Home Nota Oficial Combates aéreos sobre as Canárias

Combates aéreos sobre as Canárias

541
74

eurofighter-foto-forca-aerea-espanhola

f-15-493-fighter-squadrom-foto-usafe

Começa nesta sexta-feira exercício de combate aéreo dissimilar envolvendo a USAFE e o Ejército del Aire

Nesta quinta-feira, dia 26 de fevereiro, a Força Aérea Espanhola (Ejército del Aire) noticiou que vinte aeronaves de combate Eurofighter, F-18 e Mirage F-1 participarão, junto com caças F-15 da USAFE (Força Aérea dos Estados Unidos na Europa), de exercícios  no Arquipélago das Canárias, entre os dias 27 de fevereiro e 13 de março.  Também participará das operações um E-3 AWACS de la OTAN vindo de Geilenkirchen (Alemanha). Trata-se de uma campanha de adestramento do tipo “Dissimilar Air Combat Training” (DACT), ou combate aéreo dissimilar, que visa exercitar técnicas de luta aérea entre aeronaves de características diferentes. As aeronaves operarão a partir da Base Aérea de Gando, na ilha Gran Canaria, a mais de 70 milhas da costa espanhola.

f-18-foto-forca-aerea-espanhola

Os  Eurofighter participantes pertencem à  Ala 11 de Morón (Sevilla). Os F-18 são das Alas 12 de Torrejón (Madrid), 15 de Zaragoza e 46 de Gando (Gran Canaria) e os Mirage F-1 são da Ala 14 de Albacete. A partir do dia 6 de março, os F-15 provenientes do 493 esquadrão da Força Aérea dos Estados Unidos na Europa (USAFE), baseados em Lakenheath, no Reino Unido, se reunirão ao exercício. Lakenheath é a maior base aérea operada pelos norte-americanos na Inglaterra e a única ala de F-15 da USAFE.

mirage-f1-foto-forca-aerea-espanhola

Fonte e fotos: Força Aérea Espanhola (Ejército del Aire) e Base Aérea de Lakenheath

74 COMMENTS

  1. Meu amigo Hornet ficou legal na foto, bem agressivo! rsss
    Quanto ao Eurofighter, conseguiram fazer uma foto dele em que ele ficou “bonitão” tb rss

    Abração

  2. Meu amigo Hornet ficou legal na foto, bem agressivo! rsss
    Quanto ao Eurofighter, conseguiram fazer uma foto dele em que ele ficou “bonitão” tb rss

    Abração

  3. Belas fotos destes caças rasgando os ceus do arquipélago Canárias (Tenerife, Gran Canária, Hierro, Gomera, Fuerteventura, Lanzarote e La Palma). Matei as minhas saudades um pouquinho!
    É uma bela região deste nosso planeta que merece ser visitada…morei lá por 10 anos e recomendo!
    A Base de Gando é muito bem estruturada e hoje é guarnecida por caças F-18 e ainda alguns Mirage F-1.

    Abraços a todos

  4. Belas fotos destes caças rasgando os ceus do arquipélago Canárias (Tenerife, Gran Canária, Hierro, Gomera, Fuerteventura, Lanzarote e La Palma). Matei as minhas saudades um pouquinho!
    É uma bela região deste nosso planeta que merece ser visitada…morei lá por 10 anos e recomendo!
    A Base de Gando é muito bem estruturada e hoje é guarnecida por caças F-18 e ainda alguns Mirage F-1.

    Abraços a todos

  5. Fábio Max, desconheço essa afirmação. Pelo contrário, ele é beeeeem mais ágil que o Mirage III que o antecedeu, e é usado até hoje pela França na versão CR de reconhecimento. Os inúmeros vídeos dos franceses no Tchade usando e abusando dele só confirmam isso que citei.

  6. Fábio Max, desconheço essa afirmação. Pelo contrário, ele é beeeeem mais ágil que o Mirage III que o antecedeu, e é usado até hoje pela França na versão CR de reconhecimento. Os inúmeros vídeos dos franceses no Tchade usando e abusando dele só confirmam isso que citei.

