domingo, novembro 28, 2021

Gripen para o Brasil

P-8A Poseidon: Austrália assina memorando de entendimento

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

P-8A crane view of Final Assembly

Foi noticiado hoje (6 de maio) que o Ministério da Defesa deu os primeiros passos no projeto bilionário de adquirir sua nova aeronave de Patrulha Marítima, com a assinatura de um Memorando de Entendimento (Memorandum of Understanding – MoU) com a Marinha dos Estados Unidos (US Navy) para, de maneira cooperativa, desenvolver modernizações para o  P-8A Poseidon e seus sistemas de suporte. A avião, tripulado, deverá ser adquirido através do projeto AIR7000 Phase 2, em conjunto com uma aeronave não tripulada multimissão – projeto AIR 7000 Phase 1.

p-8-pintura-us-navy-foto-boeingA Austrália deverá colaborar na primeira  (Spiral One) de uma série de aprimoramentos planejados para o ciclo de vida dos P-8A, de forma a receber informações sobre a aeronave que dêem suporte à aquisição e às decisões relativas à manutenção ao longo da vida útil. Além disso, espera-se que essa participação abra oportunidades para a indústria australiana, assim como influencie decisões relativas ao aprimoramento dos P-8A. Os planos são para adquirir oito novas aeronaves para substituir os AP-3C Orion operados pela RAAF, que deverão ser desativados em 2018, após 30 anos de serviço na Força.

Fonte: Ministério da Defesa da Austrália, via ASD     Fotos: Boeing  – na foto do alto, P-8 na linha de montagem. Na foto de baixo, exemplar já com as cores da US Navy.

Nota do Blog: no início do ano, foi noticiado que a Austrália estaria adiando planos de reequipamento devido à crise mundial, entre eles o do P-8 (clique aqui para matéria do Blog do Poder Naval a respeito). Pela notícia acima, aparentemente é uma prioridade a substituição dos AP-3C Orion operados pela Real Força Aérea Australiana (RAAF) pelos  P-8As , além de aeronaves não-tripuladas.

- Advertisement -

16 Comments

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wilson  Johann

A Austrália está caminhando a passos largos para se tornar a nação militarmente mais influente naquela região do pacífico. A notícias que estão circulando nos dão conta de pesados investimentos na área de defesa, como este dos P-8A Poseidon. Parece que para a Austrália não interessa ficar sob a proteção do “guarda-chuvas” de uma super potência. O melhor é tre o seu próprio.

Abraços!!!

Mauricio R.

Agora é o BAM, Global Hawk de patrulha marítima, que está na “listinha de espera”.

Wolfpack

http://www.defesanet.com.br/wars1/malvinas.htm
C130 da RAF em Canoas logo após o conflito das Malvinas 1982.
Esta eu não sabia.

Marcelo Tadeu

Se a Boeing fez esta versão do 737, a Embraer poderá criar uma versão do 170/190 para patrulha marítima, vcs verão!!

klesson

Enquanto surgem nas FA do mundo a necessidade de substituição dos P-3 e suas versões por aeronaves atualizadas e a reação, aqui, nós compramos células usadas para atualização, quando temos nossa própria solução, o P99, que deveria ser aprimorada e desenvolvida. Assim, teriamos o domínio de tecnologia e do saber fazer, o qual poderiamos vendê-las e cada vez mais fazer melhor. A Austrália está trocando seus P-3 Orion por P-8, mais atualizado, maior espaço e mais veloz. Os cenários podem ser diferentes, mas as necessidades não.

Zero Uno

Wolfpack em 06 mai, 2009 às 21:05

Pois é… Aconteceu mesmo. Más foi 1 ano após o término da guerra e nós nunca rompemos relações diplomáticas com a Inglaterra. Antes mesmo da guerra aviões da RAF já usavam esta Base. Muito antes…

Abraços.

