM) e que queremos construir bombas nucleares par termos poder de dissuasão. Isto é uma questão de tempo.
sds

Lucas Calabrio

cumunidade internacional

Igor

“O Brasil já teve um satélite geoestacionário, mas perdeu o controle sobre ele após a privatização da Embratel, no governo FHC.” “PERDEU..” sei…

Cor Tau

“O Brasil já teve um satélite geoestacionário, mas perdeu o controle sobre ele após a privatização da Embratel, no governo FHC. Hoje, o país aluga satélites, inclusive para as comunicações militares” kkkkkkkkkkkkkkk………….AIAi……………… “Todos nós sabemos( e internacional também)que o Brasil quer e vai construir vls pra formatação de misseis balísticos (ICBM) e que queremos construir bombas nucleares par termos poder de dissuasão. Isto é uma questão de tempo” São duas coisas que deve-se ter no minimo aqui….Misseis balísticos e bombas nucleares….Ja que as Forças Armadas daqui encontran-se um bagaço…Um carnaval….Sucateadas e abandonadas….Porque do jeito que a coisa ta aqui nesse… Read more »

henriquerafa

Cara como ta cheio de comunistas aqui! ahahaha

Cor Tau

“Cara como ta cheio de comunistas aqui! ahahaha”

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk………………………………

Cara não diga isso aqui vão fuzilar você seu subversivo………..ahahahaahahahahaha……………

Marco

Eu já fui muitas vezes taxado de comunista em um outro blog de defesa (inclusive fui expulso de lá, pq o moderador enxerga comunistas por todos os lados). E tudo o que eu disse lá foi que os presidentes antecessores ao Lula não deram tanta atenção à defesa como ele está dando e disse que considero que ele tem pelo menos um pouco de visão de estado. Disse tb que o governo militar átrasou o Brasil, inclusive em áreas ligadas à defesa (vide outro países que conquistaram sua “independência” no mundo sem governos militares). O governo militar foi apoiado pelos… Read more »

Marco

Estes pensamentos de que qq pessoa que contraria ou critica o governo militar é comunista está ultrapassado. Quem pensa assim é tão retrógrado qto quem é chavista. Não gosto de ditadura (de esquerda e de direita). Ditadura desintegra o Estado. Não é a toa que os EUA sempre incentivaram os golpes e a manutenção de ditaduras na AL (até as de esquerda). É a melhor maneira de garantir o subdesenvolvimento e a eterna servidão latina aos EUA. Chávez é, na verdade, um grande aliado dos EUA e eles comprarão tanto petróleo qto for necessário para Chávez continuar no poder.

Ivan Carias

No Brasil, tudo é mais complicado… o Centro de Lançamento de Alcântara, o Programa Espacial Brasileiro, o Satélite Geoestacionário, o Projeto F-X2, o Submarino Nuclear Brasileiro, os CCSR do Exército…. quanta dificuldade em optar pelo aumento do orçamento do congresso nacional, ou por investimentos no país. Mas é claro que nossos nobres congressistas pensam que investindo no próprio congresso nacional, é investir no Brasil, afinal de contas, eles nos representam, e se fosse possível consultá-los diriam que nos representam muito bem, obrigado.

Flavio

Palhaçada!!!
este projeto deveria contar única e exclusivamente com recursos do estado.

E deveriam ser recursos suficientes para todas as etapas do projeto, tendo em vista que é uma questão de segurança nacional.

Enquanto isso, vamos pagar passagem para deputados viajarem…Eta país bom pra ser politico.

RodrigoBR

Marco, Disse tb que o governo militar átrasou o Brasil, inclusive em áreas ligadas à defesa (vide outro países que conquistaram sua “independência” no mundo sem governos militares). Permita-me descordar de vc nesse ponto. O que ocorreu foi justamente o contrário, pois o pouco que sobrou de nossa tecnologia nacional vem da época do regime militar. Todos os centros de pesquisa: EMBRAER, ITA(Instituto Tecnológico da Aeronáutica), CTA(Centro de Técnico Aeroespacial), INPE(Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), ARAMAR, CLA(Centro de Lançamento da Barreira do Inferno-RN), IMBEL, ampliação de várias universidades com centros de pesquisa, grandes estatais e inúmeros outros exemplos(quem lembrar de… Read more »

Mauricio R.

Desde que não haja nenhuma empresa francesa metida nesse negócio, estaremos bem.