  7. Alguen saberia me dizer o que é aquela parte levantada atras da cabine do F-15 ,eu ja vi isto em aviões russos mas não tenho a minima ideia do que é ou pra que serve.

    Abraços

  8. Alguen saberia me dizer o que é aquela parte levantada atras da cabine do F-15 ,eu ja vi isto em aviões russos mas não tenho a minima ideia do que é ou pra que serve.

    Abraços

  9. André,

    aquilo é um freio de ar, serve para reduzir a velocidade de um avião tanto em terra como no ar, me corrija se estiver errado.

    Viva a República!!!

  10. André,

    aquilo é um freio de ar, serve para reduzir a velocidade de um avião tanto em terra como no ar, me corrija se estiver errado.

    Viva a República!!!

  11. A propósito, meus amigos, gosto é gosto, mas acho o Eurofighter um powta avião style, rsrsrs, bonito pacas…

    Feio mesmo é aquela bomba de Tigershark (é feio que nem um tubarão-tigre mesmo, hehe), ou pior ainda, aquele tal de X-32, nussss, esse parece um zé-do-caixão voador, rsrs

  12. A propósito, meus amigos, gosto é gosto, mas acho o Eurofighter um powta avião style, rsrsrs, bonito pacas…

    Feio mesmo é aquela bomba de Tigershark (é feio que nem um tubarão-tigre mesmo, hehe), ou pior ainda, aquele tal de X-32, nussss, esse parece um zé-do-caixão voador, rsrs

  13. Os americanos são muito espertos na verdade, não mostram tudo o que tem nos treinos e de quebra avaliam o poder dos adversários, que colocam tudo o que tem e pra ter o prazer de vencer os EUA num treino.Bobos somos nés que fomos lá com o submarino ticuna e os F5M. Aliás, qual o foi a avalização da participação dos pilotpos brasileiros da redflag, acho q foi esse o nome da operação de treinamento nos EUA.

  14. Os americanos são muito espertos na verdade, não mostram tudo o que tem nos treinos e de quebra avaliam o poder dos adversários, que colocam tudo o que tem e pra ter o prazer de vencer os EUA num treino.Bobos somos nés que fomos lá com o submarino ticuna e os F5M. Aliás, qual o foi a avalização da participação dos pilotpos brasileiros da redflag, acho q foi esse o nome da operação de treinamento nos EUA.

  15. Aliás, os indianos reclamaram que a preocupação dos EUA nesses treinos é apenas monitorar as frequencias de radar e comunicação dos outros…rss

  16. Aliás, os indianos reclamaram que a preocupação dos EUA nesses treinos é apenas monitorar as frequencias de radar e comunicação dos outros…rss

  17. Marine,

    Todo mundo que quiser elevar o moral da sua tropa um dia, e não quiser entrar em guerra, eu já sei como fazer: convida os americanos pra treinar….

    Vai afundar uns Nimitz, derrubar uns F-15, faz a festa…e depois é só correr pro abraço….kkkkk

    É como a gente sempre fala, não dá para tirar conclusão nenhuma desses “treinos”, ao menos, não da maneira como o pessoal faz aqui (fulano ganhou e beltrano perdeu, o avião X é melhor que o Y, etc.)…mas o pessoal insiste em achar que existe algum campeonato entre as FAs do mundo…então tá bão: EUA na segunda divisão…já estão rebaixados pra segundona, só perdem….kkkkk

    Mas o que se vai fazer? O jeito é levar na esportiva, né?…hehehe

    abração

  18. Marine,

    Todo mundo que quiser elevar o moral da sua tropa um dia, e não quiser entrar em guerra, eu já sei como fazer: convida os americanos pra treinar….

    Vai afundar uns Nimitz, derrubar uns F-15, faz a festa…e depois é só correr pro abraço….kkkkk

    É como a gente sempre fala, não dá para tirar conclusão nenhuma desses “treinos”, ao menos, não da maneira como o pessoal faz aqui (fulano ganhou e beltrano perdeu, o avião X é melhor que o Y, etc.)…mas o pessoal insiste em achar que existe algum campeonato entre as FAs do mundo…então tá bão: EUA na segunda divisão…já estão rebaixados pra segundona, só perdem….kkkkk

    Mas o que se vai fazer? O jeito é levar na esportiva, né?…hehehe

    abração

  19. Marine,

    não tem medalha nenhuma, né? Nem de prata, nem de bronze e nem de ouro…hehehe

    Engraçado como muda o enfoque quando os profissionais analisam esses treinamentos. Li certa vez um comandante da FAB comentando o resultado de uma RED FLAG, em que a FAB participou (acho que foi a do ano passado).

