Super Tucano, um bom substituto para a família A/T-37

    569
    70

    a-37-dragonfly-1

    A recente confirmação da venda de aeronaves Embraer Super Tucano para a República Dominicana teve, dentre vários objetivos, recuperar a capacidade de combate perdida com a aposentadoria dos A-37 Dragonfly (ocorrida em 2001). Aquela nação do Caribe, assim como diveros países do Terceiro Mundo, receberam diferentes lotes desta versão do famoso treinador T-37.

    No entanto, estes aviões estão chegando ao limite de suas vidas. O Super Tucano é um ótimo substituto para a dupla A/T-37, pois pode executar tanto as missões COIN, como o treinamento avançado. Abaixo uma lista de operadores de aviões A-37/T-37. Alguns estão desativando as aeronaves ou até mesmo já desativaram.

    – Bangladesh, Burma, Camboja, Chile, Equador, Alemanha, Grécia, Guatemala, Honduras, Jordânia, Marrocos, Paquistão, Peru, Tailândia, Turquia, Uruguai e Vietnã.

    Os leitores estão convidados a corrigir, ou mesmo completar, a lista acima.

    super-tucano-1

    Subscribe
    Notify of
    guest
    70 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    Alfredo_Araujo
    Alfredo_Araujo
    11 anos atrás

    Alemanha???
    Interessante!! Dessa eu nao sabia..

    Wilson Johann
    Wilson Johann
    11 anos atrás

    Certamente que paises com mais recursos devem partir para jatos mais avançados, mas para aqueles cujos orçamentos não permitem o Super Tucano cai como uma luva, e como o cenário de guerra assimétrica dende a se espalhar pelo mundo afora, o Super Tucado é a escolha mais adequada.

    Abraços!!!

    Democracia
    Democracia
    11 anos atrás

    Não quero cortar o assunto mas dem uma olhada no site da FAB ele ta meio estranho, sera que é o meu pc ?, ou são os rakers, reparem os botões do menu..

    Viva a República!!!

    Wilson Johann
    Wilson Johann
    11 anos atrás

    Complementando:
    O cenário do que ocorre hoje na Colombia é o melhor exemplo do emprego do Super Tucano, cumprindo tarefas de contra insurgência que dificilmente poderiam ser realizadas com a mesma eficácia por caças a reação (turbojatos).

    Abraços!!!

    Fábio Max
    11 anos atrás

    Chile e Equador já compraram Super-Tucanos e vão descobrir isso, o que pode implicar em novas encomendas. Com Colômbia e Equador operando, o Peru pode se convencer também. O Uruguai,penso, se optar por aeronave assim, irá de AT63 Pampa, visto que já opera alguns. Assim que a República Dominicana começar a operar, muitos países da América Central e Caribe passarão a ter interesse também, como a Guatemala e Honduras. E no mercado asiático podem aparecer oportunidades, se bem que Congapura preferiu o Pilatus PC-21. Penso que Jordânia, Pàquisto e Turquia são mercados que não aceitam o produto, porque leva aviônica… Read more »

    Fábio Max
    11 anos atrás

    Ah!

    Esses Dragonfly são muito, muito feios!!!

    O Brasil já operou alguns, o que foi feito deles?

    Walderson
    Walderson
    11 anos atrás

    Caro Fábio Max,

    se não estou enganado, foram vendidos à Coreia do Sul (seguindo a nova regra de Português). Um abraço a todos.

    jacubão
    11 anos atrás

    Um está no MUSAU, e o restante deve ter virado papel alumínio, rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs.

    Corsario-DF
    Corsario-DF
    11 anos atrás

    Excelente vetor até mesmo para nações mais desenvolvidas pois o custo operacional e de aquisição é muito atraente. Não tem concorrente a altura do ST, pois já foi até provado em combate.

    Sds.

    Storm
    11 anos atrás

    Isso é animador, A Embraer com certeza já esta de posse desses dados.

    Com certeza ainda vamos ver novas vendas internacionais do Super tucano.