Zero Uno

klesson em 07 mai, 2009 às 11:33 O P99 é uma aeronave que a EMBRAER desenvolveu sózinha e sem os requesitos da FAB. Ele tem curto alcance e transporta poucos armamentos. Portanto, não se enquadrava nos requesitos da FAB. Os P3 Órion da FAB são uma solução mínima encontrada pela força pois temos uma enorme lacuna nesta área e os 8 que a FAB encomentou vão operar/completar os nossos Bandeirulhas que também sofrerão modernizações. Teremos uma equação, senão o ideal, más o mais próximo possível de sistemas modernos e atualizados. Afinal, os P3 serão equipados com sistemas bastantes modernos podendo… Read more »

Paulo Renato

Acredito que a nossa Embraer, tem plenas condições de desenvolver uma aeronave para essa função.

Apenas falta investimentos do nosso Governo Federal e garante que se esse projeto já existisse estaríamos dando de banho na Boeing.

Abs.

Wilson  Johann

A Austrália está caminhando a passos largos para se tornar a nação militarmente mais influente naquela região do pacífico. A notícias que estão circulando nos dão conta de pesados investimentos na área de defesa, como este dos P-8A Poseidon. Parece que para a Austrália não interessa ficar sob a proteção do “guarda-chuvas” de uma super potência. O melhor é tre o seu próprio.

Abraços!!!

Mauricio R.

Agora é o BAM, Global Hawk de patrulha marítima, que está na “listinha de espera”.

Wolfpack

http://www.defesanet.com.br/wars1/malvinas.htm
C130 da RAF em Canoas logo após o conflito das Malvinas 1982.
Esta eu não sabia.

Marcelo Tadeu

Se a Boeing fez esta versão do 737, a Embraer poderá criar uma versão do 170/190 para patrulha marítima, vcs verão!!

klesson

Enquanto surgem nas FA do mundo a necessidade de substituição dos P-3 e suas versões por aeronaves atualizadas e a reação, aqui, nós compramos células usadas para atualização, quando temos nossa própria solução, o P99, que deveria ser aprimorada e desenvolvida. Assim, teriamos o domínio de tecnologia e do saber fazer, o qual poderiamos vendê-las e cada vez mais fazer melhor. A Austrália está trocando seus P-3 Orion por P-8, mais atualizado, maior espaço e mais veloz. Os cenários podem ser diferentes, mas as necessidades não.

Zero Uno

Wolfpack em 06 mai, 2009 às 21:05

Pois é… Aconteceu mesmo. Más foi 1 ano após o término da guerra e nós nunca rompemos relações diplomáticas com a Inglaterra. Antes mesmo da guerra aviões da RAF já usavam esta Base. Muito antes…

Abraços.

Zero Uno

klesson em 07 mai, 2009 às 11:33 O P99 é uma aeronave que a EMBRAER desenvolveu sózinha e sem os requesitos da FAB. Ele tem curto alcance e transporta poucos armamentos. Portanto, não se enquadrava nos requesitos da FAB. Os P3 Órion da FAB são uma solução mínima encontrada pela força pois temos uma enorme lacuna nesta área e os 8 que a FAB encomentou vão operar/completar os nossos Bandeirulhas que também sofrerão modernizações. Teremos uma equação, senão o ideal, más o mais próximo possível de sistemas modernos e atualizados. Afinal, os P3 serão equipados com sistemas bastantes modernos podendo… Read more »

Paulo Renato

Acredito que a nossa Embraer, tem plenas condições de desenvolver uma aeronave para essa função.

Apenas falta investimentos do nosso Governo Federal e garante que se esse projeto já existisse estaríamos dando de banho na Boeing.

Abs.

Últimas Notícias

O Gripen E vai igualar e, em muitos casos, ser melhor do que os atuais caças de quinta geração, afirma o Chefe da Força...

A Saab apresentou os seis primeiros Gripen E produzidos em série e que em breve ficarão prontos para a...
- Advertisement -
- Advertisement -