    O comandante falava mais ou menos isso: o exercício serviu para nós (FAB) nos adestrarmos em ações conjuntas com países da OTAN, serviu para testarmos as capacidades e averiguarmos os limites dos nossos caças, serviu para dar mais experiência para nossos pilotos etc.

    Já a galera (a torcida uniformizada): abatemos não sei quantos F-15, a USAF não é de nada e por aí vai…

    como vc é um profissional da área, vc sabe melhor do que eu para que serve e como funcionam esses exercícios…não é um campeonato. É um treinamento militar, com missões específicas a serem cumpridas e tal. Dentro de determinados cenários, com determinados níveis de complexidade etc. Não é assim?

    abração

  20. Marine,

    não tem medalha nenhuma, né? Nem de prata, nem de bronze e nem de ouro…hehehe

    Engraçado como muda o enfoque quando os profissionais analisam esses treinamentos. Li certa vez um comandante da FAB comentando o resultado de uma RED FLAG, em que a FAB participou (acho que foi a do ano passado).

    O comandante falava mais ou menos isso: o exercício serviu para nós (FAB) nos adestrarmos em ações conjuntas com países da OTAN, serviu para testarmos as capacidades e averiguarmos os limites dos nossos caças, serviu para dar mais experiência para nossos pilotos etc.

    Já a galera (a torcida uniformizada): abatemos não sei quantos F-15, a USAF não é de nada e por aí vai…

    como vc é um profissional da área, vc sabe melhor do que eu para que serve e como funcionam esses exercícios…não é um campeonato. É um treinamento militar, com missões específicas a serem cumpridas e tal. Dentro de determinados cenários, com determinados níveis de complexidade etc. Não é assim?

    abração

  21. Hornet,

    E isso mesmo e voce sabe que eu NAO SUPORTO comparacao de ficha tecnica! As variaveis sao infinitas portanto nao temos o controle sobre o final, apenas podemos tentar influenciar o resultado final com melhor treinamento, doutrina, equipamento e as outras coisas que ja sabemos, procuramos sempre reduzir as chances de coisas erradas acontecerem pois o senhor “Murphy” esta sempre por perto e nos adestramos e treinamos pois o mais minusculo detalhe aprendido/treinado 20 anos atras pode um dia nos salvar naquele um segundo que sua vida depende.

    Alias, esse e o combate, 99% treinando e 1% de excitacao do combate real…Treina-se toda uma carreira para nas maiorias das vezes nunca se ver nada e quando se ve basta apenas um piscar de olhos para tudo o que voce aprendeu seja colocado em pratica e te salvar a pele.

    Semper Fi!

  22. Hornet,

    E isso mesmo e voce sabe que eu NAO SUPORTO comparacao de ficha tecnica! As variaveis sao infinitas portanto nao temos o controle sobre o final, apenas podemos tentar influenciar o resultado final com melhor treinamento, doutrina, equipamento e as outras coisas que ja sabemos, procuramos sempre reduzir as chances de coisas erradas acontecerem pois o senhor “Murphy” esta sempre por perto e nos adestramos e treinamos pois o mais minusculo detalhe aprendido/treinado 20 anos atras pode um dia nos salvar naquele um segundo que sua vida depende.

    Alias, esse e o combate, 99% treinando e 1% de excitacao do combate real…Treina-se toda uma carreira para nas maiorias das vezes nunca se ver nada e quando se ve basta apenas um piscar de olhos para tudo o que voce aprendeu seja colocado em pratica e te salvar a pele.

    Semper Fi!

