Home Noticiário Internacional Ressurreição do AMX?!

Ressurreição do AMX?!

1823
112

Nelson Jobim convoca Embraer para a “Operação AMX”

Está em gestação no Ministério da Defesa um projeto que, a um só tempo, combina a modernização da Força Aérea e o fortalecimento da Embraer no segmento militar. O ministro Nelson Jobim e o altocomando da Aeronáutica estão incitando a empresa de São José dos Campos a retomar a produção do AMX.
Trata-se do caça subsônico fabricado pela Embraer nas décadas de 1980 e 90 em parceria com as italianas Alenia e Aermacchi – a aeronave deixou de ser produzida há quase dez anos. A intenção de Nelson Jobim é embalar as negociações dentro de um projeto maior do governo, que envolva a concessão de financiamento público para a empreitada, leia-se um empréstimo do BNDES. Para aumentar a escala de fabricação do AMX e convencer a Embraer a embarcar na operação, o Ministério da Defesa não apenas se compromete a comprar parte expressiva da produção como atuar junto a outros governos da América do Sul com o objetivo de criar um mercado para a aeronave no Continente.
O Ministério da Defesa considera a ressurreição do AMX uma forma de amainar as pressões pelo reaparelhamento da Aeronáutica.
A retomada da produção seria um conveniente substituto do malfadado Projeto FX, leia-se a licitação internacional para a compra de aeronaves de defesa, operação postergada pelo governo desde os anos de FHC. A compra do AMX agrada ao alto-comando da Aeronáutica. Embora tenha uma autonomia de vôo inferior ao de um caça supersônico, o modelo é mais veloz e tem maior poder bélico do que o Super Tucano, atualmente usado pela Força Aérea no patrulhamento de fronteiras, sobretudo na Região Amazônica. Como se não bastassem as motivações técnicas, aos olhos de alguns setores mais conservadores da Força Aérea, o projeto será uma boa oportunidade de reaproximação com a Embraer. Determinados setores da Aeronáutica ainda nutrem um saudosismo da época em que a empresa de São José dos Campos era praticamente uma extensão das Forças Armadas.

FONTE: Relatório Reservado

NOTA DO EDITORES: Esse é o tipo de notícia que nos deixa assustados! O AMX, apesar de ter algumas qualidades, e de ter trazido muitos benefícios à FAB e à Embraer, é da época que avião de combate não era multifuncional. O projeto é da década de 80, submotorizado e não foi produzido totalmente pelo Brasil, pois a Embraer só fez cerca de 30% do avião. Os italianos nos repassariam os gabaritos?
Quando o AMX entrou em serviço na FAB, foi apelidado de F-32 por alguns pilotos, pois acreditava-se que seu preço era equivalente ao de dois F-16. Sempre houve reclamação de que o avião tem pouco motor, que produz muita fumaça e que foi entregue à FAB sem radar e sem canhão inicialmente. Seria bom que o Ministério da Defesa perguntasse aos pilotos de AMX da FAB, o que eles acham do avião, antes de qualquer decisão.

Subscribe
Notify of
guest
112 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nunão
Nunão
12 anos atrás

Cruz credo, já bati na madeira trêis vêis. Só falta ainda essa retomada vir com idéia para uma versão naval etc. Ops, falei em naval, esqueci que esse blog é aviãozinhu…

Modernizar as unidades atuais faz sentido. Fabricar novas já fez sentido, mas hoje já não faz mais não, é investir dinheiro no lugar errado.

Meirelles
Meirelles
12 anos atrás

Uma coisa que eu não entendo é porque foram produzidas 136 aeronaves para os italianos e apenas 56 para a FAB,ou seja,apesar das diferenças do tamanho de espaço aéreo, a AMI recebeu quase 3 vezes mais aeronaves.O AMX apesar de já ter sido provado em combate e ter demostrado elevada disponibilidade e efetividade prescisa de alterações mais radical(mesmo depois de modernizado) como um radar com maior alcançe e motor mais forte,pois com o atual o A-1 perde energia com facilidade. A idéia de voltar a produzir novos AMX não COLA,pois não era o FX-2 que irá substituir os AMX A-1… Read more »

