Home Vídeo Os combates aéreos do dia 10 de fevereiro de 1995

Os combates aéreos do dia 10 de fevereiro de 1995

533
64

No dia 10 de fevereiro de 1995 dois Mirage F.1JA da Força Aérea do Equador interceptaram dois Su-22 peruanos. Ambos os Sukhoi foram abatidos. Este foi o primeiro combate aéreo na América do Sul envolvendo duas aeronaves supersônicas. Neste mesmo dia um IAI Kfir C.2 da FAE derrubou um A-37 peruano.

Subscribe
Notify of
guest
64 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz
Clésio Luiz
11 anos atrás

Interessante notar que a FAP tinha na época um dos dois únicos caças modernos na América do Sul, o Mirage 2000 (o outro era o F-16A venezuelano) mas aparentemente não o colocou em combate, deixando os bombardeiros Su-22 sem escolta. Isso nos leva a pensar o que teria acontecido se os Mirage 2000 tivessem operando naquele combate como escoltas.

Eleazar Moura Jr.
Eleazar Moura Jr.
11 anos atrás

Caro Clésio, o SU-22 é um intercptador, o “SU” de ataque peruano é o 25-que foi adquirido, junto com os Mig-29 exatamente (coincidência)a´pos este incidente.

Eleazar Moura Jr.
Eleazar Moura Jr.
11 anos atrás

diga-se (coincidência?)….claro que não….ficou evidente para as autoridades peruanas que a FAP necessitava de um vetor ainda mais moderno que os Mirage 2000 (que não foram empregados) para se sobrepor ao Equador e com capacidade de lançar mísseis BVR, por isso os Mig-29 foram adquiridos. Por sinal, foi o primeiro país da América do Sul a adquirir tais mísseis.

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

Eleazar Moura Jr. em 28 mai, 2009 às 12:37

O Su-22 não é um caça interceptador. Ele é uma evolução do Su-17.

Su-22 – Trata-se da versão de exportação que evoluiu paralelamente ao Su-17. Normalmente as aeronaves dinham um desfasamento em termos tecnológicos, sendo comercializadas para exportação, apenas quando outros modelos mais sofisticados entravam ao serviço na União Soviética.

Além do mais os aviões Sukhoi dos anos 60, eram muito maiores e mais caros de fabricar e normalmente mais adequados à função de ataque que à função de caça.

Alecsander
Alecsander
11 anos atrás

Caraba, paresse que toda vez que um caça russo se atracanha com outros caças de origem americano ou de outra origem de forças estrangeras equivalentes, ele acaba levando a pior. Isso nos faz considerar se foi injusto o Sukhoi SU-35, ter ficado fora do projeto da FAB FX-2! Ou foi mesmo preção dos americanos?

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

Alecsander em 28 mai, 2009 às 13:28

O Su-22 Fitter estava sem escoltas quando foi abatido por Mirages F-1. Além do mais o A-37 Dragonfly é de origem americana e foi abatido por um caça francês, o Mirage F-1. Tanto o A37 quanto o Su-22 são aviões da década de 60 e pouco modernizados, não fazendo de maneira alguma frente ao caça francês que tem tecnologia da década de 80…

Resc
Resc
11 anos atrás

mais alguns SUs indo pro beleléu, que coisa!

marcandrey
marcandrey
11 anos atrás

Resc

Indo não!!! Que foram pro beleléu…

Esdras
Esdras
11 anos atrás

MAS Mirage F-1 e SU-22 são relativamente compativeis, o negócio que pode gerar a vitória de um sobre o outro é a questão do preparo dos pilotos e suporte de radares.

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

O Mirage F-1 é uma evolução do Mirage III, mais moderno e equipado, e digo mais, um F-1 modernizado seria páreo duro mesmo nos dias de hoje.
O Fitter é um avião pesado, sem a capacidade razoável para um combate aéreo a curta distãncia, retoma, ascende, rola, faz curva, tudo menos que os F-1… logo o resultado!
O que chama a atenção mesmo é o não uso dos M-2000….