  23. Marine, esse tipo de coisa é bem aquilo de moleque em saber se o seu é menor que o meu rssss

    Mauro, gostei de ver o Eurofighter de costas sim, será um belo alvo rsss

    Mas sem tirar sarro, um amigo viu um Eurofighter na Espanha de perto, teve palestra sobre a aeronave e se apaixonou por ela, mas não é “menina” pra gente rss

    Abração

  24. Marine, esse tipo de coisa é bem aquilo de moleque em saber se o seu é menor que o meu rssss

    Mauro, gostei de ver o Eurofighter de costas sim, será um belo alvo rsss

    Mas sem tirar sarro, um amigo viu um Eurofighter na Espanha de perto, teve palestra sobre a aeronave e se apaixonou por ela, mas não é “menina” pra gente rss

    Abração

  25. Marine,

    perfeito seu comentário, como sempre.

    Os treinamentos militares são feitos para isso mesmo: para que num “piscar de olhos tudo o que voce aprendeu seja colocado em pratica e te ajude a salvar a pele.” E não para ganhar o “campeonato”.

    Eu até diria mais, ser bem treinado não é ganhar os treinamentos contra a USAF (ou contra quem quer que seja). Ser bem treinado é treinar sempre. E isso, a USAF (US Army, US Marines e US Navy) dão de 10 a 0 em qualquer um…mas se tem gente que acha que o importante é “afundar” o Nimitz…então paciência. Afunda o Nimitz no dia do jogo então. Derruba o F-15 no dia do jogo.

    Espero que os colegas do blog prestem bem atenção na sua última frase. O segredo está ali…e não na comparação de bulas, quer dizer, de fichas técnicas.

    inté

  26. Marine,

    perfeito seu comentário, como sempre.

    Os treinamentos militares são feitos para isso mesmo: para que num “piscar de olhos tudo o que voce aprendeu seja colocado em pratica e te ajude a salvar a pele.” E não para ganhar o “campeonato”.

    Eu até diria mais, ser bem treinado não é ganhar os treinamentos contra a USAF (ou contra quem quer que seja). Ser bem treinado é treinar sempre. E isso, a USAF (US Army, US Marines e US Navy) dão de 10 a 0 em qualquer um…mas se tem gente que acha que o importante é “afundar” o Nimitz…então paciência. Afunda o Nimitz no dia do jogo então. Derruba o F-15 no dia do jogo.

    Espero que os colegas do blog prestem bem atenção na sua última frase. O segredo está ali…e não na comparação de bulas, quer dizer, de fichas técnicas.

    inté

  27. Cinquini,

    o Eurofigther é extraordinário…mas é semelhante àquele carro da foto que vc passou pra mim e pro Marine: caro pra xuxu!!!! haja décimo terceiro pra comprar um desses, hein?….hehehehe

    inté

  28. Cinquini,

    o Eurofigther é extraordinário…mas é semelhante àquele carro da foto que vc passou pra mim e pro Marine: caro pra xuxu!!!! haja décimo terceiro pra comprar um desses, hein?….hehehehe

    inté

  29. Cinquini,

    E isso mesmo, aqueles papos de menino: “meu pai bate no seu pai…”

    Hornet,

    Voce acertou a chave da questao, a diferenca e de quem treina mais, quem dispara mais tiros, quem tem mais combustivel nos navios, mais misseis reais para disparar e por ai vai. A maior besteira e o que os leigos fazem de achar que o pessoal do pais deles sao mais machos, mais bravos e tal pois tanto nos EUA como no Brasil, Russia, china ou o que seja ha competentes e incompetentes, corajosos e covardes, fortes e fracos e assim por diante ja que nenhum deles e geneticamente superior.

    “The more we sweat in peace, the less we bleed in war”

    Semper Fi!

  30. Cinquini,

    E isso mesmo, aqueles papos de menino: “meu pai bate no seu pai…”

    Hornet,

    Voce acertou a chave da questao, a diferenca e de quem treina mais, quem dispara mais tiros, quem tem mais combustivel nos navios, mais misseis reais para disparar e por ai vai. A maior besteira e o que os leigos fazem de achar que o pessoal do pais deles sao mais machos, mais bravos e tal pois tanto nos EUA como no Brasil, Russia, china ou o que seja ha competentes e incompetentes, corajosos e covardes, fortes e fracos e assim por diante ja que nenhum deles e geneticamente superior.