Tomcat
Tomcat
12 anos atrás

Impressionante a capacidade do Ministério da Defesa arrumar qualquer pretexto para não realizar o F-X. Já cansei desta história. Esse assunto é empurrado com a barriga há DEZ anos! Nenhum político tem coragem de tomar uma decisão, seja anunciando a compra ou simplesmente a desistência de comprar um novo caça. Começou com o F-X. Em seguida, veio a possibilidade de comprar os Cheetah (isso mesmo!) Sul-Africanos. Nada aconteceu. Desativaram os Mirage. Para não acabar de vez com a defesa aérea, compraram o Mirage 2000 (enquanto não chegavam, o GDA voava Xavantes – a maior piada de mau gosto que o… Read more »

CorsarioDF
CorsarioDF
12 anos atrás

Acho o AMX um bom projeto para treinamento avançado, poderia substituir os xavantes da década de 50 muito bem, mas para caça, só pode ser brincadeira!!! Mas pensando em mercado sul americano, poderia ser uma boa idéia, pois a Bolívia ainda voa T-33, o Chile e a maior parte dos paíse sul americanos aindo voam o Cesna A-35 Dragon Fly, ele caíria como uma luva para substituição desses aparelhos sem dúvida alguma, mas para nossa força aérea serviria como um treinador avançado e só. Quem sabe um caça naval? Brincadeirinha… Mas ele é infinitamente melhor que o A-4, isso não… Read more »

König
König
12 anos atrás

Acho tambem um investimento desnecessario especialmente por que os A-1 na verdade mais pesaram contra do que a favor ja que no inventario da FAB constan como “caças” mas na verdade são bonbardeiros e dispôe apenas de canhões para combate Ar-Ar.
Penso que seria melhor realizarmos uma completa modernização incuilndo os motores que são fracos e fumacentos, e não esquecendo da eletronica aos Moldes do F-5EM mas voltado para ataque ao solo mas com alguma capacidade de conbate Ar-Ar.
Saudações

Paulo Costa
Paulo Costa
12 anos atrás

Este contrato para modernizar os AMX,foi assinado em jul/2007, com a entrega do primeiro prototipo à embraer. O radar multimodo ja foi testado,o cone do radar foi desenvolvido por uma firma Bae UK,o motor recentemente foi atualizado,esta emitindo menos fumaça,e aumentou a potencia um pouco,ja tem um prototipo voando,esta na hora de iniciar os upgrades. O AMX, é um avião de ataque,não é caça.Vai fazer tudo o que o A-29 faz,é a jato,tera um radar,e lançará missil antinavio.Os da base do RJ,poderão ter a função antinavio.Com a tecnologia recebida do AMX, podemos desenvolver a familia dos E-jets da Embraer,que ja… Read more »

edilson
edilson
12 anos atrás

Estimados, já que é para reativar o velho centauro, não fazia mais sentido comprar aos italianos as células paradas, segundo algumas fontes 56 que estão estocadas e em bom estado, reformá-las para opadrão AMX-M e pô-las em operação e ou venda?

Direto do Céu Azul
Direto do Céu Azul
12 anos atrás

Edilson, As células italianas tem problemas estruturais. Rolou até investigação no Congresso italiano sobre isso. E a partir deste episódio, os Ghibli começaram a ser desaivados. Na boa, essa idéia do Jobim para ir adiante, deveria estar focada no M346 italiano. Ai sim, eu até concordaria.Mas retomar o AMX é um erro. O avião é bonzinho e nada mais. Nem blindagem possui, pois se colocar ai mesmo é que ele nem decola.rsrsrsrs Brincadeiras a parte, o avião ja deu o que tinha que dar. A tirbina Spey nem se fabrica mais. Se ele for remotorizado, poderia até pensar, mas como… Read more »

Jorge
Jorge
12 anos atrás

Surto de profecias tenebrosas I Os pilotos da FAB que fazem milagres, vão se cansar e, convidados pela USAF e NATO, vão mudar-se para um lugar que não tenha o nefasto e a sua súcia no poder. Chega uma hora que o profissionalismo fala mais alto. Lembram-se DA oficial da FAB que foi fazer um curso nos EUA e por lá (casada) ficou? Óbvio que o nefasto e a sua súcia, nas suas festinhas íntimas, vão rir à toa, por estarem desmantelando as FF.AA., sem levantar suspeitas junto ao povão desinformado. Daqui há 4 anos, Hugo Chavez já terá treinado… Read more »

marujo
marujo
12 anos atrás

Inacreditável.Coisa de amadores.Pode ser uma cortina de fumaça para encobrir uma negociação comcreta ou o resultado da ação de algum lobby da Embraer querendo pegar os recursos dos nossos futuros caças. Não vejo outra explicação.