Rafael

“O seu desenvolvimento conta com a ajuda das agências espaciais russa (Roskosmos) e francesa (Cnes). Estima-se que, seguido o cronograma, o satélite esteja pronto em cinco anos”

Fritche

Citando:
“O Brasil já teve um satélite geoestacionário, mas perdeu o controle sobre ele após a privatização da Embratel, no governo FHC”

A gente sempre acaba lembrando dele, não que não tenha feito coisas boas tbm, mas a coisas que não da para entender…

Wolfpack

Vendo no Discovery Channel o documentário sobre o programa espacial americano, Mercury, Geminy e Apollo, fico pensando que como com toda a tecnologia computacional atual o Brasil não consegue colocar em órbita um satélite com recursos próprio. Somos tão ruins assim?

RodrigoBR

Wolfpack, Não somos ruins, somos muitas vezes imbecis em algumas coisas no Brasil. Essa necessidade de termos satélites geoestacionários é primordial, fundamental para a segurança e também ninguém pensa que o valor dos alugueis de canais de outros satélites serão economizados e que deveriam pagar “as prestações” desses satélites que TEMOS OBRIGATORIAMENTE que construir e lançar. Além de satélites de comunicação como estes, a de se pensar na maior quantidade de satélites de sensoriamento remoto(mapeamento,condições do tempo,meio ambiente,etc), para reduzir o tempo de revisita do satélite pelo mesma região. Hj só possuimos o CBERS 2B (Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres)… Read more »

RodrigoBR

Também é fundamental um sistema de posicionamento por satélites nacionais para ser usado pelas FAs. Obviamente não temos tecnologia e nem recursos para possuirmos um sistema GPS tupiniquim, mas com 5 ou 6 satélites já teríamos algum poder de localização especificamente para o território nacional e adjacencias, pois em um eventual conflito que venha de encontro aos interesses dos atuais proprietários: os EUA-GPS, União Européia-Galileo e os russos-GLONASS poderiam embaralhar o sinal propositalmente para deixar-nos sem capacidade de localização por satélite.

X-nobe

Este governo FHC sem sombra de duvida foi e ainda é o pior de todos os governos que o Brasil já teve desde que deichou de ser colonia de Portugual. Alem de terem vendido tudo o que podiam vender a preço de banana, terem feito um monte de imprestimos e depois torado todo o dinheiro sabesse lá com o que eles acabaram com muitos projetos fundamentais para nosso desenvolvimento. Com o disse na outrapagina nunca votei para o Lula, mais fico feliz que ele estege na presidencia, no lugar de tucano. Se deichar os neo-liberalistas faserem o que quiserem eles… Read more »

Alecsander

X-nobe

Como diria o Colunista José Simão que apesar de trabalhar na Folha de São Paulo tem um postura anti-liberal igual a sua:
Viva o anti-tucanes, viva o Brasil rsrsrsrsrsrs…

Um grande abraço.

Ulisses

Eu acho que o governo Collor foi o pior.

Sopa

Collor+FHC+EUA, existe ou existiu coisa pior por BRASIL ???

“Nas favelas não, mas no SENADO só sujeira pra todo lado”

gil

Nada na área militar e em outras de suma importância estratégica para o país funciona sem o GEOestacionário…,…sem “GPS” local com bandas saltitantes e criptografadas, não conseguiremos direcionar corretamente nehum vetor ou arma sofisticada….a defesa não funciona…o monitoramento fica fraco e vira uma piada!!!!

Se não há capacidade independente de lançamentos e satélites militares disponíveis para serem lançados no caso de um conflito, as estratégias de defesa ficam extremamente contingenciadas….

Acho que quem pensa em END e define prioridades tá no mínimo durmindo no ponto…nenão????!!!!

Luís Aurélio

Wolfpack …” o Brasil não consegue colocar um satélite em órbita com recursos próprios. Somos tão ruins assim”?? Nós talvez não!!! Mas a milicada burra, ( os altos coturnos ), sim. Êles numca quiseram colocar satélite em órbita, êles queriam fazer um míssil de longo alcance , por isto o VLS era propelido com combustível sólido, que é combustível usado em mísseis. Paralelo a isto tinham o programa nuclear para geração de energia elétrica, que também era cortina de fumaça para construção de bomba atômica. Como foram incompetentes!!! Mais de 20 anos no poder e não conseguiram fazer a lição… Read more »

André Castro

Conheço algumas pessoas que trabalham no projeto do VLS ,e realmente o VLS não era para ser um veiculo lançador de satélite , também tem outro projeto que pouco se fala projeto “SARA” que nada mais é do que uma cápsula de reentrada atmosférica ,que poderia ser usada em um ICBM ,mas agora esta voltada para pesquisas em microgravidade ,parece que vai ser testada em 2012 abordo do VS-40.