    Vida longa ao Tucanão !!! morte p/ o Dragonfly !!!

    Fábio Max
    11 anos atrás

    Mauro,

    Acho que você tem razão, é o IA58 Pucará mesmo.

    RL
    RL
    11 anos atrás

    Somando todas as unidades operadas por estes paises, estariamos falando em um mercado de potencial para quantas unidades?

    Alguem saberia fazer este levantamento?

    Abraços.

    Ulisses
    Ulisses
    11 anos atrás
    Ulisses
    Ulisses
    11 anos atrás

    RL,estas informações ainda não é o que você pediu,mas acho que pode ajudar.

    Sds.

    Wolfpack
    Wolfpack
    11 anos atrás

    A política na Embraer por muito tempo foi a produção de aeronaves que sempre miravam em operações de baixo custo, foi assim com sua primeira aeronave Bandeirantes, depois veio o Brasília e agora a famosa e até lendária série EMB145 e depois os EMB190… O Super Tucano segue o mesmo caminho de sucesso e de suprir as Forças Aéreas menores com uma excelente aeronave capaz, eficiente, com grau de disponibilidade comprovados que cumpre a missão a que se propõe. Espero que a Embraer continue explorando lacunas no mercado mundial de aviação e apresente novas aeronaves de transporte e treinamento, além… Read more »

    RL
    RL
    11 anos atrás

    Ulisses, Mauro.

    Obrigado pelas informações.

    Abraços.

    Mateus_LB
    Mateus_LB
    11 anos atrás

    O tucano é um ótimo avião,por ser moderno e de baixo custo aperacional,para um turbohélice ele até q é bastante letal,se for preparado ele pode lençar os mísseis derby.lógico q ñ se deve usar ele como intrceptador mais é bom saber q temos essa opção.

    Abrivio
    Abrivio
    11 anos atrás

    Os T-37 deixaram de operar na FAB em decorrência do fim do acordo militar Brasil-EUA declarado pelo Governo Geisel em decorrência de uma série de fatores. Isso causou uma série de problemas, não havia peças de reposição para as aeronaves, o que inviabilizou seu emprego. É um excelente estudo de caso para as futuras “parcerias” feitas pelo Brasil. Pena não aprendermos com erros anteriores. As aeronaves mais novas tinham apenas dez anos de uso quando vendidas à Coréia do Sul.

    Nelson Lima
    Nelson Lima
    11 anos atrás

    O Pucara é um turbohélice excelente, embora desatualizado. Pode atingir 750km/h em vôo de picada.Fico imaginando se nas Malvinas os argentinos tivessem a possibilidade de embarcar o Pucará no 25 de Mayo, e abrir sua linha de produção em esforço de guerra para empregá-los em atques navais de mergulho,como os Stuka fora usados pelos alemães também em ataque anti-naval. A guerra teria sido mais terrível ainda para os ingleses.

    Abrivio
    Abrivio
    11 anos atrás

    Nas Malvinas, as pesadas baixas dos A4´s (aeronaves a reação, pequenas e ágeis) não recomendariam o uso de Pucarás em ataques anti-navio. Mesmo seu emprego apartir de Port Stanley contra tropas se revelou desastroso.

    Fábio Max
    11 anos atrás

    Os IA 58 Pucará são aviões para contra insurgência, treinamento e ataque lev. São uma espécie de tucano com dois motores…

    Mauricio R.
    Mauricio R.
    11 anos atrás

    A Turquia fechou c/ os coreanos, o KAI KT-1/KO-1, incluindo transferência de tecnologia.

    Vassily Zaitsev
    Vassily Zaitsev
    11 anos atrás

    Poggio,

    Chile – podemos esquecer, pois os A-37 serão substituídos pelo 3º lote de F-16 recentemente adquirido. Mas, mesmo assim, compraram 12, destinados à equipar outro local.