Andre Luiz
Andre Luiz
11 anos atrás

Mas os equatorianos tambem nao usaram o Jaguar, um belo aviao de ataque que poderia fazer alguns estragos nos peruanos

chega a ser estranho, na hora que é pra valer guandam os seus melhores equipamentos como “mimos”

Toda guerra tem algo do genero

Edmar
Edmar
11 anos atrás

Caros Amigos.:

Isso mostra a todos que os “Caças Franceses” também são muito bons.
Os “Mirage” já apareceram em várias guerras e com isso a “Dassault” que é fabricante dos “Mirage” e dos “Rafale” já tem experiências comprovadas com aviões de guerra, e creio que com todas essas experiencias, eles usaram no desenvolvimento do “Dassault Rafale F-3”, que na minha opnião será um bom avião de combate.

Abraços.

Raphael Barros
Raphael Barros
11 anos atrás

Com certeza o Rafale F3 é o melhor dos 3 atualmente no programa FX2 e fora que o Brasil tem tradição com equipamento Francês. No caso aí o Mirage F-1 é muito mais moderno que o Su-22 que como falaram é mais usado em missões de ataque e além do mais é uma evolução do Su-17 do mesmo jeito com o A-37 que tambem é avião de ataque. Agora se fossem usados 5 Su-22 com 5 Mig-29s ou 5 Mirages 2000 em escolta? A História seria outra. O F-16A tem mais ou menos o mesmo desempenho do Mirage F1, Mig-29… Read more »

Raphael Barros
Raphael Barros
11 anos atrás

O Rafale F3 é o melhor em desempenho e não tem as restrições do F-18 e nem do Grippen (usa componentes dos estados unidos) e fora que o Rafale F3 é um avião totalmente novo. O único problema do Rafale é o seu custo e se for usar os mísseis russos e alguns europeus precisa fazer modificações no radar bem nas versões anteriores do rafale era assim eu não sei agora. Claro que o melhor caça atualmente para o Brasil é o Su-35BM ou o Su-30 mais o Brasil é pau mandado dos Estados Unidos então vamos negar os vetores… Read more »

Alecsander
Alecsander
11 anos atrás

Eu estive fuçando no site da Sukhoi, que por sorte esta em inglês e não em russo, e encontrei sobre o SU- 22, ele é sim um caça de combate aéreo, mais como o Zero Uno disse era dos anos 60, e não faz frente a um caça dos anos 80.
No site da Sukhoi tem todas as informações sobre os SU-22

http://www.sukhoi.org/eng/

RL
RL
11 anos atrás

E no cenário atual, caso Equador e Peru se atracassem.

O Peru já contando com os Mig-29 modernizados e o Equador com Kfir modernizados.

Como que ficaria essa história?

Cantarelli
Cantarelli
11 anos atrás

rsrs em 1995 o brasil possuia os poderosos f-5 e mirage III rsrsrs
como somos atrasados no quesito FAAS temos que acordar e comprar ums 500 rafales nao podemos dechar que paises menores que nós em varios quesitos possuan meios de faser frente a nós.

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

Falou tudo Cantarelli!

kaleu
kaleu
11 anos atrás

Caro Zero Uno,

O Mirage F1 teve first flight 1.996 exatamente o mesmo ano que o SU-17,

Higgins
Higgins
11 anos atrás

Se houvesse hoje outro conflito, as aeronaves peruanas talvez não decolassem… O governo Alan Garcia está deixando a FAP numa penúria de dar dó.

Foi estranho mesmo o não engajamento dos M-2000 nos combates ao norte. Mas, havia o temor peruano de um ataque oportunista do Chile. Então, ficaram eles como fator dissuasivo ao sul…

Além de tudo, é necessário dizer que os pilotos equatorianos são reputados como muito bons.

Por fim, da forma como se deu a interceptação, poderiam ser Tornados que o resultado seria o mesmo: abate.