    “The more we sweat in peace, the less we bleed in war”

    Semper Fi!

  31. Concordo plenamente com o Hornet e o Marine, dados técnicos só definem qual aeronave é superior em cada quesito ou leva vantagem em algum setor, porem isto não garante uma vitoria, mas isto já foi amplamente discutido e esclarecido para a galera do BLOG, o que define primordialmente um combate aéreo de vetores com características e capacidades similares é a doutrina, apoio, armamentos, sensores e o vetor(Desempenho e características particulares), ser superior não quer dizer que o vetor ganhara um combate o que define isto pelo menos em vetores de mesma geração e características similares em sua maioria são a doutrina utilizada, logo depois vem o apoio seguido pelos armamentos,sensores e o vetor (Com suas características e capacidades individuais).
    Volto a frisar ninguém é melhor que ninguém (Geral), cada pessoa se destaca em alguns setores, nem todos os soldados são bons no que fazem, mas em outros ramos de atuação são ótimos profissionais, ninguém é igual, portanto nem todos os soldados são “ótimos profissionais” no setor, porem isto não “desqualifica” o ser no contexto geral, somente naquele ramo de atuação.
    Um abraço a todos.

  32. Concordo plenamente com o Hornet e o Marine, dados técnicos só definem qual aeronave é superior em cada quesito ou leva vantagem em algum setor, porem isto não garante uma vitoria, mas isto já foi amplamente discutido e esclarecido para a galera do BLOG, o que define primordialmente um combate aéreo de vetores com características e capacidades similares é a doutrina, apoio, armamentos, sensores e o vetor(Desempenho e características particulares), ser superior não quer dizer que o vetor ganhara um combate o que define isto pelo menos em vetores de mesma geração e características similares em sua maioria são a doutrina utilizada, logo depois vem o apoio seguido pelos armamentos,sensores e o vetor (Com suas características e capacidades individuais).
    Volto a frisar ninguém é melhor que ninguém (Geral), cada pessoa se destaca em alguns setores, nem todos os soldados são bons no que fazem, mas em outros ramos de atuação são ótimos profissionais, ninguém é igual, portanto nem todos os soldados são “ótimos profissionais” no setor, porem isto não “desqualifica” o ser no contexto geral, somente naquele ramo de atuação.
    Um abraço a todos.

  33. Marine, anota ai mais uma expressão para “enriquecer” seu vocabulário, estes comparadores de ficha técnica são os “especialistas de Super-Trunfo”… : D

    Para que doutrina, treinamento, intendência, manutenção, logística e o escambau?? Se na hora do fight e só ver quem é o melhor (ou segundo melhor…) pela ficha do Super-Trunfo………

  34. Marine, anota ai mais uma expressão para “enriquecer” seu vocabulário, estes comparadores de ficha técnica são os “especialistas de Super-Trunfo”… : D

    Para que doutrina, treinamento, intendência, manutenção, logística e o escambau?? Se na hora do fight e só ver quem é o melhor (ou segundo melhor…) pela ficha do Super-Trunfo………

  35. Fábio, numa matéria anterior do Blog sobre o recente acidente com dois Mirage espanhóis há mais informações, e nos comentários da mesma há um histórico bem resumido das quantidades ao longo do tempo.

    http://www.aereo.jor.br/?p=3188

    No google vc acha também com facilidade uma matéria, creio que da edição espanhola da Avião Revue, com todas as datas de acidentes etc. Mas deve-se pensar sempre na taxa de atrito e não só nos números absolutos, pois trata-se de uma aeronave utilizada por mais de 3 décadas, como foi o caso dos nossos Mirage III. E em mais de 3 décadas, certamente a soma total de acidentes vira uma grande lista.

  36. Fábio, numa matéria anterior do Blog sobre o recente acidente com dois Mirage espanhóis há mais informações, e nos comentários da mesma há um histórico bem resumido das quantidades ao longo do tempo.

    http://www.aereo.jor.br/?p=3188

    No google vc acha também com facilidade uma matéria, creio que da edição espanhola da Avião Revue, com todas as datas de acidentes etc. Mas deve-se pensar sempre na taxa de atrito e não só nos números absolutos, pois trata-se de uma aeronave utilizada por mais de 3 décadas, como foi o caso dos nossos Mirage III. E em mais de 3 décadas, certamente a soma total de acidentes vira uma grande lista.

