jh-7

Fontes chinesas dizem que o jato JH-7A está sendo usado como aeronave de guerra eletrônica, numa função similar a do Boeing EA-18G Grizzly (ex-Growler), como se pode confirmar nas fotos, onde aparecem os casulos de embaralhamento de radar (jammers) sob as asas.

O JH-7A encaixa-se perfeitamente na missão, já que é bimotor, leva um segundo tripulante, pode carregar até 6.500kg de equipamentos/armas e tem um alcance de 3.650km.

jh-7-ew

Tags: , , , ,

Quem é Alexandre Galante

Veja os posts de Alexandre Galante
Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

23 Comentários para “JH-7A, o jato de guerra eletrônica chinês”

  1. Andrecastro 24 de junho de 2009 at 3:20 #

    Esse avião é meio parecido com um SU-24 principalmente a parte de tras , seila só sei que ele me lembra um SU-24…
    Falando em China vi que o Comandante Chavez esta com um mico na mão ,parece que aquele satelite que ele comprou da China o VENESAT-1 (também chamado Simón Bolívar) parou de funcionar ,a plataforma usada nesse satelite já foi lançada três vezes todas falharam.Sei que as vezes o preço não influi na qualidade mas esse satelite custou U$$240 mi ,não seria muito pouco para um satelite de comunicação geoestacionario? ,e comparando pelo projeto do satelite geoestacionario que o Brasil quer construir falam que vai sair por no minimo U$$600 mi.O projeto chines que é muito barato ou o brasileiro que esta caro demais ?

    Desculpe o off-topic mas achei interesante essa noticia.

  2. Andrecastro 24 de junho de 2009 at 3:20 #

    Esse avião é meio parecido com um SU-24 principalmente a parte de tras , seila só sei que ele me lembra um SU-24…
    Falando em China vi que o Comandante Chavez esta com um mico na mão ,parece que aquele satelite que ele comprou da China o VENESAT-1 (também chamado Simón Bolívar) parou de funcionar ,a plataforma usada nesse satelite já foi lançada três vezes todas falharam.Sei que as vezes o preço não influi na qualidade mas esse satelite custou U$$240 mi ,não seria muito pouco para um satelite de comunicação geoestacionario? ,e comparando pelo projeto do satelite geoestacionario que o Brasil quer construir falam que vai sair por no minimo U$$600 mi.O projeto chines que é muito barato ou o brasileiro que esta caro demais ?

    Desculpe o off-topic mas achei interesante essa noticia.

  3. Francisco AMX 24 de junho de 2009 at 10:25 #

    Ele deixa a impressão de um grande caça retrô!
    e concordo com o AndreCastro, ele foi “inspirado” no SU-24… poderia ser até um protótipo do mesmo! rsrs

  4. Francisco AMX 24 de junho de 2009 at 10:25 #

    Ele deixa a impressão de um grande caça retrô!
    e concordo com o AndreCastro, ele foi “inspirado” no SU-24… poderia ser até um protótipo do mesmo! rsrs

  5. Andre de POA 24 de junho de 2009 at 10:38 #

    Com o sucesso do R-99 uma terceira versão poderia ser implementada para alem das funções atuais incluir contramedidas e novamente usando a industria nacional.
    Eu lembro (isso já faz varios anos) de ter visitado um centro de radar e contramedidas mantida pela FAB em Santa Maria todo em módulos e containers podendo ser rapidamente transferido para qualquer lugar do pais. Não sei se os eqptos ainda tem viabilidade mas ter eles embarcados seria muuuito melhor.

  6. Andre de POA 24 de junho de 2009 at 10:38 #

    Com o sucesso do R-99 uma terceira versão poderia ser implementada para alem das funções atuais incluir contramedidas e novamente usando a industria nacional.
    Eu lembro (isso já faz varios anos) de ter visitado um centro de radar e contramedidas mantida pela FAB em Santa Maria todo em módulos e containers podendo ser rapidamente transferido para qualquer lugar do pais. Não sei se os eqptos ainda tem viabilidade mas ter eles embarcados seria muuuito melhor.

  7. Alecsander 24 de junho de 2009 at 13:39 #

    Eu gosto da visual do JH-7A, não porque se parece com o SU-24, não sei mais gosto de sua aparencia.

  8. Alecsander 24 de junho de 2009 at 13:39 #

    Eu gosto da visual do JH-7A, não porque se parece com o SU-24, não sei mais gosto de sua aparencia.

  9. Alecsander 24 de junho de 2009 at 13:44 #

    Será que veremos um caça desses aqui na América Latina? Talvez comprado pela Venezuela!

  10. Alecsander 24 de junho de 2009 at 13:44 #

    Será que veremos um caça desses aqui na América Latina? Talvez comprado pela Venezuela!

  11. gaspar 24 de junho de 2009 at 13:57 #

    esse jato eu nao sei, mas o J10 esta muito perto de ser comprado pelo Chavez…
    li algo a respeito de que a China esta se tornando a principal fornecedora de equipamentos militares venezuelanos…

  12. gaspar 24 de junho de 2009 at 13:57 #

    esse jato eu nao sei, mas o J10 esta muito perto de ser comprado pelo Chavez…
    li algo a respeito de que a China esta se tornando a principal fornecedora de equipamentos militares venezuelanos…

  13. Mauricio R. 24 de junho de 2009 at 17:37 #

    “Com o sucesso do R-99 uma terceira versão poderia ser implementada para alem das funções atuais incluir contramedidas e novamente usando a industria nacional.”