Henrique
Henrique
11 anos atrás

Tem país que adquire equipamentos mas não preparam seus recursos humanos para utilizá-los, ficam como brinquedos em preteleiras ou para serem usados em desfiles ou datas comemorativas. O Peru pareceu país Árabe, cheio de caças russos mas sem a menor condição de usá-los em sua plenitude com táticas e emprego combinado (não sei como está hoje). Outro fator interessante comentado acima e em outros fóruns é o fato de SEMPRE os caças russos terem levado a pior em conflitos (quando utilizados por outros países que não a Russia), daí a pensar se a qualidade técnica destes equipamentos é válida. Que… Read more »

Felipe Cps
Felipe Cps
11 anos atrás

Caro Raphael Barros: O Gripen NG é mais novo que o Rafale F3, até porque ainda não está pronto, o demonstrador ainda está incorporando as tecnologias que serão usadas a final. E o Projeto Gripen é pelo menos uma década mais moderno que o Rafale. Por outro lado, a Saab e o governo sueco já deixaram bem claro que não há restrição alguma com a transferência de tecnologia do caça, que é sueco, não americano. A tão falada turbina do Gripen é fabricada pela Volvo Aero, na Suécia; é apenas um projeto originalmente americano, mas que nas mãos dos suecos… Read more »

Felipe Cps
Felipe Cps
11 anos atrás

Como alguns colegas também percebem, eu já tinha notado (num post de algum tempo atrás que falava s.m.j. sobre a FA Israelense) como, “curiosamente”, sempre que aeronaves russas encontram aviões ocidentais o resultado é um só: CHÃO pros russos… e é sempre de goleada… Mera coincidência? 🙂

E a saga continua, agora em plagas sul-americanas… 🙂

João DS
João DS
11 anos atrás

Higgins às 20:18 “Se houvesse hoje outro conflito, as aeronaves peruanas talvez não decolassem… O governo Alan Garcia está deixando a FAP numa penúria de dar dó.” Não deve ser por falta de dinheiro, porque a economia do Peru tem tido *bom crescimento nos últimos anos. Acho que é porque Alan Garcia é um neoliberal da mesma laia do FHC, mero representante dos interesses norte-americanos, os quais não querem o fortalecimento das forças armadas Peruanas (e da América do Sul em geral)de jeito nenhum. Alan Garcia apenas cumpre ordens… *Apesar do crescimento, superior ao do Brasil, sua popularidade está lá… Read more »

kaleu
kaleu
11 anos atrás

E…. “os “amados dos balcãs” mais uma vez surrados … pq será que não chegam notícias de “vitórias” de SUs ? …

iiii vô tomá porrada até ficá molim, molim…. rsrsrsrs

nem tô !!!

abraços
Kaleu

Marco Antonio Lins
11 anos atrás

Muitas vezes não significa que superoridade tecnologica do Mirage para Sukhoi em caso de combate. Um dos aspecto muito importante e manter o piloto bem treinado,com bom conhecimento do avião que pilota.Para vc ter ideia existia tropas de elite na antiga Russia que os exercicios militares eram 24h,no deserto Golbi,na Mongolia.O prezado amigo foi muito feliz quando disse, quando os pilotos são do pais que construi seus aviões eles tem melhor rendimento.Estão familiarizados com os mesmo.

J Roberto
J Roberto
11 anos atrás

Alguém sabe a que distância esses Sukhois SU-22 do Peru foram abatidos pelo Mirage F-1 do Equador? E que tipo de míssil foi usado?

abraços

Alecsander
Alecsander
11 anos atrás

Henrique em 28 mai, 2009 às 20:29 Muito boa sua colocação, o que é o caso do Mig-29 que apesar das suas virtudes aparentes, não foi tão bem sucedido em combate real. Voou em combate na Guerra do Golfo, sobre a Sérvia, e no conflicto Eritreia-Etiópia em 1999. Pelo menos uma dúzia foram atingidos, sem registo de victórias. Alguns técnicos consideram estes valores reveladores das deficiências do Mig-29, embora seja talvez mais preciso salientar que estas falhas revelam que, na guerra aérea actual, as tácticas, o treino dos pilotos, o armamento, e o sistema técnico envolvido (aviónica, guerra electrónica, AWACS,… Read more »

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

kaleu em 28 mai, 2009 às 20:16 Como assim??? 1o vôo do F-1 em 1996, assim como ao Su22???????????? SUKHOI SU 22 (Versão de exportação do Su-17) O Su17 vôou pela 1a vez em 1966 A última das derivações desta família de aeronaves, o Sukhoi Su-17 M3 e M4 e o seu equivalente de exportação o Su-22, também referido como Su-22(M3) e Su-22(M4) que foi exportado para alguns países do Pacto de Varsóvia entre os quais a Hungria (M3). O último dos Su-22(M4) possuia um motor mais possante AL-21F-3 e foram produzidos 166 unidades para países do Pacto de Varsóvia.… Read more »