Ozawa
Ozawa
12 anos atrás

Constam notícias de que há cerca de 2 anos a própria Embraer cogitou o projeto AMX-T, como treinador avançado para a FAB e mesmo em alguns países da AL, salvo engano a FAV. Neste segmento parece-me não haver oposição dos blogueiros se o compararmos com os treinadores a jato do momento, mas como vetor de ataque, parece-me um contrasenso ao projeto FX-2, ainda que este tenha prazo diferido para sua efetivação. Agora, pelas informações do post o alto comando da FAB se agrada da idéia…, e em sendo confirmada esta informação, porque criticarmos o MD ? Ou o alto comando… Read more »

Alexandre Bagatini
12 anos atrás

Creio que com uma nova e eficiente motorização, teríamos uma ótima plataforma de treinamento avançado e ataque,mas não se poderia imaginar com sendo uma alternativa ao FX2. Precisamos de uma plataforma superior em desempenho e equipamentos que o atual F-5M.
Me parece que o tempo já passou para o AMX e inclusive deveríamos repensar na sua modernização, pois seria melhor adquirir mais F5 e modernizá-los como forma de preencher al acuna até a chegado do FX do que modernizar uma aeronave que não seria multifuncional.

Adler Medrado
12 anos atrás

Desse jeito, cancelando projetos de atualização de frota e agora com piadas de mal gosto como essa, nenhum grande país nos levará a sério.

Sinceramente, acho que até aqui dentro (do Brasil) muita gente já não leva o país a sério.

Democracia
Democracia
12 anos atrás

é mas ninguem falou que a nova versão do amx não sera superssonica, hoje com a tecnologia que se dispoe provavelmente o AMX tambe sera multi tarefa.

Viva a Republica!!!

König
König
12 anos atrás

Na verdade o A-1 tem blindagen capaz de resistir a .50.
Mas os nossos no ataque ao solo levan vantagem sobre os italianos por possuir 2 canhões de 30mm e os Italianos 1 de 20mm.
Saudações.

andre
andre
12 anos atrás

“O Avião que não funciona”

Não existe plano de defesa a longo prazo, as nossas forças vão viver de saltos tecnologicos pela eternidade…

Voluntário da Pátria
Voluntário da Pátria
12 anos atrás

Só pode ser brincadeira. Enquanto países como Turquia e Australia recebem F-35 nós reeberemos mais AMX? Tudo bem, tiveram sua importãncia mas estão há muito ultrapassados. Será para repor aqueles que deixaram “estragar”? A FAB não precisa de maior quantidade, precisa é de QUALIDADE.

André
André
12 anos atrás

Assim como o Itamar Franco ressucitou a linha de produção do Fusca na década de 90 o Jobin quer fazer o mesmo com o AMX. Isso é o que dá botar gente que não entende nada, e só amigo do chefe, em cargos importantes para a defesa do país.

Marco
Marco
12 anos atrás

Acredito que o que o ministro quis dizer é que o novo AMX deverá ser produzido com novas tecnologias.
Não foi a Embraer que aproveitou muito do AMX para produzir hj os aviões civis? Não foi a Embraer que foi aumentando o tamanho dos aviões desde o Brasília até o 190?
Pq o mesmo não pode ser feito com o AMX ou a partir dele?
Não é isso que a China fez com aviões russos, e daí produzindo inclusive as turbinas?

Luis Augusto
Luis Augusto
12 anos atrás

Já que fizeram o fusca ser fabricado depois de anos, é mais uma idéia de Jumento, que não entende de forças armadas! é uma pena!

Alerred
Alerred
12 anos atrás

Eu particularmente considero o AMX uma excelente plataforma para apoio cerrado, ataque ao solo, reconhecimento, guerra eletrônica, guerra antinavio e treinamento. Isto, logicamente, após o tão esperado “up graded”. Lamento profundamente não ter sido incluído neste pacote de modernização a troca dos motores. Considero oportuno o atraso neste momento, devido ao fato de podermos optar por uma padronização de motorização com o futuro FX-2, isto se ele realmente se concretizar. Alguns dos concorrentes (Rafale, Gripen e F/A-18 E/F) possuem motores que seriam compatíveis com o A-1 A/B, logicamente descartando a utilização do pós-combustor. Qualquer um desttes motores proporcionariam uma maior… Read more »

Jose Luis
Jose Luis
12 anos atrás

Temo que a fab perdeu a era dos caças pilotados, enquanto discutimos se iremos adquirir esse ou aquele jato, as grandes potências apostam tudo no VANT, talvez quando o Brasil decidir qual caça irá comprar e quando ele chegar, será tão desatualizado quanto o amx é hoje.