    Equador – Espero que consigam o financiamento externo, pois o BNDS já tratou de cancelar a financiamento dos 24 que o Rafael Corrêa pretendia adquirir.

    abraços.

    Zero Uno
    Zero Uno
    11 anos atrás

    Olá Pessoal…

    O Poggio tem razão. O filhote do Hugo Chaves, Rafael Corrêa “Chaves”, tratou de arranjar uma maneira de não comprar os nossos Super Tucanos A-29. Más não há no mundo aeronave com um perfil e custo/benefício melhor que os nossos. Pilatus PC 21? Esse não dá nem pro cheiro… Se o Equador quiser guarnecer a sua fronteira com a Colômbia com aeronaves de boa qualidade, vai ter que gastar mais dinheiro…

    Zero Uno
    Zero Uno
    11 anos atrás

    Quanto ao Chile…

    Acho que o 3o lote de F16 A/B-MLU que o Chile vai comprar da Holanda serão para substituir o restante dos F5E Tigher III que eles operam em Antofagasta. Afinal, seriam somente 8 F16’s. Eles querem mesmo o A29 para Ataque e Treinamento em substituição aos A37 e seus turboélices Enaer T35 Pilán…

    Mauricio R.
    Mauricio R.
    11 anos atrás

    O avião a ser substituído na FACH pelo T-29 é o CASA/ENAER T-36 “Toqui”, variante do C-101 Aviojet.

    Vassily Zaitsev
    Vassily Zaitsev
    11 anos atrás

    Mauricio R.

    Valeu pela informação.

    abraços.

    Vassily Zaitsev
    Vassily Zaitsev
    11 anos atrás

    Zero Uno,

    Somente 08 F-16 MLU serão a dotação do 3º lote à ser adquirido pelo Chile??????????

    Pelo que eu saiba, serão 18 unidades à serem comprados junto à Holanda.

    abraços.

    Zero Uno
    Zero Uno
    11 anos atrás

    Vassily…

    Essa informação eu tirei da revista FORÇA AÉREA… Pelo menos foi isso que li…

    Mauríco… Na mesma revista cita os T-35 Pilán a serem substituídos pelos A-29…

    Se as informações estiverem erradas, me desculpem ok?

    Abraços…

    Vassily Zaitsev
    Vassily Zaitsev
    11 anos atrás

    E hoje, o site sistemasdeArmas informa que o Chile está interessado em adquirir mais 10 unidades do F-16 Block 50/52 novinhos em folha. Com + essa aquisição, a frota deles chegaria à 54 aeronaves.

    abraços.

    trackback
    11 anos atrás

    […] nº12, fez o primeiro voo solo de uma mulher integrante da Força Aérea Chilena em aeronave A-37. O voo se deu na Base Aérea “Chabunco”, lar dos “Tigres […]

    trackback
    11 anos atrás

    […] Super Tucano ainda tem um mercado potencial de usuários de A/T-37 espalhados pelo mundo. Em relação o Strikemaster, esta é uma versão de ataque to jato inglês BAC Jet Provost. E foi […]

    trackback
    11 anos atrás

    […] mesmo é que residem as oportunidades para a EMB-314, ao que se soma seu desempenho destacado em missões de contra-insurgência (COIN). As vendas externas do Super Tucano crescem pouco a pouco, aproximando-se do número de aeronaves […]

    trackback
    11 anos atrás

    […] Chabunco, realizando voos conjuntos com pilotos do Grupo de Aviação nº12, equipado com aeronaves A-37 Dragonfly. Os pilotos equatorianos, capitão Edison Guerrón e Tenente Luis Rosero, voam o mesmo tipo de […]

    trackback
    11 anos atrás

    […] voo. Caso a venda se confirme, este será mais um país a substituir os A-37 pelos Super Tucanos, confirmando o prognóstico feito pelo Poder Aéreo de que a aeronave da Embraer é a melhor opção para os usuários de […]

    Alfredo_Araujo
    Alfredo_Araujo
    11 anos atrás

    Alemanha???
    Interessante!! Dessa eu nao sabia..