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

Alecsander, bom post! Sobre o SU-35 vs Rafale, só o tempo dirá!, mas acredito que a coisa ficaria feia! pelos números e probabilidades, pelos resultados que os Indianos vem conquistando com uma versão inferio do Flanker (SU-30), não tem como deixar de considerar, talvez, uma inferioridade do Rafale perante ao SU-35… este, em tese, teria maior alcance, TVC (muito importante para auto-defesa e combate aproximado), maior ascenção..consequencia: maior capacidade de adiquirir energia, mísseis de maior alcance já integrados, HMD (lembremos que o Meteor não está operacional), o Mica na versão IR não opera com HMD, e um radar AESA de… Read more »

Higgins
Higgins
11 anos atrás

É necessário informar e não desinformar… 1) Na única vez, que o Flanker entrou em combate real, saiu-se vitorioso. 2) Não é verdade, que as aeronaves de desenho russo sempre foram inferiores em desempenho operacional frente às ocidentais em conflitos. A Guerra da Coréia, com dados revisados, e o conflito do Viet-nam, bem demonstra o contrário. Nestas duas conflagrações, ambas aeronaves – Mig-15 e Mig-21, ficaram nas mentes americanas como os caças a serem batidos. Tanto é assim, que a geração de caças norte-americanos, posteriores, foram desenhados especificamente para superar ao “21”: F-16 e F-18. 3) O Su-17 já não… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
11 anos atrás

Interessante notar que a FAP tinha na época um dos dois únicos caças modernos na América do Sul, o Mirage 2000 (o outro era o F-16A venezuelano) mas aparentemente não o colocou em combate, deixando os bombardeiros Su-22 sem escolta. Isso nos leva a pensar o que teria acontecido se os Mirage 2000 tivessem operando naquele combate como escoltas.

Eleazar Moura Jr.
Eleazar Moura Jr.
11 anos atrás

Caro Clésio, o SU-22 é um intercptador, o “SU” de ataque peruano é o 25-que foi adquirido, junto com os Mig-29 exatamente (coincidência)a´pos este incidente.

Eleazar Moura Jr.
Eleazar Moura Jr.
11 anos atrás

diga-se (coincidência?)….claro que não….ficou evidente para as autoridades peruanas que a FAP necessitava de um vetor ainda mais moderno que os Mirage 2000 (que não foram empregados) para se sobrepor ao Equador e com capacidade de lançar mísseis BVR, por isso os Mig-29 foram adquiridos. Por sinal, foi o primeiro país da América do Sul a adquirir tais mísseis.

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

Eleazar Moura Jr. em 28 mai, 2009 às 12:37

O Su-22 não é um caça interceptador. Ele é uma evolução do Su-17.

Su-22 – Trata-se da versão de exportação que evoluiu paralelamente ao Su-17. Normalmente as aeronaves dinham um desfasamento em termos tecnológicos, sendo comercializadas para exportação, apenas quando outros modelos mais sofisticados entravam ao serviço na União Soviética.

Além do mais os aviões Sukhoi dos anos 60, eram muito maiores e mais caros de fabricar e normalmente mais adequados à função de ataque que à função de caça.

Alecsander
Alecsander
11 anos atrás

Caraba, paresse que toda vez que um caça russo se atracanha com outros caças de origem americano ou de outra origem de forças estrangeras equivalentes, ele acaba levando a pior. Isso nos faz considerar se foi injusto o Sukhoi SU-35, ter ficado fora do projeto da FAB FX-2! Ou foi mesmo preção dos americanos?