  37. Fábio Max, fazendo coro aos colegas, o Mirage F-1 é muito manobrável, mais do que o Mirage III, e em muitos países foi o vetor de combate aéreo no “tempo” do dog-fight! 🙂 , suas impressões sobre este exelente avião estão equivocadas!

    Abração

    Francisco

  38. Fábio Max, fazendo coro aos colegas, o Mirage F-1 é muito manobrável, mais do que o Mirage III, e em muitos países foi o vetor de combate aéreo no “tempo” do dog-fight! 🙂 , suas impressões sobre este exelente avião estão equivocadas!

    Abração

    Francisco

  39. Marine e Hornet! um dia você será como eles! uhauauhuhuha
    sem brincadeiras…. se um dia o Brasil fosse agredido, gostaria que nossos comandantes militares pensassem, ou fosse, o Marine e analisassem, ou fosse, o Hornet! (claro e eu como piloto de um Rafale F-3 só para ser “mandado” por estas figuras! – detalhe: será que aceitam um quarentinha na AFA? he he)

    Falando mais sério: Jogo paintball – wood (ando meio na reserva por problemas de coluna) e a gente aprende bastante sobre táticas, e aprende que as vezes até mesmo um time tecnicamente superior e, consequentemente, mais treinado é surpreendido na “floresta” pelo Gen. Murphy! Já “morri” com um tiro no pescoço de uma distância que todos consideram “impossível” de acontecer! já subi uma escadaria de 2 lances, com 3 inimigos de campana, com minha RAP4, e fui bem sucedido! neste dia ganhei uma insignea de Sgt! :)…. o caos acontece com muita frequencia (para os 2 lados), claro que na maioria das vezes a “zebra” não aparece….
    Porém entendo os colegas que se “emocionam” com as fichas técnicas, considero que suas avaliações são apenas superficiais, mas não desqualificatórias! afinal a boa “ficha-técnica” do equipo em nada prejudica o desempenho, só qualifica mais ainda!
    Desde o início dos debates, pós red-flag, alertava os colegas sobre esta “façanha” dos F-5M e A-1, fui até ostilizado e chamado de anti-patriota! porém o que falei foi por base no que ouvi de um piloto do 14 (ele não foi ao Red – último – mas seus colegas certamente falaram tudo e mais um pouco -troca de experiências) neste exercício, nós nos saímos muito bem, e um destes fatores foi a posição “confortável” que ficávamos… sempre na retaguarda, na frente iam os F-15 varrendo os céus, depois vinham os F-16 e depois nós… nosso combate se travava já com o conhecimento situacional definido ou conhecido, o que era uma vantagem apenas para contrapor a dos agressores, que não precisavam “pousar”, apenas ir a uma zona de exclusão, permanecer um pequeno tempo e já voltar para o combate!
    Combatemos contra versões não tão tops do F-15 e F-16 agressor! estando o F-5M, inclusive, mais atualizado para o modern warfare…

    Agora é inegável que alguns acontecimentos ficam evidentes nestes exercício, que é a superioridade técnica dos vetores, de suas armas, etc…
    No famoso Red-flag de 92, acho, os Mig-29 alemães + HMD + R73, mostraram a defasagem dos USA perante esta situação específica de combate, e só comprovou o temido estudo investigatório sobre a capacidade real da URSS nos anos 80, e do qual se concluiu que os principais vetores da OTAM (F-15, F-16, Tornado e Mirages) estariam em sérias desvantagens, haja visto o combate BVR estar engatinhando, o que mandava naquela época eram os combates a curta distância ou mesmo visual… os AIM-9L não eram pareos para os R-73 principalmente com o HMD…. mais recentemente a USAF estava preocupada com os F-15E perante os SU-30 Indianos, onde uma manobra de 20 anos de idade em conjunto com o uma ação de lançamento de 2 míssies de diferentes guiagens o R-73 e o R-77 sempre derrubavam o F-15E os pilotas da USAF não estavam conseguindo sair desta “armadilha” e eram combates travados a distâncias de 30 a 40Km….
    O que quero dizer que os exercício salientam muitas coisas, e algumas são tão evidentes que acabam “vasando” e tornando-se conhecidas dos especialistas que as analisam e dão um parecer, creditando-as ou não…. isso alimenta a propaganda, sim…mas acredito na máxima, onde ha fumaça, há fogo!