Lucas Calabrio

Prezados
Todos nós sabemos( e internacional também)que o Brasil quer e vai construir vls pra formatação de misseis balísticos (ICBM) e que queremos construir bombas nucleares par termos poder de dissuasão. Isto é uma questão de tempo.
sds

Lucas Calabrio

cumunidade internacional

Igor

“O Brasil já teve um satélite geoestacionário, mas perdeu o controle sobre ele após a privatização da Embratel, no governo FHC.” “PERDEU..” sei…

Cor Tau

“O Brasil já teve um satélite geoestacionário, mas perdeu o controle sobre ele após a privatização da Embratel, no governo FHC. Hoje, o país aluga satélites, inclusive para as comunicações militares” kkkkkkkkkkkkkkk………….AIAi……………… “Todos nós sabemos( e internacional também)que o Brasil quer e vai construir vls pra formatação de misseis balísticos (ICBM) e que queremos construir bombas nucleares par termos poder de dissuasão. Isto é uma questão de tempo” São duas coisas que deve-se ter no minimo aqui….Misseis balísticos e bombas nucleares….Ja que as Forças Armadas daqui encontran-se um bagaço…Um carnaval….Sucateadas e abandonadas….Porque do jeito que a coisa ta aqui nesse… Read more »

henriquerafa

Cara como ta cheio de comunistas aqui! ahahaha

Cor Tau

“Cara como ta cheio de comunistas aqui! ahahaha”

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk………………………………

Cara não diga isso aqui vão fuzilar você seu subversivo………..ahahahaahahahahaha……………

Marco

Eu já fui muitas vezes taxado de comunista em um outro blog de defesa (inclusive fui expulso de lá, pq o moderador enxerga comunistas por todos os lados). E tudo o que eu disse lá foi que os presidentes antecessores ao Lula não deram tanta atenção à defesa como ele está dando e disse que considero que ele tem pelo menos um pouco de visão de estado. Disse tb que o governo militar átrasou o Brasil, inclusive em áreas ligadas à defesa (vide outro países que conquistaram sua “independência” no mundo sem governos militares). O governo militar foi apoiado pelos… Read more »

Marco

Estes pensamentos de que qq pessoa que contraria ou critica o governo militar é comunista está ultrapassado. Quem pensa assim é tão retrógrado qto quem é chavista. Não gosto de ditadura (de esquerda e de direita). Ditadura desintegra o Estado. Não é a toa que os EUA sempre incentivaram os golpes e a manutenção de ditaduras na AL (até as de esquerda). É a melhor maneira de garantir o subdesenvolvimento e a eterna servidão latina aos EUA. Chávez é, na verdade, um grande aliado dos EUA e eles comprarão tanto petróleo qto for necessário para Chávez continuar no poder.

Ivan Carias

No Brasil, tudo é mais complicado… o Centro de Lançamento de Alcântara, o Programa Espacial Brasileiro, o Satélite Geoestacionário, o Projeto F-X2, o Submarino Nuclear Brasileiro, os CCSR do Exército…. quanta dificuldade em optar pelo aumento do orçamento do congresso nacional, ou por investimentos no país. Mas é claro que nossos nobres congressistas pensam que investindo no próprio congresso nacional, é investir no Brasil, afinal de contas, eles nos representam, e se fosse possível consultá-los diriam que nos representam muito bem, obrigado.

Flavio

Palhaçada!!!
este projeto deveria contar única e exclusivamente com recursos do estado.

E deveriam ser recursos suficientes para todas as etapas do projeto, tendo em vista que é uma questão de segurança nacional.

Enquanto isso, vamos pagar passagem para deputados viajarem…Eta país bom pra ser politico.

RodrigoBR

Marco, Disse tb que o governo militar átrasou o Brasil, inclusive em áreas ligadas à defesa (vide outro países que conquistaram sua “independência” no mundo sem governos militares). Permita-me descordar de vc nesse ponto. O que ocorreu foi justamente o contrário, pois o pouco que sobrou de nossa tecnologia nacional vem da época do regime militar. Todos os centros de pesquisa: EMBRAER, ITA(Instituto Tecnológico da Aeronáutica), CTA(Centro de Técnico Aeroespacial), INPE(Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), ARAMAR, CLA(Centro de Lançamento da Barreira do Inferno-RN), IMBEL, ampliação de várias universidades com centros de pesquisa, grandes estatais e inúmeros outros exemplos(quem lembrar de… Read more »

Últimas Notícias

KC-390 e Rafale, exportações x redução na cadência – histórias parecidas?

Nos últimos dias, uma polêmica se instaurou em relação às encomendas da Força Aérea Brasileira (FAB) para o jato...
- Advertisement -
- Advertisement -