    Wilson Johann
    Wilson Johann
    11 anos atrás

    Certamente que paises com mais recursos devem partir para jatos mais avançados, mas para aqueles cujos orçamentos não permitem o Super Tucano cai como uma luva, e como o cenário de guerra assimétrica dende a se espalhar pelo mundo afora, o Super Tucado é a escolha mais adequada.

    Abraços!!!

    Democracia
    Democracia
    11 anos atrás

    Não quero cortar o assunto mas dem uma olhada no site da FAB ele ta meio estranho, sera que é o meu pc ?, ou são os rakers, reparem os botões do menu..

    Viva a República!!!

    Wilson Johann
    Wilson Johann
    11 anos atrás

    Complementando:
    O cenário do que ocorre hoje na Colombia é o melhor exemplo do emprego do Super Tucano, cumprindo tarefas de contra insurgência que dificilmente poderiam ser realizadas com a mesma eficácia por caças a reação (turbojatos).

    Abraços!!!

    Fábio Max
    11 anos atrás

    Chile e Equador já compraram Super-Tucanos e vão descobrir isso, o que pode implicar em novas encomendas. Com Colômbia e Equador operando, o Peru pode se convencer também. O Uruguai,penso, se optar por aeronave assim, irá de AT63 Pampa, visto que já opera alguns. Assim que a República Dominicana começar a operar, muitos países da América Central e Caribe passarão a ter interesse também, como a Guatemala e Honduras. E no mercado asiático podem aparecer oportunidades, se bem que Congapura preferiu o Pilatus PC-21. Penso que Jordânia, Pàquisto e Turquia são mercados que não aceitam o produto, porque leva aviônica… Read more »

    Fábio Max
    11 anos atrás

    Ah!

    Esses Dragonfly são muito, muito feios!!!

    O Brasil já operou alguns, o que foi feito deles?

    Walderson
    Walderson
    11 anos atrás

    Caro Fábio Max,

    se não estou enganado, foram vendidos à Coreia do Sul (seguindo a nova regra de Português). Um abraço a todos.

    jacubão
    11 anos atrás

    Um está no MUSAU, e o restante deve ter virado papel alumínio, rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs.

    Corsario-DF
    Corsario-DF
    11 anos atrás

    Excelente vetor até mesmo para nações mais desenvolvidas pois o custo operacional e de aquisição é muito atraente. Não tem concorrente a altura do ST, pois já foi até provado em combate.

    Sds.

    Storm
    11 anos atrás

    Isso é animador, A Embraer com certeza já esta de posse desses dados.

    Com certeza ainda vamos ver novas vendas internacionais do Super tucano.

    Vida longa ao Tucanão !!! morte p/ o Dragonfly !!!

    Fábio Max
    11 anos atrás

    Mauro,

    Acho que você tem razão, é o IA58 Pucará mesmo.

    RL
    RL
    11 anos atrás

    Somando todas as unidades operadas por estes paises, estariamos falando em um mercado de potencial para quantas unidades?

    Alguem saberia fazer este levantamento?

    Abraços.

    Ulisses
    Ulisses
    11 anos atrás
    Ulisses
    Ulisses
    11 anos atrás

    RL,estas informações ainda não é o que você pediu,mas acho que pode ajudar.

    Sds.

    Wolfpack
    Wolfpack
    11 anos atrás

    A política na Embraer por muito tempo foi a produção de aeronaves que sempre miravam em operações de baixo custo, foi assim com sua primeira aeronave Bandeirantes, depois veio o Brasília e agora a famosa e até lendária série EMB145 e depois os EMB190… O Super Tucano segue o mesmo caminho de sucesso e de suprir as Forças Aéreas menores com uma excelente aeronave capaz, eficiente, com grau de disponibilidade comprovados que cumpre a missão a que se propõe. Espero que a Embraer continue explorando lacunas no mercado mundial de aviação e apresente novas aeronaves de transporte e treinamento, além… Read more »