    Qnto a aeronave não há mtos problemas, desde que a suite pretendida não pese e consuma energia em demasia, mas e qnto ao equipamento de missão??? Quem está desenvolvendo equipamentos de guerra eletrônica no Brasil???

  14. Mauricio R. 24 de junho de 2009 at 17:37 #

    “Com o sucesso do R-99 uma terceira versão poderia ser implementada para alem das funções atuais incluir contramedidas e novamente usando a industria nacional.”

    Qnto a aeronave não há mtos problemas, desde que a suite pretendida não pese e consuma energia em demasia, mas e qnto ao equipamento de missão??? Quem está desenvolvendo equipamentos de guerra eletrônica no Brasil???

  15. Mauricio R. 24 de junho de 2009 at 17:41 #

    Qnto ao aviaãozinho chines, bonitinho me lembra o Mirage F-1, mas e aí tem a capacidade de EW do Growler???
    Pq o importante aqui é saber o que o sistema de EW chines portado pela aeronave, tem capacidade de fazer.

  16. Mauricio R. 24 de junho de 2009 at 17:41 #

    Qnto ao aviaãozinho chines, bonitinho me lembra o Mirage F-1, mas e aí tem a capacidade de EW do Growler???
    Pq o importante aqui é saber o que o sistema de EW chines portado pela aeronave, tem capacidade de fazer.

  17. Baschera 25 de junho de 2009 at 0:54 #

    Gaspar,
    O que está próximo de ser adquirido pela Venezuela, são so jatos de treinamento e ataque leve chinês L-15…… aquele que é praticamente uma cópia do M-346 Alenia ou do YAK-130 russo. O motivo…… $$$$$ , já que com este preço do petróleo e a pindíba da venezuela , que está atrazando compromissos externos e internos, não dá para comprar mas Su-30 MKI ou SU-35BM.

  18. Baschera 25 de junho de 2009 at 0:54 #

    Gaspar,
    O que está próximo de ser adquirido pela Venezuela, são so jatos de treinamento e ataque leve chinês L-15…… aquele que é praticamente uma cópia do M-346 Alenia ou do YAK-130 russo. O motivo…… $$$$$ , já que com este preço do petróleo e a pindíba da venezuela , que está atrazando compromissos externos e internos, não dá para comprar mas Su-30 MKI ou SU-35BM.

  19. alexgalante 25 de junho de 2009 at 4:19 #

    Mauricio, ainda não sabemos se ele "embaralha" e "decepciona" bem os radares, os americanos talvez já tenham dados concretos sobre o dito cujo.

  20. alexgalante 25 de junho de 2009 at 4:19 #

    Mauricio, ainda não sabemos se ele "embaralha" e "decepciona" bem os radares, os americanos talvez já tenham dados concretos sobre o dito cujo.

  21. Andre de POA 25 de junho de 2009 at 13:05 #

    tens razão caro Mauricio, quanto ao consumo de energia creio não ser problema, um avião em pleno voo pode tirar muita potência de seus geradores e pode ser acrescentado um gerador extra tb. Quanto aos eqptos temos a sina dos importados mas creio que temos condições de "achinesar" o produto estrangeiro, no tempo da aeroeletrônica brasileira era normal a cópia descarada do produto externo, alguns entregues pela própria FAB.

  22. Andre de POA 25 de junho de 2009 at 13:05 #

    tens razão caro Mauricio, quanto ao consumo de energia creio não ser problema, um avião em pleno voo pode tirar muita potência de seus geradores e pode ser acrescentado um gerador extra tb. Quanto aos eqptos temos a sina dos importados mas creio que temos condições de "achinesar" o produto estrangeiro, no tempo da aeroeletrônica brasileira era normal a cópia descarada do produto externo, alguns entregues pela própria FAB.

Trackbacks/Pingbacks

  1. J-10 em fotos | Poder Aéreo - Informação e Discussão sobre Aviação Militar e Civil - 30 de agosto de 2010

    […] JH-7A, o jato de guerra eletrônica chinês […]

Deixe um Comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Rafale em Bourget 2015: pernas pra que te quero!

Entre tantos pares de pernas, mal se vê as do trem de pouso deste Rafale, em foto divulgada pela Dassault para […]

Portões Abertos na Base Aérea de Campo Grande neste final de semana: 4 e 5 de julho

Evento ocorre em meio a exercício CSAR que reúne helicópteros da Força Aérea Brasileira. Confira também outras datas informadas de […]

Esquadrilha da Fumaça faz primeira demonstração pública com A-29 Super Tucano

Apresentação foi realizada na manhã desta sexta-feira (03/07) durante cerimônia na AFA – O Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), também […]

Caças Typhoon, Hurricane e Spitfire voarão nas comemorações dos 75 anos da Batalha da Inglaterra

Passagens das aeronaves, incluindo Typhoon com camuflagem que remete aos caças de 1940, estão programadas para 10 de julho sobre […]

Aviões russos lançaram flares para afugentar interceptadores suecos

Lançamentos ocorreram duas vezes no ano passado, quando jatos Gripen voavam próximos aos aviões russos interceptados. Um dos flares chegou perto de atingir […]

Fotos: caças Hornet e Super Hornet australianos voando juntos sobre o Iraque

Em abril, os caças F/A-18F Super Hornet do Esquadrão No.1 da Força Aérea Real Australiana (RAAF), que cumpriam missões sobre […]