Robson Bandeira
Robson Bandeira
12 anos atrás

Meus Parabéns, excelente inciativa, vou estar sempre acompanhando
Um abraço a todos.

Robson Bandeira
Robson Bandeira
12 anos atrás

Meus Parabéns, excelente inciativa, vou estar sempre acompanhando
Um abraço a todos.
Correção:Parabéns pelo Blog

lula
12 anos atrás

Oh! companheiros, estou apenas reativando nossa industria de defesa !!
não me levem a mal !!!

Vassily Zaitsev
Vassily Zaitsev
12 anos atrás

Concordo com Direto do Céu Azul, em um dogfight o A-4 é extremamente superior ao AMX. Bem modernizado, com um radar no estado da arte e armamentos idem, até os F-5M se veriam em maus lençois, quanto mais os A-1 equipados com bombas burras, quase nada de motor e nenhum míssil.

konner
konner
12 anos atrás

O papel principal do AMX é ataque terrestre em condições de tempo visuais ou não, interdição aérea de médio e longo alcance, apoio aéreo aproximado, (cobertura) e reconhecimento tático com capacidade para treinamento avançado. Na Itália, ele tinha má reputação entre os pilotos. Diziam que só decolava devido a curvatura da terra e levava combustível com capacidade para fazer fumaça. Sua participação no conflito de Kosovo em 1999 mudou tudo isso. Os pilotos italianos relataram que foram “trackeados” pelos radares de mísseis SAM sérvios, mas que nenhum AMX foi derrubado durante o conflito. O desempenho neste conflito foi tão bom… Read more »

Baschera
Baschera
12 anos atrás

Rápido, socorro, urgente!!!
Temos que nos organizar, talvez fazer uma vaquinha e pagar a passagem para um EXORCISTA fazer uma visitinha no MD.
Pai de santo também serve…Xô, Xô,…..
Sds.

Wilson Johann
Wilson Johann
12 anos atrás

Olha lá, gente! O AMX-T (biplace) seria um ótimo treinador avançado. A versão oferecida para a Venezuela previa refinamentos tecnológicos que o colocariam ao nível dos melhores do mundo. E tudo feito aqui. Ademais, com armamento moderno, comporia uma segunda linha de defesa extraordinária, da mesma forma como os caças de treinamento avaçado são usados em forças aéreas como a da inglaterra, por exemplo, com o Hawk que, em alguns paises para os quais foi exportado, são usados como caças de 1ª linha. Abraços a todos! Obs: claro que não substitui um caça multifunção para superioridade aérea, o que, diga-se,… Read more »

lula
12 anos atrás

O nome do amx agora sera supertucanoII!!!

RODRIGO
RODRIGO
12 anos atrás

A remotorização do AMX foi desconsiderada pela FAB na modernização,pois acabaria com a principal característica desse avião,que é a grande autonomia.Capacidade que essa,que lhe deu o apelido de “monstro” pelos pilotos da FAB.

CorsarioDF
CorsarioDF
12 anos atrás

Em resposta ao Direto do Céu, os A-4 americanos no Vietnã caíram igual pipa, os israelenses também, todo mundo sabe que ele não é um avião de Dogfigth, e sim um avião de ataque, nisso eles tem uma ficha extensa e muito boa, só que há mais de 2 décadas atrás, o AMX provou recentemente no Kosovo que agüenta o tranco, pq nenhum país, exceto Argentina e Brasil, não enviam seus A-4 para o combate? Pq todos eles já estão na reserva faz tempo. Só pra lembrar, os nossos A-4 não serviram nem pra proteger o Kuwait, depois da chegada… Read more »

Alexandre Bagatini
12 anos atrás

Bom dia pessoal
Na sua utilização como treinador avançado e ataque seria ideal, mas a ótima relação com a Itália, poderia nos levar a produzir sob licença o M346, um avião no estado da arte e não um projeto da década de oitena até hoje inacabado. Antes de pensarmos em novos aviões, poderíamos ter pelo menos os nossos completos, com aviônica e armamentos completos. Na Red Flag, os F5 foram sem data link, por segurança ou por não estarem instalados ainda?