    Abraço aos amigos!

    Francisco

  40. Marine e Hornet! um dia você será como eles! uhauauhuhuha
    sem brincadeiras…. se um dia o Brasil fosse agredido, gostaria que nossos comandantes militares pensassem, ou fosse, o Marine e analisassem, ou fosse, o Hornet! (claro e eu como piloto de um Rafale F-3 só para ser “mandado” por estas figuras! – detalhe: será que aceitam um quarentinha na AFA? he he)

    Falando mais sério: Jogo paintball – wood (ando meio na reserva por problemas de coluna) e a gente aprende bastante sobre táticas, e aprende que as vezes até mesmo um time tecnicamente superior e, consequentemente, mais treinado é surpreendido na “floresta” pelo Gen. Murphy! Já “morri” com um tiro no pescoço de uma distância que todos consideram “impossível” de acontecer! já subi uma escadaria de 2 lances, com 3 inimigos de campana, com minha RAP4, e fui bem sucedido! neste dia ganhei uma insignea de Sgt! :)…. o caos acontece com muita frequencia (para os 2 lados), claro que na maioria das vezes a “zebra” não aparece….
    Porém entendo os colegas que se “emocionam” com as fichas técnicas, considero que suas avaliações são apenas superficiais, mas não desqualificatórias! afinal a boa “ficha-técnica” do equipo em nada prejudica o desempenho, só qualifica mais ainda!
    Desde o início dos debates, pós red-flag, alertava os colegas sobre esta “façanha” dos F-5M e A-1, fui até ostilizado e chamado de anti-patriota! porém o que falei foi por base no que ouvi de um piloto do 14 (ele não foi ao Red – último – mas seus colegas certamente falaram tudo e mais um pouco -troca de experiências) neste exercício, nós nos saímos muito bem, e um destes fatores foi a posição “confortável” que ficávamos… sempre na retaguarda, na frente iam os F-15 varrendo os céus, depois vinham os F-16 e depois nós… nosso combate se travava já com o conhecimento situacional definido ou conhecido, o que era uma vantagem apenas para contrapor a dos agressores, que não precisavam “pousar”, apenas ir a uma zona de exclusão, permanecer um pequeno tempo e já voltar para o combate!
    Combatemos contra versões não tão tops do F-15 e F-16 agressor! estando o F-5M, inclusive, mais atualizado para o modern warfare…

    Agora é inegável que alguns acontecimentos ficam evidentes nestes exercício, que é a superioridade técnica dos vetores, de suas armas, etc…
    No famoso Red-flag de 92, acho, os Mig-29 alemães + HMD + R73, mostraram a defasagem dos USA perante esta situação específica de combate, e só comprovou o temido estudo investigatório sobre a capacidade real da URSS nos anos 80, e do qual se concluiu que os principais vetores da OTAM (F-15, F-16, Tornado e Mirages) estariam em sérias desvantagens, haja visto o combate BVR estar engatinhando, o que mandava naquela época eram os combates a curta distância ou mesmo visual… os AIM-9L não eram pareos para os R-73 principalmente com o HMD…. mais recentemente a USAF estava preocupada com os F-15E perante os SU-30 Indianos, onde uma manobra de 20 anos de idade em conjunto com o uma ação de lançamento de 2 míssies de diferentes guiagens o R-73 e o R-77 sempre derrubavam o F-15E os pilotas da USAF não estavam conseguindo sair desta “armadilha” e eram combates travados a distâncias de 30 a 40Km….
    O que quero dizer que os exercício salientam muitas coisas, e algumas são tão evidentes que acabam “vasando” e tornando-se conhecidas dos especialistas que as analisam e dão um parecer, creditando-as ou não…. isso alimenta a propaganda, sim…mas acredito na máxima, onde ha fumaça, há fogo!

    Abraço aos amigos!

    Francisco

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here