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

Alecsander em 28 mai, 2009 às 13:28

O Su-22 Fitter estava sem escoltas quando foi abatido por Mirages F-1. Além do mais o A-37 Dragonfly é de origem americana e foi abatido por um caça francês, o Mirage F-1. Tanto o A37 quanto o Su-22 são aviões da década de 60 e pouco modernizados, não fazendo de maneira alguma frente ao caça francês que tem tecnologia da década de 80…

Resc
Resc
11 anos atrás

mais alguns SUs indo pro beleléu, que coisa!

marcandrey
marcandrey
11 anos atrás

Resc

Indo não!!! Que foram pro beleléu…

Esdras
Esdras
11 anos atrás

MAS Mirage F-1 e SU-22 são relativamente compativeis, o negócio que pode gerar a vitória de um sobre o outro é a questão do preparo dos pilotos e suporte de radares.

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

O Mirage F-1 é uma evolução do Mirage III, mais moderno e equipado, e digo mais, um F-1 modernizado seria páreo duro mesmo nos dias de hoje.
O Fitter é um avião pesado, sem a capacidade razoável para um combate aéreo a curta distãncia, retoma, ascende, rola, faz curva, tudo menos que os F-1… logo o resultado!
O que chama a atenção mesmo é o não uso dos M-2000….

Andre Luiz
Andre Luiz
11 anos atrás

Mas os equatorianos tambem nao usaram o Jaguar, um belo aviao de ataque que poderia fazer alguns estragos nos peruanos

chega a ser estranho, na hora que é pra valer guandam os seus melhores equipamentos como “mimos”

Toda guerra tem algo do genero

Edmar
Edmar
11 anos atrás

Caros Amigos.:

Isso mostra a todos que os “Caças Franceses” também são muito bons.
Os “Mirage” já apareceram em várias guerras e com isso a “Dassault” que é fabricante dos “Mirage” e dos “Rafale” já tem experiências comprovadas com aviões de guerra, e creio que com todas essas experiencias, eles usaram no desenvolvimento do “Dassault Rafale F-3”, que na minha opnião será um bom avião de combate.

Abraços.

Raphael Barros
Raphael Barros
11 anos atrás

Com certeza o Rafale F3 é o melhor dos 3 atualmente no programa FX2 e fora que o Brasil tem tradição com equipamento Francês. No caso aí o Mirage F-1 é muito mais moderno que o Su-22 que como falaram é mais usado em missões de ataque e além do mais é uma evolução do Su-17 do mesmo jeito com o A-37 que tambem é avião de ataque. Agora se fossem usados 5 Su-22 com 5 Mig-29s ou 5 Mirages 2000 em escolta? A História seria outra. O F-16A tem mais ou menos o mesmo desempenho do Mirage F1, Mig-29… Read more »

Raphael Barros
Raphael Barros
11 anos atrás

O Rafale F3 é o melhor em desempenho e não tem as restrições do F-18 e nem do Grippen (usa componentes dos estados unidos) e fora que o Rafale F3 é um avião totalmente novo. O único problema do Rafale é o seu custo e se for usar os mísseis russos e alguns europeus precisa fazer modificações no radar bem nas versões anteriores do rafale era assim eu não sei agora. Claro que o melhor caça atualmente para o Brasil é o Su-35BM ou o Su-30 mais o Brasil é pau mandado dos Estados Unidos então vamos negar os vetores… Read more »

Alecsander
Alecsander
11 anos atrás

Eu estive fuçando no site da Sukhoi, que por sorte esta em inglês e não em russo, e encontrei sobre o SU- 22, ele é sim um caça de combate aéreo, mais como o Zero Uno disse era dos anos 60, e não faz frente a um caça dos anos 80.
No site da Sukhoi tem todas as informações sobre os SU-22

http://www.sukhoi.org/eng/

RL
RL
11 anos atrás

E no cenário atual, caso Equador e Peru se atracassem.

O Peru já contando com os Mig-29 modernizados e o Equador com Kfir modernizados.

Como que ficaria essa história?

Cantarelli
Cantarelli
11 anos atrás

rsrs em 1995 o brasil possuia os poderosos f-5 e mirage III rsrsrs
como somos atrasados no quesito FAAS temos que acordar e comprar ums 500 rafales nao podemos dechar que paises menores que nós em varios quesitos possuan meios de faser frente a nós.

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

Falou tudo Cantarelli!

kaleu
kaleu
11 anos atrás

Caro Zero Uno,

O Mirage F1 teve first flight 1.996 exatamente o mesmo ano que o SU-17,