edilson
edilson
12 anos atrás

SENHORES, SINCERAMENTE ACHO QUE O RENOMADO REPORTER COMEU BRONHA E COMETEU UMA ORELHADA, PEGOU O BONDE ANDANDO E JÁ CONTOU O SEGREDO DO UNIVERSO.
ACHO QUE SE TRATA SIM DO CONTRATO DE REVITALIZAÇÃO DO VELHO CENTAURO QUE É SIM UMA MÁQUINA FORMIDÁVEL, INFELIZMENTE NUNCA FOI APARELHADA A CONTENTO.
ACHO QUE O O QUE ESTÁ EM DISCUSSÃO COM A EMBRAER SEJA O ACELERAMENTO DO PROGRAMA DE RETROIFT DOS MONSTRINHOS E NÃO A AAQUISIÇÃO DE UMA NOVA SÉRIE.
COMO SEJA, CONCORDO COM O MAURO, É GASTAR TECLADO FICAR SUPONDO.
ESPEREMOS AS OTORIDADES PORTA MEDALHAS E HERÓIS SE PRONUCIAREM…
GRANDE ABRAÇO A TODOS

Flavio
Flavio
12 anos atrás

Alguem sabe dizer se o AMX e uma boa plataforma para ser utilizada com a missao de “Close Air Support” ?

konner
konner
12 anos atrás

O caça escolhido para o FX-2, permitiria usar um só tipo de caça para todas as missões de combate de primeira linha. Porém, para apoio aéreo em campo de batalha, o uso de uma aeronave muito sofisticada e cara é algo a ser evitado. Para essas tarefas muito arriscadas o melhor é usar uma aeronave mais barata, e para isso, se usaria uma aeronave leve que serviria para apoio aéreo e quando estivesse fora de combate seria usada como aeronave de treinamento avançado, um item que a FAB tem grande necessidade. Uma aeronave de treinamento é fundamental nessa hora. Aí… Read more »

Vassily Zaitsev
Vassily Zaitsev
12 anos atrás

Em resposta a CorsárioDF: em 1982, nas Malvinas, o A-4 realmente sofreu um bocado, com a perda de diversas aeronaves, mas olha como os ingleses pagaram caro, com diversos navios afundados ou avariados; só para citar: Ardent, Argonaut, Sir Tristan, Sir Galahad, Antélope e um “talvez” Invencible fora avariado por suas Bombas. Disse talvez porque nunca foi provado. Os A-4 do Kuait eram demasiado pouco numerosos e, com eletronica da década de 50 contra Mig-29 muito mais modernos e amplamente testados em combate. Sem falar que, com a técnica de “blitz” usada pelos iraquianos, o Kuait não teve tempo nem… Read more »

Walderson
Walderson
12 anos atrás

Fala, galera, Eu concordo com os argumentos de que já passou a hora do AMX. Apesar de pensar que seria melhor do que não receber nada no cado de não trmos dinheiro pra um caça de 4ª, 4,5 ou 5ª geração. Claro desde que com aviônica melhorada. Algumas coisas foram faladas que não condizem com a realidade. Em primeiro lugar, quem chamava de F-32 era o pessoal da Força Aérea Italiana, que sempre malharam o avião. A malhação se estendeu até a guerra de Kosovo, em que o AMX foi o único avião a conseguir bombardear de forma efetiva a… Read more »

Walderson
Walderson
12 anos atrás

Em tempo,
um abraço a todos.

trackback
12 anos atrás

[…] o SCP-01, de fabricação ítalo-brasileira. Há pouco tempo foi ventilada a possibilidade de se retomar a produção do AMX pelo […]

Felipp Bittencourt Frassetto
Felipp Bittencourt Frassetto
12 anos atrás

Só pra comentar: É claro que seu preço final era caro, dado que o país, como um dos produtores, arcou com custos do seu desenvolvimento. Além do mais, a “celebração” que se vem se fazendo da Embraer nos últimos 10 anos (como uma boa empresa, que faz produtos de qualidade, etc.), deve-se, e muito, ao AMX. É sabido por todos que os ganhos tecnológicos que a empresa (leia-se o país) adquiriu com o seu desenvolvimento, permitiram o nascimento de produtos como as atuais famílias de jatos ERJ e MSJ. Isso quem diz são os próprios integrantes da empresa. Além do… Read more »

Peixe
Peixe
12 anos atrás

O AMX ainda pode dar caldo, se for modernizado e utilizado na função de bombardeiro tático, que é para o que foi desenhado.

O desenho é subsônico, especializado, obsoleto? A função do A-1 não requer alto desempenho nem multirole, mas alcance e capacidade de sobrevivência.

Lembrem-se que, como bombardeiros estratégicos, os B-52 são o mais utilizado vetor da USAF por quase 50 anos – e ainda vão continuar servindo no século XXI. Idade e especialização extrema não significam necessariamente obsolescência, desde que o vetor seja modernizado constantemente.

Eddie
Eddie
12 anos atrás

Caros amigos,

Eu lendo sobre a tal modernização do AMX, apareceu-me uma dúvida. O novo radar a ser usado nos AMXs modernizado será o SCP-01, certo ? E o anterior, qual era ? Por que lendo as infromações na internet eu percebi que o anterior também é o SCP-01. Será o novo uma versão mais moderna do SCP-01 ? E não um radar totalmente novo ?

Agradeço desde já.

Obrigado.

Doug
Doug
11 anos atrás

Acho que é uma boa idéia , imagine : O novo caça do fx-2 , O super tucano , amx-t que poderia ser usado para treinamento e no sivam ,eo futuro T 50 Pak -fa ,seria umas das forças aérea mais avançado do mundo …

Leonardo Corrêa
Leonardo Corrêa
11 anos atrás

Desses caças que estão na final, nenhm deles preenche os requisitos para o nosso país. Se levarmos em consideração, geocráfia, distância territorial e costa, o único ~caça que pode fazer frente as necessidades é o SU-35 Flanker, mesmo porque, ele tem manobrabilidade que nenhum de sua categoria possui e o Russos estam dispostos a abertura de tecnologia. Em outro caso o Thyphoon poderá ser o caça para atender as nossas necessidades acima dispostas. Poderia se fazer o seguines , pra região amazonica ficaria o Gripen, pois ele aterriça e decol em pistas pequenas, para o resto do pais o Typhoon… Read more »

Carlos Alberto
Carlos Alberto
11 anos atrás

Daminha sumo opinião quando o governo abrir os olhos javai ser tarde de mais! Paises menos disivovidos estaõ mais atualisados do que nois como o chile por esenplo , que e menos disivolvido ja tem em maõs caças como o mirage2000 o governo não deve estar atento a venezuela mais aos demais paises ,atequando nois sofreremos essa defasagem militar!

HSJ
HSJ
11 anos atrás

O AMX original tinha suas qualidades e suas limitações, entre elas o motor fraco e a falta de um radar. Estes problemas estão sendo parcialmente sanados com a modernização das células. De qualquer forma, para a missão a que se destina, o AMX (provado em combate no Kosovo) já se mostrou muito eficiente. Creio que para o mercado da américa latina e central, um AMX, a um preço competitivo, com um bom radar e um motor mais potente pode ser uma boa opção na substituição aos Cessna Dragonfly, T-33. Aeronaves de ataque subsônicas são sempre opções realísticas para pequenas forças… Read more »

lucas
lucas
11 anos atrás

po e vez da embraer fabricar o amx junto com os italianos
eles podiam fazer um bom negocio com os russos como fez o
chaves

Anônimo
Anônimo
11 anos atrás

Infelizmente, a falta de previsibilidade do governo brasileiro nos expõe a um vexame que eventualmente pode despontar no horizonte, ainda mais se considerarmos a vizinhança tomada por paixões nacionalistas e paleontológica tendência a abrigar líderes de índole popularesca com forte vocação fascista e um ardoroso culto da própria personalidade, agora agarrando-se com unhas e dentes ao poder, dispostos a qualquer coisa que possa despertar a insanidade da turba que os elegeu sob o pretexto nada racional de que a reeleição ilimitada é um ato democrático que ilide qualquer dúvida sobre a legitimidade do poder exercido e esquecendo-se de que a… Read more »

Arlindo Smões Grazina Jr.
Arlindo Smões Grazina Jr.
11 anos atrás

Sobre o comentário acima, dado como anônimo, foi escrito por mim.